Detido por suposto envolvimento em tortura, delegado Silvan é transferido

DR. Silvan Pereira



Silvan Pereira foi levado da carceragem onde estava, no Centro de Triagem I, para a sede do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), no Hauer


O delegado Silvan Pereira, preso por suspeitas de envolvimento na tortura dos quatro acusados iniciais da morte de Tayná da Silva, no final de junho, foi transferido de local no final da tarde da última terça-feira (6), em Curitiba. Pereira, que até então estava no Centro de Triagem 1, no centro da cidade, foi movido para o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), no Hauer.
Pereira foi preso no dia 19 de julho, em rodovia próxima ao município de Laranjeiras do Sul, na região Centro-Sul do estado. O mandado de prisão contra o delegado havia sido emitido dois dias antes, e ele era considerado foragido quando foi localizado.
Além de Pereira, outras 12 pessoas estão detidas por suposta participação na tortura dos quatro acusados. A defesa de todos os policiais deve formalizar um pedido de soltura junto à Justiça nos próximos dias.

Fonte; Gazeta do Povo

Pessoas com deficiência têm direito a descontos na compra de veículos


Carro novo pode ajudar no deslocamento de pessoas com necessidades.
Redução de impostos para pacientes especiais estão previstos por lei.


Na hora de comprar um carro novo, pessoas com deficiências físicas ou doenças graves têm direito garantido por lei a alguns descontos sobre os impostos do veículo. O processo para provar a necessidade junto ao Detran e à Receita Federal é longo, o que faz com que as concessionárias não realizem muitas vendas de veículos adaptados a estas condições.
Os beneficiados são pessoas com deficiência física, HIV, câncer, portadoras de nanismo (menos de 1,5 metro de altura) e problemas cardíacos ou renais que provoquem limitações nos movimentos. Estas pessoas estão isentas do pagamento do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado) - o que representa uma redução de 13% no valor inicial do carro - além de isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A regra também vale para quem tem filhos com necessidades especiais.
A aquisição de um carro pode dar uma melhor qualidade de vida e facilitar a ida ao médico, exames ou clínicas de tratamento. Para o assessor de articulação da Secretaria de Estado de Administração (Sead), Edmilson Silva, os benefícios são uma compensação para que as pessoas com deficiência possam adquirir um veículo. "Encontramos muita dificuldade nas calçadas, ruas. O carro é fundamental no deslocamento", afirma o assessor. Magno Everton é um exemplo: o funcionário público conseguiu pouco mais de R$ 8 mil em descontos. "O carro que eu comprei girava em torno de R$ 40 mil. Eu paguei R$ 31.800", explica.

Passo a passo
Para conseguir o desconto, o primeiro passo é marcar uma consulta com a junta médica do Detran, munido com o laudo do médico de acompanhamento da pessoa com deficiência. "Lá, quem não pode dirigir vai fazer um exame e pegar outro laudo, que sai dentro de 15 a 20 dias, em média. Com o laudo em mãos, a pessoa deve se dirigir à Receita Federal", explica a chefe de Teleatendimento do Detran-PE, Gláucia de Oliveira.
Na Receita Federal, o comprador vai se cadastrar como contribuinte especial. "Após entrar no site da Receita e preencher os documentos necessários, o laudo médico do Detran será analisado", enumera o delegado adjunto da Receita Federal, Paulo Lira. Se aprovado, o pedido de isenção e a documentação correta do contribuinte ficam prontos em cerca de quatro dias úteis.
O último passo é se dirigir à Secretaria da Fazenda, que vai analisar mais uma vez o pedido e conceder o benefício. Agora, é só escolher o carro novo e fazer o faturamento do veículo sem os impostos. "Ao todo, são cerca de três meses entre o Detran, Receita Federal e Secretaria da Fazenda", diz a supervisora de vendas de concessionária, Luciana Lima. Para agendar uma consulta na área médica do Detran e dar os primeiros passos para a aquisição dos benefícios.

Prefeitura de Colombo vistoria táxis para garantir serviço de qualidade

Equipe inspeciona itens de segurança estabelecidos pelo Código de Trânsito Brasileiro na frota de táxis do município

Táxis são vistoriados em Colombo de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro
A Prefeitura Municipal de Colombo, através da Secretaria da Fazenda, por meio da Sessão de Fiscalização, realizou a vistoria nos 62 táxis cadastrados no município. O objetivo foi verificar a documentação e o estado geral dos veículos para garantir aos passageiros a qualidade dos serviços prestados pelo setor.
De acordo com o chefe de Fiscalização, Edson Luiz Carrão, o trabalho foi realizado considerando os itens de segurança estabelecidos pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entre eles, foram inspecionados pneus, cinto de segurança, motor, suspensão, amortecedor, faróis, limpador de pára-brisa, extintor e conservação da lataria.
Outro fator importante que foi observado pela equipe de fiscalização, foi a documentação dos veículos, dentro das exigências, foram avaliados o termo de permissão, alvará do condutor e o comprovante dos tributos municipais.
Em Colombo, os táxis são vistoriados a cada seis meses e no ato da vistoria recebem um selo com data de validade. Luiz Carrão esclarece que, caso sejam encontradas irregularidades, o permissionário tem 30 dias de prazo para a regularização junto a Prefeitura Municipal. “Um de nossos critérios é que os carros tenham no máximo oito anos de uso”, relata.
Serviço:
Equipe de fiscalização da Prefeitura realiza vistoria nos 62 táxis do município
Caso a população ou os permissionários queiram denunciar os veículos que circulam irregularmente, o telefone para contato é 41-3656.8151.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br

