Líder dos Black Blocs é encontrado morto em hotel em Florianópolis; três meses antes de morrer ele deixou uma carta


19 de dezembro de 2013
O líder dos grupos Black Blocs, Leonardo Aguiar Morelli, 53 anos, foi encontrado morto em um hotel do Centro de Florianópolis na última segunda-feira, dia 16. Morelli é dirigente da ONG Defensoria Social – que seria um dos braços de apoio dos Black Blocs - e auxiliava na coordenação do grupo no país. Seu corpo não apresentava sinais de violência e a causa da morte seria natural.
Ele havia chegado à Capital catarinense no sábado e estava prestes a voltar para Curitiba, onde morava.  Porém, funcionários do estabelecimento estranharam a sua demora em sair do quarto no horário do check out. Eles tentaram contato por telefone e, sem resposta, entraram no local. Foi quando o encontraram caído, já sem vida, entre duas camas de solteiro.
A morte dele só veio a público dois dias depois, na noite da última quarta-feira. Segundo o jornalista Altamir Andrade, amigo pessoal de Morelli, ele estava em Santa Catarina para tratar de causas ambientais que o incomodavam nos últimos meses.
Em setembro, quando também esteve no Estado, Morelli entregou a Altamir uma carta onde fazia graves denúncias contra uma empresa de Joinville, que estaria disponibilizando areia contaminada para a produção de concreto, saneamento básico e pavimentação – o que estaria causando câncer na população.
Preocupado com problemas de saúde e com as perseguições que sofria, ele teria pedido para o amigo guardar o documento e só divulgá-lo caso algo lhe acontecesse. A carta foi publicada na íntegra no blog de Altamir na noite de quarta.
Morelli e a empresa que ele denuncia no documento estavam brigando na Justiça: ela o teria processado por denúncias anteriores, sobre o mesmo motivo. A nova vinda ao Estado, no fim de semana, também teve relação com isso: ele estaria com reuniões marcadas para discutir o assunto. No dia que foi encontrado sem vida, Morelli trazia no bolso o cartão do advogado que o defendia na causa contra a empresa.
Leia a íntegra da carta deixada por Morelli:
O Estado Brasileiro é cúmplice de crimes continuados de violação de direitos fundamentais do povo. As vítimas, predominantemente de populações pobres, logo são esquecidas quando as sensacionalistas reportagens de apologia da tragédia começam a esvair-se. Joinville, SC, é um dos municípios brasileiros que há décadas suas terras vêm sendo contaminadas com o descarte criminoso de areias fenólicas de fundições, principalmente da Tupy e da Schulz. Agora, a fundição Tupy está me processando por causa das denúncias que temos feito, principalmente através do jornal O Vizinho, que também tem sido vítima da empresa.
No dia que estou em Joinville para a primeira audiência no Fórum da ação da Tupy contra mim, o Consema publica lei permitindo que as areias de fundição sejam usadas para obras de saneamento básico, pavimentação e produção de artefatos de cimento. Se no passado as fundições de Joinville doavam areias contaminadas à população e assim livraram-se de milhares de toneladas de passivo ambiental que contaminam quase toda a região, agora, com aval do Estado, estas areias continuarão a ser espalhadas por toda Santa Catarina. Mais um crime do Estado Catarinense financiado pela poderosa Tupy, considerando que uma empregada da empresa, a maior interessada em se livrar de passivo ambiental, foi quem liderou o estudo e seus resultados para o Consema. Essa resolução é inconstitucional e a Defensoria Social vai usar de todas as armas para derrubá-la.
