Provisão e Vida em parceria com Thiago de Jesus realizaram o maior evento gospel de Colombo

Aconteceu nesta sexta feira dia 15-11 o maior evento gospel de colombo toda a estrutura da carreta da deputada Mara Lima, foi montada ao ar livre, movimentando um publico mais de três mil pessoas, o evento foi um sucesso e aguardem mais novidades que vem por ai. confira as fotos do evento abaixo.

Motociclista se perde em rodovia sinuosa e morre ao cair em valeta em Colombo

Por Luiz Henrique de Oliveira e Roberto Romanowski

Um motociclista de 54 anos perdeu a vida no início da manhã deste sábado (16) na Rodovia do Calcário, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Jadir Dias da Luz se perdeu na sinuosa estrada, caiu em uma valeta e morreu após ter quebrado o pescoço, segundo a Polícia Militar (PM).
morte colombo
Homem morreu dentro de valeta (Foto: Roberto Romanowski – Banda B)
O sargento Alves, que atendeu o local do acidente, contou à Banda B que o rapaz deve ter se perdido sozinho na rodovia. “Quando chegamos aqui ele já estava morto. No momento do acidente chovia muito, o que certamente cooperou para o fim trágico”, destacou.
Jadir da Luz seria um trabalhador na região, onde estão instaladas fábricas de calcário. Ontem ele teria, de acordo com testemunhas, alongado a noite em um bar após o expediente. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Pizzolato: 'Decidi fazer valer meu legítimo direito de liberdade'


SÃO PAULO - Único a não se apresentar entre os 12 condenados do mensalão que tiveram mandados de prisão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal, Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil, divulgou nota neste sábado, 16, em que diz estar na Itália. "Por não vislumbrar a mínima chance de ter julgamento afastado de motivações político-eleitorais, com nítido caráter de exceção, decidi consciente e voluntariamente fazer valer meu legítimo direito de liberdade para ter um novo julgamento, na Itália, em um tribunal que não se submete às imposições da mídia empresarial, como está consagrado no tratado de extradição Brasil e Itália", disse.

Leia a íntegra da nota de Henrique Pizzolato:

"Minha vida foi moldada pelo princípio da solidariedade que aprendi muito jovem quando convivi com os franciscanos e essa base sólida sempre norteou meus caminhos.
Nos últimos anos minha vida foi devassada e não existe nenhuma contradição em tudo que declarei quer seja em juízo ou nos eventos públicos que estão disponíveis na internet.
Em meados de 2012, exercendo meu livre direito de ir e vir, eu me encontrava no exterior acompanhando parente enfermo quando fui mais uma vez desrespeitado por setores da imprensa.
Após a condenação decidida em agosto retornei ao Brasil para votar nas eleições municipais e tinha a convicção de que no recurso eu teria êxito, pois existe farta documentação a comprovar minha inocência.
Qualquer pessoa que leia os documentos existentes no processo constata o que afirmo.
Mesmo com intensa divulgação pela imprensa alternativa - aqui destaco as diversas edições da revista Retrato do Brasil - e por toda a internet, foi como se não existissem tais documentos, pois ficou evidente que a base de toda a ação penal tem como pilar, ou viga mestra, exatamente o dinheiro da empresa privada Visanet. Fui necessário para que o enredo fizesse sentido. A mentira do "dinheiro público" para condenar. Todos. Réus, partido, ideias, ideologia.
Minha decepção com a conduta agressiva daquele que deveria pugnar pela mais exemplar isenção é hoje motivo de repulsa por todos que passaram a conhecer o impedimento que preconiza a Corte Interamericana de Direitos Humanos ao estabelecer a vedação de que um mesmo juiz atue em todas as fases de um processo, a investigação, a aceitação, e o julgamento, posto a influência negativa que contamina a postura daquele que julgará.
Sem esquecer o legítimo direito moderno de qualquer cidadão em ter garantido o recurso a uma corte diferente, o que me foi inapelavelmente negado.
Até desmembrarem em inquéritos paralelos sigilosos para encobrir documentos, laudos e perícias que comprovam minha inocência, o que impediu minha defesa de atuar na plenitude das garantias constitucionais. E o cúmulo foi utilizarem contra mim um testemunho inidôneo.
Por não vislumbrar a mínima chance de ter julgamento afastado de motivações político-eleitorais, com nítido caráter de exceção, decidi consciente e voluntariamente fazer valer meu legítimo direito de liberdade para ter um novo julgamento, na Itália, em um tribunal que não se submete às imposições da mídia empresarial, como está consagrado no tratado de extradição Brasil e Itália.
Agradeço com muita emoção a todos e todas que se empenharam com enorme sentimento de solidariedade cívica na defesa de minha inocência, motivadas em garantir o estado democrático de direito que a mim foi sumariamente negado."
Condenados no mensalão se entregam; veja fotos:
Dirceu, Genoino, Valério e sete condenados são presos - 1 (© Robson Fernandjes Estadão)

