Jovem assassinado no Jardim das América era filho de policial civil; motivação é um mistério


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique


O assassinato do jovem Felipe Gomes Matheus, de 25 anos, que aconteceu no início da noite da última quinta-feira (20), no bairro Jardim das Américas, em Curitiba, ainda é considerado um mistério. A única informação nova que chegou à Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) é que Matheus é filho de um escrivão da Polícia Civil do Paraná, que atualmente trabalha em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba.
Responsável pela investigação do caso, o delegado Fábio Amaro, da DHPP, afirmou à Banda B,nesta segunda-feira (24), que a profissão do pai de Matheus não estaria PC DENTROrelacionada ao crime. “Não acredito nessa linha de motivação. O jovem não tem passagens pela polícia e seria morador de um local próximo dali. Por conta de tudo isso, é um mistério o que aconteceu naquele dia”, disse o delegado.
Amaro fez questão de deixar o telefone da DHPP para que informações sobre o caso sejam repassadas. “Podem ligar no 3360-1400. Ficamos no aguardo de pistas para prendermos os autores”, concluiu.
O crime
O crime aconteceu por volta das 18 horas da última quinta feira (20) e ninguém testemunhou ou ouviu disparos de arma de fogo. De acordo com o perito Silvestre, do Instituto de Criminalística, o jovem foi atingido por quatro tiros, sendo que dois deles acertaram a mão e um tiro chegou a atingir o celular da vítima.