FALTA DE INFORMAÇÃO É MAIOR DIFICULDADE EM NÃO AUMENTAR A OFERTA DE ÓRGÃOS PARA TRANSPLANTE










Veja na reportagem abaixo que a dificuldade nos transplantes é a falta de informações:

ASSISTA AO VÍDEO














DELEGADO SILVAN DIZ QUE IRÁ FORNECER MATERIAL GENÉTICO




MP pediu exame de DNA para confrontar com sêmen encontrado na garota.
Silvan Pereira está preso acusado de torturar quatro suspeitos do crime.


O delegado Silvan Pereira, acusado de torturar quatro homens apontados como suspeitos de terem matado a adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, disse que tem tranquilidade emoferecer material genético para o exame de DNA pedido pelo Ministério Público (MP) para confrontar com o sêmen encontrado no corpo da garota.
O objetivo da decisão da Justiça deColombo, do dia 11 de setembro, é descobrir se o delegado e outras dez pessoas, sendo nove policiais civis, que também foram intimadas a fornecer material genético, podem estar envolvidos com a morte da menina. Silvan ainda não forneceu o material. O advogado do delegado, Claudio Dalledone Júnior, informou que o cliente vai se submeter ao exame, mas quer que a análise do DNA seja acompanhada por um perito particular.
Silvan e outras 13 pessoas são acusadas de terem torturado os rapazes que foram presos por suspeita de terem matado a menina. Em depoimento, os quatro chegaram a confirmar o crime, porém, foram soltos por falta de provas e postos no programa de proteção a testemunhas em virtude das denúncias de tortura.
Tayná de 14 anos foi morta no dia 25 de junho e o corpo foi encontrado em um terreno em frente a um parque de diversões em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (Foto: Reprodução/RPC TV)Corpo de Tayná foi encontrado em um terreno em frente
a um parque de diversões em Colombo (Foto: Reprodução/
RPC TV)
Tayná sumiu, em Colombo, no dia 25 de junho. Dois dias depois do desaparecimento, quatro homens, que trabalhavam em um parque de diversão da cidade, foram presos. À época, a polícia informou que eles haviam confessado que violentaram e mataram a garota. Dias depois, a perita da Polícia Científica, presente no momento em que o corpo de Tayná foi achado, afirmou não ter encontrado indícios de estupro. A partir daí, as investigações tomaram outro rumo e toda a equipe da delegacia responsável foi afastada. Houve, inclusive, a denúncia de que a confissão ocorreu sob tortura, e 14 policiais foram presos.
Preso desde julho, Silvan– que está em um quarto com cama e televisão  – afirmou que não conhecia a adolescente nem ninguém da família dela antes do crime e não entende por que foi colocado entre os possíveis suspeitos. “Eu fico muito ofendido com essa suspeita porque não tem fundamento. Como eu de delegado passo a investigado?”, alegou.
O delegado também nega a acusação de tortura aos quatro rapazes. “Na minha delegacia, eu não torturei e eu não tenho conhecimento de que eles foram torturados. Agora tenho conhecimento hoje que eles foram torturados em outras delegacias”, comentou.