Dirceu e Genoino passam noite em claro na carceragem da PF




José Genoino e José Dirceu ergueram os punhos ao se apresentarem à Polícia Federal. Os dois foram condenados no processo do mensalão por formação de quadrilha e corrupção ativa.

A primeira noite na cadeia foi praticamente em claro. O ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente do PT, José Genoino, mal se acomodaram na cama de alvenaria e colchão de mola em uma das 20 celas no terceiro andar da Polícia Federal. As roupas de cama, segundo um agente federal, permaneciam praticamente intactas na manhã deste sábado.
Antes de serem levados à carceragem, os dois conversaram com os seus advogados. Genoino mostrou mais cansaço. A toda hora, procurava sentar na ante-sala da direção da PF, usada para que os advogados e policiais acertassem os detalhes de como seria a primeira noite dos dois na cadeia. Dirceu, atento à conversa alheia, permanecia com a mão no queixo, pensativo, enquanto circulava de um lado para outro.
Genoino, introspectivo, foi levado para a cela 2, e Dirceu, para a 4. Foram conversando no caminho, acompanhado por agentes federais. As duas celas, feitas para receber apenas dois presos em cada uma, estavam vaziam. Outras estão ocupadas por empresários presos, em sua maioria, também por crimes de colarinho branco. Foi ali, na mesma carceragem, que o deputado Paulo Maluf foi preso, junto com seu filho, em 2005, acusados de formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
A polícia revistou as malas levadas pelos petistas. Genoino carregava peças de roupa e material de higiene pessoal. Foi a mulher dele quem arrumou seus pertences. Dirceu, trazia praticamente o mesmo, mas também teria levado livros. Como os advogados tentam na Justiça mantê-los em SP, os petistas deixaram seus pertences em São Paulo, para onde pretendem voltar, no máximo, até amanhã.
- É uma ilegalidade mantê-los presos em regime fechado e, além disso, longe do domicílio dos dois. Eles vão voltar para São Paulo o quanto antes - disse o advogado José Luis de Oliveira Lima.
Fechada a porta da carceragem, pouco depois da meia-noite, os dois teriam permanecido em silêncio durante toda a madrugada, até que um funcionário da PF serviu, perto das 7h de hoje, o café da manhã com pão com manteiga, café, leite e uma fruta. Antes, no entanto, tomaram banho na carceragem. Dirceu trocou a camisa social azul por uma camisa polo preta. Genoino também mudou o figurino, optando por uma camisa social rosa claro.
Assim que os advogados chegaram, segundo um agente da PF, o ex-ministro e o ex-presidente do PT se abraçaram e conversaram. Antes de deixar o prédio da PF, um novo abraço, dessa vez mais forte. A ideia de deixar o prédio rumo ao aeroporto de Congonhas em carros de vidros escuros teria sido dos advogados.




Caso Battisti torna mais difícil extradição de Pizzolato




Brasil concedeu asilo e mantém no Brasil Cesare Battisti, acusado de terrorismo na Itália
O Brasil teria que contar com muita boa vontade do governo italiano para conseguir a extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato. Depois de conceder asilo e manter no Brasil Cesare Battisti, acusado de terrorismo e de ser responsável pela morte de quatro pessoas, o governo brasileiro criou um contencioso com a Itália que até hoje não foi digerido.

