Prefeitura alega que Estado atrasa subsídio do transporte coletivo; dívida soma R$10 milhões


11 de dezembro de 2013
Estado rebate e garante: R$5 milhões foram depositados hoje e outros R$5 milhões vencem no dia 20 – e serão pagos
A Prefeitura de Curitiba encaminhou hoje um ofício ao Governo do Estado pedindo que sejam efetuados os repasses das parcelas de outubro e novembro do subsídio para manutenção da Rede Integrada de Transporte (RIT). As parcelas em atraso totalizam R$ 10 milhões.00141490
Pelo convênio firmado em maio deste ano e válido até fevereiro de 2014, a Coordenação da Região Metropolitana (Comec) deve repassar, no dia 10 de cada mês, R$ 5 milhões para complementar o pagamento das empresas metropolitanas que compõem a RIT.
O presidente da Urbs, Roberto Gregório, informa que o atraso nos repasses representa uma ameaça à manutenção da RIT. “Legalmente, a Prefeitura de Curitiba não pode assumir a responsabilidade pelo transporte metropolitano, que é do Governo do Estado. Sem o subsídio, a Urbs não tem condições de pagar as empresas metropolitanas”, explica.
O ESTADO REBATE
Segundo a Assessoria de Imprensa do Estado, os repasses estão em dia. R$5 milhões foram pagos hoje e os R$5 milhões restantes serão depositados no dia 20, quando vence a parcela.
Subsídio
No início de outubro, a Prefeitura encaminhou ao Estado um pedido de renovação do atual convênio, que vence em fevereiro de 2014.
Se considerada apenas a inflação medida pelo INPC – projetada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 5,9% para o período entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014 –, serão necessários R$ 145 milhões em subsídio para manutenção da tarifa da RIT a R$ 2,70 no ano que vem. São R$ 95 milhões para as linhas metropolitanas e R$ 50 milhões para as linhas da Capital.