Bandidos em fuga batem carro e ‘somem’ na Vila Torres; um foi baleado


Por Luiz Henrique de Oliveira e Juliano Cunha


A Polícia Militar (PM) realiza um cerco na Vila Torres, no bairro Prado Velho, em Curitiba, para tentar prender três suspeitos que bateram um carro roubado durante uma fuga de viaturas policiais na tarde desta quinta-feira (28).
De acordo com a PM, os marginais estavam em um Honda Civic roubado e bateram contra  dois carros na Rua Chile com a Felipe Camarão. Os ladrões desceram do carro e aconteceu uma intensa troca de tiros, em que um dos marginais acabou baleado. Mesmo ferido, ele e os outros suspeitos fugiram e até o fechamento desta reportagem, por volta das 14h, não foram localizados.
A PM fez um alerta para hospitais e unidades de saúde para o caso de alguém aparecer com ferimentos de arma de fogo. O caso será investigado na sequência pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba (DFRV). O trânsito nas proximidades da Trincheira da Rua Chile é intenso.

Tribunal de Justiça afasta Fabio Camargo do TCE

27 de novembro de 2013
27/11/2013, ÀS 19H37
Assista ao videocast que explica o caso
A desembargadora Regina Portes afastou agora há pouco, em caráter liminar, o conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná Fábio Camargo. Um dos argumentos mais fortes usados pela desembargadora é de que toda e qualquer decisão tomada por Fábio Camargo poderia ser anulada futuramente caso a Justiça defina em última instância pela nulidade da eleição que o conduziu ao Tribunal de Contas do Paraná. A eleição de Fábio Camargo é uma das mais polêmicas da história do tribunal. Os pedidos de afastamento do até então conselheiro foram baseados em irregularidades, falta de documentos, mais principalmente pela denúncia de tráfico de influência para escolha do conselheiro. Fábio Camargo é filho de Clayton Camargo, ex presidente do Tribunal de Justiça, que é investigado pelo Conselho Nacional de Justiça. A denúncia é de que ele é o grande articulador do tráfico de influência em cima da Assembleia Legislativa para a eleição do filho. Clayton Camargo no momento do ápice da crise pediu afastamento da presidência do TJ-PR e aposentadoria. O CNJ anulou o pedido de aposentadoria por entender que o afastamento era uma manobra pra que ele não responda as sanções impostas pelo CNJ.
Confira todos os detalhes e como deve se posicionar a Assembleia Legislativa no vídeo gravado pela jornalista Joice Hasselmann no instante em que a desembargadora afastou o conselheiro.

Confira o despacho na íntegra:

