Ciclista que colocou bicicleta em poste após morte de estudante diz que luta por trânsito mais humano


Por Marina Sequinel e Elizangela Jubanski

bicicleta flagrada por um leitor da Banda B na noite desta quarta-feira (21) tem uma finalidade especial: homenagear os ciclistas que morreram em acidentes de trânsito. Pendurada em um poste e toda pintada de branco, ela chama a atenção de quem passa pela Linha Verde, no bairro Xaxim, em Curitiba.
A iniciativa é do grupo de ciclistas CicloIguaçu, que realizam campanhas na capital para lutar pela paz no trânsito. A bicicleta foi colocada no local sete dias após a morte do estudante Alexander, de 14 anos, que foi atingido por um caminhão no caminho para a escola.
bicicleta-21113-bandab
A iniciativa tem como objetivo chamar a atenção dos motoristas para a tolerância no trânsito. (Foto: Renan Machado)
“Nós queremos que as pessoas olhem aquilo e reflitam sobre as ações que elas têm no trânsito. É preciso mais respeito e menos agressão. O nosso grupo luta por um trânsito mais humano, tanto por parte de motoristas, quanto de pedestres e ciclistas”, explicou um dos organizadores, Josué Valério, de 45 anos, à Banda B.
O grupo também colocou uma bicicleta (dessa vez no chão, em pé) em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, em homenagem ao jovem Marcelo, de 19 anos. Ele morreu em um acidente semelhante ao de Alexander, na Avenida Maringá.
As bicicletas são sempre colocadas no sétimo dia de morte da vítima, com a participação dos familiares, e no local onde o acidente aconteceu. “Logo nós vamos fixar também placas com o nome do ciclista e  com algumas frases. Como, por exemplo, ‘Por que toda essa pressa, motorista?’ e ‘Será que isso vale uma vida?’”, completou Josué.
Além das mensagens de tolerância no trânsito, o grupo também pede para o poder público infraestrutura e mais recursos que possam melhorar o acesso e segurança de quem pedala.

Notícias relacionadas