Mortes por gripe aumentam, mas situação é normal, diz Sesa




Número de mortes por gripe neste ano foi 52, ante 47 no mesmo período do ano passado. Sesa diz que maior circulação do vírus Influenza B explica leva alta

A gripe matou 52 pessoas no Paraná em 2013, informou nesta segunda-feira (12) a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). No total, 1.215 casos da doença foram registrados pelo balanço do órgão paranaense. O número de mortes já é maior que as registradas no mesmo período em 2012, quando 47 pessoas faleceram em um total de 1.687 casos atendidos.
Os dados são do décimo boletim informativo da gripe divulgado neste ano. O documento aponta para uma alteração no comportamento dos vírus chamados de Influenza, que são os causadores das gripes. O H1N1 continua sendo o que mais mata, mas o Influenza B passou a ser a segunda maior causa de óbitos. Além disso, este último tipo é responsável por 42% do total de casos.
Sintomas e dicas para evitar a gripe
Sintomas
- Febre repentina 
- Tosse
- Dor de garganta
- Dor de cabeça
- Dores musculares
- Dores nas articulações
- Dores nas costas
- Falta de ar
- Cansaço
- Calafrio
Prevenção:
- Lavar bem as mãos frequentemente com água e sabão
- Evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies
- Não compartilhar objetos de uso pessoal
- Cobrir a boca e o nariz com o antebraço ou lenço descartável ao tossir ou espirrar
- Manter os ambientes arejados, com portas e janelas abertas
Fonte: Secretaria Estadual da Saúde (Sesa)
O superintendente de Vigilância em Saúde da Sesa, Sezifredo Paz, conta que neste ano houve um aumento na circulação do vírus Influenza B, o que justifica o leve aumento no número de mortes. Mesmo assim, o H1N1 continua causando o maior número de óbitos. Já a gripe chamada de sazonal teve uma retração. Esses três tipos são os mais comuns e despertam a atenção no monitoramento feito pela secretaria.
“A mudança mais importante foi essa aumento do Influenza B. Tínhamos detectado apenas nove casos [desse tipo de gripe] em 2012. De forma prática não muda muita coisa, já que os sintomas são idênticos. O importante no nosso monitoramento é saber que tipo de vírus está circulando. Com base nisso, traçamos nossas ações de prevenção”.
Na análise do superintendente, a comparação entre este ano e o ano passado tem mais semelhanças do que diferenças. “Sabemos que tem um pouco mais [mortes], estamos investigando os casos. Aqui no Paraná, todo caso grave e que evolui para óbito, nós fazemos o diagnóstico. Este não é um número que nos coloca na situação de epidemia, muito menos pandemia, como ocorreu em 2009. São números dentro do esperado.”
Cinco novas mortes
Em relação ao último boletim da gripe, divulgado no início de julho, mais cinco mortes por gripe foram confirmadas. Quatro delas foram de pacientes com doenças crônicas. Neste ano, das 52 mortes registradas por consequência da infecção pelo vírus, 34 estavam relacionadas a essas enfermidades. As novas mortes foram registradas em Curitiba, Londrina, Ponta Grossa, Turvo e Guaraniaçu, entre 21 e 27 de julho.
De acordo com a Secretaria de Saúde, há pelo menos 26 tipos de gripes identificáveis nos exames feitos no Paraná. Mas nem todos os casos são identificados pelo governo do estado. Apenas os que chegam às unidades de saúde podem ser prescritos como sendo gripe ou não. Neste ano, das 5.481 amostras analisadas pelo laboratório do estado, 22% apontaram para infecção por algum tipo de vírus que causa a doença.
Recomendação é ir ao médico
Paz ressalta que a maior parte dos casos de gripe que evoluem para morte tem relação com doenças crônicas. Mas parte dos óbitos também ocorre devido a demora de os pacientes procurarem atendimento médico. “A busca tardia do serviço, se a pessoa fica em casa se automedicando, pode agravar os casos. Uma coisa que a gente pede sempre é não ficar com quadro gripal em casa se automedicando. No caso de ter os sintomas, vá imediatamente ao médico ou unidade de saúde [para o tratamento adequado]”.
Fonte Gazeta do Povo

Delegada diz não descartar motivação passional ou vingança em chacina da Brasilândia


Delegada Elizabete Sato



A chefe do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), delegada Elizabete Sato, afirmou na tarde desta terça-feira (13) que não estão descartadas outras hipóteses, como crime passional ou vingança, na chacina de Vila Brasilândia que deixou cinco mortos em uma casa do bairro da zona norte de São Paulo. 
"Esta é uma das hipóteses, isto não está descartado", disse ela.