Em 2009, o Supremo Tribunal Federal autorizou a extradição pedida pela Itália, mas a decisão do então ministro da Justiça, Tarso Genro - corroborada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva - foi de não entregar Battisti e dar-lhe asilo político. A resposta brasileira foi questionada pela Itália, mas em 2011 o STF definiu que a decisão final sobre a extradição era do presidente e o guerrilheiro ficou no País.
A decisão do governo Lula abriu uma enorme crise com a Itália, que chegou ameaçar ir à Corte Internacional de Haia contra o Brasil. Os ânimos se acalmaram depois de um intenso trabalho diplomático do Itamaraty, mas não a ponto de haver qualquer boa vontade italiana em uma extradição, especialmente de um cidadão italiano.
Brasil e Itália não têm tratados de extradição de seus próprios cidadãos. Nenhum dos dois países extradita seus nacionais para cumprir penas em outros países.(Lisandra Paraguassu)

Pacientes de hemodiálise do Hospital das clinicas do Acre recebem jantar com tapurus na carne de frango





Na noite desta sexta-feira (15) a presidente da Associação dos Pacientes Renais Crônicos e Transplantados, Berenice Sales da Silva, denunciou que 50 marmitas servidas aos pacientes do setor de hemodiálise do Hospital das Clinicas estavam estragadas e apresentavam larvas, micro organismos também conhecidos popularmente por tapurus na carne de frango.
De acordo com informações assim que uma paciente detectou a presença dos tapurus teria alertado os demais que também encontraram as larvas e rejeitaram a comida comunicando de imediato a nutricionista Eliane Frari, chefe do serviço de Nutrição Dietética, que teria confirmado a presença dos tapurus e determinado o imediato recolhimento das marmitas, ordenando também que fosse providenciado um lanche para os pacientes a base de biscoitos, bolachas e café com leite.
A presidente da Associação e uma paciente conseguiram manter duas marmitas e entraram em contato com a redação do site Ecos da Noticia que foi representado pela jornalista Lenilda Cavalcante, o repórter Ray Melo do site AC 24 horas e o blogueiro Altino Machado.
Os três jornalistas constataram a veracidade da denúncia e decidiram comunicar o ocorrido ao diretor do Hospital Carlos Eduardo Alves e a nutricionistas Eliane Frari, que se comprometeram abrir sindicância administrativa para apurar o caso.
A nutricionista Eliane Frari, confirmou que foi chamada no setor no momento em que os pacientes encontraram as larvas, mas ela alega que no momento não dispunha de uma iluminação adequada que possibilitasse visualizar com maior nitidez a presença dos tapurus, mesmo assim mandou que todas as marmitas fossem recolhidas e a janta fosse substituída por uma espécie de lanche reforçado.
A nutricionista se comprometeu de abrir sindicância para apurar o caso, que segundo Eliane Frari em sete anos que ela se encontra na direção do setor de nutrição caso semelhante não aconteceu e afirmou ainda estranhar o fato dos tapurus terem permanecidos vivos após a carne ter passado pelo processo de cozimento.