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 1.149.385-9, DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA.
IMPETRANTE: MAX SCHRAPPE
IMPETRADOS: PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS
GOVERNADOR DO ESTADO
INTERESSADO: FÁBIO DE SOUZA CAMARGO
RELATORA: DES. REGINA AFONSO PORTES
DESPACHO:
Trata-se de mandado de segurança impetrado por Max Schrappe contra ato (complexo) emanado dos Presidentes da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas e do Governador do Estado, consubstanciado na nomeação do então Deputado Estadual Fábio de Souza Camargo ao cargo de Conselheiro daquela Corte de Contas.
Relata o Impetrante que, por meio de Ato do Presidente da Assembleia Legislativa sob nº 14/13, iniciou-se procedimento administrativo tendente ao preenchimento do cargo vago decorrente da aposentadoria do Conselheiro Hermas Brandão; pelo Ato nº 15/13, foi constituída Comissão Especial com a incumbência de opinar no referido procedimento; e pelo Ato nº 16/13 foi disponibilizada: a) relação de 22 candidatos inscritos; b) anotação de prazo de 2 dias para apresentação de impugnações, sem que fosse divulgado, contudo, o local de consulta sobre os dados e documentos apresentados pelos candidatos; e c) relação de alguns candidatos que deixaram de entregar os documentos exigidos no item I do Ato nº 14/13.
Continua narrando que foram apresentadas 3 impugnações em relação à candidatura de Fábio de Souza Camargo, as quais restaram indeferidas pela Comissão Especial, tendo sido, posteriormente, homologadas as candidaturas de 40 inscritos (Ato nº 18/13), quantidade superior à relação anteriormente exposta.
Alega que não houve oportunidade para conhecimento dos documentos submetidos com a inscrição do candidato Fábio de Souza Camargo, sendo que somente após o prazo hábil de impugnação da candidatura é que foram franqueadas cópias dos pedidos de inscrição.
Pontua acerca da documentação exibida pelo candidato Fábio de Souza Camargo que, além de não ter sido disponibilizada a tempo, estava – num primeiro momento – incompleta, pois desprovida da certidão de antecedentes criminais relativa a processos em segundo grau de jurisdição – o candidato detinha foro privilegiado por se encontrar no exercício do cargo (eletivo) de Deputado Estadual.
Salienta que a Comissão Especial procedeu à juntada da referida certidão de antecedentes ex officio, tratamento diferenciado não experimentado pelos demais candidatos que tiveram suas inscrições indeferidas em face da incompletude da documentação.
Assevera que, não obstante tenha se oferecido memorial com documentos referentes às cópias de processos de cancelamento da inscrição do candidato Fábio de Souza Camargo na Ordem dos Advogados do Brasil, foram eles protocolizados sob nº 8.053 e posteriormente rejeitados, culminando no recurso autuado sob nº 8.454/13, não examinado até o ajuizamento do presente mandamus.
Suscita, ainda, vício decorrente do fato de não ter sido alcançado o quórum necessário para aprovação válida do candidato Fábio de Souza Camargo, pois, embora estivessem presentes à sessão todos os 54 Deputados, o candidato obteve unicamente 27 votos, contrariando o comando do Ato da Comissão Executiva nº 675/08 que exige, para escolha em primeiro turno, maioria absoluta dos Parlamentares presentes – no caso, 28 votos.
Ao final, pugna pela nulidade do ato de nomeação do Conselheiro Fábio de Souza Camargo (Decreto nº 8.523/13), na medida em que desatendidos os princípios da igualdade, da legalidade, da finalidade, da moralidade administrativa e da publicidade, dado o tratamento privilegiado por ele recebido, além da inobservância do quórum para escolha do candidato em único turno.
Com a inicial, foram trazidos os documentos de f. 47/767.
Ciente da impetração, o Conselheiro interessado manifestou-se voluntariamente a f. 786/804, juntou documentos a f. 806/1220 e apresentou retificação de suas razões a f. 1227/1228.
Emendada a inicial para formação regular do polo passivo (f. 779), foram prestadas informações pelo Presidente da Assembleia Legislativa do Estado (f. 1233/1242).
Verifica-se, de início, que o Conselheiro interessado compareceu espontaneamente aos autos para, por primeiro, opor objeção processual concernente à condição da ação mandamental: a ilegitimidade passiva dos Presidentes da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas. Apontou, ainda, a ausência de indicação do Presidente da Comissão Especial, Deputado Elio Rusch, para integrar o polo passivo.
De serem rejeitadas, desde logo, as alegações, pois evidente que o Impetrante apontou o Deputado Valdir Luiz Rossoni e o Conselheiro Artagão de Matos Leão como representantes das respectivas pessoas políticas e, não, como pessoas físicas simplesmente.
No que tange à legitimidade do Deputado Elio Rusch, nota-se que as decisões da Comissão Especial por ele presidida foram homologadas pela Autoridade máxima do órgão que integra, não havendo possibilidade de o primeiro rever aqueles atos, à vista do princípio da hierarquia administrativa.
De todo modo, o Presidente da Assembleia, nas informações prestadas, defendeu o ato impugnado, podendo-se, assim, chamar à aplicação a teoria da encampação, conforme orienta o e. Superior Tribunal de Justiça (v.g., REsp nº 1.185.275, 2ª Turma, Relator: Min. Mauro Campbell Marques, DJe 23.09.2011).
O Conselheiro interessado arguiu, também, a ilegitimidade ativa do impetrante, preliminar que igualmente merece ser rechaçada de pronto, já que o autor, independentemente de ter recebido (ou não) votos, ostenta legitimidade para questionar processo eletivo de que participou, com vistas a garantir o respeito ao ordenamento jurídico.
Quanto à questão de fundo, sabe-se que a concessão de liminar em mandado de segurança depende da concorrência de relevantes fundamentos da impetração (fumus boni iuris) e do risco de dano irreparável ou de difícil ou incerta reparação (periculum in mora), nos termos do art. 7º-III da Lei Federal nº 12.016/2009.