Para Silvan, a investigação que ele fez está certa e os quatro homens que havia prendido são os culpados. “Nós tínhamos uma boa equipe, estávamos conseguindo bons resultados em Colombo. Infelizmente, me parece que a sociedade não aceita a verdade”.
Primeiro delegado a cuidar do caso
O delegado preso era responsável pela Delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, e foi o primeiro responsável por investigar a morte de Tayná. Dias depois da prisão dos quatro suspeitos, ele chegou a considerar o caso como encerrado.
Silvan Rodney Pereira (Foto: Reprodução/ RPC TV)Silvan Pereira está preso desde julho  (Foto: Reprodução/
RPC TV)
As reviravoltas após a denúncia de tortura, porém, causaram mudanças nos rumos da investigação. Atualmente, o caso está nas mãos do quarto delegado e ainda não se sabe quem matou a menina.
No dia 5 de setembro, o Conselho Nacional do Ministério Público encaminhou um ofício ao Ministério Público do Paraná, pedindo que o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) acompanhasse as investigações do caso. Na avaliação do Gaeco, o órgão poderia iniciar uma investigação paralela à que tem sido conduzida pela Polícia Civil.
Corpo exumado
No dia 28 de agosto, o corpo da adolescente foi exumado para, segundo o MP,  esclarecer duas questões – se a garota foi vítima de violência física quando ainda estava viva e se, no corpo dela, não havia indícios de que ela teria sido estuprada. Como o processo corre em segredo de justiça, os promotores não falaram sobre a exumação, que foi acompanhada por dois promotores, dois técnicos do Instituto Médico-Legal (IML) e um médico legista. Porém, o promotor do MP responsável pelo caso, Paulo de Lima, que participou do procedimento, explicou como o exame pode colaborar com as investigações.
“A perícia realizada no corpo de Tayná foi muito bem feita. Agora o fato é que, com as investigações, novos elementos surgiram, o que necessitou que nós fizéssemos o procedimento de exumação, que foi focado principalmente no aspecto de se buscar lesões físicas acontecidas em vida e, também, nós tratamos da questão da violência sexual ter ocorrido ou não”.
“Seria prematuro dizer, mas eu acredito que [no crime] é muito mais sensível o sinal do homicídio do que da violência sexual, mas não está descartado, de modo algum, que tenha ocorrido a violência”, afirmou o promotor à época.
Tortura
O MP apresentou denúncia, no dia 1º de agosto, contra 21 suspeitos de torturacontra os quatro homens que haviam sido presos como suspeitos de matar e estuprar Tayná. Dos 21 suspeitos de tortura, 16 são policiais civis, um é policial militar, dois são guardas municipais e dois são presos de confiança. Além da denúncia por prática de tortura, alguns também foram acusados por falso testemunho, lesão corporal de natureza grave e abuso de autoridade e crime de natureza sexual.
A repercussão do caso e dos possíveis erros na investigação inicial acabou respingando na cúpula da Polícia Civil. O então delegado-geral, Marcus Vinicius Michelloto foi substituído por Riad Braga Farhat, que comandava a Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc).

