Comissão da OAB vai acompanhar denúncia de tortura no caso Tayná



Três dos quatro suspeitos foram ouvidos nesta manhã pela Comissão de Direitos Humanos da OAB. Um dos acusados foi encaminhado ao hospital com sangramento

Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deve acompanhar as denúncias de tortura dos quatro suspeitos de terem assassinado a adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos. A advogada e vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Isabel Kügler Mendes, ouviu na manhã desta quarta-feira (10) três dos quatro suspeitos que seguem presos na Casa de Custódia de Curitiba.
O único suspeito não ouvido pela vice-presidente da comissão foi Adriano Batista, de 23 anos. Ele foi encaminhado nesta manhã para o Complexo Penal Médico, em Piraquara, com sangramento intenso no ânus, ocasionado pela introdução de objeto perfurante no local, segundo Isabel Kügler Mendes.

"Se houve excessos, vamos punir", diz Richa
O governador do Paraná, Beto Richa, afirmou nesta quarta-feira (10) durante uma entrevista coletiva que tem acompanhado o caso da menina Tayná. Ele disse que se reuniu com o secretário de Segurança Pública do Estado, Cid Vasques, pela manhã cobrando explicações sobre o assunto. 
“Estamos aguardando o desfecho do caso e, se houver erro, que seja corrigido”, afirmou Richa. O governador explicou que o estado não tolera o uso de tortura para obtenção de informações. “Se houve excessos, nós vamos punir com o rigor da lei. Haverá punições rigorosas”, reiterou.
Ela afirmou ainda que o advogado de defesa dos quatro acusados, Roberto Rolim de Moura Júnior, teve a entrada negada na Casa de Custódia e não pôde acompanhar os depoimentos dos presos. Os três suspeitos, Sérgio Amorin da Silva Filho, de 22 anos, Paulo Henrique Camargo Cunha, 25, e Ezequiel Batista, 22, relataram as sessões de tortura separadamente.
Segundo a vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos, o caso é mais complicado do que se imaginava inicialmente. “É tão grave que a gente não tem condições de relatar”, declarou. A situação de Sérgio Amorin da Souza Filho, por exemplo, também chocou a advogada. De acordo com ela, o suspeito teve o braço ferido. “A algema estava tão apertada que chegou a pegar o osso”, explicou. Além do braço machucado, Sérgio também teve o tímpano perfurado, de acordo com Isabel.
O advogado da defesa, Roberto Rolim de Moura Júnior, disse que pretende solicitar a remoção de Adriano Batista para um hospital de referência. "Ele está com uma infecção generalizada por causa da perfuração no intestino", explicou o advogado. Os suspeitos devem passar por novos exames para averiguar a gravidade dos ferimentos ainda esta semana.
Investigações
Com tantas contradições que pairam sobre o caso, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp) informou nesta quarta-feira (10) que o delegado Guilherme Rangel, titular do núcleo da região metropolitana da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), será o novo responsável pelo caso. Ele contará com acompanhamento de Rafael Viana, assessor civil da pasta. Rangel é o terceiro delegado nomeado para investigar o crime.

