Gaeco perde quase metade do efetivo após rodízio implantado pelo governo do estado


24 de janeiro de 2014


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Paraná já perdeu quase metade de seu efetivo de agentes por causa do rodízio estabelecido pelo governo do estado. Dos 60 policiais que integravam os seis núcleos, 28 já deixaram o grupo. Com o desfalque, o Gaeco não tem mais condições de iniciar novas operações.
Os promotores do Estado devem se reunir nos próximos dias para definir se os policiais que permaneceram no grupo devem retornar à Polícia Civil e Militar antes de entrarem no rodízio.

André Vargas diz que Beto Richa se faz de vítima; para o deputado, Paraná nunca passou tanto vexame


25 de janeiro de 2014
Durante a reunião de planejamento estratégico realizada ontem, pelo PT do Paraná, em Curitiba, o deputado federal e vice-presidente da Câmara, André Vargas, afirmou que o governador Beto Richa se faz de vítima o tempo todo. “Deveria se chamar Beto Vítima, já que se faz de vítima o tempo todo, não assume suas responsabilidades, não comanda as finanças e a segurança do Estado e, para piorar, se apropria de dinheiro de pequenos credores para cumprir aquilo que é sua obrigação, que é a folha de pagamento. O Paraná nunca passou vexame desses”, alfinetou.


A reunião de planejamento estratégico teve a presença do deputado Enio Verri, presidente estadual do partido, dos deputados federais André Vargas, Zeca Dirceu e Ângelo Vanhoni, dos deputados estaduais Luciana Rafagnin, Tadeu Veneri, Elton Welter, Péricles de Mello e Toninho Wandscheer, além de membros da Executiva e secretários estaduais do partido.

