Trio é preso por Força Tarefa com 784 pontos de LSD em bolso de calça


Por Elizangela Jubanski e Roberto Romanowski

LSD
Trio disse que droga seria revendida em festas e raves. Foto: RR/Banda B

Três homens foram presos transportando 784 pontos de LSD no fim da tarde desta quarta-feira (12), no bairro Tatuquara, em Curitiba. Eles foram detidos por meio de uma força tarefa entre a Polícia Federal e Militar.
De acordo com as polícias, a força tarefa começou devido ao grande número de denúncias por meio do 181 – Narcodenúncia. Moradores identificaram que nesse local existia grande comércio da droga e acionaram a polícia.
Em patrulhamento pela região, policiais viram um veículo Celta parado em uma rua. Era por volta das 18h40. Dentro do carro, três homens que ficaram nervosos com a abordagem. Antes de revisá-los, um deles contou que guardava drogas em um dos bolsos, conhecida pelo alto poder alucinógeno. A droga seria comercializada em casas noturnas e festas raves, de acordo com os suspeitos.
Segundo o delegado Cléo Mazzotti da Polícia Federal, a droga apreendida foi avaliada em R$ 40 mil. “A gente notou que a região estava tendo um número alto de narcodenúncia, então, deslocamos uma equipe para ir até lá e conversar com as pessoas. Esse carro foi abordado e uma grande quantidade de LSD foi encontrada, cerca de R$ 40 mil em dinheiro. É uma droga altamente usada por jovens”.
Os três foram encaminhados a delegacia e vão responder por tráfico de drogas. Um deles possui passagem por homicídio. Os nomes dos suspeitos ainda não estavam confirmados até o fim dessa reportagem.

Policial é preso em flagrante por tentar ‘subornar’ agressor em Curitiba


Da Redação com Polícia Civil

A Corregedoria Geral da Polícia Civil prendeu em flagrante, na manhã desta quinta-feira (13), um policial por utilizar a função para exigir dinheiro de outras pessoas e por guardar moeda falsa. O rapaz, de 28 anos, ocupava o cargo há pouco mais de dois anos, e trabalhava dentro do período de estágio probatório.
Ele foi capturado no momento em que tentava receber R$ 500 de um homem que havia sido conduzido a uma unidade policial por agredir a esposa, no último dia 11. A mulher não quis levar o processo para frente e o homem seria liberado ao natural no mesmo dia. Porém, mesmo sabendo disso, o policial exigiu o dinheiro do homem para o liberar. Como ele não tinha o valor na hora, eles combinaram de se encontrar na manhã desta quinta-feira (13), em um supermercado.
Ao ser preso, o policial também estava com uma nota de R$ 100 falsa na carteira. Depois de autuado em flagrante na Corregedoria, o investigador de 5.ª classe foi conduzido à carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) e irá responder pelos crimes junto à Justiça Estadual e à Justiça Federal. Ele também responderá um processo disciplinar, que deverá gerar a demissão do rapaz dos quadros da Polícia Civil.

Jovem assassinada voltava de balada e foi morta por discussão banal, diz investigador


Por Marina Sequinel e Luiz Henrique de Oliveira

Policiais civis avançam na investigação sobre a morte de uma jovem de 19 anos que chocou moradores de Araucária, na região metropolitana de Curitiba, na madrugada desta quinta-feira (13). Eles descobriram, a partir do depoimento da amiga sobrevivente, que uma discussão banal durante um “encontro” teria motivado o crime.
Segundo o investigador Marcos, a colega da vítima marcou de sair para uma balada com um rapaz em Curitiba. “Cada um levou um amigo e, depois que eles saíram da festa, os jovens seguiram de carro para outro lugar. Foi quando começou a discussão, porque o amigo do rapaz convidado estava dirigindo em alta velocidade”, explicou o investigador à Banda B.
As meninas começaram a reclamar da atitude do motorista. Ele perdeu o controle e, furioso, teria atirado nas duas. Luana Blanc foi assassinada e a amiga foi socorrida para o hospital em estado grave. “Foi o amigo do rapaz o responsável pelos tiros, de acordo com a garota que está internada”, completou Marcos.
A Delegacia de Araucária já possui imagens do autor dos disparos e do rapaz que estava junto com ele. A polícia trabalha para apurar a identidade correta dos suspeitos e localizá-los.