As autorizações para reúso destas areias, inclusive as concedidas pela FATMA, também derivam de manobras das empresas junto à Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), entidade esta que é formada e mantida por empresas. A ABNT 10.004, por exemplo, sofreu uma alteração que excluiu a análise do fenol em alguns procedimentos de avaliação, desde a lixiviacão, especialmente para testes em laboratório. Tudo porque custa caro dar a destinação correta dos resíduos industriais gerados pelas fundições.
Enfrento um grave quadro de saúde, mas as ameaças e perseguições que venho sofrendo são mais perigosas. O livro “O Gigante Acuado” do jornalista Altamir Andrade conta uma parte da minha história que transcorre ao longo de quase duas décadas, desde que o então menor jornal do Brasil, O Vizinho, editado por ele, em Joinville, iniciou uma série de investigações jornalísticas sobre os crimes praticados pela Tupy, a maior fundição do mundo. Isto também lhe rendeu ameaças, pressões e um estrangulamento econômico, afinal essa é uma das armas mais eficientes para silenciar a imprensa e mutilar a liberdade de expressão.
Este caso de crime continuado da Tupy será um dos principais temas a serem levados pelos movimentos populares, comunitários e sindicais ao Tribunal Social Internacional (TSI) que se reunirá no Rio de Janeiro em 2016. Faremos um novo tempo com paz e sustentabilidade, mas sem tolerância à violência dos poderosos  e seus cultos ao descartável. Se eu não puder, peço ao jornalista Altamir Andrade e aos meus companheiros que continuem nossa luta.
Aproveitamos para reafirmar que em solenidade pública realizada no dia 10 de dezembro de 2012 (Dia Internacional dos Direitos Humanos) na Câmara de Vereadores de Joinville, o jornalista Altamir Andrade, eleito em 2011, pela ONU, “Parceiro da Paz e da Sustentabilidade”, foi empossado Procurador Regional Sul da Defensoria Social.
A DEFENSORIA SOCIAL, Seção Brasileira da Agência Latinoamericana para el Desarrollo Sostenible (ALADES.ORG) é um colegiado de instituições  de caráter ecumênico, fundada em 2004 como GESTO CONCRETO da Campanha da Fraternidade, com apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Conselho Nacional das Igrejas Cristãs no Brasil (CONIC), dedicada à defesa da sociedade em demandas sociais e coletivas, em prol da PAZ e SUSTENTABILIDADE como direitos fundamentais das presentes e futuras gerações, tendo em seu Conselho Deliberativo com sede em Brasília – DF, representantes do Ministério Público Federal, Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e o Patrimônio Histórico da Polícia Federal, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Cáritas Brasileira e Movimento GRITO DAS ÁGUAS.
Com uma estrutura similar à dos Ministérios Públicos mantém uma Procuradoria Geral com sede em Curitiba – PR e Procuradorias Regionais em todas as regiões do país, inclusive no sul do país, bem como Delegacias (estaduais e locais) que atuam com foco na proteção de biomas naturais ameaçados, recebendo denúncias, instaurando procedimentos investigatórios, realizando perícias de forma a dar o melhor encaminhamento possível nas esferas administrativas e judiciárias em instâncias locais, regionais, nacionais e internacionais tendo como fundamento para sua ação a promoção da CIDADANIA ATIVA como ferramenta para a conquista da JUSTIÇA SOCIAl e AMBIENTAL.
Respeitosamente,
Leonardo Aguiar Morelli – Secretário Geral da Defensoria Social
As informações são do Diário Catarinense.