Revista revela esquema envolvendo alta cúpula do governo paranaense


25 de janeiro de 2014
A Revista Isto É traz neste final de semana uma manchete na qual uma empresária paranaense denuncia o pagamento de propina ao irmão de Beto Richa e secretário de Estado, Pepe Richa. O escândalo envolve a montadora Renault. LEIA A REPORTAGEM NA ÍNTEGRAEm depoimento registrado em cartório sobre os esquemas dos quais participou, a empresária Ana Cristina Aquino envolve a cúpula do governo do Paraná. Em pelo menos quatro páginas desse registro, Ana descreve um emaranhado de ligações de políticos com empresários em torno do interesse em negócios milionários e suspeitos e diz temer pela própria vida desde que decidiu contar o que sabe. Segundo ela, Pepe Richa, hoje secretário de Logística e irmão do governador do Paraná, o tucano Beto Richa, e Amaury Escudero, atual representante do escritório do governo em Brasília, se tornaram seus parceiros no ambicioso plano: o de abrir uma filial da sua empresa no Estado com a finalidade de fechar um contrato com a montadora Renault do Brasil. Um negócio que poderia render milhões por mês.
Segundo a empresária, Pepe Richa (abaixo), secretário de Logística e irmão do governador do Paraná, Beto Richa (acima), queria lucrar com o contrato entre a AGX Log e a montadora Renault. Acima, cópia da agenda entregue ao MP listando as propinas
Segundo a empresária, Pepe Richa (abaixo), secretário de Logística
e irmão do governador do Paraná, Beto Richa (acima), queria lucrar com o contrato entre a AGX Log e a montadora Renault.
De acordo com o depoimento da empresária, a negociação era intermediada pelo advogado João Graça, que é do PDT e chegou a ser cotado para a vaga de suplente da senadora e ex-ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, em 2010. Segundo Ana Aquino, João Graça se aproximou do poder no Paraná depois de comandar a Superintendência Regional do Trabalho, entre 2007 e 2009. No segundo semestre de 2012, disse a empresária, o advogado marcou uma reunião entre ela e Amaury Escudero. O objetivo era arquitetar como agiriam em grupo para viabilizar o negócio com a Renault. No encontro, segundo a empresária, ficou decidido que o secretário Pepe Richa e Escudero pressionariam a montadora para contratar a transportadora de Ana, usando como instrumento de barganha uma série de isenções ficais concedidas pelo governo a montadoras nos últimos anos. O apoio, entretanto, custaria alto. “Eu perguntei ao Amaury (Escudero): ‘O que o senhor ganha com isso? O senhor vai me botar na Renault de graça, do nada?’ Ele então falou que eles ficariam com 20% da empresa. Mas que colocaria em nome do advogado João Graça. Seriam 10% de um e 10% do outro”, afirmou em entrevista à ISTOÉ.
Documento da Junta Comercial referente à empresa AGX Log – criada também por ela – mostra que João Graça se tornou dono de 20% das cotas em julho de 2012. O advogado apresentou duas versões para o fato. Na primeira, disse que nunca foi sócio da Ana Aquino e nem sequer conhecia a empresária. Confrontado com os registros oficiais, admitiu a sociedade. Graça oficializou sua saída em agosto do ano passado, depois de um desentendimento com Ana Cristina. Procurado novamente na quinta-feira 23, disse que não se manifestaria sobre as denúncias até conhecer o teor das escutas. Na sexta-feira 24, Escudero disse à ISTOÉ que as acusações são falsas e que jamais houve as reuniões citadas pela empresária. Ele afirma que os acessos a seu gabinete são todos registrados e que pode comprovar que a empresária está mentindo. “Não posso aceitar ser objeto de um jogo político que nem sei qual é. Essa pessoa não tem credibilidade para me acusar”, afirma Escudero.
IEpag42e43Corrupcao2-1.jpg
O depoimento da empresária revela outra faceta do negócio. Em troca do apoio para que o grupo AG Log entrasse no Paraná e conseguisse o contrato da Renault, o irmão do governador também teria recebido propina. “O Pepe Richa recebeu R$ 500 mil. Não foi da minha mão, foi da mão da Suzana Leite, uma lobista. O Gabardo (Sergio) me entregou o dinheiro para eu levar ao Paraná. Dei o dinheiro para ela e fiquei dentro do carro esperando”, diz ela. A entrega teria ocorrido na semana anterior à inauguração da sede da AGX Log no Estado, em 11 de abril de 2013. Segundo Ana, Pepe estaria tão envolvido com os negócios da transportadora que emprestou o seu nome para figurar no convite da festa de inauguração, a pretexto de fazer uma palestra, e ainda se encarregou de distribuí-lo aos políticos. “ Como ele estava ganhando, deu essa ajuda porque eu não era conhecida. Não levaria os políticos para o evento”, disse. Suzana Leite afirmou que as acusações não têm fundamento. Já Pepe Richa classificou as declarações de Ana Cristina de “infundadas, caluniosas e irresponsáveis”. Disse ainda que a AG Log não é prestadora de serviços da Renault no Paraná.
Em encontro no segundo semestre de 2012,
ficou decidido que Pepe Richa pressionaria  a montadora
para contratar a transportadora de Ana CRISTINA
No documento que registrou em cartório, a empresária confirma que a negociata não deu certo. O contrato não saiu, mas as dívidas da empresa se multiplicaram. Incentivada pelo grupo a buscar dinheiro no mercado para montar a frota exigida pela montadora, Ana Aquino recorreu a agiotas. Para validar os empréstimos, ela diz que apresentava um contrato assinado pelos integrantes do governo e pelo funcionário da Renault Julio Barrinuevo, que também teria recebido propina para facilitar o negócio com a montadora. O contrato não tinha validade jurídica nem veracidade. “Só quem se deu mal fui eu”, disparou.
“O Pepe Richa recebeu R$ 500 mil. Eu saquei esse dinheiro”
As dívidas acumuladas por Ana Cristina Aquino são, em boa parte, originadas no Paraná. Nas conversas com ISTOÉ, ela contou que montou uma frota de caminhões para ganhar um contrato com a Renault e que pagou R$ 500 mil para o irmão do governador. A seguir, trechos da entrevista:
ISTOÉ – A senhora manteve negócios com integrantes da cúpula do governo do Paraná?
Ana Cristina Aquino – 
O João Graça me chamou e disse que tinha um negócio para mim. Viajei até Londrina e, chegando lá, ouvi que havia um projeto grandioso com a empresa Renault. A proposta era que eu levasse a AG Log para o Paraná. João Graça disse que não tinha problema porque havia muitos políticos envolvidos nesse negócio.
“Para tratar sobre dinheiro, ela (Suzana Leite) falava: o boss  (Pepe Richa)
pediu para você conseguir um agrado  de tantos mil”
ISTOÉ – Mas quem eram esses políticos?
Ana – 
Uma semana depois, foi marcado meu encontro em Curitiba com o João Graça e com o Amaury Escudero. Tivemos uma reunião fechada para discutir esse contrato. Amaury se propôs a pressionar a Renault para colocar a AG Log no negócio. Ele disse que cobraria a conta de uma série de benefícios fiscais que o Estado teria dado à empresa, e que, se a montadora se negasse, ele teria como pressioná-los. Eu disse: e o que o senhor ganha comisso? Ele então explicou que teria 20% da empresa, mas que colocaria em nome do João Graça. Mas seriam 10% de um e 10% do outro. Depois dessa conversa houve mais uns três encontros e aí fui entendendo o negócio. Tinha muita gente do governo do Paraná envolvida. Posso dizer que o Pepe Richa (irmão do governador do Paraná) recebeu R$ 500 mil. Eu saquei esse dinheiro.
ISTOÉ – Recebeu da sua mão?
Ana –
 Não foi da minha mão, foi da mão da Suzana Leite. Ela é uma lobista, uma espécie de Marcos Valério.
ISTOÉ – A senhora tratou sobre esse assunto com o governador Beto Richa?
Ana –
 Cheguei a encontrar com o governador, mas não tratei nada com ele. Era só com o Pepe mesmo. A Suzana Leite chama o Pepe de “boss”. Para tratar sobre dinheiro, ela falava: “O boss pediu para você conseguir um agrado de tantos mil”.
FONTE: ISTO É