In casu, constata-se – primeiro exame – que o procedimento eleitoral levado a efeito pela Assembleia Legislativa do Estado apresentaria vícios que comprometem irremediavelmente a sua higidez.
Embora a Assembleia Legislativa tenha informado que todos os candidatos foram notificados a complementar suas inscrições, conforme Ato do Presidente nº 16/13 (f. 48), tal assertiva não corresponderia à realidade, pois a leitura atenta de tal documento não permite concluir que tenha sido facultada qualquer complementação, limitando-se a relacionar os candidatos que tiveram suas inscrições deferidas ou indeferidas, além dos respectivos motivos.
Desse modo, mesmo uma análise sumária do processo em questão evidencia que as diligências realizadas pela Comissão Especial infringiram o princípio da isonomia, ao passo que somente o candidato Fábio de Souza Camargo teria sido beneficiado com a juntada ex officio da certidão de distribuição de processos faltantes, contrariando, inclusive, o Ato do Presidente nº 14/13 (f. 46/47) que não prevê qualquer possibilidade de acréscimo posterior na documentação apresentada.
Percebe-se, ademais, que o item 3 do Ato do Presidente nº 16/13 (f. 48) relaciona algumas candidaturas indeferidas por terem os interessados deixado de apresentar os documentos exigidos no parágrafo único do item I do mencionado Ato nº 14/13, podendo-se citar exemplificativamente: a) Joel Melo Cordeiro, por ter descumprido as alíneas ‘g’ e ‘h’ – apresentou apenas certidão do Tribunal de Justiça e não entregou de primeiro grau; b) Luciano Pereira Mewes, por ter descumprido as alíneas ‘e’ e ‘h’ – também apresentou apenas certidão do Tribunal de Justiça e não entregou de primeiro grau.
Como se vê, conferiu-se aos demais candidatos tratamento diferenciado daquele recebido por Fábio de Souza Camargo, cuja certidão de processos, ademais, apresentava-se positiva, descumprindo o item ‘g’ do parágrafo único do item I do Ato do Presidente nº 14/13 (f. 47), que exige certidão negativa.
Registre-se que o fato de terem sido apresentadas impugnações unicamente quanto ao candidato Fábio de Souza Camargo não justificaria – cognição sumária – que a Comissão Especial requisitasse sponte propria a documentação a título de esclarecimento, uma vez que tal situação pressuporia uma melhor observação daquilo que já existia nos autos e, não, o suprimento de documento faltante, em substituição ao ônus que recaía sobre o interessado.
Não bastasse essa indevida inclusão de certidão, não teria sido ainda observado o quórum mínimo para efeito de escolha de candidato em turno único de votação.
Segundo informou a própria Assembleia Legislativa (f. 1236), aplica-se à hipótese o disposto no Ato da Comissão Executiva nº 675/08, que prescreve em seu art. 5º, §1º: “Será considerado escolhido o candidato que obtiver a metade mais um dos votos dos Deputados presentes.”
Tal disposição deve ser lida em consonância com o §11, do art. 159, do Regimento Interno da Casa de Leis, de modo que os votos dos dois candidatos que exerciam o cargo de Deputado Estadual, Fábio de Souza Camargo e Plauto Miro Guimarães, não poderiam ser considerados meras abstenções, como se ausentes estivessem, visto que o dispositivo regimental determina que “para efeito de quórum”, o voto “será considerado em branco”, ou seja, nem favorável, tampouco desfavorável. É dizer, o voto em branco sinaliza presença do parlamentar, configurando hipótese de neutralidade e, não, ausência.
A propósito, orienta a Suprema Corte:
“O voto em branco, que constitui manifestação de vontade política do eleitor, não se qualifica como voto indireto. O cidadão, ao votar em branco, exterioriza, na concreção desse gesto, uma inequívoca manifestação, ainda que negativa, de vontade. O voto em branco não se reduz, desse modo, à noção de voto nulo. É, na realidade, um voto válido. Por isso, o voto em branco é plenamente computável nas eleições proporcionais.
Convém registrar, nesse ponto, que a ineficácia jurídico-eleitoral do voto em branco – que se traduz na impossibilidade de seu cômputo para qualquer fim – decorre, no nosso sistema normativo, apenas da regra inscrita no art. 77, §2º, da vigente Constituição, que se reveste, no entanto, do caráter de evidente excepcionalidade. Daí, a observação de MANOEL GONÇALVES FERREIRA FILHO (‘Comentários à Constituição Brasileira de 1988′, vol. 2/144, 1992, Saraiva), para quem essa exclusão dos votos em branco, somente nas eleições executivas (regidas pelo princípio majoritário), ‘não condiz com a regra tradicional em nosso direito de que os votos em branco são válidos’. (excerto extraído do voto do Ministro Celso de Mello no RMS nº 21329, Tribunal Pleno, DJU 22.10.1993).
Por fim, encontra-se presente também o perigo na demora, na medida em que não se pode perpetuar uma situação ilegítima e em desconformidade com o arcabouço normativo, ensejando eventual alegação de nulidade dos feitos em que participar o Conselheiro escolhido por meio de processo viciado, em prejuízo da segurança jurídica que se espera dos atos praticados no exercício de tal relevante função institucional.
Ante o exposto, presentes os requisitos exigidos no art. 7º-III da Lei n.º 12.016/2009, defiro parcialmente a liminar postulada, determinando o afastamento do Conselheiro Fábio de Souza Camargo do exercício de suas funções, até o julgamento final do presente mandado de segurança.
Requisite-se à Assembleia Legislativa cópia dos processos administrativos dos candidatos que foram desclassificados por apresentarem documentação deficiente (item 3 do Ato do Presidente n.º 16/13 – f. 250).
Solicitem-se informações ao Senhor Governador do Estado e ao Senhor Presidente do Tribunal de Contas, a serem prestadas no prazo legal.
Intime-se o litisconsorte Fábio de Souza Camargo para, querendo, manifestar-se no prazo de 10 dias.
Curitiba, 27 de novembro de 2013.
Des. REGINA AFONSO PORTES
Relatora
ATUALIZADO ÀS 20H26

