Ladrões invadem residência, chamam morador de ‘vagabundo’, mas choram no final


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


Dois ladrões armados, um de 18 anos e outro de 17, foram detidos por policiais militares do serviço reservado (a paisana) após assaltarem uma residência na Rua Gustavo Schier, no bairro Novo Mundo, em Curitiba. O dono da casa e um vidraceiro foram mantidos reféns durante a ação criminosa, que aconteceu na tarde desta quinta-feira (12).
O que revoltou o delegado Ricardo Monteiro, de plantão no Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, foi que os ladrões só se referiam ao vidraceiro como vagabundo, mesmo após terem sido presos. “Choravam ao serem detidos e chamavam o vidraceiro de vagabundo, o que é um absurdo. Vagabundos são eles”, esbravejou o policial civil.
Os suspeitos foram detidos no momento em que colocavam objetos da residência dentro do carro do vidraceiro. “Os policiais suspeitaram e fizeram a abordagem. Tudo foi recuperado e a arma usada no crime apreendida. O maior está aqui no Ciac-Sul e o adolescente foi levado à delegacia especializada”, descreveu o delegado.

Cabo da PM de folga em supermercado tenta evitar assalto e é morto por bandido


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


O cabo da Polícia Militar David Martins, que recentemente tinha conseguido a aposentadoria, morreu durante um confronto com um suspeito em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, no final da manhã desta sexta-feira (13). Ele estava fazendo compras em um supermercado e viu o marginal tentando roubar o carro de uma funcionária. Para salvá-la, o policial deu voz de abordagem e o suspeito não respeitou, atirou várias vezes. O policial morreu e o suspeito foi baleado na perna durante a troca de tiros.
carro
Marca dos tiros no carro da funcionária do mercado (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)
Após o tiroteio o assaltante, mesmo ferido, andou algumas quadras e roubou uma Gol geração 6. Ele fugiu pela Linha Verde sentido Curitiba, onde foi preso por policiais militares. Já o cabo foi socorrido pelo Siate do Corpo de Bombeiros, mas morreu no Hospital Municipal de Araucária.
A funcionária abordada pelo marginal afirmou àBanda B que viu a morte de perto. “Eu achei que morreria. Os dois trocaram tiros e infelizmente o cabo não resistiu. Foi um momento de muita tensão, eu estava indo em direção ao meu carro Corsa quando fui abordada pelo bandido”, descreveu a vítima.
O suspeito será encaminhado à Delegacia de Araucária. Companheiros de farda do cabo Martins afirmaram que recentemente a vítima se aposentou e estava muito feliz, por ter passado por várias ocorrências policiais sem nunca ter sido ferido.

Trinta operários da Arena do Atlético-PR cruzam os braços porque ainda estão sem receber


Denise Mello e Luiz Henrique Oliveira

Cerca de 30 operários de duas empreiteiras terceirizadas da Cap S/A estão parados na frente da Arena do Atlético-PR na manhã desta sexta-feira (13) em protesto contra a falta de pagamento. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil (Sintracon) após a última paralisação no início da semana, cerca de 220 trabalhadores receberam o salário de novembro atrasado, mas um grupo ainda não recebeu. “São pelo menos 30 operários que estão sem ter como pagar aluguel, comprar comida e passando por necessidades. Duas empreiteiras ainda não pagaram e vamos agora ao Ministério do trabalho exigir uma providência”, afirmou o representante do Sintracon, José de Oliveira Lima.
Segundo ele, as obras na Arena seguem normalmente porque todos os outros funcionários receberam e estão trabalhando. “mas não é justo que só esses 30 profissionais fiquem sem receber. São pedreiros, carpinteiros, armadores e servente de braços cruzados até que o pagamento seja feito”, completou Lima.
Até o momento, ninguém da Cap S/A, empresa com propósito específico criada pelo Atlético Paranaense para administrar as obras da Arena da Baixada, se manifestou sobre o atraso no pagamento das duas empreiteiras terceirizadas.Na terça-feira (10), cerca de 250 trabalhadores cruzaram os braços por atraso nos salários, mas a maioria recebeu no dia seguinte.
Na quarta-feira (11), em nota, o presidente do Atlético, Mario Celso Petraglia, informou que a Cap S/A, a Prefeitura Municipal de Curitiba e o Governo do Estado do Paraná ratificaram e formalizaram naquele dia, as condições do terceiro contrato de financiamento mediante abertura de crédito perante a Fomento Paraná para a conclusão das obras de reforma, ampliação e modernização da Arena da Baixada para os jogos da Copa do Mundo de 2014.
“A Cap S/A e o Clube Atlético Paranaense agradecem a compreensão, a paciência e o entendimento de todos envolvidos no projeto, principalmente de seus funcionários, fornecedores e empreiteiros pela demora na quitação de alguns pagamentos durante este período”, disse.