Fonte; Gazeta do Povo

Inscrições para o passe escolar estão abertas em Colombo

Prefeitura oferece aos estudantes 50% da passagem do transporte coletivo

Começa neste dia 10 e vai até o próximo dia 31, o período das inscrições para quem está matriculado em instituições públicas ou particulares de Ensino Superior ou Pós-Médio e deseja ajuda de custo para se deslocar até a Instituição de Ensino que estuda. E para isso, a prefeitura oferece o Programa Passe Escolar que irá atender cerca de 200 estudantes do município.
De acordo com o administrador da Regional Maracanã, Celso Cordeiro, responsável pelo Programa Passe Escolar, o município custeia 50% da passagem do transporte coletivo para os alunos que pertencem a famílias com renda mensal de até três salários mínimos, e fazem um percurso de no mínimo 1,5 km até a unidade escolar.
“Com esta iniciativa a prefeitura irá beneficiar por meio deste programa os estudantes que realmente precisam do custeio, de um apoio para dar continuidade aos seus estudos e aos seus anseios profissionais, e isso proporcionará que estes jovens cuidem do seu futuro”, fala.
Cordeiro informa que a entrega dos documentos para análise pode ser feita junto ao departamento administrativo da Prefeitura de Colombo, na Regional Maracanã. O administrador esclarece ainda que, para quem freqüenta Instituição Privada de Ensino, o critério exige que possuam bolsa de estudo igual ou superior a 50% ou esteja inscrito no FIES – Financiamento Estudantil do Governo Federal. O cadastro dos estudantes é realizado duas vezes ao ano, nos períodos de janeiro e julho.
Relação de Documentos – Passe Escolar
Para a obtenção do passe escolar o aluno deverá cadastrar-se mediante preenchimento da ficha de inscrição abaixo, imprimir e trazer junto ao departamento da juventude com os demais documentos:
I – RG e CPF do aluno e de seus familiares, quando for o caso;
II – Declaração fornecida pela instituição de ensino comprovando a qualidade de estudante devidamente matriculado, contemporânea à data da solicitação do benefício;
III – Comprovante atualizado de residência do aluno ou do seu responsável legal, quando for o caso;
IV – Comprovante de renda atualizado do aluno ou do seu responsável legal, quando for o caso, bem como dos seus familiares. (Holerite ou carteira de trabalho)
Obs:
- No caso de trabalhador autônomo trazer declaração autenticada em cartório, constando o rendimento aproximado mensal.
- Com exceção do II, todos os demais documentos terão de ser apresentados o original em conjunto com xérox dos mesmos.
- No caso de estudante bolsista ou FIES, deve constar na declaração de matrícula a presença do mesmo, além do percentual de bolsa ou financiamento.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br

Dilma vai liberar 3 bilhões para Saúde e Educação dos municípios





A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira (10) um pacote de bondades a administradores que participam da 16ª Marcha dos Prefeitos em Brasília.
No entanto, apesar de ter sido aplaudida de pé em sua entrada e no início de sua fala pelos presentes na plateia, foi vaiada sob pedidos dos prefeitos de revisão do Fundo de Participação dos Municípios, não mencionada em seu discurso.
Depois, quando a presidente já havia saído do palco onde falou à plateia, os presentes foram repreendidos pelo presidente da CNM (Confederação Nacional dos Municípios), Paulo Ziulkoski, que organiza o evento.
"Mas parece que somos uma manada irracional", discursou Ziulkoski. "Para que vaiar? O que se ganha com isso? Eu sou o maior bronco do governo, vocês sabem como é que é", desabafou.
Dilma anunciou durante o evento mais recursos para saúde e educação, no valor de R$ 3 bilhões. Eles serão repassados em duas parcelas: uma em agosto deste ano e a segunda em abril de 2014. Também anunciou ampliação da verba do Programa de Atenção Básica, em R$ 600 milhões ao ano.
Depois, disse que vai mandar R$ 4 mil ao mês para equipes de saúde --um total de R$ 3 bilhões. Outros R$ 5,5 bilhões serão para custeio de estrutura do SUS (Sistema Único de Saúde). E mais R$ 3,2 bilhões irão para 2.000 creches.
Anunciou ainda que, a partir de agora, todos os municípios abaixo de 50 mil habitantes podem acessar o programa Minha Casa Minha Vida. "Nós não vamos mais deixar que haja seleção. Todos os municípios podem executar o programa Minha Casa Minha Vida", disse a presidente.
Roberto Stuckert Filho/Divulgação/PR
Presidenta Dilma Rousseff participa da 16ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília
Presidenta Dilma Rousseff participa da 16ª Marcha dos Prefeitos, em Brasília