Homem é encontrado morto próximo a portão de entrada de universidade do Prado Velho


Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski

Um homem de 35 anos foi assassinado no final da tarde desta sexta-feira (24) na Rua Guabirotuba, bem próximo ao portão 3, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR),  no Prado Velho.
assassinadopuc
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
De acordo com o guarda municipal Araújo, eles foram avisados sobre uma pessoa que estaria andando armada pela região. “Durante a ronda, não avistamos ninguém, mas a cerca de uma quadra depois, o corpo dele foi encontrado. Testemunhas nos contaram que ele era usuário de drogas e foi atingido por um tiro no peito”, comentou.
No local, a lei do silêncio prevaleceu, uma vez que a Vila Torres enfrenta uma guerra entre gangues que disputam território o tráfico de drogas.
O corpo de Fernando Bernack, conhecido como “Barrão” foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. A delegacia de Homicídios investiga o caso.

PERFIPAR demite 130 funcionários em Colombo

EMPRESA EM COLOMBO DEMITE  130 FUNCIONÁRIOS




"Anos de dedicação e de presente " porta na cara", essa era a indignação da maioria dos funcionários demitidos na empresa Perfipar, no dia 22 de janeiro em Colombo.

 A empresa que a pouco tempo já havia demitido cerca de 70 funcionários com ao fechamento de uma fábrica de laminados, na Vila Maria do Rosário, também em Colombo, desta vez  volta a demitir mais 130 coloradores da sua nova unidade situada na rua Ivan Luiz Coelho, na  vila Liberdade, em Colombo.

'' Por que nos deram férias ??, agora chegamos e nem deixaram entrar !!! até parece um  elefante Azul" disse um funcionário, com mais de 20 nos de empresa.