Defesa Civil fará vistoria nas obras do estádio do Corinthians nesta quinta


Queda de parte da cobertura do estádio deixou dois operários mortos.
Órgão já interditou 30% de ala do estádio, mas obras seguem na segunda.


A Defesa Civil vai realizar uma nova vistoria nas obras da Arena Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo, nesta quinta-feira (28).
A queda do último módulo da estrutura da cobertura do estádio deixou dois operários mortos na tarde desta quarta-feira (27). O acidente ocorreu  durante o içamento da peça, última da série.
A Defesa Civil interditou 30% de uma das alas do estádio, uma área de cerca de cinco mil metros quadrados. Apesar da interdição e da nova vistoria, o coordenador do órgão, Jair Paca de Lima, afirmou nesta quarta que as obras poderão continuar nos demais setores.
O Ministério Público Estadual (MPE) também informou que fará uma vistoria nos próximos dias e exigirá laudos da Polícia Técnico-Científica para avaliar se pedirá à Justiça a paralisação total da obra do estádio que receberá a abertura da Copa do Mundo de 2014.
Na manhã desta quinta-feira, nenhum funcionário foi visto funcionário no canteiro de obras e as máquinas estavam paralisadas. A Odebrecht e o Corinthians afirmaram, em nota, que as obras da Arena Corinthians serão retomadas na segunda-feira (2).
O corpo do operador de caminhão Fábio Luís Pereira, de 42 anos, que morreu no acidente foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) na manhã desta quinta-feira (28) e levado a Limeira, cidade no interior paulista onde Pereira vivia com a mulher e três filhas.
Segundo a Odebrecht, o acidente ocorreu na 38ª vezem que um módulo da estrutura da cobertura era içado. "Uma peça de igual proporção foi instalada há pouco mais de uma semana no setor sul do estádio", afirmou a empresa em nota.
O ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez afirmou nesta tarde que Odebrecht e Corinthians não têm estimativa de qual será o impacto do desabamento no cronograma das obras do estádio. "Não estamos nem pensando nisso, as autoridades vão fazer o que precisa ser feito. O que menos estamos preocupados é cronograma, prazos. Estamos preocupados em atender as famílias das vítimas", disse Sanchez.
 'Falha de procedimento'
Paca de Lima, afirmou que, ao inspecionarem o chão onde o guindaste que desabou estava apoiado, não foi possível perceber qualquer tipo de falha no solo.
Para ele, o mais próvável é que tenha ocorrido "uma falha de procedimento", mas Paca de Lima não deu mais detalhes da suspeita. "A perícia que vai dizer a causa do acidente", ressaltou Lima.
Para Paca de Lima, a tragédia poderia ter sido ainda maior. “Se tivesse ocorrido no horário de pleno movimento, provavelmente o número de vítimas seria maior”, declarou. No horário do acidente, por volta das 12h40, os operários estavam em horário de almoço.
Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, motorista e operador de guindaste do tipo munck da empresa BHM, e Ronaldo Oliveira dos Santos, 44 anos, montador da empresa Conecta, morreram no acidente, quando um guindaste erguia uma peça de 420 toneladas. Cerca de 30 funcionários trabalhavam na operação, enquanto os outros estavam em horário de almoço.
Investigação
O delegado Luiz Antônio da Cruz, titular 65º Distrito Policial, responsável pela região do acidente nas obras do estádio do Corinthians, disse nesta quarta-feira (27) que o caso foi registrado como desabamento com morte.
Até as 19h30, cinco pessoas haviam sido ouvidas: um engenheiro da obra, um funcionário da parte administrativa, um técnico e dois policiais militares.

"No momento, não dá para responsabilizar ninguém. Se é que tinha responsável", disse Cruz.
Ele acrescentou que não ouvirá ninguém amanhã, pois tem uma reunião. Na sexta, o operador do guindaste deve ser ouvido, assim como outras testemunhas.
Perícia
Odebrechet e Corinthians também afirmaram, em pronunciamento conjunto, que somente a perícia vai determinar a causa do acidente. 
O gerente operacional da obra, Frederico Barbosa, garantiu que todo o procedimento para colocação da estrutura envolvida no acidente foi feito conforme os procedimentos indicados. "Essa peça está içada desde ontem. As condições eram favoráveis", disse.
Barbosa disse que checou pessoalmente as condições de vento e temperatura para autorizar o içamento da peça de 420 toneladas – o guindaste tinha capacidade para erguer cerca de 1,5 mil toneladas. 
“A operação estava correta, faz parte do procedimento, nada fora do que estava programado, tinha acabado de chover, tínhamos esperado uma semana para fazer o procedimento”, afirmou.
O acidente
A construtora explica que pouco antes das 13h, o guindaste que içava a peça tombou provocando a queda da peça sobre parte da área de circulação do prédio leste – atingindo parcialmente a fachada.
Segundo a empresa, a estrutura da arquibancada não foi comprometida.
Passei embaixo da estrutura para ir almoçar. Se não tivesse sido na hora do almoço muito mais gente poderia ter morrido. Eu poderia não estar vivo"
José Mario da Silva, operário
Em nota, o Corinthians lamentou o acidente no estádio que vai abrir a Copa do Mundo e sediar outras cinco partidas do Mundial e decretou sete dias de luto.
O estádio do Corinthians foi o local escolhido pela Fifa para o jogo de abertura da Copa do Mundo no dia 12 de junho de 2014, que será entre a seleção brasileira e um adversário a ser definido no sorteio das chaves do Mundial no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauipe (BA).
Fifa diz que segurança é prioridade
O presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, escreveu no Twitter:  "Estou profundamente triste com a morte trágica de trabalhadores da Arena Corinthians. Nossas profundas condolências com as famílias". O secretário-geral da Fifa, o belga Jerome Valcke, afirmou: "Nós estamos muito chocados com as notícias vindas de São Paulo. Aguardamos novos notícias das autoridades que estão investigando o acidente".
Em seu site oficial, a Fifa escreveu: "A Fifa e o Comitê Organizador (COL) tomaram conhecimento da morte de trabalhadores na Arena Corinthians com grande tristeza. QUeremos enviar nossas sinceras condolências às famílias dos trabalhadores que morreram tragicamente hoje. A segurança dos trabalhadores é prioridade para a Fifa, o COL e o governo federal.
Sabemos que a segurança de todos os trabalhadores sempre foi fundamental para todas as empresas de construção contratadas para a construção dos 12 estádios da Copa do Mundo da Fifa.
O Ministério do Trabalho e as autoridades locais irão investigar a fundo as razões por trás de um acidente tão trágico. Por favor, entendam que não estamos em posição de fazer mais comentários nesta fase, como estamos aguardando mais informações das autoridades."
O Ministério do Esporte também postou que lamenta o acidente e se solidariza com os parentes das vítimas.
Terceiro acidente fatal em estádios da Copa
Este foi o terceiro acidente com mortes em estádios que estão sendo construídos ou reformados para a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil. O primeiro foi no Estádio Nacional de Brasília, em junho de 2012, com a morte de um operário de 21 anos que caiu de 30 metros de altura. O segundo foi na Arena da Amazônia, em Manaus, em março deste ano, quando morreu outro trabalhador que caiu de uma altura de cinco metros.
Em abril, outra morte de operário foi registrada nas obras do novo estádio do Palmeiras, que não vai ser usado na Copa do Mundo.
  •  
Ambulâncias do Samu são vistas ao lado da estrutura afetada no acidente (Foto: William Volcov/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)Ambulâncias do Samu são vistas ao lado da estrutura afetada no acidente (Foto: William Volcov/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