Portuguesa admite erro, mas apelará por absolvição

O presidente eleito da Portuguesa, Ilídio Lico, admitiu nesta quinta-feira à Folha que o clube cometeu um erro ao escalar irregularmente o meia-atacante Héverton no jogo contra o Grêmio, no último domingo, pelo Brasileiro.
O cartola reiterou, porém, que não houve benefício para a equipe, e que esse será um argumento apresentado no julgamento do caso no STJD [Superior Tribunal de Justiça Desportiva], que ocorrerá na segunda-feira.
"Peço que os auditores tenham consciência humana, já que uma decisão pode complicar o ano da Portuguesa", afirmou nesta quinta. "Cometemos um erro sem premeditação, do qual não nos beneficiamos em nada. Jogar a Série B por conta disso seria uma pena severa demais."
Lico assumiria apenas no dia 2 de janeiro, em substituição a Manuel da Lupa, que já deixou o cargo. Mas teve de passar a dar as cartas devido à polêmica inesperada.
Héverton foi punido por dois jogos pelo STJD devido à expulsão contra o Bahia, no dia 23 de novembro. Cumpriu um, contra a Ponte Preta, e deveria se ausentar de outra partida --contra o Grêmio.
Mas entrou aos 32 min do segundo tempo no empate em 0 a 0 contra os gaúchos.
Rubens Cavallari-22.maio.2013/Folhapress
O meia-atacante Héverton, no centro de treinamento da Portuguesa
O meia-atacante Héverton, no centro de treinamento da Portuguesa
Caso o STJD opte pela condenação, o time paulista perderá quatro pontos --e somará 44, o que lhe dará o 17º lugar-- e livrará da segunda divisão o Fluminense --que terminará com 46, em 16º.
"Não tenho nada contra o Fluminense, mas é um clube que tem força na CBF e que entrou pela porta dos fundos em outros torneio", disse Lico, referindo-se às vezes em que o time carioca foi promovido à elite, em 1996 e 2000, sem obter a vaga no campo.
ROTINA
O imbróglio está na comunicação da sentença do julgamento que condenou Héverton, ocorrido há uma semana. A Portuguesa foi representada no STJD pelo advogado Osvaldo Sestário, que foi dispensado após a crise.
Ele disse que avisou ao vice-presidente jurídico do clube, Valdir Rocha, na sexta e no sábado sobre o gancho.
"Minha rotina foi normal. Ele me ligou para perguntar sobre um recurso relativo ao [atacante] Gilberto, e eu o informei sobre a suspensão do Héverton para o jogo do fim de semana", declarou Sestário, que trabalhava havia nove anos para a Portuguesa.
"Acho que o erro do clube se deve ao fato de eles estarem em transição agora."
Segundo ele, o clube sabia desde a terça-feira, dia 2, que Héverton seria julgado. "Isso estava na pauta do STJD".
Em sua defesa, a Portuguesa vai insistir que não recebeu a informação de Sestário. "Não é um julgamento técnico. É um julgamento político. Vai pesar a camisa", afirmou Orlando Carneiro de Barros, novo vice jurídico do clube.

PREFEITA BETI PAVIN PARTICIPA DO FECHAMENTO DO PROJETO "MÃOS A OBRA."

Prefeita Beti Pavin participou
 do fechamento do Projeto "Mãos na Horta" da Escola Rural Bortolo Cavassin, junto do Secretário do Meio Ambiente, Carlos Moretes e da Secretária da Educação, Aziolê Cavallari Pavin.
Lá estavam os alunos, seus pais e professores. O Projeto além de incentivar o gosto pela atividade da agricultura, ensina o trabalho em grupo e promove a integração entre a família e a escola. O que eles plantam, serão consumidos nas suas próprias refeições.