SESSÕES DE HEMODIALISE EM ITU ATRASAM POR FALTA D'ÁGUA


Clínica diz que precisou esperar que a caixa d'água fosse enchida.
Águas de Itu informou que cumpriu cronograma e fez entrega de manhã.

Do G1 Sorocaba e Jundiaí

Pacientes de hemodiálise esperam por água em clínica de Itu (Foto: Cláudia Regina Nascimento/Tem Você)Pacientes esperam chegada de água em clínica (Foto: Cláudia Regina Nascimento/TEM Você)
O transtorno pela falta d'água em Itu (SP) atingiu nesta quinta-feira (13) pacientes de hemodiálise que tiveram que esperar por horas em uma clínica até o início das sessões - que só começaram depois que um caminhão-pipa passou pelo local para encher a caixa d'água. A cidade está sob racionamento e o abastecimento é feito apenas das 6h às 17h.
O atraso ocorreu na clínica Lund, que fica na Vila Nova. Filha de uma paciente, a moradora Claudia Regina Nascimento enviou uma foto dos pacientes á espera por meio da ferramenta TEM Você. Segundo ela, a sessão da mãe, marcada para começar às 10h30, só teve início depois das 11h30. "É um descaso total com quem precisa de tratamento", reclamou.

A Águas de Itu, concessionária responsável pelo fornecimento de água na cidade, disse que cumpriu o cronograma de entrega a hospitais, clínicas e postos de saúde que combinou com a prefeitura, e que não há horário determinado - apenas que essa entrega começa pelos hospitais com Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que toda a água seria entregue pela manhã, o que efetivamente ocorreu.
A clínica Lund informou que fez o pedido na noite de quarta-feira (12) e que, pela falta de abastecimento por meio da rede normal, precisou aguardar que a caixa d'água fosse enchida para poder iniciar os procedimentos de hemodiálise.
Alternativa
Caminhões-pipa também estão sendo a única opção de abastecimento para moradores das regiões mais altas da cidade, que há mais de uma semana não recebem água nas torneiras. A empresa diz que o nível dos reservatórios é insuficiente para que a água possa ser bombeada até esses bairros, e que está fazendo o atendimento aos moradores com quatro caminhões-pipa. Eles também têm recorrido a bicas que existem na cidade.
A alternativa que o tatuador Diogo Cirilo encontrou foi  armazenar água nos baldes, mas para isso é preciso gastar. Segundo ele, em dez dias já foram gastos mais de R$ 200. "Já comprei litros de água em caminhão, em galões e garrafas. É muito gasto", reclama.
Na Vila Martins, segundo os moradores, não tem água há mais de 10 dias. De acordo com o aposentado Vicente Ferreira, tanto gasto deve ser ressarcido. "Precisamos escovar os dentes, tomar banho, tomar água e como será tudo isso? Quem vai nos pagar?”, reclama.
Segundo a empresa de meteorologia Climatempo, a previsão da temperatura para esta quinta-feira (13) é de máxima de 35ºC e mínima de 21ºC, com possíveis pancadas de chuvas à tarde e à noite.