Dilma se reunirá com Lula e as cúpulas do PT e do PMDB para tratar de palanques estaduais




Mapa sobre a mesa Dilma Rousseff se reunirá com Lula e as cúpulas do PT e do PMDB no Palácio da Alvorada, no sábado, para mais uma rodada de negociação dos palanques estaduais de 2014. Em nome da aliança nacional, os peemedebistas pressionam o PT a apoiar seus candidatos no Maranhão, em Alagoas e no Ceará. A presidente e o PT esperam fechar o apoio do PMDB a Fernando Pimentel em Minas. A situação do Rio de Janeiro, mais complicada, deve ficar para ser resolvida no ano que vem.
Calmaria Será a primeira reunião das duas siglas após a eleição interna do PT. Peemedebistas acham que, durante a disputa partidária, o discurso de dirigentes petistas foi muito antialianças.
Antitérmico 1 Ministros trocaram e-mails nesta semana comemorando análise do Santander que aponta cinco razões pelas quais a classificação de crédito do Brasil não deve ser rebaixada.
Antitérmico 2 O banco afirma que fundamentos da economia brasileira pioraram, mas opina que as turbulências na política fiscal não afetarão a gestão da dívida.
Consenso... Entre os nove desafios para o Brasil que serão apresentados hoje por Rede e PSB está a "valorização da biodiversidade e dos recursos naturais", aceno a partidários de Marina Silva. O texto pregará o uso "racional e equilibrado" dos recursos.
... progressivo O grupo anuncia hoje o cronograma de construção do programa de governo: serão colhidas contribuições on-line até o fim de janeiro. De fevereiro a abril, grupos temáticos e regionais discutirão o texto final, previsto para maio.
Em casa Cármen Lúcia, que faltou à sessão do STF ontem, deve se declarar impedida de julgar a correção da poupança pelos planos econômicos. Seu pai, Florival Rocha, é parte em processo no TRF da 1ª Região que será afetado pelo julgamento.
Imutável A Procuradoria-Geral paulista decidiu recorrer da solicitação da Justiça para que o governo inclua, na ação de ressarcimento contra a Siemens, as outras empresas acusadas de integrar o cartel que agiu em licitações do Metrô e da CPTM.
Externo Ao mesmo tempo, o órgão mantém conversas com o Ministério Público sobre alternativas para o reembolso do prejuízo causado pelo cartel. Uma possibilidade é a busca por um acordo com a multinacional alemã.
Conta-gotas Apesar de o Bandeirantes alegar vontade de acelerar processos de inidoneidade contra a Siemens, técnicos do governo acham difícil que as ações sejam concluídas antes de o Estado receber todo o material sobre o caso do Cade.
Vai nessa O Planalto deu apoio total a José Eduardo Cardozo (Justiça) diante do ataque do PSDB ao ministro. O governo acredita que sua ação foi correta e que as críticas são uma tentativa tucana de atrapalhar a investigação.
Concessionária A licitação para a compra de 94 carros para o Legislativo paulista fracassou. O preço oferecido pela única participante, a Renault, foi considerado excessivo. Um novo pregão acontecerá em dezembro.
Visitas à Folha Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, visitou ontem a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Marcio Aith, secretário de Comunicação, e Isabela Salgueiro, assessora de imprensa.
Laura Guobuzaité, cônsul-geral da República da Lituânia em São Paulo, visitou ontem aFolha. Estava acompanhada de Aline Augusta de Oliveira e de Patricia Bartuita, assessoras de imprensa.
*
TIROTEIO
Mantega assumiu dívida com o Congresso de votar projetos referentes ao pacto federativo. Agora, quer dar um calote no Legislativo.
DO SENADOR WALTER PINHEIRO (PT-BA), sobre a defesa feita pelo ministro da Fazenda do adiamento da votação da renegociação das dívidas dos Estados.
*
CONTRAPONTO
O profeta
Notório pelas piadas com os colegas de Congresso, o deputado Esperidião Amin (PP-SC) costuma brincar com outros parlamentares, dizendo que todos devem sempre se consultar com ele:
- O que me falta em cabelo sobra em experiência. Meu nome já diz: vinde "a mim"... -costuma dizer.
Ontem, depois de mais um comentário bem-humorado de Amin em sessão da Comissão de Educação, seu colega Chico Alencar (PSOL-RJ) reagiu:
- Com esse astral logo cedo, todos nós devíamos chamá-lo de "Espirituoso" Amin, deputado!