Fotos: Bruno do Carmo/PMC

Colombo terá espaço do Banco Empreendedor

Município quer levar linhas de crédito com juros reduzidos para os empreendedores locais nas áreas do comércio, indústria e serviços

Beti Pavin reúne-se com representantes da Fomento Paraná
A prefeita Beti Pavin esteve reunida com o presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa, e com os diretores de Mercado e Relações Institucionais, Alexandre Teixeira, e de Operações do setor Público, Jurandir de Oliveira para tratar da instalação de um espaço do Banco Empreendedor em Colombo.
O município quer levar linhas de crédito com juros reduzidos para os empreendedores locais nas áreas do comércio, indústria e serviços. Dois agentes de crédito estão inclusive sendo capacitados pela Fomento Paraná.
A prefeita solicitou ainda informações sobre as linhas de financiamento para obras no município, por meio do Sistema de Financiamento aos Municípios e das linhas de crédito com recursos do FGTS, para obras de infraestrutura e mobilidade urbana.
A prefeita e o presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa conversam sobre o espaço do Banco Empreendedor em Colombo
“Precisamos avançar em obras e oferecer condições aos nossos empresários e comerciantes para que ampliem suas instalações ou criem novos pontos, e para isso contamos com o apoio dos nossos parceiros no governo do estado que não tem medido esforços em nos auxiliar”, destacou Beti Pavin. A reunião aconteceu no dia 06, na sede da Agência de Fomento Paraná, em Curitiba.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br
Fotos: Fomento Paraná

Polícia afirma ter achado sangue na roupa de menino suspeito de matar os pais






Tudo indica que o filho matou os pais...


O delegado do DHPP (departamento de homicídios) Itagiba Franco disse ontem que estão praticamente descartados outros suspeitos para a morte de cinco pessoas da mesma família, na zona norte de São Paulo. Segundo ele, havia sangue na camiseta do menino, "mas não havia nada no chão, nem pegadas".
Para ele, as informações colhidas ontem reforçam a hipótese de Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13, ter matado sozinho seu pai e sua mãe, que eram PMs, a avó e uma tia-avó dentro de casa -e se suicidado depois.
Luis Marcelo Pesseghini, 40, era sargento da Rota. A mulher dele, Andreia Pesseghini, 36, era cabo do 18º Batalhão. As outras vítimas moravam na casa nos fundos.
"Respeitamos a família [que duvida da tese da Polícia Civil], mas vamos trabalhar e, se comprovarmos que foi o menino, paciência", disse o delegado Itagiba Franco. Ontem, policiais acharam três armas que estavam guardadas na sala da casa e que pertenceriam aos PMs.
"Se alguém de fora da família tivesse entrado, teria levado as armas", disse o delegado. Uma luva cirúrgica foi achada no carro da família. Para a polícia, o garoto utilizou o veículo para ir à escola após matar todos. "Ele [Marcelo] usou o carro, dormiu nele e pode ter usado a luva."
O delegado disse que a família já estava morta quando Marcelo dormia no carro. "Você acha que os pais deixariam a criança passar a noite fora? Ele (Marcelo) sabia que eles estavam mortos. Evidente."
A certeza do delegado foi confrontada ontem por uma declaração de um coronel da PM que era chefe de Andreia.
Comandante do 18º Batalhão, Wagner Dimas afirmou em entrevista à rádio Bandeirantes que a cabo havia denunciado colegas policiais por envolvimento com roubo a caixas eletrônicos. Ele disse que não estava "confiante" que o menino de 13 anos tivesse cometido o crime.
O coronel declarou não descartar a possibilidade de as mortes terem relação com denúncias, embora Andreia não tenha relatado ameaças.
Franco afirmou desconhecer as informações do coronel da PM. O comando da corporação afirmou que "não houve denúncia na Corregedoria ou no Batalhão". As declarações de Wagner Dimas serão apuradas.

Fonte: UOL

Sexta morte por gripe é confirmada em Curitiba




Homem que morreu no dia 27 de julho foi vítima de vírus da Influenza A (H3)


Um homem de 48 anos que morreu no dia 27 de julho se tornou a sexta vítima fatal da gripe este ano em Curitiba. Ele foi infectado por um vírus até então inédito na cidade, o Influenza A (H3), e agravantes como inflamação dos nervos periféricos e artrite reumatoide fizeram com que ele não resistisse à doença. Além dele, outras cinco pessoas morreram este ano, três por causa do Influenza B e duas por causa do Influenza A (H1N1). A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta quarta-feira (7)
Apesar das mortes, o número de atendimentos de pessoas com algum problema respiratório foi de 17,98% na semana passada, o que fica abaixo da média histórica para esta época do ano, que é de 25%.

No Paraná
Até a última segunda-feira (5), 1.162 casos de gripe foram registrados no estado. A maioria, 86%, causada pelos vírus Influenza A (H1N1) e Influenza B. O número de mortes está em 47, incluindo casos como o da atleta Fernanda Vitória de Castro Anacleto

Fonte: Gazeta do Povo