Velório de cinegrafista no Rio gera comoção e críticas à falta de segurança


13 de fevereiro de 2014
O corpo do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade foi velado na manhã desta quinta-feira (13) no  Memorial do Carmo, no Caju, zona portuária. No local, ele recebeu as últimas homenagens de parentes, amigos e profissionais da imprensa e do diretor da emissora para a qual trabalhava, antes de ser cremado, em cerimônia reservada à família.
Dezenas de jornalistas compareceram ao velório para noticiar o fato ou se despedir. Muitos usavam uma camisa com os dizeres “Poderia ter sido qualquer um de nós”. O repórter cinematográfico morreu esta semana depois de ser atingido por um rojão disparado durante a cobertura, no último dia 6, de uma manifestação no centro do Rio pelo aumento das passagens de ônibus, que passaram de R$ 2,75 para R$ 3.
A viúva do cinegrafista, Arlita Andrade, lembrou que Santiago amava a profissão. “O sonho dele era ser repórter cinematográfico e ele ficava muito preocupado com a violência. Ele dizia: realmente está muito violento”, declarou, emocionada, antes de fazer um apelo. “Queria pedir para todos: sejam mais amigos, mais tranquilos e tenham mais amor uns pelos outros.”
A repórter da TV Bandeirante Camila Grecco, que participou de várias coberturas jornalísticas ao lado de Santiago, contou que ele sempre se preocupava com a equipe e com a própria segurança. “Se ele soubesse que estava em situação de muito risco, jamais estaria lá”, disse.
Companheiro de trabalho de Santiago por 11 anos, o cinegrafista Sérgio Colonezi também contou que Santiago era cauteloso. “As pessoas dizem que, nós, cinegrafistas, abusamos um pouco do perigo. O Santiago era o contrário, era cauteloso. Quando chegava em local e tinha um tiroteio ou confusão, ele ficava longe, falava ‘não estou aqui para tomar pancada de ninguém’”.
A filha de Santiago, Vanessa Andrade, que também é jornalista, aproveitou para exigir segurança aos profissionais da Bandeirantes e disse que a morte do pai não será em vão.  “Vou exigir que a Band dê segurança ao seus funcionários não vou deixar essa história morrer”, declarou.
velório cinegrafista
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil
O diretor de Jornalismo da TV Bandeirantes, Fernando Mitre, que esteve no memorial, reconheceu que é preciso rever os procedimentos para as coberturas e cobrou investigações sobre crimes cometidos nas manifestações. “Temos que rever tudo isso [cobertura]. Estamos sob impacto dessa emoção profunda, mas é preciso rediscutir tudo. Do jeito que está não é possível.”
O Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro acionou ontem (12) o Ministério Público do Trabalho (MPT) para cobrar uma investigação sobre as más condições de trabalho na TV Bandeirantes no Rio e por submeter funcionários a situações de risco. O cinegrafista Santiago estava sem equipe e sem nenhum equipamento de segurança quando foi atingido pelo rojão.
Todas as demais empresas de comunicação que atuam na cidade também serão notificadas para “cumprir normas básicas de segurança para os trabalhadores”.
FONTE: AGÊNCIA BRASIL

Polícia Civil pode paralisar atividades na próxima quinta-feira


13 de fevereiro de 2014
Os agentes da Polícia Civil anunciaram uma paralisação nas atividades na próxima quinta-feira. Os policiais reivindicam melhores condições de trabalho, além de uma negociação salarial e reclamam pela superlotação nos presídios e delegacias. A paralisação deve afetar o atendimento à comunidade além de outros serviços.
O Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná garante que não haverá greve total, mas que os agentes vão realizar passeata e uma assembleia para decidir a continuidade do movimento, que deve seguir com apenas parte do efetivo em atividade.

Prefeitura de Curitiba nega que exista uma data para definir reajuste da tarifa ao usuário


Redação*

onibus3
Atualmente, a passagem de ônibus de Curitiba é de R$ 2,70 – Foto: SMCS

A assessoria da prefeitura de Curitiba rebateu a informação divulgada pelo Portal Banda B nesta quinta-feira (13),  de que existiria uma data – 26 de fevereiro – estabelecida em contrato, para a definição do reajuste da tarifa do transporte em Curitiba e região. A informação, de que haveria a data, veio de uma declaração do prefeito Gustavo Fruet, em entrevista ao Jornal Tribuna do Paraná, nesta quarta-feira (12).
“Por contrato da licitação, em fevereiro, no dia 26, tem que estabelecer o reajuste da tarifa. Estamos trabalhando com todo cuidado e transparência, dando todas as informações”, disse Fruet à Tribuna. A assessoria confirmou que o prefeito disse exatamente esta frase, mas garantiu que ele se referia à tarifa técnica e não à tarifa para o usuário. Tarifa técnica é o valor repassado às empresas de ônibus por passageiro que, com os subsídios, acaba sendo sempre maior do que o usuário efetivamente paga. A data do dia 26, prevista em contrato, é para a definição da tarifa técnica.
De acordo com a assessoria, não há nenhuma definição neste momento em relação a algum reajuste da tarifa ao usuário e nem uma data para isso.  Atualmente, a passagem de ônibus de Curitiba é de R$ 2,70.
A discussão sobre o reajuste da tarifa acontece este ano em um momento tenso para o transporte da Rede Integrada. Por um lado, motoristas e cobradores cobram o reajuste da data base, ocorrida no último dia 1º. Do outro, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) já determinou uma redução de R$ 0,43 na chamada tarifa técnica, com base no trabalho realizado por uma comissão que auditou o sistema de transporte coletivo da cidade e região e apontou 18 irregularidades. E no meio desse imbróglio, a Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon) abriu, nesta semana, uma investigação com base no relatório do TCE, que apontou irregularidades na concorrência. A investigação corre em sigilo.
Entre os vários indícios constatados, o relatório aponta vícios na publicação do edital de licitação, feito sem a aprovação plena da assessoria jurídica da URBS, conforme prevê a lei, e que influenciou no valor da tarifa.
Questionado sobre o assunto, Fruet comentou a investigação. “É um fato novo, uma linha de investigação que vai se somar a outras frentes com relação à licitação. Isso vai ter encaminhamento jurídico e policial. Da nossa parte é assegurar que o sistema funcione com qualidade e melhorando”, disse o prefeito à Tribuna.

