Carro é destruído em acidente e motorista fica gravemente ferido no Prado Velho


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique


Um grave acidente na manhã desta quinta-feira (16) no bairro Prado Velho, em Curitiba, deixou um motorista gravemente ferido. Diego Martins dos Santos, 27 anos, estava em um veículo Strada quando foi colhido por um ônibus da linha Cabral/Portão, no cruzamento na rua Iapó com a rua Guabirotuba. Os passageiros do coletivo não ficaram feridos.
O acidente aconteceu por volta as 8h30 quando o motorista da Strada, que seguia pela Iapó sentido Linha Verde, colidiu na lateral de um ônibus, que seguia pela rua Guabirotuba, sentido Portão. Com o impacto, o veículo foi arrastado e ficou completamente destruído. Há hipótese de um dos motoristas ter furado o sinal vermelho, já que o cruzamento é bem sinalizado. A vítima ficou em estado grave e foi socorrida ao Hospirtal Evangélico. Santos trabalhava com frutas e verduras, abastecendo restaurantes e mercados.
Cerca de 30 passageiros que estavam dentro do coletivo não se feriram. O cruzamento ficou parcialmente bloqueado. Agentes da Secretaria de Trânsito (Setran) e policiais do Batalhão de Polícia Militar (Bptran) foram até o local orientar o fluxo de carros.

Família sai de férias e alarme de casa no Batel dispara; bandidos escaparam


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique
pmvoadordentro
PM fez buscas nos fundos do Castelinho do Batel (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

O alarme de uma residência na Rua Coronel Dulcídio com a Av. do Batel, no bairro Batel, em Curitiba, disparou no início da manhã desta quinta-feira (16). Um vigilante da empresa de segurança responsável foi ao local e dito e feito: a casa tinha sido arrombado por dois marginais. Um deles chegou a ser detido, mas reagiu e conseguiu fugir, assim como o outro, que não foi localizado.
O funcionário da empresa de vigilância, que não quis se identificar, afirmou à Banda B que os donos da casa estavam passando as férias na praia. “Quando eu cheguei consegui abordar um dos rapazes que tentava fugir com uma televisão. Ele foi contido, mas quando falava com o pessoal da empresa fui atacado. Por sorte não levou o eletrônico, menos mal”, disse.
De acordo com o vigilante, o suspeito teria pulado um muro e entrado nos fundos do Castelinho do Batel. “Os policiais estão fazendo buscas ali, mas pelo jeito não encontraram ningué”, afirmou.
A Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba investiga o caso.

Funcionário estrangeiro da Arena da Baixada é atropelado a caminho do trabalho


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique
biarticuladodentro
No local da ocorrência (Foto: Bruno Henrique – Banda B)


Um haitiano de 25 anos, funcionário das obras da Arena da Baixada, ficou ferido a caminho do trabalho no bairro Rebouças, em Curitiba, no início da manhã desta quinta-feira (16). Ele foi atropelado por um biarticulado da linha Santa Cândida/Capão Raso na Av. Sete de Setembro com a Rua Desembargador Motta.
Segundo o soldado Colaço, do Siate do Corpo de Bombeiros, o estado da vítima é estável. “Ele teve apenas alguns ferimentos nas pernas e está bem. Vai precisar ser encaminhado ao hospital, possivelmente para ficar em observação”, descreveu à Banda B.
Já o motorista do ônibus lamentou o que aconteceu. “Estava bem devagar e acho que foi um momento de desatenção dele. Estamos sujeito a isso, por sorte o rapaz teve ferimentos leves”, apontou.
O haitiano foi encaminhado ao Hospital Evangélico, em Curitiba.
Obras atrasadas
Na manhã de hoje foram inevitáveis os comentários no local do acidente referente ao fato de ter menos um operário na obra da Arena, já que o haitiano vai ter que ficar no hospital. Ainda mais quando, ontem, a Fifa sugeriu que o número de trabalhadores aumentasse de mil para 1,5 mil, por conta do preocupante atraso.

