Câmara Municipal de Curitiba tem apenas 1 vereadora na oposição!!!

Vereadora Noêmia  Rocha


A Câmara de Curitiba começa a atual legislatura com apenas uma vereadora na oposição: todos os outros 37 integrantes da Casa, independentemente do partido pelo qual tenham sido eleitos, decidiram apoiar o prefeito Gustavo Fruet (PDT) ou se declarar “independentes” - caso de três vereadores do PSB, partido do ex-prefeito Luciano Ducci.
A situação demonstra um desequilíbrio que pode colocar em risco o bom funcionamento do Legislativo. “Os números mostram que estamos diante de uma Câmara tutelada pelo Executivo, o que diminui a independência necessária dos Poderes”, afirma o cientista político Emerson Cervi, da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
A história da Câmara de Curitiba em anos recentes, lembra Cervi, tem sido marcada por um intenso “situacionismo”. Na maior parte da gestão de Beto Richa e Luciano Ducci, por exemplo, a oposição tinha apenas cinco vereadores, contra 33 da situação. “Isso impede a fiscalização do Executivo. E se deve ao fato de que os vereadores têm pouca autonomia para mexer no orçamento. Acabam virando despachantes do prefeito”, afirma o professor.
Única oposicionista, Noêmia Rocha (PMDB), já esteve entre os cinco que se opuseram ao grupo de Richa na Câmara. “Sei que não vai ser fácil. Vou fazer o meu trabalho e torcer para que os novos dirigentes do Legislativo, que já foram de oposição, deem espaço para o meu trabalho”, diz a vereadora.
O presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), concorda que a situação não é a ideal. “Mas fazer o que? Não estamos na época da ditadura em que você escalava as pessoas que iam ficar no governo e as que iam ficar na oposição. O que vamos fazer é ter um processo democrático, com muito diálogo”, promete o vereador.
O PSB é um dos partidos que ainda poderá aumentar a oposição. Tico Kuzma, líder da bancada de quatro parlamentares, diz que o grupo ficará 90 dias como “independente”, analisando a gestão de Fruet, para depois adotar um lado. Uma das vereadoras do partido, porém, Dona Lourdes, já é contada como situacionista. O PSDC, com dois vereadores, estaria descontente com Fruet e poderia passar para a oposição.

Presidente Estadual do PRTB não quer Wilson Picler em sua legenda!!!

Nivaldo Ramos Presidente Estadual do PRTB com Dilma Rousseff. Wilson Picler observa.


Os enviados do ex-deputado Professor Picler receberam uma negativa da direção estadual do PRTB sobre sua pretensão de trocar de partido. Segundo o presidente da legenda no Paraná, Nivaldo Ramos, o ex-parlamentar e empresário não se encaixa no perfil de políticos que o PRTB está arregimentando para formar seus quadros.
“Já tivemos um bom relacionamento político, fui inclusive chefe de gabinete do Picler, quando ele foi deputado, mas hoje temos trajetórias e pensamentos diferentes a respeito de projetos para o Paraná. Portanto, não seria conveniente trazê-lo para o PRTB”, afirma Nivaldo.
O dirigente diz ainda que os quadros do PRTB são mais ligados a movimentos populares, enquanto Picler tem um perfil empresarial, distante da classe trabalhadora. “No Paraná, conseguimos crescer, com a eleição de dois prefeitos, três vice-prefeitos e 16 vereadores, além de ter contribuído para a vitória de aliados, como por exemplo, a de Gustavo Fruet e do Reni Pereira”, conta.
No entanto, Nivaldo nega que tenha enviado currículo seu e de membros do partido, reivindicando cargos na prefeitura, conforme o Professor Picler chegou a afirmar para alguns blogueiros. “O Professor Picler é amigo, mas não participa das decisões do partido. A relação do PRTB com Fruet é tratada diretamente entre a direção do partido e o prefeito”, garante Nivaldo.