Fonte: Gazeta do Povo

Justiça concede à Urbs reintegração de posse sobre lojas da Rodoferroviária




Rodoferroviária de Curitiba

Defesa dos comerciantes diz que vai entrar com recurso. O pedido movido pela Urbs prevê que os lojistas desocupem as lojas até o próximo domingo


3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba concedeu no início da noite desta quarta-feira (2) medida liminar que garante à Urbs o direito de reintegração de posse dos pontos comerciais da Rodoferroviária. A defesa da Associação dos Permissionários do terminal confirmou que já sabe do fato e que, já nesta quinta, vai recorrer da decisão.
A empresa protocolou o pedido depois que a Justiça indeferiu os mandados de segurança impetrados pela Associação dos Permissionários da Rodoferroviária, na tentativa de manter os lojistas no terminal. Mesmo com o despacho favorável, a Urbs decidiu protocolar o pedido de reintegração de posse dos pontos comerciais para "evitar atritos com os permissionários".

Na Câmara Municipal
Permissionários apelam aos vereadores

A presidente da associação dos comerciantes da Rodoferroviária, Juçara Nicolau, foi à Câmara Municipal de Curitiba (CMC) nesta quarta-feira (2) para pedir aos vereadores que o prefeito Gustavo Fruet receba os permissionários “assim como recebeu taxistas e grandes empresários”, disse ela, que também sugeriu à Casa que apresente uma ação civil para evitar a reintegração de posse por parte da Urbs.
Na ocasião, Juçara também apresentou documentos que mostravam que a Urbs garantia que os permissionários poderiam retornar aos estabelecimentos que ocupam depois da conclusão das obras.
O advogado da associação, Elton Baiocco, alega que a deliberação não poderia ter vindo da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, uma vez que o órgão não está a par dos processos anteriores movidos pela Urbs e pela defesa dos comerciantes. O juiz que concedeu a liminar foi Eduardo Lourenço Bana.
“Vamos entrar com recurso para questionar a competência do juiz. Não é uma ação pessoal, contra ele, até porque ele não tinha a obrigação de saber o que ocorreu antes. Mas o juiz julgou o caso como se não houve ações anteriores. Ele não tinha ideia da existência das outras ações e da repercussão social que isso vai gerar”, declarou o advogado. Segundo ele, a 1ª ou a 4ª Vara da Fazenda deveriam ter analisado o pedido, já que os dois órgãos já julgaram casos referente à associação.
Segundo Baiocco, até que os recursos da defesa sejam apreciados, os comerciantes não poderão ser despejados dos pontos. O pedido de reintegração de posse movido pela Urbs prevê que os lojistas desocupem as lojas até, no máximo, no próximo domingo (6).
Urbs lança edital para contratar novos permissionários
Urbs lançou nesta quarta-feira (2) o edital de licitação que vai preencher os espaços comerciais da Rodoferroviária de Curitiba. O documento prevê a contratação de 17 permissionários pelo prazo de até oito anos, mediante pagamento de outorga e permissão de uso.
A licitação, no tipo concorrência, disponibiliza espaços para guarda-volumes; lanchonetes; livrarias e revistarias; cafeteria; cybercafe; farmácia; restaurante, salão de beleza; loja de perfumes e cosméticos; estabelecimento de artesanatos, presentes e lembranças e loja de bolsas, carteiras, malas e acessórios.
Terá direito a assumir os pontos, pelo tempo determinado, a pessoa física ou jurídica que oferecer o maior valor de outorga, cujos preços mínimos estabelecidos variam de R$ 23.520,00 a R$ 217.668, de acordo com a localização e metragem dos espaços. A permissão será concedida desde que sejam atendidos todos os requisitos estabelecidos no edital.
O pagamento das outorgas é passível de parcelamento, sendo a primeira parcela paga até três dias úteis depois da publicação dos resultados da licitação. Os valores para permissão de uso, com pagamentos mensais, variam de R$ 1.960,00 a R$ 18.139,00.
A seleção será realizada no dia 4 de novembro, em sessão pública, a partir das 9 horas, no auditório da Urbs, localizado na Avenida Presidente Affonso Camargo, 330, na Estação Rodoferroviária. A entrega das propostas pode ser feita até o mesmo período.
Permissões revogadas
O edital de licitação para a contratação de novos permissionários da Rodoferroviária é lançado um dia após a Justiça conceder à Urbs o direito de retirar os comerciantes que, até então, trabalhavam no local. Um impasse entre a empresa e os lojistas se arrastava desde que foi exigido um processo licitatório para ocupar os pontos comerciais do terminal.
Com isso, proprietários das lojas instaladas na Rodoferroviária– alguns há 40 anos no local – foram avisados de que teriam de deixar os pontos, já que, a ocupação prolongada, segundo a prefeitura, está em desacordo com a Constituição e com a Lei de Licitações.
A atitude foi contestada pelos lojistas, que se recusaram a aceitar a decisão da Prefeitura. Segundo a Associação dos Permissionários da Rodoferroviária, eles estão amparados por documentos que os garantem no local por, pelo menos, mais oito anos.
O documento em que se baseia a associação foi assinado há dois anos e tem validade de cinco anos, prorrogáveis por mais cinco. Segundo Denise Sella, diretora de urbanização da Urbs, esse mesmo documento exige a realização de licitação para cessão de espaços comerciais. Caso a ordem não seja cumprida, o cronograma das obras pode ser prejudicado.
A nova adequação dos espaços faz parte do processo de revitalização da Rodoferroviária, iniciado em junho do ano passado.
Conforme a Urbs, os permissionários que ocupavam os espaços comerciais da Rodoviária e que tiveram sua permissão revogada poderão participar da licitação aberta nesta quarta. 