Parabéns a todos, pelo belo trabalho desenvolvido!

Novo Código Penal endurece pena para homicídio e rejeita aborto.

APESAR DA VOTAÇÃO DO RELATÓRIO SER NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA (17), EXPECTATIVA É QUE A DECISÃO DA MATÉRIA NO PLENÁRIO DO SENADO FIQUE PARA 2014.




Da redação
Fonte: Agência Brasil

Geral
O senador Pedro Taques (PDT-MT) apresentou na terça-feira (10) o relatório sobre a reforma do Código Penal Brasileiro (PLS 236/12). A proposta foi lida mas, diante da complexidade da matéria, um pedido coletivo de mais tempo para analisar o texto adiou para a próxima terça-feira (17) a votação da proposta na Comissão Especial de Reforma do Código Penal.
O texto torna mais dura, por exemplo, a pena para o crime de homicídio, que passa a ser 8 anos para os classificados como simples. Nesses casos, a ideia é que o condenado cumpra um quarto da pena em regime fechado para progredir para o regime semiaberto.
O relator decidiu não acatar sugestões polêmicas feitas por uma comissão de 11 juristas, presidida pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, como, por exemplo, a possibilidade de aborto até a 12ª semana de gestação nos casos em que a mulher apresentar incapacidade psicológica de arcar com a gravidez.
“Entendo que a Constituição defenda o direito à vida. Hoje, o nosso Código Penal já prevê a possibilidade de aborto quando há gravidez fruto de violação da dignidade sexual (estupro). Isso será mantido, mas não vamos flexibilizar mais. Vamos manter a legislação atual”, justifica o senador, que também incluiu na proposta a possibilidade de aborto no caso de fetos anencéfalos, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).
Outra sugestão dos juristas rejeitada por Pedro Taques foi a possibilidade de descriminalização do porte de entorpecentes quando a quantidade apreendida for suficiente para o consumo médio individual por cinco dias. Segundo o relator, em situações específicas, se o juiz entender que o cidadão é usuário, ele não aplicará a pena porque isso não configura crime. Para ele, a proposta dos juristas poderia aumentar ainda mais o uso de entorpecentes.
Segundo o senador, a proposta em discussão reduz o número de crimes previstos no código atual de 1.750 para 355. No projeto, de quase 500 páginas, há outras novidades, como a previsão da responsabilização penal de pessoas jurídicas; regras mais claras para progressão de regime; o aumento do rigor penal no combate aos crimes contra os animais; a tipificação do crime de terrorismo; reintrodução do crime de violação de domicílio e criminalização da doação eleitoral proibida. A questão da maioridade penal não foi tratada porque, segundo o relator, depende de mudança na Constituição.
“Este projeto não pode ser um de código de amigos e nem de inimigos. Tem que ser um código cidadão, um código da sociedade brasileira”, garantiu Taques. Apesar da votação do relatório na comissão na semana que vem, a expectativa é que a votação da matéria no plenário do Senado fique para 2014. Depois, o texto segue para a Câmara dos Deputados.
O relatório é resultado da análise de 804 emendas apresentadas pelos senadores e 140 projetos de lei que já tramitavam no Senado e foram anexados ao projeto.

Barreiras construídas no rio Formiga são levadas pela chuva.


COM A PRIMEIRA CHUVA DE MAIOR INTENSIDADE QUE CAIU ESSA SEMANA, AS BARREIRAS NAS PROXIMIDADES DAS PONTES DO ENGENHO DE SERRA, DOS TRÊS IRMÃOS, METRALHA E NESTLÉ RUÍRAM.