Adolescentes brincam de roleta russa e garoto de 16 anos morre com um tiro na cabeça


Por Elizangela Jubanski e Roberto Romanowski

roleta-russa
Amigo de 17 anos contou a versão do ocorrido. Foto: RR/Banda B
O fim da tarde desta quarta-feira (15) foi trágica para uma família de Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Um adolescente de 16 anos morreu com um tiro na cabeça durante uma brincadeira conhecida como roleta russa.
De acordo com policiais militares do 22º Batalhão, dois adolescentes estavam em uma casa, localizada na Rua do Pavão, no Jardim Santa Tereza, quando o mais velho, com 17 anos, pegou um revólver calibre 32 para brincar. Ele contou à polícia que eles iriam consumir maconha, mas antes resolveram carregá-la com dois projéteis para fazer roleta russa, disparar a arma em direção ao outro sem que saibam em qual momento a bala será atirada.
O adolescente Emerson da Conceição dos Santos morreu na hora às 18h05. O amigo que efetuou o disparo acionou o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), mas o garoto não resistiu. O corpo dele foi levado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.
O soldado Augusto da PM disse que o amigo contou a versão sobre a roleta russa. “A viatura do Siate já estava aqui quando fomos acionados. O amigo dele contou o que teria acontecido, sobre a brincadeira. Eles chegaram em casa e queriam ficar ‘de boa’, como relataram, mas parece que não foi o que aconteceu”, disse o soldado.
A Delegacia de Colombo vai investigar o caso e ouvir novamente o adolescente. Não há informação se o garoto foi detido.

Festa da Uva de Colombo um evento que nasce da gratidão e religiosidade dos imigrantes italianos


WEBMASTER 15 DE JANEIRO DE 2014

A tradição de realizar durante a colheita uma missa de ação de graças deu origem ao maior evento da cultura italiana no Paraná

Festa da Uva surge para comemorar e agradecer a colheita dos produtores colombenses
Festa da Uva surge para comemorar e agradecer a colheita dos produtores colombenses
Em busca da tão sonhada América, os primeiros imigrantes italianos do município trouxeram em suas bagagens as ramas daquelas que seriam as primeiras parreiras plantadas em solo colombense. Muito mais que pés de uvas, brotava na cidade uma das mais fortes tradições que resultavam do plantar, cultivar e colher as belas uvas que também se transformavam em delícias nas mesas da nova colônia.
A religiosidade e a fé dos primeiros imigrantes moveram a maior colônia italiana do Paraná nos primeiros passos em terras brasileiras. O sentimento de gratidão pelas colheitas levou os fiéis a organizar a cada safra uma Missa de Ação de Graças pelos bons frutos colhidos. A cada ano, este evento religioso aumentava em número de participantes, até que em 1959, as lideranças da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário de Colombo, decidem realizar uma grande missa campal em imóvel localizado nas proximidades do Lago Tumiri (Centro de Colombo). Nascia alí, a Primeira Festa da Uva de Colombo.
Ramas da fruta foram trazidas pelos primeiros imigrantes italianos que chegaram ao município
Ramas da fruta foram trazidas pelos primeiros imigrantes italianos que chegaram ao município
Pessoas de várias regiões do Estado vinham se confraternizar no que rapidamente se tornou a principal referência da Cultura Italiana no Paraná. A cada ano, desde então, na mesma proporção que cresce o orgulho dos colombenses pelo evento que realizam, aumenta o nmero de participantes.
Em 2014, ao comemorar os 124 anos de emancipação política do município de Colombo, a história se repetirá, com agricultores agradecidos e orgulhosos pela colheita. Autoridades, rainha, princesas e toda a sociedade de braços abertos recepcionando os convidados para celebrar com alegria a 51 Festa da Uva de Colombo.
Serviço:
51 Festa da Uva de Colombo
Local: Parque Municipal da Uva
Endereço: Rua Marechal Floriano Peixoto, 8771 Centro
Contato: 41-3656.8054 / 8040
Fotos: Osni Mendes/PMC
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC, INSTAGRAM: @colombopmc e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br