Casal de adolescentes que usava máscara do V de Vingança para assaltar é apreendido


Da Redação


MASCARA
Material apreendido com os adolescentes (Foto: Divulgação)
Um casal de namorados, ele com 16 anos e ela com 14, foi apreendido pela Guarda Municipal de Araucária na região central do município da região metropolitana de Curitiba. O fato aconteceu por volta das 22h desta quarta-feira (18) e os pombinhos, apesar da pouca idade, eram truculentos e usavam um revólver calibre 32 paraassaltar pedestres.
De acordo com o guarda municipal Heinz, além da arma apreendida também foi encontrada com o casal uma máscara do personagem V de Vingança, que era usada por manifestantes durante o período em que as ruas do país foram tomadas por estudantes que pediam a redução na tarifa de ônibus, dentre outras coisas.
“Nossa viatura estava em patrulhamento quando localizou o casal. Eles são moradores no Jardim Tropica e agora terão que se explicar, já que podem ter realizado vários assaltos na região central. Ainda adolescentes, mas já envolvidos com a criminalidade”, afirmou à Banda B.

Assaltantes de estação-tubo tentam fugir, mas acabam presos pela Guarda Municipal


Por Felipe Ribeiro e Luiz Henrique de Oliveira

Dois assaltantes foram presos na tarde desta quinta-feira (19) após roubarem a estação-tubo Vila Nova, na Avenida Presidente Affonso Camargo, próximo do limite do bairro Capão da Imbuia, em Curitiba, com o município de Pinhais.
De acordo com o guarda municipal Deufrates, eles estavam em patrulhamento pela região, quando o cobrador do tubo avisou a viatura do roubo. “Iniciamos buscas e encontramos essas duas pessoas, de 31 e 35 anos com os R$ 45 do roubo. No momento da prisão, eles estavam desarmados, mas o cobrador disse que eles estavam com facas”, disse.
Eles foram encaminhados ao 6° Distrito da Polícia Civil para responder pelo roubo.

Menino de quatro anos morre após ser atropelado por caminhão da coleta de lixo


Por Marina Sequinel e Juliano Cunha
acidente-cinco-anos-191213-bandab
Falta de atenção teria causado o acidente. (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

Uma tragédia chocou quem passava pela Rodovia dos Minérios no início da tarde desta quinta-feira (19). Uma idosa atravessava a estrada com uma criança de quatro anos quando foiatropelada por um caminhão da coleta de lixo. O acidente aconteceu em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba.
acidente-fora-191213-bandab
(Foto: Juliano Cunha – Banda B)
O coordenador técnico da Defesa Civil, Domingos, afirmou que relatos das testemunhas indicam que o atropelamento teria sido causado devido a falta de atenção da idosa. “Populares disseram que a senhora atravessava a estrada e, quando viu o caminhão, ela se assustou e não conseguiu desviar do caminho”, contou à Banda B.
Com o impacto, o menino que estava com ela não resistiu e morreu na hora. A idosa sofreu escoriações leves nos braços e foi encaminhada ao hospital. Segundo Domingos, após o acidente, o motorista do caminhão e os trabalhadores que estavam com ele pararam para socorrer as vítimas. “Eles estavam muito chocados. Foi um fato lamentável”, relatou.
O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

Sou inocente', diz acusado pelo irmão de furtar prêmio da Mega-Sena


Apostador de Ribeirão Preto, SP, diz ter sido furtado pelo próprio irmão.
Polícia quer imagens gravadas pela câmera da lotérica onde foi feito jogo.


"Em nenhum momento peguei este prêmio. Sou inocente". A defesa é do homem acusado pelo próprio irmão de ter furtado um bilhete premiado de R$ 7,8 milhões da Mega-Sena, em Ribeirão Preto (SP). A Polícia Civil apura o caso e pediu à Justiça autorização para acessar as imagens gravadas pela câmera da lotérica, onde foi feita a aposta que ganhou o prêmio.
A Caixa Econômica Federal (CEF) informou que o dinheiro já foi sacado pelo ganhador, mas por medida de segurança não revela sua identidade.
O homem, que prefere não se identificar, disse que não sabe o motivo da acusação do irmão. Ele afirmou ainda que é honesto e contou que os dois sempre tiveram desavenças. "Estão acabando com a minha vida. Não sei por que ele está me acusando, deve ser um problema de cabeça dele. A gente sempre teve desavenças, mas não para chegar nesta proporção. Eu nunca pegaria esse dinheiro, sou uma pessoa de bem. A minha consciência está limpa", relatou o rapaz, que disse estar recebendo diariamente mensagens do irmão com ameaças pelo celular.

O advogado Rafael Rosário Ponce, que representa o irmão que afirma ser o verdadeiro dono do prêmio, disse que o seu cliente não confirma as informações dadas pelo delegado. "Para mim, o meu cliente não alega que foi o próprio irmão que furtou o bilhete. Até porque nas declarações iniciais na delegacia ele não acusou ninguém. Ele levantou essas informações e passou ao delegado de que supostamente teria sido o irmão. Isso, entretanto, precisa ser apurado", comentou
A história chegou ao conhecimento da polícia depois que o suposto ganhador, de 40 anos, registrou, no dia 4 de novembro, um termo circunstanciado no 6º Distrito Policial de Ribeirão, comunicando que o bilhete premiado tinha sido extraviado. Dias depois, segundo o delegado Samuel Zanferdini, o rapaz informou que o próprio irmão teria levado o documento de dentro de sua casa. A suspeita foi levantada dois meses depois do sorteio, realizado em 14 de setembro e que teve um ganhador de Ribeirão e outro de Guarulhos (SP).