  • Barreira da ponte do Engenho de Serra  (Foto Glaudson Rodrigues)
Barreira da ponte do Engenho de Serra (Foto Glaudson Rodrigues)
Priscila Rocha

Locais
Há cerca de quatro meses, a Prefeitura construiu algumas e remendou outras barragens no leito do rio Formiga, mais precisamente, próximo às pontes do Engenho de Serra, dos Três Irmãos, Metralha e Nestlé.
Construídas ou reformadas de forma precária, em diversos pontos amontoaram terra (entulho) pedras e paus. Não se sabe ao certo, mas segundo pareceu, com elas se pretendia aumentar a altura dos restos de antigos cut-offs ali erguidos em uma das gestões do ex-prefeito Juarez Carvalho. Segundo informações obtidas junto ao secretário de Gestão Ambiental, Jorge Zaidam, os barramentos são importantes para evitar problemas nas fundações das pontes em virtude do aumento da velocidade das águas e o consequente afundamento da calha do rio.
Mesmo diante de tamanha importância, com a primeira chuva de maior intensidade que caiu essa semana, todas as barreiras ruíram em grande parte. O resultado foi que, o que restou das construções anteriores, bem mais sólidas e que foram parcialmente destruídas em função do desassoreamento, acabou descendo rio abaixo, espalhando um emaranhado de paus e pedras.
Tão logo a construção das barreiras, erguidas de forma mais que precária foi concluída, a redação do jornal Nova Imprensa entrou em contato com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura para questionar sobre as mesmas. Àquela época foi obtida seguinte resposta: "na verdade, o que está sendo feito é o reparo dos cut-offs que estavam danificados. Essa solução é provisória. Está sendo estudada uma solução definitiva".
Na prática, o resultado da ‘arapuca’ foi o represamento de lixo, galhos e outros detritos o que, também fez acumular um volume maior de material sólido (ou melhor, pastoso), trazido pelos esgotos, causando mau cheiro e espalhando para as margens um volume maior de água que, paradoxalmente, por correr com maior lentidão (a água ficou parada enquanto era estancada) facilitou a proliferação de insetos indesejáveis e a propagação do mau cheiro que incomoda a todos, mesmo a certa distância. Após o estrago causado pelas chuvas dessa semana a redação entrou em contato com a Prefeitura para saber como ficaria a situação do Rio Formiga e a resposta enviada pela Secretaria de Comunicação foi: “A Secretaria de Gestão Ambiental irá refazer os cut-offs assim que possível.”
A Prefeitura teve um gasto para construir o que chamou de “barreiras provisórias” e ainda precisará investir mais recursos para a elaboração e execução do projeto definitivo. Mas se o provisório sofrerá reparos após os danos sofridos nessa semana, mais dinheiro deve correr inutilmente por debaixo dessa ponte, que sabe se lá, terá mesmo cut-off s devidamente construídos e que executem da maneira adequada suas funções.

POLICIA PRENDE DEZ EM OPERAÇÃO CONTRA ROUBO DE CARROS.




     

São Paulo - A Polícia Civil de São Paulo prendeu dez pessoas nesta quinta-feira, 12, acusadas de participar de uma quadrilha especializada no roubo de veículos para desmanche na zona sul da capital paulista. Uma arma foi apreendida. Os detidos responderão por roubo, receptação e formação de quadrilha.
"A quadrilha era dividida entre os integrantes que roubavam os veículos, os que repassavam para os desmanches e os que vendiam as peças roubadas", disse o delegado Rubens Eduardo Barazal Teixeira, titular do 97º DP, responsável pelas investigações.
Após quatro meses de investigações, os policiais conseguiram recuperar dois veículos que estavam prontos para serem desmontados pela quadrilha em um local que funcionava como desmanche, na Avenida do Cursino. A equipe localizou, ainda, uma oficina na Rua dos Marapés, onde as peças dos veículos roubados eram vendidas. A Polícia Civil prossegue com as investigações.
Em junho deste ano, o governador Geraldo Alckmin enviou à Assembleia Legislativa um projeto de lei para acabar com o comércio ilegal de autopeças e contribuir para a queda nos roubos e furtos de veículos. Se aprovada, a lei obrigará os desmanches a se credenciarem junto à Secretaria da Fazenda e ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para comercializarem legalmente peças de veículos.

ADVOGADO DE CARTOMANTE PRESA EM CURITIBA PROMETE DEVOLVER O DINHEIRO.


Casal afirma ter levado golpe de R$ 380 mil em troca de serviços espirituais.
Segundo a Polícia Civil, os golpes aplicados por ela já passam de R$ 3 mi.