Festa da Uva de Colombo tem como representantes oficiais três beldades


WEBMASTER 14 DE JANEIRO DE 2014

A Rainha Jhuliany, e as duas Princesas, foram eleitas para ciceronear e divulgar o tradicional evento em sua 51ª edição

A Rainha e as duas Princesas irão divulgar a 51ª Festa da Uva de Colombo, com todo o seu encanto e tradicionalismo
A Rainha e as duas Princesas irão divulgar a 51ª Festa da Uva de Colombo, com todo o seu encanto e tradicionalismo
A 51ª edição da tradicional Festa da Uva de Colombo terá como cicerones três belas moças, eleitas durante o concurso realizado em dezembro: a Rainha Jhuliany Patrícia Vieira Goulart, a 1ª Princesa Patrícia Fernanda do Prado e a 2ª Princesa Tatiane Martins Soares. A festa acontece nos dias 07, 08 e 09 de fevereiro, no Parque Municipal da Uva e neste ano terá como atrações principais o grupo Negritude Junior, as duplas César Menotti e Fabiano, e, Álvaro e Daniel e o cantor Gusttavo Lima.
A Rainha e as Princesas terão a missão de divulgar o evento, que tem previsão de reunir mais de 60 mil pessoas para prestigiar, durante os três dias, exposição de uvas, vinhos, sucos, geleias e conservas, além da 13ª Feira da Indústria, Comércio e Serviços (Feicom), que terá o artesanato local e empresas da região expondo e comercializando os seus produtos.
Além disto, elas promoverão também o tradicional Circuito Italiano de Turismo Rural, que neste ano completa 15 anos, estará presente com a gastronomia da região. O ponto alto da festa é resgatar e manter as tradições da cidade e movimentar a economia local, além de trabalhar a questão turística do município. A Rainha Jhuliany, acompanhada das duas Princesas, vão ajudar a convidar o grande público, além de estarem presentes na festa recepcionando os convidados e embelezando ainda mais as tradições do município.
As cicerones: perfil
A Rainha da Uva, Jhuliany, tem 18 anos e orgulho de ostentar o título para representar Colombo, município onde sempre viveu, do qual se orgulho
A Rainha da Festa, Jhuliany Patrícia Vieira Goulart, tem 18 anos, 1,77 metro de altura, 58 quilos, olhos azuis e cabelos loiros. Ela, que vai divulgar o evento ao lado das duas princesas, contou que seu objetivo é ser rainha para representar Colombo, município onde sempre viveu, do qual tem muito orgulho, principalmente por manter a Tradição da Festa da Uva. O projeto de vida da Rainha da Festa é ser advogada, para defender a causa dos menos favorecidos.
Este belo sorriso é da Primeira Princesa, Patrícia, que está engajada e feliz em poder divulgar o município e suas tradiçõesA Primeira Princesa eleita é a Patrícia Fernanda do Prado de 24 anos. Ela tem olhos e cabelos castanhos, 1,70 metro de altura e 64 quilos, e seu projeto de vida é se especializar na área tributária, para se aprimorar e exercer da melhor e mais atualizada forma possível a profissão de contadora. Patrícia concorreu ao título para, segundo ela, “divulgar da melhor forma o maior evento da cultura italiana, tão marcante e tradicional e que valoriza nossos agricultores que se dedicam a produção da uva e do bom vinho, para difundir cada vez mais a cultura italiana tão forte na cidade de Colombo.
A Segunda Princesa é a Tatiane que se sente honrada em representar o município onde vive desde os 3 anos de idadeTatiane Martins Soares foi eleita a Segunda Princesa, aos 22 anos, ela tem 1,64 metro de altura e 60 quilos. Seus olhos e cabelos são castanhos e ela entrou no concurso pois, segundo ela, vive em Colombo desde os três anos, se sente colombense e sempre quis participar das festas culturais, além de se sentir honrada em participar dos festejos da Uva. A terceira cicerone tem como projeto de vida continuar atuando na área Ambiental do Município, onde já atua, e se dedicar à profissão, fazendo mestrado na área. Ela também quer construir família sólida, para se realizar tanto na vida profissional quanto na vida pessoal. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de Colombo, por meio da Secretaria da Indústria, Comércio, Turismo e Cultura.
Serviço:
51 Festa da Uva de Colombo
Local: Parque Municipal da Uva
Endereço: Rua Marechal Floriano Peixoto, 8771 – Centro
Contato: 41-3656.2358 / 6181 / 2065
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
BLOG – colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC, INSTAGRAM: @colombopmc e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br