O delegado disse que ainda aguarda uma posição da CEF sobre o assunto para dar continuidade ao inquérito. "Ouvi as pessoas envolvidas e oficiamos a Caixa para saber se esse prêmio foi mesmo retirado pelo ganhador. Não tivemos retorno ainda. Precisamos saber quem foi que retirou. Pedimos as imagens das câmeras da lotérica para fazer a identificação de quem fez essa aposta e quem retirou", comentou Zanferdini.

Motorista envolvido no acidente que matou PM paga fiança e está em liberdade


19 de dezembro de 2013
O rapaz de 20 anos, que dirigia alcoolizado no acidente que causou a morte de um Policial Militar e deixou outro gravemente ferido, pagou fiança de R$ 10 mil e foi colocado em liberdade na tarde de ontem (18). O acidente aconteceu no Contorno Norte, na grande Curitiba no domingo de manha.
O jovem foi autuado em flagrante por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e lesão corporal grave.

Rodoviária receberá 128 mil passageiros e terá operação especial de fim de ano


18 de dezembro de 2013
Cerca de 128 mil pessoas devem deixar Curitiba entre os dias 19 e 24 de dezembro, em 4.170 ônibus pela rodoferroviária, que está em obras. Para evitar transtornos, a Prefeitura da capital organizou um esquema, que prevê mudanças de operação no terminal e nas ruas ao redor.
rodoviariaNesse período, todos os desembarques de passageiros serão feitos, exclusivamente no bloco novo que fica ao lado da ala estadual bloqueada para reforma, com oito plataformas, enquanto as 24 plataformas da ala interestadual, da frente, já reformada, serão utilizadas exclusivamente para embarques.
Durante todo o período de movimento – que antecede o Natal e se estende até depois do Ano Novo -, fiscais da Urbs e agentes da Setran orientam os passageiros e demais usuários, auxiliados por faixas estrategicamente espalhadas nas ruas próximas e em volta do terminal.

Destino mais procurado pelos viajantes de ônibus é o interior do estado

As cidades do interior do Paraná são as mais procuradas para compra dos bilhetes, nos guichês das empresas que fazem linhas estaduais, saindo da rodoferroviária de Curitiba. Perto de 42% dos bilhetes são para este destino, enquanto outros 20% dos viajantes seguirão às cidades litorâneas do Paraná.
Amanhã 500 ônibus e 15.500 passageiros devem deixar a capital. Na sexta-feira, o número aumenta. 830 veículos, transportando 25,5 mil  viajantes partem da rodoferroviária e o maior movimento no terminal é esperado para sábado, quando 910 ônibus saem da rodoviária, com 28 mil passageiros. No domingo, a estimativa é de que 620 ônibus saiam com 19,2 mil usuários.
Na segunda-feira, antevéspera de Natal, de acordo com a previsão, 830 ônibus transportando 25,6 mil pessoas devem seguir viagem e no dia 24, véspera de Natal, 48 coletivos, com 14,2 mil passageiros.
Outros destinos bastante procurados são o litoral de Santa Catarina, a capital paulista e uma parte segue de ônibus para o estado do Rio Grande do Sul.

