Paraná cria 5.352 empregos com carteira assinada em agosto


O Paraná teve o segundo melhor desempenho da Região Sul na criação de empregos com carteira assinada no mês de agosto. O Estado teve um saldo de 5.352 empregos, o que representa um aumento de 0,19% em relação ao estoque de assalariados no mês de julho, segundo dados divulgados quinta-feira (11) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.
Entre os estados brasileiros, o Paraná registrou o sétimo melhor desempenho. Na região Sul, Santa Catarina ficou em primeiro com a criação de (6.599) empregos e o Rio Grande do Sul teve decréscimo de (1.370) postos de trabalho.
SETORES - Os três setores que mais criaram empregos no Paraná em agosto foram Serviços, com 4.187 vagas; Comércio, com 1.333 postos de trabalho e a Construção Civil, com 96 vagas.
A Região Metropolitana de Curitiba registrou acréscimo de 660 empregos formais em relação ao mês anterior ou (+0,06%).
Os municípios que mais criaram postos de trabalho foram Curitiba, com 1.988 vagas; Cascavel com 782 novas vagas; Maringá, com 325 postos de trabalho; Guarapuava, com 243 empregos; Mandaguari, com 201 e Londrina, com 195 vagas.
ANO - Nos primeiros oito meses do ano, o Paraná teve acréscimo de 71.405 postos (+2,63%). Em termos absolutos, foi o melhor desempenho da Região Sul e o terceiro do país, atrás de São Paulo (236.488) e Minas Gerais (88.304).
BRASIL - Em agosto de 2014, foram gerados 101.425 postos de trabalho formais, o que representou um crescimento de 0,25% em relação ao estoque do mês anterior. Tal resultado mostra um melhor desempenho do mercado de trabalho formal quando comparado com os últimos três meses. Este comportamento é oriundo da interação de fatores conjunturais e sazonais.
O total de admissões no mês atingiu 1.748.818, e de desligamentos, 1.647.393. No acumulado do ano, verificou-se expansão de 1,85% no contingente de assalariados formais, equivalente ao acréscimo de 751.456 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, o incremento foi de 698.475 postos de trabalho, correspondendo à elevação de 1,72%.