DETENTAS DO REGIME SEMIABERTO EM CURITIBA REALIZAM MOTIM COM REFÉNS.


Duas agentes carcerárias foram feitas reféns; não há informação de feridos.
Este foi o segundo motim semelhante na Região Metropolitana de Curitiba.


Duas agentes carcerárias que trabalham no Centro de Regime Semiaberto Feminino de
 Curitibaforam feitas reféns das detentas que estão na unidade. O motim começou por volta das 22h30 desta quarta-feira (15). Ainda sem detalhes sobre a situação, a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Paraná (Seju) informou que elas pediram a presença do diretor-geral do Departamento de Execução Penal (Depen), Cezinando Vieira Paredes.

Às 23h30, o diretor-geral estava a caminho da unidade onde há o motim. O Centro de Regime Semiaberto Feminino não tem superlotação. De acordo com a Seju, as presas exigem receber o mesmo tratamento que os detentos da Colônia Penal Agrícola, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).
Essa é a segunda rebelião no sistema penitenciário da RMC nesta quarta-feira. Às 16h, os detentos da Penitenciária Central do Estado, que fica em Piraquara, iniciaram um motim exigindo a transferência de 18 presos.Para negociar com as autoridades, eles renderam um agente carcerário. O acordo foi fechado por volta das 17h30, mas às 23h30, o agente penitenciário ainda estava sob poder dos detentos.
A Seju informou que aguarda apenas trâmites burocráticos para efetuar a transferência dos presos. Eles devem ir para unidades carcerárias nos municípios de LondrinaMaringá e Foz do Iguaçu.
Outro caso
Na quinta-feira (9), um agente penitenciário também foi feito refém por presos na Penitenciária Estadual de Piraquara II (Pep II) pela mesma razão. Ele foi mantido como refém durante seis horas por cerca de dez presos e foi liberado sem nenhum ferimento. Os presos estavam reivindicando transferências para outras regiões do Paraná e outros estados brasileiros. Com o acordo, seis preso deixaram o local e foram transferidos para unidades penitenciárias das regiões de Foz do Iguaçu e de Maringá.

Protesto
Agentes penitenciários de Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Piraquara fizeram uma . Os profissionais reivindicaram pela diminuição do número de detentos nos presídios, além da contratação de mais agentes, médicos e psicólogos para atender os presos.
manifestação na manhã desta quarta-feira no Complexo Penal de Piraquara

LIQUIDO AZUL VAZA APÓS INCÊNDIO E CONTAMINA MANGUE NO LITORAL DO PARANÁ.

 

Água do mangue ficou azul; moradores foram orientados a evitar a área.
IAP ainda não sabe dizer qual produto causou o problema.