Do G1 PR, com informações da RPC TV
O advogado da cartomante Daniele Gaich, presa por ter aplicado um suposto golpe de R$ 380 mil contra um casal de Curitiba, afirmou nesta quinta-feira (12) que pretende devolver o dinheiro às vítimas. A cartomante e o marido dela permanecem presos desde o dia 19 de novembro, após a denúncia do casal contra a mulher.
A declaração do advogado Claudio Daledone foi feita enquanto ele falava sobre as duas pessoas que ainda estão foragidas. Segundo ele, em breve, elas devem se apresentar à polícia. “Essas pessoas estão produzindo a sua autodefesa e produzindo e fornecendo material para que os advogados, efetivamente, façam com que se apresentem e venham, inclusive, a devolver esses valores que foram pagos a título de consulta mediúnica”, afirma.

Conforme a Polícia Civil, o grupo também é investigado também por ter aplicado golpes em Toledo, no oeste do Paraná. Na cidade, estima-se que eles conseguiram mais de R$ 200 mil.
De acordo com o delegado Matheus Laiola, responsável pelas investigações, o golpe aplicado pela cartomante e o grupo que agia com ela já passa de R$ 3 milhões. Ele diz ainda que outras nove pessoas foram indiciadas em um segundo inquérito, aberto para investigar os golpes. “Elas teriam ligação de alguma maneira, seja trabalhando do mesmo jeito, seja com algum vínculo familiar”, diz.

TIO DO LÍDER NORTE-COREANO KIM É EXECUTADO COMO "TRAIDOR."



Jang Song-Tahek, de 67 anos, tio do líder norte-coreano Kim Jong-Un, foi executado como "traidor", informou nesta quinta-feira a agência oficial de notícias KCNA.
Jang Song-Tahek, de 67 anos, tio do líder norte-coreano Kim Jong-Un, foi executado como "traidor", informou nesta quinta-feira a agência oficial de notícias KCNA.
Jang Song-Tahek, de 67 anos, tio do líder norte-coreano Kim Jong-Un, foi executado como "traidor", informou nesta quinta-feira a agência oficial de notícias KCNA.
Jang foi executado nesta quinta, após um julgamento militar especial, revelou a agência, acrescentando que ele foi acusado de cometer crimes "como a tentativa de minar o Estado com todo tipo de intriga e métodos depreciáveis, e uma ambição selvagem por tomar o poder supremo do nosso Partido (Comunista, ou do Trabalho) e do Estado".
O regime acusou Jang de trair a confiança de Kim Jong-Un e a memória de seu pai, Kim Jong-Il - e em particular do primeiro, "por sua juventude".
No momento de sua detenção, Jang foi acusado de cometer "atos criminosos" e de liderar uma "facção contrarrevolucionária". Ele foi destituído de cargos e títulos por parte do bureau político do Comitê Central do Partido Comunista norte-coreano.
Jang, que era casado com a irmã do falecido Kim Jong- Il, teve um papel-chave na consolidação da liderança do inexperiente Kim, tornando-se uma espécie de "eminência parda" do regime.
Nos últimos dias, a Coreia do Norte está mergulhada em uma disputa política.

APÓS SER LIBERTADA, MÃE DE JOAQUIM PRESTA DEPOIMENTO.


Natália Ponte deixou a cadeia nessa quarta-feira, 11, após obter um habeas-corpus do Tribunal de Justiça de São Paulo