Deputado do PDT, piloto e copiloto dizem que não sabiam da droga em helicóptero

O deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG) afirma que não sabia que o helicóptero de sua empresa seria usado para transportar drogas.
Ele disse que achava que a aeronave estaria em manutenção no fim de semana. Depois, confirmou que recebeu mensagem do piloto avisando sobre o frete e deu "ok".
Sobre o recuo, o advogado de Perrella, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, disse que o deputado "julgou que a aeronave terminaria a vistoria [no fim de semana] e na segunda ele [o piloto] faria uma viagem para São Paulo para levar alguém".
Divulgação/Polícia Federal no Espírito Santo
Polícia Federal apreende helicóptero com drogas de empresa do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG)
Segundo Kakay, Perrella não desconfiou do frete porque os serviços de transporte aéreo são uma atividade corriqueira para ajudar a pagar despesas da aeronave.
Sobre apurações das quais foi alvo no passado, o senador Zezé Perrella já disse que "nunca" foi denunciado e que "ser investigado não é crime".
O advogado Nicácio Tiradentes, que defende o piloto Rogério Antunes, afirma que seu cliente não sabia que havia drogas na carga que transportava e que pensava se tratar de "insumos agrícolas".
Disse ainda que Antunes pediu autorização ao deputado Perrella para fazer o frete.
O advogado do copiloto Alexandre de Oliveira, Marco Antônio Gomes, afirma que seu cliente não sabia das drogas e que acreditava que eram "muambas" do Paraguai. Piloto e copiloto seguem presos.

Emissora de TV do futuro chefe de Dirceu foi beneficiada pela Anatel

O futuro chefe do ex-ministro José Dirceu, o empresário Paulo de Abreu, foi beneficiado nesta semana com uma medida do governo aprovada mesmo contra relatórios elaborados por técnicos.
Abreu ganhou o direito de transferir antenas da Top TV --uma de suas emissoras-- do município de Francisco Morato para a avenida Paulista, em São Paulo.
Dono do hotel Saint Peter, que contratou Dirceu sexta-feira, e de várias rádios e TVs, ele é filiado ao PTN, integrante da coligação da presidente Dilma Rousseff em 2010.
Na segunda, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), a pedido do Ministério das Comunicações, permitiu que algumas emissoras mudassem suas antenas para a capital, o que melhora a cobertura dessas TVs em São Paulo e aumenta o potencial de telespectadores.
Pedro Ladeira/Folhapress
Fachada do Saint Peter Hotel, onde o ex-ministro José Dirceu, será contratado para trabalhar durante o cumprimento da pena
Conforme análise da Anatel, a mudança da Top TV, canal 35, não poderia ocorrer, pois não seguiu trâmite adequado e porque pode ser inviável tecnicamente.
Diz o texto que a operação na Paulista pode criar interferência com outra emissora que ocupa o mesmo canal em Suzano. Ao mudar as antenas, a TV ainda deixa de operar em seu município de concessão.
Outra TV beneficiada com a mudança foi a TVT (TV dos Trabalhadores), ligada à CUT.
TERRAÇO
Uma das rádios operadas por Abreu foi lacrada pela Anatel em 2012 em Brasília. A Kiss FM, com programação de rock clássico, tinha autorização para operar em Alexânia (GO). O empresário, porém, levou antenas e transmissores para o terraço do Saint Peter, em Brasília.
Sem permissão, o sinal da rádio começou a ser transmitido na capital e ficou no ar por cerca de um ano, até ser pego pela fiscalização. Neste ano, a rádio voltou a operar na capital irregularmente.
Segundo a Folha apurou, esse procedimento é usado por Abreu em outras rádios, como a de Cosmópolis, no interior de São Paulo, que é usada para cobrir a região de Campinas. A estação transmite a programação da Kiss FM.
OUTRO LADO
A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) informou que a mudança das antenas de transmissão da emissora do empresário Paulo de Abreu foi feita após consulta pública sobre o processo de digitalização dos canais de TV no país.
Como o texto foi submetido à avaliação da comunidade e do setor, a Anatel argumentou que ele poderia sofrer alterações, desde que houvesse "anuência" do governo.
Essas modificações poderiam incluir "mudanças de coordenadas geográficas" e "aumentos de potência", diz texto da assessoria de imprensa da agência.
Para a Anatel, essas mudanças estão condicionadas a "viabilidade técnica" e "identificação de medidas de mitigação" nos casos em que houver interferência entre canais. A agência disse ainda que a titularidade de um canal "não interfere na análise de viabilidade."
O Ministério das Comunicações, em nota, disse que "na tecnologia digital, instalar estações próximas umas às outras é uma forma eficiente de gestão do espectro", ou seja, de organizar o espaço em que são colocados os canais.
Segundo a pasta, sua sugestão feita à Anatel teve como base argumentos técnicos. Além disso, as discussões sobre o replanejamento de canais em São Paulo "têm como premissa a preservação da cobertura atual --permitindo, inclusive, mudança de local da estação transmissora".
Procurado pela reportagem, o empresário Paulo de Abreu não foi localizado.

Começam obras contra enchentes que afetavam o bairro São Gabriel em Colombo.