Do G1 PR, com informações da RPC TV
O incêndio que atingiu um galpão industrial em Paranaguá, no litoral do Paraná, na madrugada desta quarta-feira (15), acabou contaminando uma área de mangue que fica a 50 metros do local onde o fogo começou. Um líquido de coloração azul está escorrendo de uma manilha que desemboca na área de preservação e mudou a cor da água.
A cor azul intensa que aparece na água também é vista nos pneus dos tratores que fazem a remoção dos destroços do galpão. À tarde, a Guarda Municipal orientou os moradores da região a evitarem entrar na água, pescar e recolher caranguejos do mangue contaminado.
Também à tarde, técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) estiveram no local onde houve o vazamento do produto químico e recolheram amostras. O laudo que vai dizer do que se trata o produto que contaminou o mangue deve sair em 15 dias.
Os técnicos do IAP também colocaram uma barreira de contenção na água, que não foi suficiente. Outros técnicos, da empresa responsável pelos galpões, também instalaram uma segunda barreira de contenção, maior que a que foi colocada pelo IAP.
Água suja que sai de manilha causou a mudança na cor da água (Foto: Rodrigo Brito/RPC TV)Água suja que sai de manilha causou a mudança na cor da água (Foto: Rodrigo Brito/RPC TV)
O incêndio
De acordo com o Corpo de Bombeiros, o galpão armazenava algodão e celulose. O fogo começou por volta das 2h30 e às 6h, os bombeiros já haviam controlado o incêndio. Durante toda esta quarta-feira, as equipes vão trabalhar no rescaldo. A área próxima ao local do incêndio foi interditada. Ninguém ficou ferido.

VER ROLEZINHOS COMO MANIFESTAÇÃO POLÍTICA É BOBAGEM, DIZ ESPECIALISTA.


Sociólogos, antropólogos e cientistas políticos comentam fenômeno.
Shoppings são novo lugar de encontro da periferia, comentam eles.

Marina FrancoDo G1, em São Paulo

rolezinho, shopping interlagos (Foto: Joel Silva/Folhapress)Rolezinho no Shopping Interlagos (Foto: Joel
Silva/Folhapress)
Os recentes “rolezinhos” em shoppings centers de São Paulo, em que adolescentes se encontram para passear e paquerar, depois de combinar tudo pelas redes sociais, têm causado medo em lojistas e chamado a atenção da sociedade. Especialistas ouvidos pelo G1 divergem sobre as causas e efeitos desse fenômeno, mas de uma maneira geral concordam que a falta de espaços públicos de lazer na periferia propiciaram esses encontros.

Confira a seguir suas opiniões.

"Tem gente olhando para o 'rolezinho' como uma manifestação politica. Eu acho isso uma bobagem. Inicialmente é manifestação social e cultural de setores populares que acaba ocupando espaço de setores médios, e infelizmente criam um mal-estar. Você tem uma sociedade partida, de ricos e pobres que vivem em nichos. O 'rolezinho' desmascarou todo o problema social do país, a divisão social e diferença estética entre pobres e ricos. No Rio de Janeiro isso vai se dar na praia. E a praia de São Paulo infelizmente é o shopping. O poder público chama a polícia e acaba dando conteúdo politico, porque vira a polícia contra os pobres. E os movimentos sociais tentam sequestrar o 'rolezinho' como manifestação da sociedade de classe, dos pobres brasileiros, mas o 'rolezinho' não começa assim. Um menino comentou que beijou 15 meninas em um 'rolezinho'. Isso é o carnaval da Bahia, não tem nada de politico nisso. Também há uma característica do capitalismo que é o consumo. Eles querem consumir, ter o seu lazer, seu tempo livre. Por que eles não podem ir para um shopping bacana?"
Carlos Melo, cientista político e professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper)