A nossa redação entrou em contato com a direção da empresa, mas não houve retorno, restou a explicação do Sindicato dos Metalúrgicos.
Segundo o Sindicato, a empresa alegou que a dois anos vinha enfrentando problemas com a queda nas vendas e as fábricas e lojas estavam " inchadas", então ouve a necessidade de fechar a laminação e várias lojas no Paraná, e outas em são Paulo e Porto Alegre. O Sindicato disse que os funcionários decidiram em " "escrutínio secreto" o parcelamento da rescisão de contrato, sendo que 108 concordaram com a condição imposta pela empresa e 14 foram contra.

 A empresa irá pagar da seguinte forma:

Funcionários com menos de uma ano de de empresa, com valor a receber até R$ 2.000,00 recebem em uma única parcela, R$ 3000,00 em 3 parcelas, R$ 4.000,00 em 4 parcelas. Todos irão receber o saldo do FGTS e a liberação do seguro desemprego. A empesa passa atuar com lojas virtuais e com um centro de distribuição. O Sindicato está a disposição dos demitidos caso a empresa não cumpra o acordo e não repasse a correção dos reajustes salarias conforme a convenção coletiva.



Imperador se mete em confusão e quase agride mulher em casa de shows do Rio, diz jornal


Da Redação

Em reabilitação física para jogar no Atlético em 2014, o atacante Adriano voltou a se meter em confusão na madrugada desta sexta-feira (24). De acordo com o jornal carioca Extra, o Imperador se envolveu numa briga com uma moça que estava no mesmo camarote que ele na casa de shows Barra Music.
adriano
Foto: Reprodução
Segundo testemunhas, o atacante teria até chegado a agredi-la fisicamente. A confusão foi contida por seguranças e Adriano foi afastado da moça. Ela, por sua vez, foi embora do local e não prestou queixa.
Com os ânimos controlados, às 4h, Adriano subiu ao palco para curtir o show de Thiaguinho e do Racionais Mc’s. Milton Nascimento e Mr. Catra também foram convidados a subir ao palco.
Segundo o jornal, Adriano teria deixado a casa de shows as 5h30m, sem a companhia de nenhuma mulher. Para se preservar a imagem do atacante, amigos teriam impedido que fotógrafos profissionais fizessem registros dele.

Apenas três tintas para tatuagem têm registro no Brasil


Da Agência Brasil

Este mês, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a suspensão do comércio e do uso de uma tinta para tatuagem vendida sem registro no Brasil. O gerente-geral de Tecnologia de Produtos para a Saúde, Joselito Pedrosa, alerta que apenas três marcas de tintas podem ser comercializadas no país: Starbrite Colors – Amazon Indústria, Comércio, Exportação e Importação de Produtos Especializados; Electric Ink Indústria Comércio, Importação e Exportação Ltda e Iron Works – Brasil Ltda.
tintatatuagem
Foto: Agência Brasil
Em entrevista à Agência Brasil, ele explicou que uma tinta, para ser registrada no país para fins de tatuagem ou dermopigmentação, precisa atender à legislação vigente, que exige que a empresa tenha boas práticas de fabricação. Isso significa comprovar a segurança e a eficácia do produto.
“A empresa faz testes durante o processo de fabricação, controlados por um sistema de qualidade. Para dar entrada no processo de registro, ela tem que apresentar toda a documentação que comprove a realização desses testes. É preciso comprovar que o produto é seguro e eficaz. Se tudo estiver de acordo, ele pode ser liberado com número de registro, e a empresa pode comercializar.”
Os testes, de acordo com Pedrosa, seguem normas nacionais e internacionais e verificam, entre outros, a toxicidade e a biocompatibilidade do produto. A tinta para tatuagem que é vendida sem ter passado por toda essa verificação corre o risco de estar contaminada com bactérias e fungos e pode desencadear uma reação alérgica leve ou grave, podendo causar a morte.
“Pode levar também à indução de um câncer. Há uma série de complicações às quais a população fica sujeita em decorrência do uso de um produto ilegal”, acrescentou.
A orientação para quem quer fazer uma tatuagem, segundo ele, é verificar se o produto oferecido pelo estúdio tem registro na Anvisa. Em seguida, é preciso ter certeza de que o registro é válido, acessando o site da agência. Isso porque, no caso de produtos piratas, muitas vezes, o registro utilizado na embalagem é falso.
Para o tatuador Erik Pazioline, outra estratégia importante a ser adotada por quem quer fazer uma tatuagem é verificar se o estúdio tem alvará de funcionamento e se está com as licenças sanitárias em dia. “E se informar com o tatuador sobre o material que ele usa”, disse. “[Em casos de tintas irregulares], o que mais acontece são alergias, uma infecção ou uma inflamação, que são muito sérias. Não é o certo. É perigoso. Tem que usar sempre a tinta legalizada”, concluiu.

