Bandidos matam pai e ferem filha de seis anos no Fazendinha; eles podem ter errado de vítima


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique


Um crime brutal choca os moradores da Vila Estrela, no bairro Fazendinha, em Curitiba. O mecânico Daniel Pimenta de Lima, de 31 anos, morreu assassinado no final da noite deste sábado (13). Na mesma situação, sua filha, de seis anos, ficou ferida com um tiro no ombro, já que os bandidos, em um carro Prata, dispararam várias vezes contra o Fiat Uno em que estava a menina, o pai e também a esposa dele.
UNOdentro
Marca dos tiros no carro em que pai morreu e filha foi baleada (Foto: Banda B)
O que chama a atenção no caso é que a vítima não tinha passagens pela polícia e, com isso, não está descartada a possibilidade de que os atiradores tenham confundido o alvo. “Essa possibilidade de fato existe, mas vai ficar a cargo da Delegacia de Homicídios apurar”, afirmou àBanda B o tenente Ekerman, da Polícia Militar.
Segundo o tenente, foram quatro tiros contra Daniel. “Ele chegou a ser socorrido por parentes ao Hospital do Trabalhador, mas não resistiu. Sua filha também levou um tiro de raspão, mas por sorte está bem”, descreveu.
O corpo de Daniel foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Confusão em bar e em posto de combustíveis terminam em morte em Curitiba; fotos


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique


Uma madrugada muito violenta em Curitiba e também na região metropolitana neste domingo (13). Um homem foi assassinado dentro de um carro no bairro Cajuru, outro na canaleta de ônibus na Av. Winston Churchill, no bairro Capão Raso. Ainda, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, um homem foi executado após sair de uma festa.
Cajuru
belinadentro
Vítima tinha brigado em um bar (Foto: Banda B)

Na Rua João Tobias de Paiva Neto, Láercio Medeiros, de 39 anos, foi executado a tiros dentro de uma Belina. A informação da Polícia Militar (PM) é que ele voltava de um bar, onde teria arranjado confusão.
“Ele é um trabalhador, sem passagens pela polícia, e parece que o caso tem a ver com essa confusão anterior. Os atiradores emparelharem e dispararam várias vezes, acertando três tiros contra a cabeça do rapaz”, disse à Banda B o soldado Rossini, da PM.
Capão Raso
pinheirinho dentro
Confusão em posto motivou assassinato (Foto: Banda B)

Na Av. Wiston Churchill, foi executado com vários tiros Jofferson Fernando da Silva. Ele morreu na canaleta de ônibus após ter se envolvido em uma discussão em um posto de combustíveis.
“Ele estava neste estabelecimento em uma Astra, com outros rapazes, quando aconteceu a confusão. Saiu pela canaleta e recebeu os tiros de ocupantes de um Gol G5, de cor branca. Ninguém ficou para contar história e são apenas essas a informações que temos”, contou àBanda B o tenente Ekerman, da PM.
Colombo
colombodentro
Vítima teria brigado em uma festa (Foto: Banda B)
Na Vila Liberdade, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, foi executado um jovem de 25 anos, ainda não identificado. Ele tinha saído de uma festa e foi perseguido por homens armados.
“O pessoal aqui não falou muita coisa sobre o que aconteceu. Ele pode ter brigado nesta festa, mas nós não temos mais informações”, relatou à Banda B o socorrista Lima, do Corpo de Bombeiros, que atendeu o local de morte.
A Delegacia de Homicídios de Curitiba e a Delegacia de Colombo investiga os casos.

Londrina vence o Maringá nos pênaltis e volta a ser campeão após 22 anos de espera


Por João Pedro Alves



Não foi fácil, não foi sem emoção, mas a espera acabou: o Londrina é campeão do Campeonato Paranaense após 22 anos. O título da histórica centésima edição do estadual foi conquistada na tarde deste domingo (13) nos pênaltis, após um empate em 1 a 1 com o Maringá no tempo regulamentar. Mesmo diante de um estádio Willie Davids lotado, o Tubarão acabou superando a pressão para bater a Zebra por 4 a 3 nas batidas da marca da cal.
Desde 1992 o Paranaense não era decidido por duas equipes do interior, desde 1992 o Londrina não sabia o gosto de conquistar a taça do estadual. Naquela oportunidade, o time do norte do estado derrotou o já extinto União Bandeirante para se sagrar tricampeão na época.

