Passageira de ônibus se revolta com atropelamento de cão e desmaia após deboche do motorista


Por Luiz Henrique de Oliveira e Denise Mello


A degustadora Lais Fernandes Dias, de 55 anos, leitora do Portal da Banda B e usuária do transporte coletivo, procurou a redação nesta sexta-feira (22) para relatar uma situação delicada que viveu dentro de um ônibus da linha Banestado-Califórnia, em Curitiba. Há duas semanas, Lais ficou revoltada ao ver o motorista do coletivo atropelar um cachorro e não fazer nada.
Emocionada, ela contou que foi tirar satisfação e ao ouvir um deboche por parte do motorista desmaiou. “Não me aguentei, fiquei muito nervosa”, descreveu a moradora no bairro Santa Cândida, que tinha embarcado no ônibus no início da manhã para ir ao trabalho. “No terceiro ponto, o motorista passou por uma marginal onde tem umas casas de invasão. Em altíssima velocidade, ele matou o cão”, afirmou.
Segundo Lais, por ser uma amante de animais não se se segurou. “Só falei para andar mais devagar e ter cuidado e ele e o cobrador começaram a rir. Eu fiquei tão nervosa que acabei desmaiando e ainda assim eles não pararam o ônibus. Quando acordei já estava dentro de uma ambulância, com 20 por 11 de pressão”, disse a degustadora, que afirma não ter mais coragem de pegar o coletivo. “Não consigo mais entrar, foi um trauma muito grande”.
Para a degustadora, a situação poderia ter sido evitada. “Ele estava em alta velocidade e o cachorro foi pegar uma bolinha e acabou atropelado, sem ter feito nada. Nós entramos em contato com a URBS, passamos o nome do motorista, mas nada foi feito. Poderia ser uma criança”, opinou.
Resposta URBS:
Por meio de nota, a URBS informou o seguinte:
A empresa Glória, responsável pela linha Banestado/Califórnia, informou a Urbs sobre o incidente ainda no dia 8 de novembro. De acordo com relato da empresa, dois cachorros estariam brigando na rua no momento em que o ônibus passava. Eles então acabaram indo para baixo do coletivo, que não teria conseguido desviar. Ainda de acordo com a empresa, o dono dos cachorros começou a atirar pedras no ônibus e o motorista teria optado por seguir adiante para não colocar em risco a segurança dos demais passageiros. Nesse mesmo relato, a empresa comunica também o caso da senhora que passou mal dentro do ônibus, foi atendida pelo Samu no Terminal do Santa Cândida e levada para a UPA Boa Vista.
Com relação à velocidade do ônibus, as informações do GPS do coletivo mostram que no trecho indicado o ônibus não ultrapassou os 26 km/h. Não foi encontrada a reclamação da ouvinte no registro do 156.