Jovem de 20 anos se desespera durante travessia e morre afogado na RMC


Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski

Foto: Roberto Romanowski - Banda B
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
Um jovem de 20 anos morreu na tarde deste sábado (25) após tentar atravessar uma extensão de aproximadamente 300 metros da Represa do Passaúna, em Araucária, região metropolitana de Curitiba. De acordo com o tenente Zirpoli, do Corpo de Bombeiros, José Carlos da Silva Cabral se desesperou próximo a um ponto de captação de água da Sanepar, não conseguindo mais retornar para as margens.
2afogadopassauna
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
“Aqui inclusive tivemos trabalho para localizar o corpo, uma vez que muitos galhos ficam no fundo da represa, mas foi um descuido seguido de desespero, que infelizmente vitimou o rapaz”, comentou.
O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Manifestantes prometem “parar Curitiba” se tarifa de ônibus subir em fevereiro


Da Redação
Reprodução
Reprodução

Alguns dias após o sindicato das empresas de ônibus emitir uma nota afirmando a possibilidade de reajuste da tarifa de ônibus de Curitiba para R$ 4, internautas já organizam uma manifestação que tem a intenção de impedir o aumento da passagem. O evento está marcado para o dia 20 de fevereiro, 18 horas na Boca Maldita. Até a manhã deste sábado, 210 pessoas haviam confirmado presença.
A nota do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) foi emitida no último dia 12 e afirmava que caso as reivindicações dos trabalhadores fossem atendidas, Curitiba teria um “brutal acréscimo nos preços das passagens”.
Na descrição do evento, os organizadores lembram das recentes denúncias de superfaturamento do Tribunal de Contas e da CPI do Transporte Coletivo para justificar os protestos. “O empresariado alega que para o sistema rodar precisa cobrar 4 R$ por passageiro, a ganância não tem limite”, diz.
O protesto ainda pretende pedir a redução da tarifa para R$ 2,20 e a anulação dos atuais contratos das empresas com a Prefeitura.

Garçom é assassinado na mesma rua em que morava no Uberaba


Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski

garçommortouberaba
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
Um garçom de 40 anos foi assassinado na manhã deste sábado (25) na Rua Magno Sandal, no bairro Uberaba, em Curitiba. De acordo com o tenente Kretschmer, a vítima morava na mesma rua do assassinato e ninguém sabia o motivo do crime.
“Aqui contaram que ele era gente boa, apenas que bebia de vez em quando. Ele estava desempregado e foi encontrado cerca de 500 metros do local do crime”, comentou.
Joel Alves Dias foi morto com golpes de pedaços de pia e a Delegacia de Homicídios agora investiga o caso. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal.
Cinco tiros
Foto: Roberto Romanowski - Banda B
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
No Boqueirão, um homem identificado como Emerson Bertuletti, 33 anos, foi morto com pelo menos cinco tiros na Rua Élton Roberto de Moura Torres, às margens do Canal Belém. De acordo com a PM, um casal teria cometido o crime por volta das 4 horas. Testemunhas ainda afirmaram que a namorada da vítima fugiu nadando pelo rio.
A Delegacia de Homicídios investiga o caso.