"Não dá para caracterizar os 'rolezinhos' como um movimento social. É uma ação coletiva em protesto contra uma situação, que é a proibição do baile funk nas ruas da periferia de São Paulo. Esses meninos estão ocupando um espaço que já frequentavam de forma desorganizada ou individual, sem serem percebidos. Quem conhece o Shopping Itaquera sabe que ele não é só frequentado pela classe média e, muito menos, pela alta. Agora que eles se organizam e estão orquestrados começam a incomodar os lojistas. Porque se comportam da mesma forma que na periferia, falando em voz alta, cantando funk e com as mesmas roupas que vestem na periferia. Eles estão adquirindo visibilidade social que na periferia não têm. A juventude necessita ter esse reconhecimento e ser identificado.
O motivo, a falta de lazer na periferia, é antigo. Acontece que estamos em um momento de tensão social forte, que surgiu com os protestos em junho e que qualquer fagulha na sociedade pode gerar um grande incêndio. A classe média começa a apoiar por conta da violência policial. Tomou outra dimensão pela tensão que estamos vivendo no Brasil."

Rogério de Souza, sociólogo, professor da Universidade de Sorocaba (Uniso) e do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) e pesquisador da área de cultura da periferia

"É uma forma de manifestação da juventude da periferia de São Paulo. Tanto no certo sentido político, de mostrar sua exclusão do consumo, e também uma manifestação cultural, quando associado ao funk. Essas pessoas ouviram que comprar é o máximo e perceberam que não podem. É um sintoma de exclusão do consumo de bens culturais. Faltam opções de lazer e cultura na periferia e os jovens não têm ascensão social. Isso não é problema de polícia, é problema social. Você tem que melhorar a educação e possibilitar que de fato eles tenham ascensão social para ter acesso a essas coisas. No médio prazo, é necessária a criação de maiores áreas de lazer onde os jovens possam se expressar. E no curto prazo, escutar esses jovens para saber o que eles querem."

Rafael Alcadipani, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), pesquisador sobre as manifestações e segurança pública

"São jovens pobres que estão reivindicando o direito de frequentar um espaço de encontro, de diversão, de paquera, ao qual antes não tinham acesso. Os shoppings são símbolos de segregação das cidades, que querem se proteger contra a violência. Vivemos em uma fase de incentivo ao consumo."

Alexandre Barbosa Pereira, antropólogo e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e especialista no estudo de grupos com práticas culturais ou de sociabilidade

"Do ponto de vista urbano, o 'rolezinho' tem a ver com a questão da existência do shopping center. Tradicionalmente as praças e as ruas eram lugar de lazer na cidade. A partir dos últimos 40 anos, começaram a aparecer os shoppings. Essa atividade de lazer deixou de acontecer nas áreas publicas, que ficaram abandonadas e pouco cuidadas, e fica confinada no shopping. Diferentemente da rua, o shopping é privado e, portanto, tem um certo controle de acesso que está sendo questionado atualmente. É a demanda pelo lazer, pelo encontro. Acho curioso que as manifestações vão lá para abraçar e beijar. Isso no passado era chamado footing. Os meninos rodavam num sentido e as meninas no outro, para namorar. Essa coisa do espaço do encontro, do namoro, é uma coisa histórica que tem que ter um lugar para acontecer. Por isso a molecada está dizendo que vai lá para beijar as meninas. É uma outra dimensão, mas a mesma demanda."

Maria Lucia Refinetti, arquiteta e urbanista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP)

"Esses 'rolezinhos' que estão ocorrendo desde o final de 2013 são reuniões de jovens que afirmam que não se trata de um protesto e sim de uma resposta à opressão, porque eles entendem que não tem uma politica publica para implementar algum tipo de lazer para essa faixa etária e essas reuniões. O direito à manifestação não é absoluto e não pode se sobrepor à preservação da ordem pública, à integridade das pessoas que frequentam os centros de compra e ao direito de propriedade dos lojistas. Ainda que não tenham a intenção que isso ocorra, acaba atraindo."