Até agora a principal linha mantida pela polícia aponta o filho do casal, o estudante Marcelo Pesseghini, 13, como responsável pelo assassinato do pai dele, o sargento da Rota (tropa de elite da Polícia Militar paulista) Luís Marcelo Pesseghini, 40, e da mãe, a cabo da PM Andréia Pesseghini, 36, além da avó e da tia-avó do adolescente.Esta é a segunda vez que a polícia especifica outras linhas de investigação além de latrocínio, que foi descartado logo no início. Ontem (12), em entrevista a uma rádio, já havia sido apontada a hipótese de vingança.
Segundo a delegada, que não entrou em detalhes sobre os desdobramentos da investigação, a próxima etapa da investigação tentará traçar o perfil do casal de PMs.
Para isso, foram chamados para depor pelo menos quatro policiais da Rota que trabalhavam e eram próximos do sargento Luís Marcelo. Outros quatro PMs que trabalhavam com a cabo Andréia no 18º Batalhão, na Freguesia do Ó, também serão ouvidos.

LEGISTA DO CASO PC FARIAS DIZ QUE FILHO DE PMS FOI ASSASSINADO

  • Aliny Gama/UOL
De acordo com a delegada, o local do crime "não estava idôneo", ou seja, preservado para perícia, no dia em que policiais civis foram atender a ocorrência, na segunda-feira passada (5), pouco depois das 18h.

Linhas de investigação

Após a publicação do texto, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou nota dizendo que a informação passada pela delegada à reportagem do UOL "não expressa os resultados obtidos na investigação do crime até o presente momento" e que Sato afirmou "que todas as informações que chegarem ao departamento serão verificadas na investigação".
"O DHPP, em todos os contatos com a imprensa, informou que a principal linha de investigação é a de que o estudante Marcelo Pesseghini é o responsável pelas mortes da família. No entanto, sempre se afirmou que outras hipóteses serão checadas", diz a nota. "Sobre essa suposta nova fase de investigação, esclarecemos que desde o início dos trabalhos a Polícia Civil, em cada depoimento colhido, está construindo o perfil de cada vítima, uma vez que essa técnica é parte do processo investigatório."
Além disso, a SSP ressaltou que o fato de mais de 200 policiais terem ido até a casa onde a família foi morta "evidentemente, não quer dizer que houve violação proposital da cena do crime".
Fonte: UOL

Audiência Pública debate Lei Orçamentária e o Plano Plurianual


Projeção do orçamento de 2014 é de R$ 263 milhões que está composto pelas receitas municipal, estadual e federal

Audiência Pública debate Lei Orçamentária e o Plano Plurianual
A prefeitura de Colombo realizou na sexta-feira, 09, uma audiência pública na Câmara de Vereadores para debate e avaliação da proposta Orçamentária anual de 2014 e do Plano Plurianual (PPA) para o período de 2014 a 2017. O parecer final deste trabalho deve estar na casa de leis para aprovação até o próximo dia 31.
“Estamos buscando a participação da população para discutir melhorias para Colombo que atendam as demandas e expectativas dos moradores, e elas estão em todas as áreas, seja na Educação, Saúde, Obras, Agricultura, Desenvolvimento Urbano, entre outras”, destacou o secretário da Fazenda, Marcio Strapasson.
Durante o debate, que detalhou os investimentos previstos para todas as secretarias, a equipe técnica da secretaria da Fazenda apresentou a projeção do orçamento de 2014, que deverá ficar em torno dos R$ 263 milhões, a qual está incluída todas as receitas, municipal como IPTU (Imposto Territorial Predial Urbano) e ISS (Imposto sobre Serviços) e ainda os repasses de outras esferas, a estadual e a federal.
Na ocasião estavam presentes o vice-prefeito Ademir Goulart, os secretários municipais da Fazenda, Marcio Strapasson, da Administração, Luiz Gilberto Pavin, de Obras e Viação, João Maria Rodrigues, da Agricultura e Abastecimento, Marcio Toniolo, do Planejamento, Angelo Betinardi, vereadores, diretores de departamento e a população em geral.
Prefeitura debate o Orçamento e o PPA na Câmara de Vereadores
Quem quiser apresentar a sua sugestão pode participar através dos seguintes canais:
Endereço: Rua XV de Novembro, 105 – Centro.
Email – fazenda@colombo.pr.gov.br – planejamento@colombo.pr.gov.br
Telefone 41-3656.8005 / 8007.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br