Dez torcedores do Atlético serão transferidos para presídio em Joinville; no Rio só um foi preso

Dez torcedores do Atlético serão transferidos para presídio em Joinville; no Rio só um foi preso


Torcedor preso durante a Operação – Foto: Antonio Nascimento/Banda B

Por Denise Mello e Antonio Nascimento

Os dez torcedores do Atlético Paranaense, presos na Operação Cartão Vermelho deflagrada na manhã desta quinta-feira (19) pelas Polícias do Paraná, Santa Catarina e do Rio de Janeiro, serão levados para o presídio de Joinville (SC) ainda hoje. A informação foi repassada à imprensa pelo delegado Clovis Galvão, da Delegacia de Futebol e Eventos (Demafe), em entrevista coletiva. Eles estão com prisão decretada pela Justiça. Outros seis atleticanos são considerados foragidos. Todos participaram do confronto durante o jogo do Atlético e Vasco, na Arena Joinville, no dia 8 de dezembro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Quatro torcedores ficaram feridos.
Os dez presos são: o ex-vereador Juliano Borghetti, Diony Eduardo Carneiro Milleo; Salatiel Dias Lima;  Estevan Vieira da Silva; Marcio José Pondelek;  Thiago Cardozo Salvadori;  Rafael Enrique Marçal; Guilherme dos Santos; Gabriel Almeida Ziener e Willian Batista. Este último é o torcedor que aparece na maca sendo carregado de helicóptero após o confronto.
Mandados de prisão também estão sendo cumpridos em Santa Catarina (Blumenau e Joinville) e no Rio de Janeiro. No estado catarinense, dois torcedores foram presos, sendo um do Atlético e outro do Vasco. Já no Rio de Janeiro, até às 11h30, dos nove mandados de prisão contra torcedores do Vasco, apenas um havia sido cumprido.
Os torcedores estão sendo acusados de associação ao crime, prática ou incitação à violência e danos ao patrimônio público. “Os crimes são esses, mas se, ao longo das investigações, comprovarmos que algum desses torcedores participou de espancamento, também será acusado de tentativa de homicídio”, informou Galvão.
Defesa
O advogado de defesa de sete dos dez presos, Aroldo César Natter, disse na Demafe que as prisões foram ilegais e vai entrar com pedido de habeas corpus para seus clientes. “Foram prisões ilegais e descabidas. A tipificação do crime é envolvimento em racha e não as acusações alegadas. Eles deveriam responder a processo em liberdade. Já estou indo até o Tribunal de Santa Catarina, em Florianópolis, para entrar com pedido de habeas corpus para cada um dos meus clientes”, informou.
O advogado do ex-vereador Juliano Broghetti, Caio Forte Mateus, disse que primeiro vai se informar sobre o mandado e depois vai se pronunciar. “Vamos primeiro analisar as acusações para depois decidirmos as medidas cabíveis”, disse.
Prisões
A operação “Cartão Vermelho”, tem como objetivo prender torcedores que participaram do violento confronto com a torcida do Vasco no último dia 8, na Arena Joinville, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.
Entre os locais que a polícia se encaminhou nesta manhã para cumprir os mandados de prisão, estava a sede da torcida organizada do Atlético “Os Fanáticos”, no Rebouças. Apenas uma pessoa foi detida no local, mas em seguida liberada porque, apesar de ter ido ao jogo, não havia mandado de prisão contra o jovem.
A Polícia do Paraná já identificou 28 torcedores que aparecem no confronto em fotos e imagens. Com base nessa lista é que a Justiça acatou os pedidos de prisão feitos pelo delegado de Joinville, Paulo Reis.
Ontem (18), a Justiça negou os pedidos de liberdade provisória dos três torcedores do vasco presos no dia do jogo. Leone Mendes da Silva, de 23 anos, Arthur Barcelos de Lima Ferreira, 26, e Jonathan Santos, 29, foram presos em flagrante e acabaram indiciados por tentativa de homicídio, associação ao crime e incitação à violência. Apesar dos bons antecedentes, a juíza Karen Schubert Reimer disse na sentença que “é conveniente a segregação dos acusados para manutenção da ordem pública”.

COLOMBO, ESTÁ EM OBRAS






Nossa reportagem esteve percorrendo várias regiões de Colombo e constatou que existem obras em quase todos os bairros. Hoje pela manhã a Rua Maringá no Guaraituba parou para assistir vários caminhões descarregando manilhas para o inicio das obras de contenção de enchentes.  Quero aqui registrar que a nossa prefeita Beti Pavin e o Secretário de Obras João Maria  disseram a nossa equipe que cidade está se preparando para receber as chuvas de verão.  A prefeita disse que isso é apenas o começo e que todas as regiões de Colombo irão receber melhoramentos.