Fonte: Gazeta do Povo

Parceria entre Prefeitura e associação garante cursos profissionalizantes e artesanais


Comunidade da Vila Zumbi é uma das principais beneficiadas pelas atividades ofertadas na Associação Paranaense de Orientação, Integração e Ofícios

Curso de bordado é atração para crianças a idosos
Ter a oportunidade de se aperfeiçoar em um ofício ou ocupar o tempo livre com atividades diferentes é a oportunidade que a população de Colombo, especialmente os moradores da Vila Zumbi dos Palmares encontram na Associação Paranaense de Orientação, Integração e Ofícios (APOIO), instituição que funciona em parceria com a Prefeitura Municipal, localizada no bairro Mauá.
Os cursos se dividem entre profissionalizantes e artesanais e têm como objetivo oferecer oportunidades que ajudem na melhora de vida das pessoas atendidas e que tragam benefícios para o cotidiano de cada uma delas. A parceria com a instituição é destacada pela secretária da Ação Social e Trabalho, Maria da Silva Souza. “Estas instituições do terceiro setor nos ajudam a fortalecer os vínculos com a população atendida nestas áreas, e isso nos torna facilitadores das melhorias na vida destes moradores”, conta.
Trabalhos manuais e atividades diferenciadas promovem interação e novos talentos
E esta oportunidade de descobrir um novo hobby e passar o tempo livre, fez com que a moradora da Vila Zumbi dos Palmares, Bruna Wiezbicki, procurasse o curso de bordado, realizado nas tardes de terça-feira. “Faz sete meses que participo das aulas e já aprendi muitas coisas aqui, e também é uma atividade relaxante”, comenta.
Com apenas 9 anos e o interesse de aprender algo diferente, fez com que Luis Eduardo Boziack também procurasse as aulas de bordado na Apoio. “Minha amiga me chamou e eu via os trabalhos que minha irmã fazia e levava para casa foi então que resolvi começar o curso de bordado e pretendo continuar”, afirma.
A Associação Paranaense de Orientação, Integração e Ofícios (APOIO), que está em funcionamento desde 1992, começou com a distribuição de sopas e alimentos para a população, e foi expandindo os serviços à população. De acordo com Mirian Moro, uma das fundadoras da instituição, o principal objetivo do curso é motivar as pessoas, para que elas busquem ocupações e se qualifiquem.
Para isso são ofertados os cursos profissionalizantes de: Panificação e Confeitaria, Manutenção de Computadores, Informática, Cabeleireiro, Manicure, Corte e Costura. Já os artesanais são: Alfabetização de Adultos, Crochê e Bordado, Violão, Jiu Jitsu, Artes em E.V.A e Decoupage em Madeira.
Alunos levam aprendizados dos cursos para começaram uma nova profissão
São ofertados também os projetos: Viver, onde crianças e adolescentes fazem atividades as quais lidam com valores humanos, disciplina, socialização e estímulo do raciocínio; Projeto Ler eu gosto, que abre a biblioteca aos moradores, para empréstimos de livros e atividades educativas e o curso para Gestantes, onde as futuras mamães recebem orientações e também podem confeccionar o enxoval do bebê.
Além disso, a instituição trabalha com o auxílio de voluntários e conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Colombo e com o apoio financeiro de empresas da cidade. Também são feitas ações beneficentes, como bazar de roupas e utensílios com preços simbólicos e a população pode ajudar doando roupas, livros, eletrodomésticos, entre outros.
Cursos disponíveis:
Panificação e Confeitaria
Manutenção de Computadores
Informática (infantil, adulto e idosos)
Cabeleireiro
Manicure e Pedicure
Corte e Costura
Alfabetização de Adultos
Croche e Bordado
Violão
Jiu Jtisu
Artes e EVA
Decoupage em Madeira
Para inscrições e informações:
Associação Paranaense de Orientação, Integração e Ofícios (APOIO) – Rua Nair Antunes da Silva, 41, Mauá. Telefone: (41) 3675-8082 e-mail: secretaria@apoio.org.br. Site: www.apoio.org.br. As aulas para estes cursos acontecem durante todo o ano.
Fotos: João Senechal/PMC
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG -colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK:facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial:www.colombo.pr.gov.br

Sou persistente, diz Marina Silva após parecer negativo sobre Rede



Após o MPE (Ministério Público Eleitoral) ter recomendado nesta terça-feira (1º) arejeição do partido Rede Sustentabilidade ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a ex-ministra Marina Silva, idealizadora da legenda, ainda se disse confiante em conseguir o registro. "Não sou otimista nem pessimista, sou persistente", disse Marina durante ato na praça dos Três Poderes, em Brasília.