Jovem com roupas de balada é assassinada e amiga baleada na RMC; foto


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
mulher assassinada dentro
Luana morreu na hora (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Um crime brutal chocou os moradores do Jardim Primavera, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, no fim da madrugada desta quinta-feira (13). Luana Blanc, de 19 anos, foi assassinada, e a amiga dela, Tainara Sampaio, de 17, baleada e socorrida em estado grave. As duas estavam com roupas de balada e a informação da Polícia Militar (PM) é que o atirador estava em um veículo Gol bola de cor branca.
O tenente Biscaia, da PM, falou com a Banda B sobre o atendimento no local de morte.“Inicialmente caiu na nossa tela duas vítimas baleadas, quando chegamos a Luana já estava em óbito e amiga dela, de 17, foi levada pelo Siate ao Hospital Municipal de Araucária”, descreveu o tenente, que destacou a hipótese do atirador conhecer as vítimas. “As duas meninas estavam no carro com o rapaz que seria o responsável pelos tiros”, contou.
A população acompanhou o trabalho da PM e não se conformava com a violência na região. “Eu ouvi quatro tiros e muita gritaria. Quando sai de casa vi que a vítima é uma menina com salto alto. A gente fica preocupado, mas aqui a situação é sempre tensa”, disse um morador.
A Delegacia de Araucária investiga o caso e corre atrás da informação de quem seria o motorista do Gol que estava com as vítimas.

Carga de leite some e polícia descobre que produto estava à venda em mercados de irmãos


Da Redação com PC


Policiais civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) prenderam em flagrante, nesta quarta-feira (12), os irmãos Maicon Ronei da Cunha, 29 anos, e Marcelo Fernando da Cunha, 32 anos, pela prática do crime de receptação dolosa qualificada. Eles são acusados de praticar um golpe contra uma empresa paranaense que produz leite
DIVULGAÇÃOSUPERMERCADO
Supermercado em que leites eram vendidos (Foto: Divulgação Polícia Civil)
Segundo o delegado-adjunto da DEDC, Matheus Laiola, no início deste mês, a empresa Latco. em Francisco Beltrão. foi vítima de um golpe. Saiu de sua empresa grande quantidade de leite, cerca de três mil litros, porém, a carga foi desviada, não sendo paga. Depois de investigações, os policiais descobriram que a mercadoria foi entregue nos supermercados de propriedade dos irmãos Cunha.
Os policiais se deslocaram para o Supermercado Agrimar, localizado na Rua Enette Dubard, nº 295, bem como em outro mercado do mesmo grupo, localizado na Rua Doutor Cezar Pernetta, nº 483, ambos no Tatuquara, em Curitiba. Os estabelecimentos comercias pertenciam aos irmãos Cunha.
“A suspeita se confirmou. Foi encontrada grande quantidade da mercadoria desviada, cerca de três mil litros de leite”, disse Laiola.
Aos policiais, os irmãos confirmaram que não havia nota fiscal. Em interrogatório, acompanhados de advogado, disseram que iriam se manifestar apenas em juízo, não apresentando nota fiscal dos produtos.
Conforme Laiola, trata-se de um típico golpe/estelionato ocorrido em Francisco Beltrão, sendo que a mercadoria foi receptada pelos supermercados dos irmãos Cunha. “Eles foram autuados em flagrante e se condenados poderão pegar até oito anos de prisão”, disse Laiola.

