25 cidades com temperaturas negativas


Vento e chuva aumentam sensação de frio; 25 cidades têm temperaturas negativas



A massa de ar polar começa a se afastar do Sul e avançar em direção ao Centro-Oeste e ao Norte do país a partir desta quinta-feira (25), mas o mau tempo continua a atingir boa parte das cidades dos Estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná.



O Metsul contabiliza 25 localidades com temperaturas abaixo de zero pela manhã na região, além de prever mais geada ao longo do dia.
Quem lidera os recordes das mínimas do dia é o Rio Grande do Sul, com metade dos pontos com termômetros negativos. Até às 9h de hoje, 13 cidades gaúchas tinham tempo muito frio, como: Santa Rosa, com -2,8 graus Celsius (ºC); Quarai, com -2,7ºCSão José dos Ausentes, com -1,9ºC ; Cruz Alta, com -1,5ºCVacaria, com -1,4 ºCErechim, -1,2ºCAlegrete, com -1 ºC; além de Soledade (-0,9 ºC), São Gabriel (-0,7 ºC), Frederico Westphalen (-0,4 ºC), Passo Fundo (-0,4ºC); Santa Maria (-0,4 ºC) e Canela (-0,1ºC).
HelenaTuron Balbino, metereologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), explica que os ventos fortes, a chuva e a alta umidade intensificam a sensação térmica de frio, como ocorreu hoje cedo em São Paulo e em algumas cidades de Santa Catarina. No Morro da Igreja, na região de Bom Jardim da Serra, o termômetro marcava -0,8ºC às 9h, mas a sensação térmica baixava para quase -10ºC devido ao mau tempo.
O instituto comprovou uma grande diferença também em Joaçaba (a temperatura era de -2ºC, mas a sensação era de -8ºC), em Caçador (temperatura de -1,8ºC parecia -7,2ºC), em Curitibanos (a sensação de -4,8ºC esfriou a temperatura oficial de -2,9ºC) e Major Vieira (onde as pessoas sentiam -1,9ºC, mas os termômetros marcavam -0,9ºC) – só Rio dos Campos não apresentou variação e marcou -0,4ºC, às 9h.
O Paraná registrou temperaturas negativas em outros seis municípios nesta quinta, entre elas: Inácio Martins (-2,3ºC);  General Carneiro (-2,2ºC), São Mateus do Sul (-1ºC), Ivaí (-0,6ºC), Marechal Cândido Rondon (-0,5ºC) e Clevelândia (-0,2ºC). Os dados mostram registros feitos pelo Metsul até as 9h.


Fonte: UOL

Os três pedidos do papa Francisco


Os três pedidos do papa Francisco


A homilia do papa Francisco na Basílica de Aparecida foi escrita para ser guardada na memória, como uma quadrinha da infância. É breve e bela em seus três pedidos, dirigidos em especial aos jovens: que conservem a esperança; que se deixem surpreender por Deus; que vivam em alegria.
O que disse a seguir serve como um mapa para que essas intenções não fiquem ao sabor do vento. Deu um “alto lá” às seduções do prazer e do poder. Sugeriu que os fiéis sejam positivos, vendo o que há de bom na realidade. Encorajou o protagonismo e a generosidade. Em miúdos, fez o que qualquer pastor faria: indicou o norte a seguir.

Chemin lembra que a ida a Aparecida foi incluída na visita ao Brasil a pedido de Francisco. Ele esteve ali seis anos antes, durante a 5.ª Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe. E quis voltar. Talvez por ser o maior centro de peregrinação das Américas, ao lado do Santuário de Guadalupe, no México. Talvez pela simbologia da Virgem de Aparecida, a imagem resgatada das águas, “uma surpresa de Deus”. Acaso?Para o padre João Batista Chemin, 50 anos, reitor do Seminário Maior de Filosofia da Arquidiocese de Curitiba, contudo, o sermão foi mais do que uma prova de que o papa sabe conversar com todas as gentes. “Foi um discurso bastante pessoal. Francisco falou de si e do que está vivendo”, comentou o religioso – que é também psicólogo e pesquisador da área de educação.
Não haveria melhor lugar para o santo padre dar seu recado à própria Igreja – uma instituição enredada em problemas internos, mas que vai seguir seu rumo se souber se surpreender de novo, se não desanimar, se recobrar a alegria – uma das marcas mais fortes da piedade cristã. Foi como se o papa dirigisse aos jovens o pedido que gostaria de fazer aos que insistem em aprisionar o catolicismo a seus próprios dilemas. Elas por elas.
Mensagem dada, repetiu em sua primeira missa solene no Brasil o ritual que já se tornou uma marca de pontificado. Mostrou o tempo todo que está próximo, perto, ao lado, como queiram. Literalmente – ao cumprimentar “Deus e todo mundo” depois da Eucaristia, agiu como se estivesse no final da missa das 11, num domingo qualquer na Catedral de Buenos Aires. E de gesto em gesto, como diz o padre Chemin, vai acendendo a chama entre os católicos.
Quem pensou em aggiornamento, acertou. Verdadeiro “clássico”, imbuído do espírito do Vaticano II, Francisco se aproxima dos homens e mulheres de boa vontade, sem lhes apontar o dedo. Lembra ao povo que deve ir atrás do Reino de Deus, às ruas se preciso. “Para mim, é como se ele dissesse o tempo todo que existem duas liturgias, a da cerimônia e a da vida. Que a santidade não é um feito extraordinário, mas viver de forma extraordinária as pequenas coisas que fazemos”.
Em tempo. Para o sacerdote, é temerário responder se Francisco tende a ser brando, um papa tropical. “Penso que tende a ser ‘exigente amoroso’. Será firme em muitos pontos”. Um aperitivo foi dado na visita ao Hospital São Francisco de Assis, no Rio de Janeiro, ontem à tarde. Jorge Bergoglio disse não à legalização das drogas. “Ele sabe o que se passa no Brasil. Fico pensando no que teria dito na conversa privada com a presidente Dilma”, provoca Chemin.

Fonte: Gazeta do Povo