Decisão começa agitada, com chances e rede balançando em ambos os lados
Depois de 22 anos sem uma final exclusivamente do interior, Maringá e Londrina se encontraram no estádio Willie Davids para os 90 minutos finais que decidiriam para onde iria a taça da centésima edição do Paranaense. Com o empate em 2 a 2 na ida, não existia nenhuma vantagem de resultado para qualquer lado. O único fator que desequilibrava era o mando de campo maringaense, que foi bem aproveitado pela Zebra desde o apito inicial.
Empurrado pelos quase 19 mil torcedores presentes nas arquibancadas, o Maringá entrou em campo disposto a não deixar o adversário respirar e impôs uma pressão incessante principalmente nos 15 primeiros minutos. Foi neste período que parecia que a bola entraria a qualquer momento. Nas melhores chegadas, Max acertou o travessão em uma pancada de dentro da área, Gabriel Barcos teve o chute parado pelo goleiro Vitor e uma cabeçada chegou a ser afastada pela defesa londrinense em cima da linha.
O Tubarão conseguiu suportar esse abafa ileso e decidiu responder na mesma moeda: atacando. Foi só forçar a saída de trás que conseguiu chegar bem à frente. E com bem mais eficiência que os alvinegros, diga-se de passagem. Maicon Silva que o diga. Forte no apoio, o lateral-direito se arriscou ofensivamente aos 26 minutos, fez fila nos marcadores que apareceram pela frente até invadir a área e tocou rasteiro para as redes para fazer um golaço.
A animação explodiu na torcida alviceleste que era minoria no Willie Davids, mas a comemoração não durou muito. Durou três minutos, mais precisamente, até que o Maringá deixasse tudo igual. Foi aos 29, quando um levantamento na área foi feito da esquerda, houve um pequeno desvio e o artilheiro Cristiano aproveitou para testar no canto e cravar o 1 a 1 no marcador.
A partir de então, o equilíbrio se instaurou no gramado com um jogo aberto causado pelas tentativas de ataque de ambos os lados.  motivo era claro: só a vitória interessava. Várias jogadas foram armadas, mas a única que causou um perigo real de gol foi criada pela Zebra: em um contragolpe bem encaixado, Cristiano apareceu cara a cara com o goleiro e bateu para fora, mantendo o empate no placar.
Jogo segue aberto, mas placar não se altera e decisão vai para a marca da cal
O resultado parcial da partida levaria a decisão para os pênaltis, o que fez com que o gol virasse um grande objeto de desejo para o segundo tempo. Diante disso, o Londrina voltou mais organizado do intervalo, com maior posse de bola e melhor postado em campo. As primeiras chances, no entanto, foram do Maringá. Cristiano, de cabeça, e Gabriel Barcos, em um chute de dentro da área, só não marcaram porque encontraram pela frente um goleiro Vitor inspirado.
Foi basicamente esse o panorama traçado para a decisão no segundo tempo. A Zebra tinha uma postura mais contida, dando espaço para o adversário ir até o campo ofensivo, mas não deixava que passasse da intermediária mesmo com as inúmeras pontadas. Em contrapartida, o time da casa apostava nos contra-ataques para tentar chegar ao segundo gol que poderia representar o título.
Apesar do jogo continuar aberto e das equipes estarem à procura do gol, o número de oportunidades de gol caiu em relação à primeira etapa e os pênaltis pareciam ser o destino da decisão do estadual. Isso ficou claro porque um dos goleiros só foi voltar a trabalhar aos 36 minutos, quando Léo Maringá soltou o pé e Vitor espalmou. Mas tirando esse lance, os ataques estavam pouco inspirados.
Os técnicos fizeram mudanças na esperança de que um atleta com estrela pudesse sair do banco para decidir. Em campo, porém, nada se alterou de uma forma que o placar fosse alterado. Maringá e Londrina até tentaram, foram para cima e se arriscaram atrás do gol do título. Nada funcionou e o tempo regulamentar terminou mesmo com o empate em 1 a 1. Ou seja, a taça teria que ser disputada nas cobranças de pênalti.
Após cobranças perdidas, artilheiro manda fora e garante título do Tubarão
Se possível, é melhor sempre evitar que uma decisão vá para os pênaltis por ser uma disputa que depende de uma série de fatores. É técnica, é competência, mas também é preciso um pouco de sorte algumas vezes. A única certeza quando a bola vai para a marca da cal é que vem emoção pela frente.
Não foi diferente no Willie Davids, desde a primeira batida: Rone Dias, que inaugurou a decisão, parou na defesa de Ednaldo e colocou a tensão no ar pelo lado londrinense. Depois dele, Max e Piki converteram para o Maringá, enquanto Paulinho e Dirceu também balançaram as redes pelo Tubarão.
A Zebra estava na frente quando Fábio Martins não foi tão bem para a bola e viu Vitor defender sua cobrança. Na sequência, Silvio fez para o LEC, e Léo Maringá também marcou. O atacante Arthur, em sua última partida pelo alviceleste antes de se transferir para o Grêmio, fez seu papel e converteu a penalidade.
A pressão caiu sobre os ombros de Cristiano, artilheiro maringaense e da competição, que precisava colocar a bola lá dentro para dar sequência às cobranças alternadas. Diferente de outras 10 vezes que marcou durante o Paranaense, porém, o camisa 9 bateu para fora para dar fim à disputa: o Londrina se consagrava campeão após 22 anos.
FICHA TÉCNICA
MARINGÁ 1 X 1 LONDRINA (3 x 4 nos pênaltis)
Local: Estádio Regional Willie Davids, em Maringá (PR).
Data: 13 de abril de 2014, domingo.
Horário: 16h.
Maringá: Ednaldo; Reginaldo, Juninho, Fabiano e Baiano (Piki); Zé Leandro (Fábio Gomes), Serginho Paulista, Léo Maringá e Max; Cristiano e Gabriel Barcos (Fábio Martins).
Técnico: Claudemir Sturion.
Londrina: Vitor; Maicon Silva, Dirceu, Gilvan e Paulinho; Diogo Roque (Silvio), Bidia, Rone Dias e Celsinho (Lucas Gomes); Arthur e Joel (Alexandre Oliveira).
Técnico: Claudio Tencati.
Público pagante: 18.516 pessoas
Público total: 19.071 pessoas.
Renda: R$ 653.910,00.
Cartões amarelos: Baiano, Cristiano (MGA). Vitor, Bidia, Dirceu, Joel, Arthur (LEC).