Em seis horas, Almirante Tamandaré registra dois duplos homicídios


Por Luiz Henrique de Oliveira, Antônio Nascimento e Roberto Romanowski


Em seis horas o município de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, registrou dois duplos homicídios. O primeiro caso provocou a morte de dois amigos, por volta das 22h30, no Jardim Roma, e o segundo de um casal, às 4h, no bairro Alto Pinheiro.
Jardim Roma
TAMANDA DENTRO
Amigos tinham passagens pela polícia (Foto: Roberto Romanowski – Banda B)

No primeiro caso, dois homens foram executados às 22h30 desta quarta-feira (12), em Almirante Tamandaré. Segundo a Polícia Militar (PM), um homem usando roupas de motociclista chegou a um sobrado na Rua Aides Ângelo de Oliveira, no Jardim Roma, invadiu a residência e abriu fogo contra Reinaldo Adriano da Silva, de 31 anos, também conhecido como “Cabeção”,  e Antônio Moacir França, de 40, que tinha o apelido de “Paraná”.
De acordo com as PM, foram vários disparos, provavelmente de revólver, já que cápsulas não foram encontradas. O Siate chegou a ser deslocado, mas as vítimas já estavam em óbito. O atirador, embora estivesse usando roupas de motociclista, teria fugido a pé, de acordo com testemunhas.
“Chegando no local encontramos os dois mortos na residência e os moradores não deram muitas informações. Os familiares da vítima também não deram muitos esclarecimentos. Foram tiros na cabeça para matar mesmo. Os dois tinham passagens pela polícia e isso pode ter alguma relação com o caso, que deve ser um acerto de contas”, descreveu à Banda B o tenente Werner, da PM.
Alto Pinheiro
Pouco depois do primeiro duplo homicídio, um casal foi executado a tiros no bairro Alto Pinheiro, também em Almirante Tamandaré. De acordo com a PM, por volta das 4h houve muita confusão na casa em que moravam Marlos Cristiano Beloto, de 24 anos, e Jaqueline Souza Dias de Oliveira, de 16. Os dois foram executados.
Segundo o soldado Polisceno, enquanto Marlos levou tiros de pistola, sua namorada foi esfaqueada até a morte. “Aqui muita pouca coisa foi apurada, porque aconteceu na madrugada e o pessoal estava dormindo. O que sabemos é que teve uma luta corporal entre as vítimas e os autores, que começou na casa e acabou no quintal”, descreveu.
A Delegacia de Almirante Tamandaré investiga os casos.

Motorista que matou casal em acidente com táxi paga fiança e sai da cadeia


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

galeriadentro
Motorista fez bafômetro e deu alteração. Foto: AN/Banda B
O motorista que provocou o acidente que matou o casal de passageiros em um táxi no Centro de Curitiba saiu da prisão na noite desta quarta-feira (12). Wagner Horst, de 26 anos, dirigia um Peugeot e estava embriagado quando se envolveu no acidente, na manhã da última sexta-feira (7), no cruzamento da Rua 24 de Maio com a Doutor Pedrosa. Lidia Vega Kafski, 50 anos, e Celso Rodrigues Nunes, 60 anos, morreram no local.
Horst estava detido na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) e pagou fiança no valor de 15 salários mínimos, cerca de R$ 10 mil. “Ele é réu primário, é trabalhador e vai responder em liberdade”, confirmou o advogado do motorista Luis Roberto Zagonel. Segundo ele, Horst está bem abalado com o caso. “Foi um acidente. Ele está bem abalado”.
O alvará de soltura foi expedido pela 2ª Vara do Tribunal do Júri. O teste de bafômetro realizado logo após o acidente comprovou que ele estava bêbado na colisão. De acordo com o delegado Rodrigo Brown de Oliveira, da Dedetran, o índice de álcool no sangue dele era de 0,80 mg/l, considerado alto para o delegado.
Identidade
O passageiro que morreu no táxi tinha uma extensa ficha criminal. Conhecido como Celsão, ele era foragido do sistema penitenciário e acumulava 14 páginas de passagens pela polícia. A outra passageira não tinha passagem pela polícia e não há informações sobre que tipo de relacionamento os dois tinham.
De acordo com o delegado Brown, os mandados de prisão contra Nunes eram de furtos, violência doméstica, furtos de veículos, entre outros. “Desde 1977 ele consta com passagens pela polícia em Curitiba e na região metropolitana. A lista é extensa”, completou. O foragido morava em Curitiba.