Câmara Municipal propõe o fim do voto secreto

Vereador Pedro Paulo (PT) autor da proposta


Atualmente, votações dos vetos do prefeito e cassações de mandato não são abertas. Mudança no regimento interno deve ser votada ainda neste mês

Vereadores de Curitiba começaram ontem a discutir o fim do voto secreto na Câmara Municipal. O projeto de lei, que institui outras alterações no regimento interno da Casa, recebeu as últimas sugestões de emendas pelos parlamentares e segue agora para análise da Comissão de Legislação. O presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), espera que a proposta seja votada até o fim do mês.
Segundo o regimento interno atual, os vereadores de Curitiba podem votar secretamente para decidir sobre a manutenção ou derrubada de vetos do prefeito, destituir membros da Mesa, e cassar o mandato de colegas ou do prefeito em casos de infração político-administrativa. “Não há mais espaço para votos secretos em uma Casa Legislativa. Não existem justificativas para isso. Inclusive há uma discussão em nível federal para acabar com essa prática”, diz o vereador Pedro Paulo (PT), autor da proposta.
Mudanças previstas
Confira as principais propostas do projeto de lei que altera a Lei Orgânica do Município e o Regimento Interno da Câmara de Curitiba:
• Fim do voto secreto.
• Formalização da função de líder da oposição, que será ocupada por um vereador líder e dois vice-líderes, que gozarão de todas as prerrogativas concedidas às demais lideranças.
• Criação do Colégio de Líderes, formado pelas lideranças dos partidos, dos blocos parlamentares, do governo e da oposição. A justificativa do projeto afirma que o colegiado atuará como um fórum orientador das discussões sobre temas e projetos relevantes e urgentes.
• Criação de um requerimento para pronunciamentos de relevante interesse público durante a sessão plenária.
• Revogação do artigo que impede a tramitação de projeto de lei pelo regime de urgência quando é de iniciativa do prefeito municipal.
O regimento interno da Câmara já havia passado por alterações no fim do ano passado. Pedro Paulo justifica que a mudança no sistema de votação não foi proposta na ocasião porque “não havia espaço” para esse tipo de discussão na legislatura passada. “Não é usual que uma mudança seja seguida da outra em um curto espaço de tempo. Mas não havia vontade política de se levar a cabo essas alterações regimentais e, com a nova configuração na Câmara, isso foi possível”, diz.
Paulo Salamuni afirma que o fim do voto secreto também é uma resposta às manifestações das ruas, que pediram mais transparência. “Na democracia, para se eleger alguém, vale o voto secreto. Mas esse alguém está falando em nome de milhões de pessoas que devem saber qual é o posicionamento do seu representante”, diz.
Outras mudanças
Além do fim do voto secreto, o projeto de lei propõe outras mudanças ao regimento interno da Casa (veja no quadro ao lado), como a reconstituição do cargo de líder da oposição. “Por um erro coletivo, essa função foi suprimida na última alteração ao regimento”, diz Pedro Paulo.
O projeto também revoga o artigo que impedia a tramitação de projeto de lei pelo regime de urgência por iniciativa do prefeito. “Alguns pedidos de crédito adicional propostos pelo prefeito não podem aguardar a tramitação normal”, justifica Salamuni.

Fonte: Gazeta do Povo