Segurança noturno discute com colega de trabalho e acaba baleado na tentativa de fuga


Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski

segurançacic
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
Um segurança noturno foi baleado na manhã deste sábado (25) após discutir com um colega de trabalho na Rua Valter José Wunderlich Júnior, Cidade Industrial de Curitiba. Segundo o cabo Cléberson, Josuel Ferreira da Cunha, de 35 anos, havia trabalhado a noite inteira e, na volta para casa acabou discutindo com o atirador.
“Após a briga, a vítima tentou fugir e pediu abrigo na casa de um morador da rua, que o acolheu logo após o tiro acertar o peito. Essa pessoa salvou a vida dele chamando o Siate em seguida”, comentou.
Segundo testemunhas, a arma ainda teria falhado duas vezes antes de acertar Cunha. A vítima foi encaminhada em estado grave ao Hospital do Trabalhador.

PREFEITO CANCELA FESTA DE ANIVERSÁRIO DA CIDADE PARA CONSTRUIR VIADUTO


Situação aconteceu em Palmeira, na região dos Campos Gerais.
Festa que iria comemorar o aniversário da cidade já teve 100 mil visitantes.

Do G1 PR, com informações da RPC TV
5 comentários
O Prefeito de Palmeira, cidade nos Campos Gerais do Paraná, Edir Havrechaki (PSC) decidiu não realizar a festa para comemorar o aniversário da cidade. Em vez disso, ele vai usar os R$ 600 mil destinados para a Expo Palmeira na construção de um viaduto, sobre a BR-277, que cruza a cidade e a liga com Curitiba.
Havrechaki alega que a cidade não tem dinheiro para fazer as duas coisas neste ano e que preferiu dar mais atenção à obra do que para comemoração da cidade, devido aos acidentes constantes no trevo por onde passa a rodovia. “Infelizmente, é um recurso que não estava previsto e a prefeitura não teria nem condição orçamentária, nem financeira. A gente priorizou a obra porque está se tratando de vidas”, explicou o prefeito. Só neste mês de janeiro, no local onde a obra será realizada duas pessoas morreram e outras sete ficaram feridas em acidentes.
Com os R$ 600 mil, a prefeitura deve arcar com a construção apenas do viaduto. Já as alças de acesso à cidade serão construídas pela concessionária que administra a rodovia.

Na cidade, os moradores ainda estão divididos com a decisão do prefeito. Nos últimos seis  anos, a Expo Palmeira ficou conhecida por levar à cidade vários shows nacionais. Em 2012, cerca de 100 mil pessoas estiveram na comemoração. “Se for para o bem da cidade, para salvar vidas, como o que eles estão falando, então a gente concorda. Agora, que vai fazer falta, vai”, afirma um morador.

Comércio da Rodoferroviária volta a funcionar em feverereiro



Comerciantes poderão ficar nos pontos por oito anos, conforme a licitação.
Concessão vai render R$ 6,9 milhões aos cofres municipais.

Do G1 PR

Antigos empresários da rodoferroviária tiveram que sair dos pontos comerciais (Foto: Reprodução/ RPC TV)Antigos empresários da rodoferroviária tiveram que
sair dos pontos comerciais
(Foto: Reprodução/ RPC TV)
Os novos estabelecimentos comerciais da rodoferroviária de Curitiba devem começar a funcionar em fevereiro. O processo licitatório de concessão foi homologado na sexta-feira (24) e, a partir de segunda-feira (26), os contratos serão assinados. Os empresários terão o direito de explorar os pontos por oito anos. A outorga deve render, de acordo com a prefeitura, R$ 6,9 milhões ao cofre municipal.
O processo para realizar a licitação dos espaços comerciais gerou atrito entre os antigos proprietários e a Urbanização de Curitiba (Urbs), que é a responsável pela administração da rodoferroviária. De acordo com o Executivo municipal, os empresários exploravam comercialmente o espaço há décadas, o que infringia a lei.

Segundo a prefeitura, o valor de outorga superou a estimativa inicial de R$ 700 mil. O montante será pago em parcelas, com um total, na primeira delas, de R$ 2,6 milhões. Os valores de permissão de uso, pagos mensalmente, oferecidos pelas empresas vencedoras variam de R$ 1.960,00 a R$ 14.317,50.