Ex-vereador Juliano Borghetti que participou da confusão na Arena tem prisão decretada e é considerado foragido


juliano fora
Foto cedida pela Gazeta do Povo
Por Denise Mello e Antonio Nascimento

O ex-superintendente da PR Projetos, antiga EcoParaná, e ex-vereador, Juliano Borghetti, teve a prisão decretada pela Justiça na Operação Cartão Vermelho, promovida pelas Polícias do PR, SC e Rio de Janeiro na manhã desta quinta-feira (19). Policiais foram até a casa dele hoje e, como não foi encontrado, é considerado foragido. Borghetti participou do confronto na Arena Joinville no dia 8 de dezembro, que deixou quatro torcedores feridos.
Horas depois, chegou a informação na delegacia que os policiais teriam ido até a casa errada. Em nota oficial à imprensa, Borghetti disse que não saiu do país, está em casa e vai se apresentar para prestar esclarecimentos.
“Refuto a informação de que estaria foragido e de que teria viajado para a Itália. Sempre estive à disposição das autoridades para esclarecer a minha participação no ocorrido”, diz Juliano na nota.
O escritório do advogado Claudio Dalledone, contrato por Borghetii,  informou ao delegado Clovis Galvão, da Demafe, que um representante vai buscar uma cópia do mandado na delegacia e, ainda hoje, o ex-vereador, deve se apresentar à polícia.
Flagrado em várias fotos participando da confusão, o ex-vereador pediu demissão do cargo no governo do Paraná dois dias depois da confusão. Na carta ao governador Beto Richa, Borghetti agradece à confiança depositada a ele no período em que ficou à frente da Ecoparaná e alega que o afastamento seria por questões pessoais.
Em nota à imprensa, Juliano Borghetti disse que frequenta jogos do Atlético-PR nos estádios há 30 anos. “Já estive em diversas cidades no Brasil e fora do país e nunca estive envolvido em nenhum episódio de violência. Foi uma atitude da qual me arrependo e por isso venho a público pedir desculpas. Reforço, porém, que não agredi ninguém, nem tampouco sofri qualquer agressão física na situação”, disse o ex-vereador.
Quando esteve na Câmara, Borghetti apresentou um projeto de lei, aprovado na Casa, que coloca que os clubes de futebol são responsáveis pela identificação dos torcedores na compra dos ingressos.

Pai faz cabeça de filho para matar amigo de infância e os dois concretizam plano; um foi preso


Da Redação com Polícia Civil


Policiais civis da Delegacia de Homicídios prenderam, na última quarta-feira (17), Paulo Cleberson Fogaça da Silva, 23 anos, acusado de matar seu amigo de infância, Thomas Taylor do Nascimento, 23 anos. Paulo César da Silva, 45 anos, pai de Cleberson, também participou do crime e segue foragido.
suspeito
Suspeito foi convencido pelo pai a matar amigo de infância (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)
Segundo o delegado Danilo Zarlenga, da DH, autor e vítima se conheciam desde a época de colégio. Depois de adultos, mantiveram a relação de amizade e ingressaram juntos no mundo do crime, praticando crimes de roubo e traficando drogas. “A vítima chegou inclusive a ser presa e quando foi solta voltou ao círculo de amizade do autor. Ambos desfilavam pelas ruas da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) botando medo nas pessoas, pois todos sabiam que eles era criminosos”, contou Zarlenga.
Em uma festa, regada a muita bebida, os dois amigos acabaram se desentendendo e Nascimento acabou agredindo a mulher de Cleberson. Houve uma pequena confusão, mas logo em seguida eles reataram a amizade. “Aí entra o pai na história. Silva começou a cobrar do filho, dizendo que aquilo não poderia ficar assim, que Nascimento tinha agredido a mulher dele e ele tinha que matá-lo”, explicou o delegado.
No dia 11 de agosto, pai e filho estavam na Rua Oscar Sanches Monteiro, na CIC, quando avistaram Nascimento. “O pai atropelou o homem e o filho saiu do carro e disparou três vezes contra ele, matando-o com um tiro nas costas e dois na cabeça”, contou Zarlenga.
A prisão de Cleberson aconteceu após os policiais da DH fazerem campanas na CIC. “Depois do crime ele não havia mais voltado no bairro. Quando voltou, nós o prendemos”, disse Zarlenga.