Para Ziulkoski, isso é um paliativo. Ele afirmou à plateia que tem trabalhado para garantir o repasse de 2% do Fundo de Participação dos Municípios. "O que foi anunciado aqui? 1,3% do FPM. Só que em vez de ser permanente, nós vamos procurar que seja, será emergencial."
"Vocês são prefeitos como eu sou presidenta. Vocês sabem que não tem milagre. Quem falar que tem milagre na gestão pública sabe que não é verdade. Agora, nós precisamos fazer um esforço muito grande para atender aquilo que é emergencial", disse Dilma em resposta aos gritos por revisão do Fundo de Participação dos Municípios.
Na edição do ano passado, Dilma também foi vaiada pelos prefeitos. Na ocasião, ela discursava na abertura do evento e falava sobre a divisão das receitas dos royalties do petróleo --um dos temas sensíveis na pauta dos prefeitos à época. Depois, a presidente chegou a falar com dedo em riste com Paulo Ziulkoski.
Nesta terça-feira, sua ausência foi vaiada na cerimônia de abertura da marcha. A participação da presidente era esperada, como tem sido a tradição nas edições recentes da marcha, em que prefeitos vão à capital federal cobrar verbas e medidas de apoio aos municípios.

Fonte: Folha Uol

Beti Pavin, participa da MARCHA À BRASILIA em defesa dos Municípios


PREFEITA BETI PAVIN EM BRASILIA

O movimento municipalista brasileiro está reunido na capital federal entre esta terça-feira (09) e quinta-feira (11), participando da XVI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, promovida pela Confederação Nacional de Municípios - CNM.  O 1º Vice-presidente da FECAM, prefeito de Taió, Hugo Lembeck, que representa a entidade no evento, participou da mesa de honra da solenidade de abertura que ocorreu na manhã desta terça (09). Milhares de gestores municipais lotaram o auditório do Royal Tulip Brasília Alvorada Hotel.
A transferência da participação da presidenta Dilma Rousseff, que estaria hoje na abertura do evento, para amanhã, causou expectativa nos presentes. “Esperamos que o adiamento da presidenta signifique boas notícias para os municípios, como uma análise mais profunda quanto à proposta de aumento de 2% no porcentual do Fundo de Participação dos Municípios – FPM a fim de dar mais condições dos municípios executarem uma boa gestão”, define o vice-presidente da FECAM.
No período da tarde, o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, apresentou a palestra com o mesmo tema da Marcha de 2013, “O desequilíbrio Federativo e a Crise dos Municípios”. Ziulkoski abordou as Perdas do Fundo de Participação dos Municípios - FPM com a deterioração do Pacto Fiscal de 1988 e o comportamento do Fundo. Segundo a Confederação, caso o FPM mantivesse a mesma proporção da receita administrada de 1989, estaria em R$ 100 bilhões por ano. Ainda há o subfinanciamento dos programas federais - ao longo dos últimos anos o governo federal criou inúmeros programas para que os Municípios executassem. Além de todos serem subfinanciados ainda estão defasados, não foram reajustados nem pela inflação.
Durante a tarde também ocorreu a reinstalação da Subcomissão de Assuntos Municipalistas tendo empossada como presidente a senadora Ana Amélia, do Rio Grande do Sul. “Esta é a representação do movimento dentro do Senado. Ela será braço direito do movimento, a promessa é que haja uma maior abertura, com a intervenção da comissão, para que os municípios sejam ouvidos”, explicou o prefeito de Taió e vice-presidente da FECAM, Hugo Lembeck.