Após ser libertada, mãe de Joaquim presta depoimento
"Natália Ponte foi libertada nessa quarta-feira, 11"
Natália Ponte, mãe de Joaquim - menino de três anos encontrado morto em um rio no dia 10 de novembro -, voltou a ser ouvida pela Polícia Civil, menos de um dia após deixar a cadeia. Na tarde desta quinta-feira, 12, ela compareceu na DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto (SP), onde prestou depoimento por mais de três horas. Ela confirmou ao delegado que acredita que o padrasto do garoto, Guilherme Longo, seja responsável pelo crime.
Novamente ela não quis falar com a imprensa. Seu advogado, Cássio Alberto Ferreira, diz que sua cliente é a pessoa mais interessada em esclarecer rapidamente a morte do filho e, apesar de não informar o que foi dito à polícia, afirmou que ela manteve o que já vinha falando, acreditando que o companheiro possa ter matado o menino.
A psicóloga de 29 anos deixou a cadeia após obter um habeas-corpus do Tribunal de Justiça de São Paulo. O TJ considerou que ela está colaborando com as investigações, além de ter um filho de quatro meses que necessita de seus cuidados. Após ser solta no final da tarde desta quarta-feira, 11, Natália foi levada para a casa de parentes em local não revelado por medida de segurança. Ela estava presa desde o dia 10 de novembro, quando o corpo da criança foi encontrado.
Guilherme foi preso na mesma data, mas, com base no recurso que colocou a psicóloga na rua, ele também pode ganhar a liberdade. Essa tese é defendida por seu advogado, Antônio Carlos de Oliveira, que encaminhou ao Tribunal de Justiça de São Paulo solicitação para que estenda a Guilherme o benefício concedido à Natália. O pedido foi protocolado na tarde desta quarta, após a Justiça negar um agravo regimental com a mesma finalidade. Para o defensor, a fundamentação para soltar Natália foi genérica. "Então os mesmos motivos também servem para o meu cliente", argumenta.
Investigação. Joaquim Ponte Marques, de 3 anos, desapareceu de sua casa em Ribeirão Preto no dia 5 de novembro e seu corpo foi localizado no Rio Pardo, em Barretos, cinco dias depois. A Polícia Civil trabalhava com a hipótese de que a criança, que fazia tratamento contra diabetes, tivesse sido morta com uma dose excessiva de insulina.
Uma embalagem com 30 unidades do medicamento desapareceu, mas Guilherme Longo alega que injetou a substância nele mesmo durante uma crise de abstinência de cocaína. Nesta quinta, 12, a polícia ouviu o depoimento de um homem que diz ter sido agredido pelo padrasto de Joaquim. Guilherme já havia sido definido como agressivo por sua própria irmã em depoimento na semana passada.

POLICIAIS SERÃO ACUSADOS POR MORTE DE ESTUDANTE BRASILEIRO NA AUSTRÁLIA.


Promotoria diz que existem provas suficientes para acusá-los.
Roberto Curti morreu após receber disparos de armas de choque (taser).

Agencia EFE

A Comissão de Integridade da Polícia da Austrália anunciou nesta sexta-feira (13) que vai acusar quatro policiais envolvidos na morte do estudante brasileiro, Roberto Laudisio Curti, por disparos de armas de choques elétricos (taser), após uma perseguição em Sydney em março de 2012.
Roberto Laudisio Curti, de 21 anos, morto pela polícia de Sydney (Foto: Reprodução/TV Globo)Roberto Laudisio Curti, de 21 anos, morto pela
polícia de Sydney (Foto: Reprodução/TV Globo)
A comissão policial informou que nos próximos dias acusará os agentes Eric Lim e Damien Ralph por agressão, e Scott Edmondson e Daniel Barling por agressão com o agravante de lesão corporal, segundo a emissora local 'ABC'.
A decisão foi tomada depois que a promotoria do estado de Nova Gales do Sul recomendou o indiciamento dos agentes por considerar que existem provas suficientes para acusá-los, após uma avaliação de um relatório da própria comissão policial.
Roberto morreu após ter recebido 14 disparos de armas de choque (Taser) durante uma perseguição que envolveu vários policiais, pouco depois de a polícia ter recebido uma denúncia de que um jovem havia roubado dois pacotes de biscoito em uma loja de conveniências no centro de Sydney.
Antes do incidente, o estudante brasileiro de 21 anos tinha sofrido um surto psicótico e estava descontrolado pelo centro da cidade após o uso da droga LSD.
Um relatório médico sobre a morte de Roberto determinou em novembro de 2012 que os agentes agiram de forma brutal, imprudente e perigosa ao deter um jovem utilizando armas de choque e spray de pimenta.
Outro relatório do escritório da Defensoria Pública de Nova Gales do Sul, divulgado em fevereiro, criticou a investigação da morte de Roberto por não ter identificado, nem abordado adequadamente a suposta negligência policial.
As pistolas de choques elétricos, que causam descargas de 400 volts, são utilizadas pelas forças de segurança em países como Austrália, Reino Unido e Estados Unidos para render um possível agressor em situações que não justifiquem o uso de armas letais.
No entanto, organizações como a Anistia Internacional denunciam que os 'tasers' já causaram dezenas de mortes e também podem ser utilizados como uma forma de tortura
.