Polícias de SC, RJ e PR cumprem mandados de prisão na sede da torcida organizada “Os Fanáticos”


Por Denise Mello e Antonio Nasciment
atleticano
Torcedor foi encaminhado à Demafe (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

As Polícias Civis do Paraná, Santa Catarina e do Rio de Janeiro cumprem no início da manhã desta quinta-feira (19), 16 mandados de prisão e um de busca e apreensão na sede da torcida organizada “Os Fanáticos, do Atlético Paranaense. Também estão sendo cumpridos pelo menos mais 20 mandados de prisão no estado catarinense e no Rio. A operação, batizada de “Cartão Vermelho”, tem como objetivo prender torcedores que participaram do violento confronto com a torcida do Vasco no último dia 8, na Arena Joinville, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.
Até às 9 horas,  um torcedor havia sido detido na sede da Fanáticos e outros nove foram presos em casa. Porém, na delegacia, o torcedor preso na sede da Fanáticos foi liberado porque, apesar de ter confirmado a presença no jogo em Joinville, não havia mandado de prisão contra ele. Os outros torcedores presos em casa permanecem presos.
A operação, que começou às 5 horas,  acontece na sede, localizada no bairro Rebouças, e também em outros endereços. Em Santa Catarina, há mandados sendo cumpridos em Joinville e Blumenau. Lá, dois torcedores já foram presos. No Rio de Janeiro, torcedores da torcida “Força Jovem” também estão com as prisões decretadas.
Segundo a polícia, o ex- superintendente da antiga Ecoparaná e ex-vereador de Curitiba Juliano Borghetti, também teve o mandado de prisão expedido e não foi encontrado. Ele é considerado foragido, mas informou em nota à imprensa que os policiais foram no endereço errado e deve se apresentar ainda hoje.
A Polícia do Paraná já identificou 28 torcedores que aparecem no confronto em fotos e imagens. Com base nessa lista é que a Justiça acatou os pedidos de prisão feitos pelo delegado de Joinville, Paulo Reis. As prisões no RJ e SC acontecem de forma simultânea também nesta manhã.
Ontem (18), a Justiça negou os pedidos de liberdade provisória dos três torcedores do vasco presos no dia do jogo. Leone Mendes da Silva, de 23 anos, Arthur Barcelos de Lima Ferreira, 26, e Jonathan Santos, 29, foram presos em flagrante e acabaram indiciados por tentativa de homicídio, associação ao crime e incitação da violência. Apesar dos bons antecedentes, a juíza Karen Schubert Reimer disse na sentença que “é conveniente a segregação dos acusados para manutenção da ordem pública”.
Mais informações devem ser divulgadas em ema entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira na sede da Demafe, em Curitiba.

Lei que autoriza PF investigar remédios falsificados é publicada no Diário Oficial


Da Agência Brasil

falsificacao-remedios-181213-bandab]
(Foto: Jehgas Perotto/Creative Commons)
Uma lei aprovada pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União de hoje (18), inclui a falsificação e a adulteração deremédios entre os crimes de repercussão interestadual ou internacional. Além ser investigado pela Polícia Civil, este tipo de prática ilícita será alvo também da Polícia Federal (PF).
A Lei 12.894 inclui a “falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais e venda, inclusive pela internet, depósito ou distribuição do produto falsificado, corrompido, adulterado ou alterado” entre os crimes que, por excederem à atuação das polícias estaduais, exige “repressão uniforme”.
A nova medida acrescenta um inciso à Lei 10.446 de 2002, que já previa o trabalho da PF na investigação de outros crimes de repercussão interestadual ou internacional como sequestro, cárcere privado, extorsão, formação de cartel, violações a direitos humanos ou furtos, roubos ou recepção de cargas, “sem prejuízo da responsabilidade de outros órgãos de segurança pública, em especial das polícias militares e civis dos estados”.