Juros para pessoas físicas registram alta pela sexta vez no ano


Da Agência Brasil

As taxas das operações de crédito subiram no mês de outubro, de acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac) divulgada hoje (14). Para pessoa física, houve crescimento de 0,03 ponto percentual na taxa de juros, em relação a setembro deste ano. No mês passado, a taxa ficou em 5,56%, ao passo que, em setembro, foi 5,53%. Essa é a sexta alta registrada neste ano pela entidade.
Na pesquisa anterior, a taxa de juros média para pessoa física no mês de setembro representou elevação de 0,02 ponto percentual em relação a agosto, que havia tido média de 5,51%. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica também apresentou elevação de 0,03 ponto percentual no mês de outubro, na comparação com setembro. A taxa ficou em 3,21% no mês passado, enquanto setembro foi 3,18%.
juros-141113-bandab
(Foto: Divulgação)
Das seis linhas de crédito para pessoa física pesquisadas, apenas a do rotativo do cartão de crédito se manteve estável, sendo que as demais apresentaram alta. No caso dos juros do comércio, a elevação foi 3,21%, passando a taxa de 4,14% ao mês (62,71% ao ano) em setembro, para 4,19% ao mês (63,65% ao ano) em outubro. O cheque especial teve elevação de 0,77%, passando a taxa de 7,83% ao mês (147,10% ao ano) em setembro, para 7,89% ao mês (148,76% ao ano) no mês passado.
O crédito direto ao consumidor (CDC) obtido nos bancos e em financiamentos sobre a compra de automóveis registrou alta de 0,61%, passando a taxa de 1,64% ao mês (21,56% ao ano) em setembro, para 1,65% ao mês (21,70% ao ano) em outubro. Empréstimo pessoal em bancos teve alta de 1,28%, passando a taxa de juros de 3,12% ao mês (44,58% ao ano) em setembro, para 3,16% ao mês (45,26% ao ano) no mês passado. O empréstimo pessoal em financeiras registrou alta de 0,28%, passando a taxa de juros de 7,07% ao mês (126,99% ao ano) em setembro, para 7,09% ao mês (127,50% ao ano) em outubro.
A elevação das linhas de crédito para pessoa jurídica foram 0,05 ponto percentual para capital de giro; 0,04 para desconto de duplicatas; e 0,02 para conta garantida.
O capital de giro teve alta de 1,3%, passando da taxa de 1,56% ao mês (20,41% ao ano) em setembro, para 1,61% ao mês (21,13% ao ano) no mês passado. O desconto de duplicatas apresentou alta de 1,77%, passando a taxa de 2,26% ao mês (30,76% ao ano) em setembro, para 2,30% ao mês (31,37% ao ano) em outubro. A conta garantida registrou alta de 0,35%, passando de 5,71% ao mês (94,71% ao ano) em setembro, para 5,73% ao mês (95,15% ao ano) em outubro.

Jovens batem Corolla contra ônibus e morrem na hora na BR-277


Do Portal Catve.tv
CARRO
(Foto: Portal Catve.tv)

Dois rapazes morreram e um ficou gravemente ferido em acidente na manhã desta sexta-feira (15) na BR 277, próximo a Ibema/PR. Os jovens estavam em um veículo Corolla, placas de Guaraniaçu, que bateu de frente com um ônibus escolar que levava roupas e cobertores para um retiro que acontece em Catanduvas neste fim de semana.
Segundo o motorista do ônibus, José Ivanir de Oliveira, o carro seguia sentido a Guaraniaçu e ele a Catanduvas, quando em uma curva o condutor do Corolla perdeu o controle da direção e invadiu a pista contrária.
jovens
(Foto: Reprodução Facebook)
” Eu ia sentido Catanduvas levar uma bagagem de um pessoal que está em um retiro na igreja, e nesta reta aqui, ele parou o carro na contramão na saída da curva, e o cara vinha no acostamento e ele fez Zig-Zag na pista e jogou para um lado e para o outro e não tive nada o que fazer, e acabou batendo na lateral esquerda do Ônibus onde foi que aconteceu. Fazer o que né, só se Deus tirasse o Ônibus de cima do carro, porque no braço não teve como livrar.” disse José Ivanir.
O motorista do carro Cassiano Pegoraro e um passageiro João Almeida, ambos de 18 anos, morreram na hora. Os corpos ficaram encarcerados no carro. Um outro jovem de 20 anos, identificado como Eduardo Gabriel Daga, foi levado em estado grave para um hospital de Cascavel. Ainda segundo testemunhas no Corolla estaria ainda uma mulher que saiu ilesa do acidente.
O velocímetro do carro parou em 120 km/hora. De acordo com informações obtidas no local, o grupo esteve na Expovel, em Cascavel, e retornava para casa nesta manhã quando houve o acidente. Todos são moradores de Guaraniaçu.
O trânsito fluiu normalmente já que os veículos pararam fora da pista. Familiares que chegaram ao local estavam em estado de choque.
Os corpos foram recolhidos ao IML de Cascavel.
Para assistir a matéria completa no Portal Catve.tv clique aqui.

