Homem que atropelou jovem grávida parou para xingar casal antes de fugir


Segundo polícia, rapaz desceu do carro e chegou a ver a jovem no chão.
Atropelamento aconteceu na noite desta sexta-feira (19), em São Vicente.

Mariane RossiDo G1 Santos
Giovanna e os tios (Foto: Arquivo Pessoal)Giovanna estava grávida e morreu ao ser atropelada no litoral de SP (Foto: Arquivo Pessoal)
A família da jovem Giovanna Bernardini Miron, de 16 anos, que morreu após ser atropelada em uma rodovia na noite desta sexta-feira (19), em São Vicente, no litoral de São Paulo, mostrou perplexidade com a atitude do motorista, que fugiu após o acidente. De acordo com a polícia, após atropelar a jovem e o namorado dela, o motorista do carro parou o veículo, desceu e xingou a garota antes de fugir.
Atropelamento aconteceu na rodovia Padre Manoel da Nóbrega (Foto: Julia Bernardini/Arquivo Pessoal )Atropelamento aconteceu na rodovia Pe. Manoel da
Nóbrega (Foto: Julia Bernardini/Arquivo Pessoal )
De acordo com os familiares, Giovanna descobriu que estava grávida quando já estava com quatro meses de gestação. Há alguns meses, o namorado Eduardo Gonçalves Rodrigues, de 21 anos, começou a morar em São Vicente, com a familia dele. Por isso, às vezes, a jovem vinha de São Paulo para passar o fim de semana ao lado do pai da criança.
Danielle Monteiro é mãe da jovem atropelada (Foto: Mariane Rossi/G1)Danielle Monteiro é mãe da jovem atropelada
(Foto: Mariane Rossi/G1)
A mãe da menina, a promotora de vendas Danielle Monteiro, afirma que a ficha da morte da filha demorou para cair. Ela e o tio da jovem contam que o motorista que atropelou o casal parou o carro para xingá-los antes de fugir. "Ele tem que ser achado. A pessoa atropelou e ainda parou para xingar", falou o tio. "Ela tinha a vida inteira pela frente. Como ele atropela e não para para ajudar? Eu quero Justiça", disse a mãe da menina. A família fez um boletim de ocorrência no 3º Distrito Policial de São Vicente. Eles também irão procurar câmeras de monitoramento da rodovia para tentar encontrar o autor do atropelamento.
Danielle conta que Giovana estava muito feliz com a gravidez e iria ter um menino. Ela e a família já tinham preparado tudo para a chegada da criança. "Ela estava feliz. Extremamente radiante porque ia ter um menino. A gente fez o enxoval, fazia planos", lamentou a mãe da menina.
Já Eduardo, namorado e pai do bebê, ficou sabendo da morte dos dois ainda no hospital, em Praia Grande. Segundo o irmão dele, o ajudante geral Carlos Gonçalves Rodrigues, Eduardo recebeu atendimento mas já teve alta médica. "Ele está em casa, dopado, em estado de choque", afirmou Rodrigues, que não soube dar mais detalhes sobre o estado de saúde do irmão.
O corpo de Giovanna foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Santos e, em seguida, para o necrotério do Hospital São José, em São Vicente. O velório e o enterro da jovem serão realizados na tarde deste domingo (21).
Giovanna tinha 16 anos e estava grávida de um menino (Foto: Arquivo Pessoal)Giovanna tinha 16 anos e estava grávida de um
menino (Foto: Arquivo Pessoal)
Atropelamento
O casal desceu de uma van na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na altura do km 280, para passar o fim de semana em São Vicente. Eles tentaram atravessar a rodovia e foram atropelados por um carro. Os jovens foram socorridos por ambulâncias do Serviço do Atendimento de Urgência (SAMU) e encaminhados para a UPA Samambaia, emPraia Grande. A garota não resistiu aos ferimentos e morreu. Já o jovem, apesar de ter sofrido apenas ferimentos leves, está em estado de choque.
De acordo com familiares ouvidos pelo G1, Giovanna Bernardini Miron estava grávida de um menino e tinha planos de viver no litoral com o namorado, que estava morando em São Vicente há alguns meses. A menina deixou dois irmãos, um de 14 anos e outro de cinco anos.