Jovem diz para guardas “ou eu ou vocês” e no dia seguinte é preso


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

Um jovem de 19 anos foi preso em flagrante na manhã desta quarta-feira (18) durante uma operação da Guarda Municipal de Curitiba na Vila das Torres, região do bairro Prado Velho.
De acordo com a Guarda, Rafael Parise foi abordado na manhã de ontem e com ele foi apreendida uma pistola 9 milímetros de uso restrito. Antes de conseguir fugir, ele teria ameaçado os guardas dizendo que “a Vila ficaria pequena demais para eles”.
Hoje, durante as buscas continuas para encontrar ele, o jovem acabou preso em flagrante já que as buscas não pararam desde o momento de sua fuga.
Ele foi encaminhado ao 2°Distrito Policial e fica à disposição da justiça.

Gaeco deflagra duas operações contra o tráfico; um policial civil e outro militar foram detidos




operacao gaeco1
Duas operações acontecem nesta quarta-feira – Foto: Antonio Nascimento/Banda B

Por Denise Mello e Antonio Nascimento

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)deflagrou duas operações nesta quarta-feira (18) para prender vários suspeitos de tráfico de drogas que atuam em Curitiba, região metropolitana e litoral do Paraná. A Operação Tatuquara visa cumprir vários mandados de prisão de traficantes, já a Operação Perfídia é mais abrangente e, segundo a assessoria do Ministério Público do Paraná (MP-PR) também tem relação com o tráfico de drogas. A assessoria confirmou, conforme a Banda B adiantou no início da manhã, que um policial civil aposentado há dois anos foi preso na Operação Perfídia. Ele foi detido em casa, no bairro Cajuru. Também está entre os detidos um soldado da Polícia Militar. Ao todo, até às 9 horas, doze pessoas foram presas.
As duas operações têm o apoio da Polícia Militar do Paraná. Cerca de 200 policiais participam das ações para cumprir mandados de prisão e pelo menos 29 mandados de busca e apreensão emitidos pela 12ª Vara da Justiça de Curitiba. Viaturas da ROTAM e da RONE chegam a todo momento à sede do Gaeco no bairro Ahú, em Curitiba.
No local, a Banda B flagrou a chegada de alguns detidos. Entre eles, estava um casal que foi preso com 830 gramas de crack. A prisão aconteceu na casa dos dois, no bairro Xaxim.
A assessoria do MP-PR disse que, por enquanto, são apenas essas informações que podem ser divulgadas.

Gaeco deflagra duas operações contra o tráfico; um policial civil e outro militar foram detidos




operacao gaeco1
Duas operações acontecem nesta quarta-feira – Foto: Antonio Nascimento/Banda B

Por Denise Mello e Antonio Nascimento

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco)deflagrou duas operações nesta quarta-feira (18) para prender vários suspeitos de tráfico de drogas que atuam em Curitiba, região metropolitana e litoral do Paraná. A Operação Tatuquara visa cumprir vários mandados de prisão de traficantes, já a Operação Perfídia é mais abrangente e, segundo a assessoria do Ministério Público do Paraná (MP-PR) também tem relação com o tráfico de drogas. A assessoria confirmou, conforme a Banda B adiantou no início da manhã, que um policial civil aposentado há dois anos foi preso na Operação Perfídia. Ele foi detido em casa, no bairro Cajuru. Também está entre os detidos um soldado da Polícia Militar. Ao todo, até às 9 horas, doze pessoas foram presas.
As duas operações têm o apoio da Polícia Militar do Paraná. Cerca de 200 policiais participam das ações para cumprir mandados de prisão e pelo menos 29 mandados de busca e apreensão emitidos pela 12ª Vara da Justiça de Curitiba. Viaturas da ROTAM e da RONE chegam a todo momento à sede do Gaeco no bairro Ahú, em Curitiba.
No local, a Banda B flagrou a chegada de alguns detidos. Entre eles, estava um casal que foi preso com 830 gramas de crack. A prisão aconteceu na casa dos dois, no bairro Xaxim.
A assessoria do MP-PR disse que, por enquanto, são apenas essas informações que podem ser divulgadas.