Situação inverte e trânsito já é alto no sentido Curitiba da BR-277


Da Redação


A situação se inverteu. Se até o meio-dia deste sábado (16) de Feriado de Procalmação da República o movimento na BR-277 era alto em direção ao litoral do Paraná, por volta das 15h a situação se inverteu. Muitos antecipam o retorno, até por conta da previsão de chuva para os próximos dias, e a pista sentido Curitiba tem movimento alto, com mais de 800 carros por hora.
No sentido contrário, o movimento é normal, com 550 carros por hora. A previsão é que este número aumente e tenha o seu pico a partir das 10h de amanhã (17), uma vez que os mais de 30 mil veículos que desceram ao litoral deverão subir nas próximas 36 horas.
A mesma situação acontece na BR-376, que liga Curitiba ao Litoral de Santa Catarina. O trânsito já era intenso no retorno à capital, por volta das 15h.

Advogado diz à PF diz que Pizzolato, condenado no mensalão, está na Itália


Polícia aguardava apresentação de condenado no mensalão neste sábado.
Em telefonema, advogado disse que foi informado da viagem por familiares


O advogado Marthius Sávio Cavalcante Lobato, defensor de Henrique Pizzolato, afirmou à Polícia Federal neste sábado (16) que o ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil está na Itália. Em telefonema para o delegado Marcelo Nogueira por volta de 11h40, Cavalcante disse que, ao chegar à casa do seu cliente, em Copacapana, noRio de Janeiro, foi informado por familiares que ele tinha viajado para o país europeu.
Henrique Pizzolato é o único dos 12 condenados do processo do mensalão que tiveram os mandados de prisão expedidos na sexta-feira (15) que ainda não se apresentou à polícia. A pena total dele é 12 anos e 7 meses, tendo sido condenado pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro. O STF negou o último recurso possível e decidiu que, para Pizzolato, o processo do mensalão terminou. A pena deve ser cumprida em regime fechado, em presídio de segurança média ou máxima.
O delegado Marcelo Nogueira explicou que o réu saiu do Brasil de forma clandestina, uma vez que seu nome estava na lista de procurados impedidos de deixar o país. Apesar da cidadania e do passaporte italiano, ele não teria conseguido sair do país usando seu nome. Agora, de acordo com o delegado, cabe ao Ministério da Justiça pedir a extradição judicial do condenado.
Nogueira informou ainda, que, por telefone, o advogado informou que a família de Pizzolato divulgara uma carta explicando as razões da saída do condenado do país. O delegado não sabia qual era o teor completo da carta, mas disse que, segundo informações do advogado, Pizzolato havia deixado o Brasil pela cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, há 45 dias.
A Polícia Federal do Rio de Janeiro aguardava a apresentação de Pizzolato na manhã deste sábado, uma vez que havia um acordo por parte do advogado de que apresentaria o réu. Na sexta à noite, agentes da PF foram ao endereço de Pizzolato para cumprir o mandado, mas não o encontraram.
Transferências
Nove condenados no processo do mensalão detidos em São Paulo e Belo Horizonte devem ser transferidos para Brasília neste sábado (16). Na capital paulista estão José Dirceu e José Genoino, que se entregaram na noite de sexta após expedição do mandado prisão pelo STF. Em Minas Gerais estão Marcos Valério, Cristiano Paz, Kátia Rabello, Simone Vasconcelos, José Roberto Salgado, Romeu Queiroz e Ramon Hollerbach.
Uma aeronave da Polícia Federal (PF) decolou do aeroporto de Brasília, por volta das 11h40, para buscar os condenados do processo do mensalão que estão sob custódia das superintendências da corporação em São Paulo e em Belo Horizonte. A PF não informou se o plano de voo do avião prevê a primeira parada em São Paulo ou em Minas. A previsão é de que a aeronave retorne ainda neste sábado para Brasília.
Jacinto Lamas, que também teve o pedido de prisão expedido, já está no Distrito Federal. O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares se entregou no fim da manhã deste sábado, em Brasília, segundo o advogado Celso Vilardi.
Exames e depois prisão
De acordo com a assessoria PF, ao desembarcarem no Distrito Federal, os condenados que tiveram a prisão decretada seguirão do aeroporto diretamente para a Superintendência da Polícia Federal. No prédio, eles serão apresentados ao diretor-geral da PF, Leandro Daielo, que é quem coordena a operação. Em seguida, serão levados para fazer exames de corpo de delito. Depois serão apresentados ao juiz que decidirá em que penitenciária cada um vai cumprir a pena.
Presos com pena inferior a 8 anos irão para o regime semiaberto, no Centro de Progressão Penitenciária (CPP). Neste regime, os presos saem durante o dia para trabalhar e dormem na cela. Já os condenados com pena superior a 8 serão encaminhados para presídios.
Pela legislação, os condenados cumprem a prisão na cidade onde têm domicílio. De acordo com a PF, os condenados em regime fechado devem passar o fim de semana na Superintendência, já que a penitenciária de Brasília não recebe presos no fim de semana. Já os que cumprirão pena no semiaberto poderão ser encaminhados ao CCP neste sábado ou domingo.
Ordens de prisão
Um ano depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) condenar 25 réus do mensalão, foram expedidos na sexta (15) os 12 primeiros mandados de prisão. As ordens de execução imediata das penas foram dadas pelo presidente do STF, Joaquim Barbosa, e chegaram à Polícia Federal em Brasília por volta das 16h10 pelas mãos de dois oficiais de Justiça. A PF disse que enviaria os ofícios para as superintendências regionais por meio de fax para iniciar a execução das prisões. Os primeiros condenados começaram a se entregar no início da noite.
Em julgamento realizado em 2012, sete anos após o escândalo estourar no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o STF considerou que um grupo comandado por José Dirceu, então chefe da Casa Civil, operou um esquema de compra de votos no Congresso (saiba as conclusões do julgamento).
Depois de uma fase em que as penas foram definidas ainda em 2012 (dosimetria) e um período em que os réus puderam apresentar recursos contra as decisões, o STF julgou esses recursos até setembro, aceitando parte deles e rejeitando outros. No dia 13 de novembro, o tribunal decidiu que já era possível fazer cumprir as penas definitivas (transitadas em julgado), mesmo que o réu ainda pudesse recorrer de parte das condenações.