Tombamento de caminhão interdita BR-116 após vazamento de combustível


Da Redação


Um tombamento de um caminhão carregado com combustível, por volta das 8h10 desta quinta-feira (13), interdita a pista sentido Curitiba da BR-116, no km 53, em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), já há registro de filas no local do acidente, uma vez que, por volta das 9h, não havia previsão de quando a pista seria liberada. Um caminhão do Corpo de Bombeiros do posto Cabral está a caminho da BR-116 para conter o vazamento. O Instituto Ambiental do Paraná, o IAP, também pode ser acionado.
Ainda segundo a PRF, ninguém ficou ferido no tombamento.

Polícia de Curitiba prende dupla que tentou matar aposentado em Santa Catarina


Por Marina Sequinel e Juliano Cunha
dupla
Pedro e Alexandre tentaram matar um homem de 52 anos no ano passado. (Foto: Divulgação – Polícia Civil)

A polícia de Curitiba prendeu, nesta semana, dois jovens acusados de tentativa de homicídio em Joinville, Santa Catarina, no ano passado. Na ocasião, Pedro Marcelino Costa e Alexandre Stazyszen, ambos com 20 anos de idade, deram cinco tiros em um homem de 52 anos, jáaposentado.
Tudo começou quando Pedro passou a dividir uma residência com a vítima, para quem deveria pagar o aluguel. Segundo o investigador Henrique da Polícia Civil, o jovem viveu no local por três meses e fugiu sem pagar as contas, levando a motocicleta dele, uma Bandit 650, que custa cerca de R$ 20 mil.
“Um tempo depois, Pedro entrou em contato com o proprietário e disse que quitaria todas as dívidas. Ele chegou na residência com Alexandre, conhecido como “Rato”, e começou a ameaçar a vítima. Eles diziam que tinham ido ali para matá-lo e levar todas as coisas dele”, relatou o investigador à Banda B. Em seguida, Alexandre sacou a arma e atirou no homem. Ele conseguiu fugir, mas foi atingido por cinco disparos.
A vítima foi socorrida a tempo e levada a um hospital, onde foi internada. Ela sobreviveu e ainda se recupera dos ferimentos. Nesta semana, o serviço de Inteligência da Polícia Civil conseguiu localizar e prender Pedro em um shopping de Curitiba. Já Alexandre foi encontrado no bairro Santa Quitéria, onde morava há algum tempo e participava do tráfico de drogas. Os dois foram encaminhados para a delegacia.
Atitude suspeita
Logo depois que Pedro fugiu da casa com a moto Bandit, o aposentado havia postado na rede social Facebook uma foto do veículo e oferecido recompensa para quem conseguisse devolvê-lo. Em certa ocasião, um homem marcou um encontro com a vítima, dizendo que tinha encontrado a motocicleta.
O aposentado foi até o local combinado e ligou para o homem de um telefone público. A voz disse então, para ele deixar o envelope com o dinheiro da recompensa e fugir, porque senão seria morto. A polícia suspeita que a mesma dupla teria enganado a vítima antes da tentativa de homicídio.

Pizzaiolo é preso acusado de abusar de crianças em Curitiba


Da Polícia Civil

Policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prenderam, na tarde do último dia 6, Rogério Augusto Galvão Ducca, por estupro de vulnerável. Ele já tinha um mandado de prisão expedido contra ele pelo juízo de São Miguel do Iguaçu.
No dia 13 de setembro de 2010, os pais da vítima comunicaram a polícia que a filha menor havia sofrido abuso sexual naquela manhã. O acusado, na época, era pastor de uma Igreja Evangélica.
estuprador-120214-bandab
(Foto: Divulgação/Cope)
Galvão morava em Curitiba há três anos e trabalhava como pizzaiolo, mudava frequentemente de local de trabalho e não permanecia por muito mais que 30 dias em cada pizzaria. Em alguns locais, não apresentava documentação alguma e, quando pressionado a fazê-lo, dizia que não trabalharia mais naquele local.
Segundo o delegado-titular do Cope, Edward Ferraz, que acompanhou as diligências, Galvão responde processo na Polícia Federal. O preso encontra-se recolhido no Cope e posteriormente será encaminhado a cidade de São Miguel do Iguaçu.