No parecer, o vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, sustenta que a Rede não pôde obter o registro porque não conseguiu reunir as quase 492 mil assinaturas necessárias previstas pela lei --a sigla recolheu cerca de 442 mil rubricas. Aragão afirmou ainda que a busca pelo registro apenas para as eleições "amesquinha" o partido.

"Estou mais preocupada em não amesquinhar a democracia porque a democracia plena é a que assegura o pluralismo político", respondeu Marina.
Ela voltou a negar que esteja criando a legenda com fins eleitorais. "A preocupação da Rede Sustentabilidade não é com a eleição, é com a democracia. Não pode ter dois pesos e duas medidas", declarou. "A Rede é um projeto político que começou em 2011. Fizemos questão de não ser apenas um partido, mas um projeto político."
Para Marina, se os ministros do TSE, que devem analisar o pedido de registro da Rede nesta quinta-feira (3), levarem em conta os autos do processo, há chances de a legenda ser criada. Segundo a política, os ministros vão entender e reconhecer que houve a rejeição de assinaturas de maneira injusta. Ela afirma que muitos jovens, que não votaram nas eleições de 2012, e idosos, cujo voto é facultativo, tiveram suas assinaturas rejeitadas porque os cartórios eleitorais não puderam comparar as rubricas com o pleito anterior.
O ato, que reúne pouco mais de 40 pessoas na praça, que fica em frente ao STF (Supremo Tribunal Federal), tem caixas de papelão que representam as cerca de 95 mil assinaturas rejeitadas sem justificativa.
A manifestação conta com senadores simpatizantes do novo partido, como Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Pedro Taques (PDT-MT), Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Eduardo Suplicy (PT-SP).

Parecer

A despeito do parecer negativo, o procurador registrou "pesar", ao reconhecer que a Rede, ao contrário de outros "partidos registrados recentemente", não cometeu fraudes na obtenção de assinaturas.
"Há que ser registrado certo pesar pela não obtenção dos apoiamentos necessários à criação da agremiação em questão. O presente registro de partido político, ao contrário de outros recentemente apresentados a essa Corte, não contém qualquer indício de fraude, tendo sido um procedimento, pelo que se constata dos autos, marcado pela lisura", diz o parecer.
Em seguida, Aragão incentivou os seguidores da Rede a buscar o registro mesmo após a data-limite para registro a tempo de disputar as eleições de 2014. O procurador sustentou que criar uma sigla com vistas apenas a uma eleição é uma "atitude que o amesquinha."
"A criação de um partido não se destina à disputa de determinado pleito eleitoral. Na verdade, um partido é uma instituição permanente na vida política da Nação, vocacionada a representar corrente expressiva de cosmovisão e opinião na sociedade e, como tal, deve participar da história de um país, do engrandecimento de sua democracia, entre nós tão arduamente conquistada. Criar o partido com vistas, apenas, a determinado escrutínio é atitude que o amesquinha, o diminui aos olhos dos eleitores", escreveu Aragão.
"Por isso, o não deferimento, por ora, do registro do partido requerente não deve ser óbice para que seus fundadores continuem perseguindo o atingimento dos requisitos necessários a seu reconhecimento perante a Justiça Eleitoral e, então, darem sua valiosa contribuição ao processo democrático no Brasil", sustentou o procurador.