Assalto a Policial Civil termina em morte de dois suspeitos


15 de novembro de 2013
Dois bandidos foram baleados e mortos após uma tentativa de assalto a um policial civil, na noite desta quinta-feira, na Vila Guaíra, em Curitiba. A ação envolveu três suspeitos, que tentavam roubar o carro do policial na Avenida Presidente Kennedy. Um dos criminosos o abordou com uma arma falsa enquanto outro bandido pegava a chave do carro e o terceiro revistava a vítima. Em um momento de distração dos assaltantes, o policial pegou a arma que estava atrás de sua cintura e disparou contra os suspeitos. Dois deles morreram na hora e um não foi atingido mas acabou preso. O policial civil não sofreu ferimentos.

Primeira morte por afogamento é confirmada no litoral do estado durante o feriado; dois jovens estão desaparecidos e 30 pessoas foram atendidas pelos Bombeiros


16 de novembro de 2013
A primeira morte por afogamento já foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros, no litoral do estado, durante o feriado da Proclamação da República. Dois jovens estão desaparecidos. Eles têm idade entre 17 e 19 anos e são da Grande Curitiba. Dois casos ocorreram em Matinhos e um em Pontal do Paraná.
De ontem para hoje 30 salvamentos foram realizados pelos bombeiros e um jovem precisou de atendimento hospitalar.
praia_paraná

Ex-presidente João Goulart recebe honras militares em Brasília






Cerimônia em homenagem a Jango foi realizada no início desta tarde e contou com a participação da presidente Dilma Rousseff e dos ex-presidentes Luís Inácio Lula da Silva, Fernando Collor de Mello e José Sarney