Medicamento TACROLIMO usado pelo SUS em transplantados será produzido com matéria-prima nacional


Da Agência Brasil



O ministro da saúde, Alexandre Padilha, visitou hoje (12) os laboratórios da empresa Libbs Farmacêutica, que fabrica exclusivamente para o Sistema Único de Saúde (SUS) omedicamento tracolimo, usado para evitar a rejeição a órgãos transplantados como rim e fígado. A empresa, que antes usava alguns insumos importados na produção do remédio, vai começar, ainda este mês, a produzir o tracolimo com matéria-prima nacional.
O medicamento, lançado em 2012, beneficia mais de 25 mil pacientes que receberam transplantes e vão depender do tracolimo pelo resto da vida. A fabricação é feita por meio de Parceira para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
O acordo prevê a distribuição de 30 milhões de unidades do medicamento por meio do SUS. “A gente utiliza a capacidade de compras do ministério, ou seja, aquilo que o ministério pode comprar para ofertar para o SUS, para não só comprar o produto, mas estimular o desenvolvimento, a inovação tecnológica e a produção aqui no Brasil”, explicou Padilha.
A produção totalmente brasileira do medicamento vai trazer uma economia de R$ 250 milhões aos cofres públicos, em um período de cinco anos, além de outros benefícios. “Ter que importar um medicamento como o tracolimo pode levar uma certa insegurança para os pacientes, porque isso significa ficar dois ou três meses no transporte. Às vezes, chega aqui no Brasil em condições não adequadas e a Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] não pode permitir a entrega do medicamento. Então ele tem que retornar. E você não está oferecendo a possibilidade de gerar empregos de qualidade no país”, disse o ministro.
Os laboratórios públicos Butantan e Bahiafarma também firmaram a Parceira para o Desenvolvimento Produtivo com a Libbs para a construção de um complexo que produzirá medicamentos para o tratamento de câncer, artrite reumatoide e outras doenças autoimunes. O lançamento da pedra fundamental ocorreu hoje, na cidade de Embu das Artes, na Grande São Paulo.
“Marcamos o início de um plano de R$ 500 milhões para a produção nacional daquilo que é hoje conhecido como a última fronteira em ciência farmacêutica, que são os anticorpos monoclonais, produtos para o tratamento de diversos cânceres e doenças autoimunes de grande relevância econômica e social”, declarou o presidente executivo da Libbs, Alcebíades de Mendonça Athayde Júnior.

Jovem sem nenhum documento perde controle de carro e escapa sem nenhum arranhão


Por Marina Sequinel e Juliano Cunha
(Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

Uma cena assustou os moradores do bairro Cascatinha, em Curitiba, na tarde desta quinta-feira (12). Um carro Fiesta capotou e foi parar em um barranco na rua José Vale, atrás do Parque Tingui.
Segundo o soldado Welton da Polícia Militar (PM), um jovem de 19 anos perdeu o controle do carro em uma curva fechada. “Muitos motoristas não prestam atenção, acabam extrapolando e causando acidentes nesse trecho. Nesse caso, apesar da cena ser chocante, ninguém sofreu ferimentos graves”, disse à Banda B.
O detalhe é que o condutor do veículo, Maicon Rodrigues dos Santos, não tinha carteira de habilitação e nenhum outro tipo de documento. “Agora nós precisamos averiguar essa situação para tomar as providências cabíveis. Vamos começar procurando a certidão de nascimento do condutor”, completou o soldado.
O pai do rapaz, José Aparecido Santos, de 49 anos, e o outro ocupante do automóvel, identificado apenas como Amarildo, de 42,  foram encaminhados ao Hospital Evangélico com ferimentos leves. Já o motorista não se machucou. O Batalhão de Polícia de Trânsito deve ir ao local para atender a ocorrência.