Nova tubulação irá facilitar o escoamento das águas; medidas são para conter os prejuízos dos moradores da região

Nova tubulação, com diâmetro de 1,20 metro, irá duplicar escoamento no São Gabriel
Nova tubulação, com diâmetro de 1,20 metro, irá duplicar escoamento no São Gabriel
As fortes chuvas que acontecem principalmente nos primeiros meses do ano traziam muitos prejuízos para os moradores do bairro São Gabriel, em Colombo, principalmente na rua Ailton Luis Nadori, onde fica localizado um córrego parcialmente canalizado. Mas com o início das obras de contenção de enchentes, que começaram com a limpeza do terreno, será possível mudar esta situação.
Para tanto, também será feita uma nova tubulação, em cima da que já existe, com a colocação de cerca de 50 manilhas de 1,20 metros de diâmetro para melhorar o escoamento, que era insuficiente e causava os alagamentos, como explica o secretário de Planejamento, Angelo Betinardi. “Este ponto da rua ficava sobrecarregado, pois era o encontro das águas e duas tubulações desaguavam em apenas uma, por isso a necessidade de duplicar o escoamento”, conta o secretário.
Exemplo dos danos que essas enchentes causavam para a população do local é citado pelo comerciante Altamiro Leite da Silva, funcionário de uma borracharia. “Nossa maior preocupação era a perda de ferramentas e maquinário de trabalho, como os motores que utilizamos. As águas das chuvas chegavam a entrar nos comércios e casas”, disse.
Obras irão acabar com danos causados pelas fortes chuvas ocorridas principalmente no início do ano
Obras irão acabar com danos causados pelas fortes chuvas ocorridas principalmente no início do ano
Para o comerciante Arielson do Carmo Aleluia, que há três anos possui um estabelecimento nesta rua, a obra iniciada é uma solução que há tempos vinha sendo esperada por todos da região. “Com essa nova tubulação teremos mais tranqüilidade nos períodos que a chuva estiver mais forte. Vai resultar em uma melhoria de 100%”, acredita o comerciante.
A previsão é de que a obra esteja concluída em 15 dias. O projeto faz parte do Programa de Contenção de Enchentes da Prefeitura Municipal de Colombo, que até o final do ano irá beneficiar inicialmente 12 pontos da cidade.
Fotos: João Senechal/PMC

Polícia Federal apreende uma tonelada de maconha escondida em carga de frutas na BR-277


Da Redação

maconha-foz-271113
Foto: Divulgação PF
A Polícia Federal apreendeu na madrugada desta quarta-feira (27) cerca de uma tonelada de maconha durante fiscalização de rotina na BR-277, Km 601, em Cascavel, na região oeste. Os policiais suspeitaram de um caminhão com placas de Concórdia, Santa Catarina, que efetuou uma manobra, quase parando em meio à pista de rolamento ao visualizar a barreira policial. O caminhão, então, adentrou em um posto de combustíveis, o que motivou a verificação.
Durante a abordagem constatou-se que o motorista não portava documentos de carga e não tinha registro de lacre da câmara fria para a verificação do conteúdo. O veículo foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal para busca minuciosa e, ao abrirem a porta traseira da câmara fria caíram vários volumes de maconha, junto a uma carga de frutas.
Um homem de 31 anos, morador de Irani, Santa Catarina, foi preso em flagrante e disse que vinha do Chile , quando carregou o caminhão em Foz do Iguaçu e seguiria para São Paulo.