Bandido é morto depois de assaltar adega no Campo Comprido; proprietária saiu atrás e foi baleada


Por Elizangela Jubanski e Roberto Romanowski

confronto-santos-andrade
Suspeito foi identificado no IML. Foto: RR/Banda B
Um assalto a uma adega na rua Eduardo Sprada, no bairro Campo Comprido, em Curitiba, deixou um bandido morto no fim da tarde desta quarta-feira (12). A dona do estabelecimento foi ferida na perna ao tentar impedir a fuga do bandido, segundo a Polícia Militar. Ela foi socorrida e passa bem. Maikon Simões dos Santos foi ferido com dois tiros e morreu na hora.
O suspeito invadiu a adega e anunciou o assalto. Na fuga, com R$ 150 do estabelecimento, o suspeito foi perseguido até a rua pela proprietária. Nesse momento, então, ele teria disparado um tiro na direção na perna dela. Vizinhos acionaram o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate). Ela foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador com fratura.
confronto-santos-andrade2
Policiais não ficaram feridos. Foto: RR/Banda B
Testemunhas também acionaram a polícia e informaram que Santos fugiu em direção a uma região próxima. Viaturas da PM identificaram o bandido pelas características dentro de uma casa na rua Olívio Zagonel, no Santos Andrade. De acordo com o tenente Fabris, do 12º BPM, o suspeito não acatou a ordem de prisão e atirou contra os policiais.
“Tínhamos informação de quem viu ele fugindo, então iniciamos uma perseguição. Quando chegamos aqui, ele não acatou as ordens e atirou contra a equipe, que revidou. Felizmente ninguém ficou ferido da nossa corporação. Nosso objetivo é sempre prender, mas temos que prezar pela nossa vida”, explica. Ele morreu com dois tiros no peito.
Com ele, a polícia encontrou um revólver calibre 38. Não há informação se essa casa onde o suspeito estava era da família dele ou de conhecidos. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Polícia identifica homem que teve corpo incendiado no Cajuru


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

O corpo do homem encontrado incendiado no último dia 7 na Rua Desembargador Mercer Júnior, no bairro Cajuru, em Curitiba, foi identificado por familiares nesta quarta-feira (12). José Wilson dos Santos, de 35 anos, era morador de rua e há sete meses morava no bairro.
De acordo com o delegado Fábio Amaro, da Delegacia de Homicídios (DH), o corpo estava enrolado em um colchão e a ação provavelmente foi motivada para, ludibriar a polícia. “A vítima tinha um ferimento muito contundente na cabeça, inclusive uma pedra foi apreendida no local. Então é possível que o corpo tenha sido queimado após a morte, para ludibriar a polícia”, disse.
Segundo Amaro, o passo agora é levantar informações sobre possíveis desavenças de Santos com outras pessoas, para aí sim chegar a suspeitos. A DH investiga o caso.

Panificadora é assaltada no Bom Retiro e comerciante já não sabe mais o que fazer


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique


PANIFICADORA
No local da ocorrência (Foto: Bruno Henrique – Banda B)
A medida de fechar o estacionamento e evitar a entrada de bandidos pela porta lateral não adiantou e, nesta quarta-feira (12), pela primeira vez no ano, mas pela quarta nos últimos seis meses, a panificadora Jocasta foi assaltada. A situação é preocupante e os comerciantes da Rua Mateus Lemes, no bairro Bom Retiro, em Curitiba,pedem mais segurança.
Segundo testemunhas, por volta das 10h de hoje eram três homens armados que entraram pela frente e renderam a funcionária que estava no caixa. Eles levaram o dinheiro do cofre e também R$ 50 de um cliente. Em seguida, os marginais fugiram em um Punto com placas clonadas quem foi abandonado em quadras próximas.
A Polícia Militar realiza buscas na região, mas até o momento ninguém foi localizado. Assustados, os funcionários não quiseram gravar entrevista. Eles apenas pediram mais segurança.