OAB aprova mudança nas regras de exames dos candidatos a advogado



O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou nesta terça-feira, 01, mudança nas regras dos exames dos candidatos a advogados, para permitir que os reprovados na segunda fase sejam dispensados de iniciar o processo da estaca zero.
exame-oab-melhores-piores-faculdades1
A informação partiu do deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) autor de um projeto de lei sobre o tema, que tramita na Câmara dos Deputados. A partir da decisão do conselho, o candidato aprovado na primeira fase que não obtiver aprovação final poderá se inscrever apenas para a aplicação da segunda fase.
Goergen afirmou que, como a OAB acatou a sugestão proposta, o projeto de lei será retirado da pauta. Ele explicou que a decisão reduz os custos pela metade, pois antes o candidato era obrigado a pagar para realizar mais uma vez o exame da primeira fase.
As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Nota Oficial – Greve dos Professores


A Prefeitura Municipal de Colombo cumpre o dever institucional de informar que o Tribunal de Justiça do Paraná, decidiu na data de 01/10, que a greve deflagrada pela Associação dos Professores Municipais de Colombo é Ilegítima e determina a sua paralisação imediata sob pena de multa.
Diante desta decisão, cabe à Prefeitura o papel de informar aos senhores pais, que enviem seus filhos para as escolas a partir (02/10) onde certamente os professores da rede municipal de ensino, estarão apostos para atendê-los como de costume.
Destaca ainda que embora a declaração da ilegitimidade da Greve, a Administração Municipal reitera os compromissos já anunciados às categorias dos professores e educadores em atendimento às reivindicações apresentadas. Reafirma aos profissionais e à sociedade que se mantém aberta ao diálogo e no cumprimento do que está acordado. Quer seja: Aumento da hora atividade para 25%; reajuste de até 12% para os professores e até 19% para os educadores em 2014, além da continuidade da revisão já em andamento do Plano de Cargos e Carreira.
Sendo o que tínhamos a informar, nos colocamos ao inteiro dispor para eventuais outros esclarecimentos que se fizerem necessários.
Atenciosamente
Assessoria de Imprensa

Fim do voto secreto para prisão de deputado é aprovado na Assembléia Legislativa do Paraná


Plenário da Assembléia Legislativa do Paraná


Com isso, a única situação de voto secreto restante para os deputados é a eleição de conselheiros do Tribunal de Contas do Paraná


Proposta de emenda constitucional aprovada em primeira discussão nesta terça-feira (1º) extingue o voto secreto para prisão de deputado estadual em caso de flagrante de crime inafiançável. A constituição do Paraná diz hoje que, nesses casos, os autos devem ser remetidos à Assembleia Legislativa para que a maioria dos deputados decida – por voto secreto – sobre a prisão e a formação de culpa. Com a aprovação do projeto, os deputados terão que decidir abertamente.
Assim, a única situação de voto secreto restante para os deputados é a eleição de conselheiros do Tribunal de Contas do Paraná (TC). Essa votação deve continuar secreta. Isso porque o voto fechado é usado na escolha dos ministros do Tribunal de Contas da União pelo Senado e, por simetria, deveria ser aplicado também aos tribunais estaduais.
Este ano, a escolha do ex-deputado Fabio Camargo para o TC foi motivo de manifestações contrárias da população e, inclusive, de investigação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre suposto tráfico de influência exercido pelo pai de Camargo, o então presidente do Tribunal de Justiça, Clayton Camargo.
O projeto, de autoria de Rossoni, teve a assinatura de outros 25 deputados e diz que a Constituição Federal não exige votação secreta para sustar ação contra deputados e senadores. O texto diz que o procedimento só era justificável na época da ditadura, quando mandatos eram cassados sob o menor pretexto. “Os representantes do povo devem prestar conta de todos os seus atos aos eleitores e à opinião pública, e o voto em aberto garante essa prestação”.
A questão do fim do voto secreto ganhou força com as manifestações de junho e o texto do projeto cita, inclusive, proposições semelhantes em Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais de outras regiões do país. Na Câmara de Curitiba, o fim do voto secreto no seu regimento interno já foi aprovada em primeira votação.

Fonte: Gazeta do Povo

Princípio de incêndio na sede do Detran em Curitiba é controlado



Um pequeno incêndio na sede do Detran-PR, que fica na Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, em Curitiba, já foi controlado. O chamado foi feito às 7h45 e duas equipes do Corpo de Bombeiros foram até o local, mas só será necessário realizar uma vistoria para saber o que houve. detran
A fumaça relatada no bloco D, que está em construção, seria proveniente de problemas elétricos.
Ninguém se feriu.