Os restos mortais do ex-presidente João Goulart chegaram a Brasília, no fim da manhã desta quinta-feira (14), com honras militares. A urna partiu de São Borja (a 581 km de Porto Alegre), em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira), no início desta manhã.
Em Brasília, uma rápida cerimônia em homenagem a Jango foi realizada no início desta tarde e contou com a participação da presidente Dilma Rousseff e dos ex-presidentes Luís Inácio Lula da Silva, Fernando Collor de Mello e José Sarney. O presidente do Senado, Renan Calheiros, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também participam da homenagem na Base Aérea de Brasília.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil / Presidente Dilma Rousseff e a viúva de Jango, Maria Thereza Goulart, durante cerimônia em BrasíliaAmpliar imagem
Presidente Dilma Rousseff e a viúva de Jango, Maria Thereza Goulart, durante cerimônia em Brasília
No Twitter, a presidente disse que a homenagem é um encontro do Brasil com a sua história. A presidente lembrou que Jango foi o único presidente brasileiro a morrer no exílio e "em circunstâncias ainda a serem esclarecidas por exames periciais". "Essa cerimônia que o Estado brasileiro promove hoje com a memória de João Goulart é uma afirmação da nossa democracia", escreveu.
O corpo de Goulart foi exumado na quarta-feira, em São Borja (RS), e será submetido a perícia da Polícia Federal, na capital federal.
Deposto pelo regime militar (1964-1985), Jango morreu de infarto, segundo relato oficial. A família e o governo suspeitam de envenenamento, em possível ação coordenada entre as ditaduras da época no Cone Sul.
Exumação
A exumação do corpo, feita a pedido da família, é para tentar identificar as causas da morte, ocorrida quando o ex-presidente vivia no exílio, na Argentina. Na época da morte, há quase 37 anos, não foi realizada autópsia.
A exumação foi acompanhada por técnicos, familiares de Jango e autoridades, como os ministros Maria do Rosário e José Eduardo Cardozo (Justiça).
Depois de mais de 18 horas de trabalho, terminou no meio da madrugada desta quinta a exumação do corpo do presidente Jango em um cemitério na cidade gaúcha de São Borja.
Nem tudo saiu conforme o previsto no trabalho de retirada do caixão. A previsão inicial era que a exumação fosse finalizada no meio da tarde de quarta, quando ocorreria um cortejo por ruas de São Borja. A ideia era dar à população local a oportunidade de homenagear o político.
Com a demora, essa manifestação não ocorreu. Ao contrário do esperado, poucos moradores se interessaram pelo ato no cemitério.