ORGULHO, FURACÃO É VICE DA COPA DO BRASIL


Por João Pedro Alves
O Atlético lutou, pressionou e foi em busca do título, mas não deu: o Flamengo é o primeiro clube campeão do “Novo Maracanã”. Em vantagem após o empate em Curitiba, o Rubro-Negro carioca jogou com o regulamento debaixo do braço nesta quarta-feira (27) e segurou todo o ímpeto paranaense durante a partida. E já nos últimos minutos, foi premiado com gols de Elias e Hernane para vencer por 2 a 0 e repetir os feitos de 1990 e 2006, conquistando o tricampeonato da Copa do Brasil.
Precisando marcar, Atlético encontra dificuldades e vê Fla mais perto do gol
Após o 1 a 1 nos primeiros 90 minutos em Curitiba, Flamengo e Atlético se encontraram novamente no Maracanã para decidir a Copa do Brasil. Precisando balançar as redes para levar o título para casa, o Furacão começou jogando no ataque e tentando pressionar. Mas, na base dos contragolpes, a primeira chegada foi dos cariocas com uma pancada rasteira de Luiz Antônio defendida por Weverton.
Aquela fase de estudo foi passando e o equilíbrio foi aparecendo em campo. A aposta paranaense era a velocidade dos atacantes, e por isso forçou muito em bolas enfiadas pelas laterais normalmente anuladas pela defesa. Melhor para os donos da casa, que tinham uma posse mais controlada e trabalhada, e por isso chegava com mais consciência até a intermediária – limite em que conseguia avançar.
O volume de jogo do time da Gávea foi aumentando até se postar quase que inteiro no campo de ataque, parando na marcação bem encaixada dos visitantes e tendo que arriscar chutes de longe. O Atlético, como esperado, tentava se lançar nos já conhecidos contra-golpes, mas tinha dificuldade em acertar os passes para realmente ter alguma oportunidade clara e levar perigo.
Apesar de precisar fazer gols, o Furacão estava mais perto de levar do que marcar nos minutos finais do primeiro tempo. Acuada na defesa e aparentando estar nervosa, a equipe de Vagner Mancini foi se segurando e gastando tempo até o intervalo, enquanto o Fla pressionava. Nessa pegada, Luiz Antônio ainda acertou a bola exatamente na forquilha, a junção da trave com o travessão, em cobrança de falta para criar a principal chance da etapa.
Furacão pressiona de todas as formas, mas sofre dois gols e título escapa
Com apenas mais 45 minutos pela frente até que alguém levantasse o troféu, os dois rubro-negros imprimiram um ritmo acelerado no início da etapa final. Em desvantagem no placar agregado, o Atlético buscava agredir ofensivamente logo de cara – mas ainda sem lances agudos. Mais tranquilo, o Flamengo respondia buscando matar o jogo. Havia um fator em comum: os goleiros não trabalhavam.
O tempo era mais um adversário do Furacão, que tentava chegar às redes o mais rápido possível para diminuir a ansiedade. O time da Baixada ficava nos arredores da grande área, o problema era que não conseguia de jeito nenhum finalizar em gol. Em contrapartida, em jogadas esporádicas e apostando as fichas no “brocador”, o Fla quase marcou com um chute e uma cabeçada de Hernane.
O cronômetro passou dos 30 minutos e os ânimos atleticanos começaram a ficar mais tensos. Um gol bastava para o título deixar de ser um sonho e se tornar realidade no clube paranaense. Faltava o gol. Era bola cruzada na área após bola cruzada na área e nada de um desvio salvador acontecer. E novamente em uma descida “solitária” os cariocas quase anotaram o gol: Hernane recebeu na área e acertou um belo voleio para Weverton salvar o Furacão.
A tranquilidade não fazia mais parte do Atlético e dificultava na definição dos lances. O Flamengo soube aproveitar isso e mostrou como faz. Já aos 42 minutos, em um contragolpe, Paulinho serviu e Elias chutou para as redes para abrir o placar – praticamente garantindo o título.
Nos instantes finais, o nervosismo tomou conta de vez e, após troca de empurrões, André Santos e Ciro foram expulsos. O Atlético foi todo para frente ainda acreditando que um milagre poderia acontecer. Acabou dando espaço atrás e sofreu mais um gol aos 49 minutos: Hernane recebeu o toque na área e finalizou no canto para fechar o placar em 2 a 0 e dar início à festa do tricampeonato da Copa do Brasil do Flamengo.
FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 0 ATLÉTICO
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).
Data: 27 de novembro de 2013.
Horário: 21h50.
Flamengo: Felipe; Léo Moura (González), Samir, Wallace e André Santos; Amaral, Luiz Antônio, Elias (João Paulo) e Carlos Eduardo (Diego Silva); Paulinho e Hernane.
Técnico: Jayme de Almeida.
Atlético: Weverton; Juninho (Cleberson), Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; Deivid, Zezinho, Felipe (Dellatorre) e Paulo Baier; Marcelo e Ederson (Ciro).
Técnico: Vagner Mancini.
Público total: 68.857 pessoas.
Renda: R$ 9.733.785,00.
Cartões amarelos: Samir (FLA). Dellatorre (CAP).
Cartões vermelhos: André Santos (FLA). Ciro (CAP).
Gols: Elias (FLA), aos 42 minutos, e Hernane (FLA), aos 49 minutos do segundo tempo.

Jovem de Colombo participa de competição nacional de tênis adaptado


WEBMASTER 27 DE NOVEMBRO DE 2013

Osvaldo Klehm conquistou o 8º lugar no Campeonato Brasileiro realizado em São Paulo

Osvaldo Klehm participou do Campeonato Brasileiro de Tênis de quadra, na categoria cadeirantes, com mais 15 atletas de todo o País
Osvaldo Klehm participou do Campeonato Brasileiro de Tênis de quadra, na categoria cadeirantes, com mais 15 atletas de todo o País
O jovem colombense Osvaldo Klehm de 21 anos, participou do Campeonato Brasileiro de Tênis de quadra, na categoria cadeirantes. O evento, que aconteceu em São Paulo, neste mês de novembro, contou com a participação de 16 jovens de todo o País.
Osvaldo possui uma limitação nos pés que impede que ele participe das competições na modalidade regular, por isso utiliza a cadeira de rodas. Ele, que treina há dois meses e já conseguiu a 8ª colocação na categoria, destaca o apoio do município na sua vitória. “Desde a passagem até o uniforme tive apoio do departamento de Esportes da Prefeitura, que mostrou estar empenhada em incentivar as práticas esportivas em Colombo”, conta o atleta.
Incentivado pela Prefeitura de Colombo, morador da cidade, foi destaque na competição, conquistando o 8º lugar
Incentivado pela Prefeitura de Colombo, morador da cidade, foi destaque na competição, conquistando o 8º lugar
O chefe do departamento de Esportes, Jomir Claiton Pacheco, afirma que esse incentivo é um dos principais objetivos do setor. “Descobrir novos talentos e promover o esporte na cidade é o que buscamos no departamento, através dos projetos e programas que estamos desenvolvendo. E o resultado do Osvaldo é muito gratificante e nos dá mais vontade em incentivar a prática esportiva, independente de limitações físicas”, explica.
O atleta faz questão de destacar o papel fundamental das treinadoras: Carla Neres e Melissa Muller, as quais é muito grato.
Fotos: Divulgação
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br