Ao todo, 12 empresários venceram a licitação e abriram os espaços no bloco interestadual. Serão lanchonetes, farmácia, guarda-volumes, livraria e revistaria, cyber café, salão de beleza, perfumes e cosméticos, artesanato e produtos de couro (bolsas, carteiras, malas e acessórios). As novas lojas estão dentro plano de ocupação elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc). Todo o processo de revitalização da rodoferroviária vai custar R$ 35 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal dentro do PAC da Copa. Desde que começaram as obras e os antigos comerciantes saíram dos espaços, foi montada uma pequena feira comercial na rodoferroviária.

Nova licitação
Um novo processo licitatório será aberto em 7 de fevereiro. A Urbs vai definir o gestor do restaurante do bloco interestadual. O edital, que está disponível do site da Urbs, prevê outorga de no mínimo R$ 333.234,00, e permissão de uso de, no mínimo, R$ 27.765,50.

O espaço destinado ao restaurante tem 163,35 metros quadrados e fica no piso superior, com amplas janelas que permitem a visão tanto da área de embarque e desembarque, quanto da praça do chafariz e estacionamento
.

Briga de vizinhos termina com um morto em Campina Grande do Sul


Por Roberto Romanowski

Uma briga entre vizinhos terminou em tragédia na tarde desta sexta-feira (24) na Rua Sagrado Coração de Jesus, em Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba.
Segundo a Polícia Militar, o pedreiro João Paulo Gonçalves do Nascimento, de 29 anos, estava em casa e lavava louças, quando foi chamado ao portão pelo vizinho que mora em frente. Ele teria pedido para o homem entrar e acabou assassinado. De acordo com moradores da rua, havia uma desavença entre os vizinhos, já há algum tempo.
O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba e a Delegacia de Campina Grande do Sul investiga o caso.

STJ nega inclusão de Hospital Evangélico em programa do SUS


Do STJ

O Superior Tribunal de Justiça negou o pedido de liminar à Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba que pedia a inclusão do Hospital Universitário Evangélico no Programa de Apoio e Qualificação de Hospitais Públicos e Filantrópicos do SUS Paraná. O hospital ingressou com mandado de segurança, reivindicando a formalização do convênio com o estado do Paraná e a liberação de verba destinada ao Programa de Apoio. Segundo o Hospital Universitário, a instituição presta 1 milhão e 500 mil atendimentos por ano, sendo 90% desse total pertencente ao SUS.
hospitalevangélico
Foto: Divulgação
A entidade reclamou da documentação exigida pelo Tribunal de Contas para a formalização do convênio e liberação da verba. O Tribunal de Justiça do Paraná considerou a exigência legal e negou o pedido do mandado de segurança. A instituição recorreu, sustentando que a decisão é contrária à Lei Complementar 101/00 (artigo 25, parágrafo 3º).
Ao analisar a liminar, o presidente Ministro Felix Fischer entendeu que não há urgência que justifique a decisão antecipatória. Além disso, ele constatou que não existe razão no direito invocado pela entidade e indicou o recurso para ser decidido pela Primeira Turma, após o recesso forense.

Trio é preso em hipermercado após cometer furto de mais de R$ 4 mil


Por Felipe Ribeiro e Roberto Romanowski

furtohipermercado
Foto: Roberto Romanowski – Banda B
Três homens foram presos na noite desta sexta-feira (24) após furtarem vários pares de tênis e peças de roupas em um hipermercado do bairro Portão, em Curitiba. De acordo com o cabo Justino, do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, os seguranças do estabelecimento perceberam a movimentação e logo entraram em contato com a viatura.
Um dos suspeitos chegou a fugir, também acabou preso por policiais do Bope. Ao todo, segundo os seguranças, contabilizaram R$ 4,1 mil em produtos furtados.
Dorli Eleotério, 39 anos, Marcos Peter de Oliveira, de 23, e Bruno de Lima Bein, de 24, foram encaminhados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul), onde devem ser autuados por furto qualificado.