André Vargas diz que provará inocência 'de cabeça erguida'


Pelo Twitter, deputado diz que prepara defesa junto ao Conselho de Ética.
Petista admitiu usar avião fretado por doleiro investigado por lavagem.




O deputado licenciado André Vargas (PT-PR) reafirmou nesta quinta-feira (10) não ter cometido qualquer ilegalidade em sua relação com o doleiro Alberto Youssef. Em mensagens publicadas no Twitter, ele disse que vai provar sua inocência "de cabeça erguida".
"Estou certo de que não cometi ato ilícito e vou provar isso, de cabeça erguida. Não traí a confiança que sempre mereci do povo do Paraná. (...) A imprensa está devassando minha vida, e vendo que não tenho nada a esconder. Meu patrimônio condiz com o salário de deputado", publicou Vargas na rede social.

O deputado petista, que admitiu ter usado um avião fretado por Youssef e foi flagrado trocandomensagens com o doleiro sobre um projeto no Ministério da Saúde, já enfrenta um processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara. Na útima segunda, ele pediu licença de 60 dias do mandato e na quarta, renunciou ao cargo de vice-presidente da Câmara.
Estou certo de que não cometi ato ilícito e vou provar isso, de cabeça erguida [...] Meu patrimônio condiz com o salário de deputado"
Em outra mensagem, ele afirmou estar em São Paulo, onde prepara a defesa que irá apresentar ao Conselho de Ética. Nesta quinta, o PT anunciou que uma comissão formada por membros de direção do partido irá ouvir explicações de Vargas sobre a relação dele com Alberto Youssef, preso numa operação da Polícia Federal que apura suposto esquema de lavagem de diinheiro.
"Não irei a Londrina esta semana; estou em São Paulo, cuidando da minha defesa junto ao Conselho de Ética. (...) Lamento que minha família e amigos estejam acossados por repórteres. O alvo sou eu, não eles. (...) Como já disse na tribuna, cometi um equívoco, lamento por isto e vou encarar tudo de frente", publicou Vargas.
Ainda no Twitter, André Vargas afirmou estar "triste" por ter exposto sua família e eleitorado, a quem, diz, "deve tudo". "Estou triste por ter exposto minha família e meu eleitorado, a quem devo tudo que sou.  Tenho uma história e vou defendê-la", publicou.

Ao
 G1, o líder do partido na Casa, deputado Vicentinho (SP), afirmou que os parlamentares deverão se reunir na próxima semana para indicar o nome que irá disputar a Vice-presidência. Segundo Henrique Alves, a vaga "é do PT", em função do critério de proporcionalidade - a legenda conta com 88 deputados.Vice-presidência

Nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou que aguarda o PT indicar o nome que irá substituir Vargas na Vice-presidência da Câmara e que espera colocar o nome em votação no plenário ainda neste mês.