Novo delegado no caso Tayná, com supervisão da Corregedoria da Policia Civil


Nome do novo delegado ainda não foi confirmado. Secretário de Segurança determinou também que responsável pela Polícia Civil fiscalize investigações e acionou corregedoria

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp-PR) vai mudar mais uma vez o delegado responsável pelas investigações em relação ao caso do assassinato da adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos. A decisão foi tomada depois de uma reunião com todos os órgãos envolvidos na investigação. A assessoria de comunicação da Sesp, que confirmou nesta quarta-feira (10) três mudanças principais nas investigações, ainda não tinha o nome do novo delegado designado até as 9 horas.
Pelo menos quatro delegados já atuaram nas investigações da morte de Tayná. O titular da Delegacia do Alto Maracanã, Silvan Pereira, foi o primeiro. Durante o processo, o delegado Fábio Amaro também assumiu interinamente a delegacia do Alto Maracanã para conduzir os trabalhos da polícia. Depois, o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), cujo titular é Amarildo Antunes, também fez apurações na região do parque de diversões onde trabalhavam os suspeitos presos. Houve ainda a participação de Agenor Salgado Filho, delegado titular da Divisão de Polícia Metropolitana (DPMetro).

Outra medida tomada pelo secretário foi acionar a Corregedoria da Polícia Civil para apurar possíveis irregularidades. O órgão vai investigar a ocorrência de falhas ou omissões por parte dos policiais que atuaram no caso. Uma das principais respostas esperadas agora, no entanto, é sobre as acusações feitas pelo advogado de defesa dos quatro suspeitos de terem cometido o crime. O defensor Roberto Rolim de Moura Junior disse nesta terça (9) que os quatro confessaram o crime sob tortura. Ao advogado, eles teriam negado a participação no assassinato.Conforme a assessoria da Sesp, além da nomeação de um novo delegado, Vasques determinou que o assessor civil da Sesp, Rafael Vianna, vai acompanhar o trabalho de todos os órgãos que tiverem alguma relação com a investigação. Vianna é responsável por toda a Polícia Civil do Paraná e é considerado o braço direito do secretário.
Sobre essa acusação, a assessoria da Sesp informou apenas que a Corregedoria vai fazer as investigações necessárias para saber se houve ou não tortura dos suspeitos.
O Ministério Público do Paraná, por meio da assessoria de imprensa, relatou que o promotor responsável pelo caso ainda não recebeu os laudos da perícia. O inquérito, feito pela Delegacia Alto Maracanã, foi enviado a Ricardo Casseb Lois, responsável pela comarca de Colombo na última segunda-feira (8). O promotor ainda analisa o documento e não tem informações oficiais sobre a possível ocorrência de tortura dos suspeitos.
Contradições
O caso é marcado por várias contradições divulgadas durante as investigações. Antes de o corpo ser encontrado, a polícia já tinha indicado quatro suspeitos como autores confessos de estupro seguido de morte. Nesta terça-feira (9), no entanto, a Sesp confirmou que o sêmen encontrado no corpo da jovem não pertence a nenhum dos sujeitos apontados como autores do crime. Até o momento, não foi identificado de quem é o material genético encontrado no corpo da adolescente.
Nesta terça (9), integrantes da Secretaria de Segurança Pública - entre delegados, peritos e legistas - e o Ministério Público se reuniram para discutir o caso. Depois da conversa, Alexandre Antonio Gebran, médico legista chefe do necrotério, disse que não poderia falar sobre o caso já que o MP determinou sigilo de justiça. "A única coisa que é possível afirmar até agora é que Tayná morreu por estrangulamento por asfixia mecânica. Estamos fazendo todos os exames, provas e contraprovas e por ética médica não posso dizer se houve ou não houve estupro", disse.
O crime
A menina foi encontrada morta após ficar desaparecida de 25 a 28 de junho em Colombo, região metropolitana de Curitiba. Segundo relatos iniciais dos acusados, e divulgados pela polícia na época, eles sabiam que a menina costumava passar por aquele caminho diariamente entre 17 horas e 17h30 e voltar entre 20h30 e 21 horas. Quatro suspeitos de cometer o crime foram indiciados com base nessas investigações iniciais: Sérgio Amorin da Silva Filho, de 22 anos, Paulo Henrique Camargo Cunha, 25, e Adriano Batista, 23, que teriam matado a garota após manterem relações sexuais forçadas com ela. Ezequiel Batista, 22, também foi indiciado, mas porque teria testemunhado tudo sem tentar impedir o assassinato e sem denunciar os comparsas.
De acordo com o delegado Fábio Amaro, que assumiu interinamente a delegacia após as férias do delegado titular, os presos já estavam arquitetando um plano de como violentá-la. Um deles teria batido na cabeça da jovem, para deixa-la inconsciente. Na versão inicial da polícia, ao chegar ao local do crime, a menina teria recuperado parcialmente a consciência, então Paulo, Sérgio e Adriano se revezaram praticando sexo anal e vaginal na adolescente por aproximadamente uma hora. Ezequiel, no entanto, teria ficado apenas observando. Na sequência, um dos homens usou o cadarço da bota da menina para estrangulá-la.
Quando a morte se dá por asfixia mecânica, o corpo dá alguns sinais. Um desses indícios, segundo o delegado, é o surgimento de um bolo fecal, onde foi comprovada a presença de sêmen. Por causa da ocorrência desse fato, o delegado Amaro conseguiu com que os acusados prestassem um novo depoimento mais detalhado sobre o caso. Neste segundo depoimento, os presos descartaram a suspeita de necrofilia, prática de ato sexual com cadáver, que havia sido apontada anteriormente.
Essas informações todas, agora, foram colocadas em xeque com o pronunciamento do advogado de defesa dos acusados, que, segundo ele, teriam confessado o crime sob tortura policial.