Loredana Moliner, advogada especialista em direito processual civil

"Está todo mundo querendo saber o que são os 'rolezinhos'. Esta é uma discussão que está pautada no medo e não em dados objetivos. Vivemos numa sociedade que se fecha, que não conhece o outro e tem medo. Existem alguns aglomerados de jovens que não causam medo nas pessoas. Mas desta vez há uma preocupação quanto ao que podem fazer os jovens da periferia se realmente eles aparecerem. Jovens se reunirem para ir a shoppings é uma coisa que sempre existiu em diferentes contextos. As mesmas atuações em diferentes contextos podem ter diferentes olhares. Tem uma parte de diversão, típica da faixa etária quando a identidade se dá pelo grupo, como também acontece na Peruada (festa pelas ruas  promovida por alunos da Faculdade de Direito da São Francisco). O que tem de novo é a maior dimensão. E, como vem de grupos que não estão tradicionalmente integrados, reforça a sensação de medo."

Luciana Guimarães, diretora do Instituto Sou da Pa
z

Alevinos são depositados no Lago Tumiri no Parque da Uva


WEBMASTER 15 DE JANEIRO DE 2014

Carpa Capim e Carpa Húngara foram as espécies escolhidas para habitarem o espaço; um dos objetivos da iniciativa é incentivar a pesca consciente

A Secretaria do Meio Ambiente promoveu esta semana a soltura de alevinos no Lago Tumiri, no Parque da Uva
A Secretaria do Meio Ambiente promoveu esta semana a soltura de alevinos no Lago Tumiri, no Parque da Uva
A Prefeitura de Colombo, através da Secretaria do Meio Ambiente, realizou nesta semana a soltura de alevinos no Lago Tumiri, dentro do Parque Municipal da Uva, no centro do município. O secretário da pasta, José Carlos Moretes, explica a iniciativa. “Recentemente nós realizamos um procedimento de limpeza do tanque, retirando a vegetação que estava cobrindo a água, e a partir disto, foi identificada a baixa população de peixes no local”, contou o secretário.
As espécies depositadas foram Carpa Capim e Carpa Húngara e o principal objetivo é aumentar a quantidade de peixes no lago, onde os moradores da região costumam praticar a atividade da pesca, permitida pela secretaria. “A pesca é liberada no Parque da Uva, mas é importante que o pescador obedeça às regras estabelecidas para a prática consciente do esporte, como utilizar somente anzol e molinete, não trazendo redes nem outros objetos que possam prejudicar a fauna local, destacou Moretes. Em caso de dvidas sobre as regras para a pesca, o visitante do Parque pode consultar a secretaria que fica próxima ao lago.
Vida na Água
As espécies depositadas no tanque foram Carpa Capim e Carpa Húngara e o objetivo é incentivar a pesca consciente no local
As espécies depositadas no tanque foram Carpa Capim e Carpa Húngara e o objetivo é incentivar a pesca consciente no local
A soltura foi inspirada no projeto Vida na Água, realizado por meio da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, que recentemente subsidiou aos produtores da região para a compra de alevinos. O principal objetivo do projeto, realizado no final de 2013, foi diversificar a renda no campo, utilizando a estrutura de lagos e tanques já existentes na região. “Como Colombo é um município, cujas propriedades apresentam a característica de ter tanques ou lagos, a implantação do projeto tem uma boa perspectiva, rendendo lucros para o produtor e movimentando a economia da cidade”, destacou o secretário da pasta, Márcio Toniolo.
Em uma ação combinada com a soltura realizada no Lago Tumiri, a Secretaria da Agricultura e Abastecimento entregou 6.050 alevinos das espécies Tilápia Vermelha e Piaçu, para 14 agricultores. A entrega é referente a um saldo de pedidos realizados ainda em 2013, que precisou ser entregue nesta semana devido ao período em que estas espécies são produzidas.
Fotos: João Senechal e Osni Mendes/PMC
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:  BLOG colombopmc.blogspot.com.br; FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo: TWITTER: @ColomboPMC, INSTAGRAM: @colombopmc e no site oficial: www.colombo.pr.gov.br