Grave acidente com carro turbinado deixa mulher morta e homem ferido no Rebouças


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique
ACIDENTE DENTRO 1
Passageira morreu na hora no acidente (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Uma tragédia no trânsito no bairro Rebouças, em Curitiba, na manhã deste domingo (13), deixou uma mulher morta e um homem ferido. Um Gol branco turbinado rodou na pista, bateu contra um poste e, em seguida, acertou em cheio um muro, próximo ao estádio do Paraná Clube. A informação é que o motorista do Gol tentou frear na esquina da Rua Egenheiro Rebouças com a Felipe Camarão, após um Vectra tentar cruzar a preferencial. Não está descartada a possibilidade do carro turbinado estar em alta velocidade, mas isso apenas a perícia poderá precisar.
ACIDENTE DENTRO 2
Roda chegou a sair do eixo do carro (Foto: BH – Banda B)
A vítima fatal, passageira do Gol, foi identificada como Melissa César, de 28 anos. Ela foi jogada para fora do carro, que caiu sobre o seu corpo. O motorista do veículo, marido da vítima fatal, teve apenas ferimentos no braço, sendo encaminhado ao Hospital Cajuru. O Vectra, que teria se envolvido no acidente, não ficou no local. “A informação é que o motorista do Gol, ao ver o outro carro, freou bruscamente e aconteceu toda essa tragédia. O impacto foi no lado da passageira, que não resistiu aos ferimentos”, disse à Banda B o tenente Almeida, do Corpo de Bombeiros (CB).
A cena no local era chocante e vários curiosos acompanhavam o trabalho do Corpo de Bombeiros. A Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba é quem apura o caso. A especializada buscará imagens de câmeras de segurança de comércios da região.
DENOVO
Impacto foi no lado do passageiro do carro (Foto: BH – Banda B)