Secretário de Kassab omitiu ter recebido denúncia anônima



Ex-secretário de Finanças da Prefeitura de São Paulo nas gestões José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD), Mauro Ricardo omitiu da Corregedoria que recebeu denúncia anônima no final de 2012 sobre os quatros fiscais que, neste ano, foram presos sob acusação de cobrar propina para reduzir o ISS de imóveis novos, segundo o corregedor à época.
"O Mauro Ricardo nunca me contou da investigação dele", disse à Folha Edilson Bonfim, que ocupou o cargo de corregedor por dois anos e meio na gestão Kassab.
Bonfim era o investigador oficial da prefeitura e contara a Ricardo que fazia uma apuração preliminar sobre um dos subordinados do secretário, Ronilson Bezerra Rodrigues, subsecretário da Receita Municipal na gestão Kassab e apontado pela Promotoria como líder da máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços).
Ele e os outros três fiscais presos eram citados em denúncia anônima que Ricardo recebera em outubro de 2012.
A "investigação" de Mauro Ricardo se restringiu a enviar aos suspeitos a denúncia anônima, com um pedido de explicação se ela tinha algum fundamento. Todos responderam que não.
No último dia útil da prefeitura no ano passado, 28 de dezembro, uma sexta-feira, o ex-secretário mandou arquivar a apuração: "Entendo, smj [salvo melhor juízo], que a denúncia anônima foi respondida pelos denunciados, podendo ser arquivada, não merecendo ser dado prosseguimento à apuração".
Já a investigação da Corregedoria nunca foi arquivada, segundo Bonfim: "A história do Ronilson não fechava. É por isso que ele era chamado de Robilson na prefeitura".
Editoria de arte/Folhapress
MESMO DIA
Ricardo defendeu-se da acusação de que fora omisso, dizendo que enviara seu pedido de arquivamento ao corregedor no mesmo dia 28 de dezembro e que ele poderia ter adotado outro procedimento.
Nesse dia, o corregedor já havia deixado o cargo --ele avisou em 21 de dezembro da sua saída, publicada no "Diário Oficial" no dia 29.
O documento de Mauro Ricardo só chegou à Corregedoria no dia 14 de janeiro.
As duas investigações não chegaram a resultado algum.
Bonfim diz que o problema eram as limitações da Corregedoria. Segundo a lei que criou o órgão, em 2007, só o prefeito poderia autorizar medidas básicas para uma investigação, como o levantamento de bens do suspeito.
Bonfim diz que, no caso de Ronilson, ele usou o levantamento de bens que o auditor entregou à prefeitura. Tinha quatro imóveis.
Na investigação feita neste ano, a Controladoria (órgão que substituiu a Corregedoria) descobriu que ele tinha 11 imóveis em seu nome.
Na gestão Kassab, havia também uma orientação segundo a qual denúncias anônimas não deveriam ser apuradas se não viessem acompanhadas de indícios.
Com a criação da Controladoria Geral do Município, em março deste ano, esses empecilhos foram removidos.
A apuração que resultou na prisão dos quatro fiscais começou com um procedimento simples: o cruzamento da lista de servidores com o cadastro do IPTU. Foi assim que o controlador Mario Spinelli apurou que um dos envolvidos teria que trabalhar 90 anos para acumular os imóveis que tinha em seu nome.
OUTRO LADO
Mauro Ricardo, hoje secretário da Fazenda de Salvador, afirma que é infundada a suspeita de que foi omisso na investigação dos fiscais que, posteriormente, foram presos.
"Investiguei e encaminhei ao órgão adequado. Fui até exigente. Denúncias anônimas normalmente são arquivadas sem investigação".
Diz que não avisou a Corregedoria porque não havia necessidade. "Não acho que a investigação tenha sido mal feita. A maior prova disso é que Mario Spinelli [atual controlador] concordou com minha posição e pediu o arquivamento do caso [em 27 de fevereiro]."
Segundo Ricardo, a Controladoria conseguiu a prisão dos fiscais porque surgiram fatos novos: incompatibilidade entre renda e patrimônio.

Suspeito com ecstasy vindos de Portugal é preso no Afonso Pena


Por Luiz Henrique de Oliveira e Roberto Romanowski

ecstasy
Droga seria distribuída na capital (Foto: Roberto Romanowski – Banda B)
Força Tarefa das Polícias Federal e Militar (PF e PM) realizou uma grande apreensão de drogas, na noite desta sexta-feira (15). Uma denúncia anônima, feita por meio do telefone 181 (disk denúncia), levou os policiais a interceptarem um passageiro vindo de Lisboa, em Portugal, com mais de 30 mil comprimidos de ecstasy. O suspeito fez escala no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, e teve como destino final o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, aonde foi preso.
Na abordagem, o passageiro, um técnico de informática morador em Curitiba, que não teve o nome divulgado, confessou o crime. Em suas malas foram encontrados três grandes pacotes, com os comprimidos dentro. Os invólucros estavam bem embalados e escondidos em um fundo falso do objeto.
Segundo o capitão Alexandre Lopes Dias, da PM, cada comprimido da droga, que seria comercializado em festas raves, chega a custar R$ 50, podendo a quantidade apreendida ser avaliada em torno de R$ 1,5 milhão. “Certamente foi um grande golpe nos traficantes”, afirmou.
A princípio, de acordo com o apurado pelos policiais, o homem preso não conta com passagens, conforme destacou o delegado Cléo Mazzotti, da PF. “O rapaz tem 27 anos e nos contou que iria ganhar R$ 5 mil para entregar a droga a um traficante da capital. Vamos investigar isso”, destacou o delegado.
O suspeito e a droga foram levados à sede da PF em Curitiba, no bairro Santa Cândida.