Fonte: Gazeta do Povo

O TELEFONE DE TAYNÁ E O 5º ELEMENTO



Amigos do Blog, as investigações do caso Tayná, estuprada e assassinada em Colombo, apontam novas linhas de investigações após a divulgação do laudo onde identifica a presença de sêmen de uma quinta pessoa no estupro, e quem sabe seja ele o único responsável pelo estupro, assassinato e ocultação do corpo, mas quem seria essa pessoa???
Até agora os 4 funcionários do parque, de suspeitos passaram a culpados, de culpados a "quase inocentes" e podem ganharem a liberdade por falta de provas. Caso isso aconteça, a culpa não será da polícia civil, militar, investigadores ou delegados, mas pela falta de provas técnicas e de testemunhas que possam provar a participação dos 4 envolvidos ou denunciar os verdadeiros culpados.
A sociedade tem várias dúvidas e questionamentos quanto em relação o que está sendo investigado, uma das dúvidas é se as ligações registradas do telefone de Tayá, desde a instalação do parque e minutos antes da mensagem para a mãe que estaria chegando, foram conseguidas com as empresas de telefonia para serem analisadas. 
Quando falo em rastrear as ligações, eu incluo os telefones dos 4 acusados, de todo o pessoal do parque e amigos mais próximos, quem sabe pode aparecerem provas e colocar os responsáveis na cadeia.

"Estou chegando ao ponto de já não bastar saber somente quem foi que estuprou, mas quem sabe, quem mandou matar Tayná. Se foi os 4 acusados, eles já estão presos. Mas se os verdadeiros assassinos ou mandantes estiverem soltos ?? A família sabe que a moça não irá mais voltar, mas quer saber quem a estuprou e matou, para que se faça justiça". 
A polícia civil e militar, trabalham com vários fatos relacionados ao crime que estão sendo apurados, a perita Jussara, do Instituto de Criminalística, trabalha com as provas já coletadas. 

"Mas quem está trabalhando com as informações entre quebras de sigilos telefônicos e bancários. Esse conjunto probatório pode ajudar quem sabe apontar quem é ou quem são os autores do crime"
A sociedade precisa de uma resposta, pois esse caso soma-se a mais 2 que estão sem respostas a menos de 1 ano. 

Levantou-se a hipótese do envolvimento do dono do parque, mas ele foi ouvido e negou qualquer envolvimento, outro nome que apareceu é do seu filho que em tese, teria uma relação com Tayná, mas também nega qualquer envolvimento. Uma última pergunta.... as imagens da câmera foi analisada apenas as registradas no  dia do seu  desaparecimento ? 

Fonte: Blog Ivan de Colombo