Jovem é encontrado assassinado no meio de rua em Campo Largo


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique 
campo largo dentro
No local da ocorrência (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Um jovem de aproximadamente 25 anos foi assassinado com um tiro na nuca durante a madrugada deste domingo (13) no bairro da Glória, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. Por volta das 5h, moradores ouviram tiros e, no início da manhã, o corpo foi encontrado.
O soldado Roque, da Polícia Militar (PM), falou sobre o caso à Banda B. “Fomos acionados e ao chegar a morte do rapaz foi constatada. Ele está com o capacete em uma das mãos, o que levanta a hipótese de que sua motocicleta tenha sido levada, tratando-se até de um possível caso de latrocínio (roubo seguido de morte)”, afirmou.
A Delegacia de Campo Largo apura o caso e tenta definir se foi uma execução ou um latrocínio.

Frio chega ao Paraná e minímas podem ser de 4°C com chance de geada


Por Luiz Henrique de Oliveira
GEADA-DENTRO
Registro de geada no ano passado na zona rural de General Carneiro (Foto: Gláucia Bonfá de Oliveira)

O frio parece ter chegado com tudo ao estado do Paraná neste início de semana. A previsão para amanhã é de que a miníma seja de 4°C em Palmas, na região Sul, com chances de acontecer a primeira geada do ano. Em Curitiba, a segunda-feira terá máxima de 18°C e miníma de 12°C, com as mesmas características se repetindo na terça-feira.
Pode-se dizer, que esta será a primeira queda mais brusca de temperatura no ano, porém ela não deverá atingir a capital de forma tão veemente, ficando mais focada na região Sul. A partir de quarta-feira, tanto em Curitiba, como no interior, as temperaturas devem subir gradativamente.
Confira a previsão de miníma para amanhã em algumas cidades do estado:
Palmas: 4°C
Curitiba: 12°C
General Carneiro: 6°C
Guarapuava: 5°C
Inácio Martins: 5°C
Lapa: 5°C

Menino de três anos baleado em Campo Largo morre no hospital


Da Redação




O menino de três anos, baleado durante uma discussão na noite do último dia primeiro, em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, morreu após mais de dez dias internado no Hospital Nossa Senhora do Rocio. Ele levou um disparo na nuca e não resistiu. O alvo do atentado era o padastro dele, Celso Ricardo de Melo, de 56 anos, que também ficou ferido.
Na semana passada, logo após o crime, o superintendente Job de Freitas, da Delegacia de Campo Largo, afirmou à Banda B que já tinha informação de quem seria o autor do disparo. “Foram dois homens que chegaram em uma motocicleta. Eles estavam armados e um já foi identificado. O Celso, que era o único alvo, é alguém com duas passagens por homicídio e está internado no hospital com ferimento no abdômen”, disse o superintendente logo após o atentado.
Nesta semana, o atirador se apresentou na delegacia, mas por não haver flagrante, responderá em liberdade.

Carro capota na BR-116 divisa de Curitiba e Colombo e jovem morre após ser jogada para fora do veículo


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique
peugeotdentro
Jovem morreu na hora (Foto: Bruno Henrique – Banda B)
Uma tragédia na BR-116, próximo ao trevo do Atuba, no limite de Curitiba e Colombo, no final da madrugada deste domingo (13). Uma jovem de aproximadamente 20 anos, identificada preliminarmente como Bruna, morreu após o carro em que ela estava capotar. A informação, não oficial, é que a vítima estaria no banco de trás sem o cinto de segurança e, por isso, teria sido jogada para fora do veículo.
Outras duas pessoas que estavam no carro, no banco da frente e usando cinto, tiveram apenas ferimentos leves. A informação é que o motorista perdeu o controle na rodovia, no sentido São Paulo, e invadiu a marginal, capotando por várias vezes. “São essas as informações que temos. Apenas a perícia vai comprovar se a menina estava sem cinto, mas tudo leva a crer que foi o que aconteceu”, afirmou à Banda B o agente Santana, da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
As vítimas que sobreviveram foram encaminhadas a hospitais de Curitiba. A Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran) deve apurar os detalhes do acidente.