Jovem ‘operado’ em ambulância morre no hospital; família nega que ele incomodava comerciantes


Da Redação

O jovem de 20 anos, que foi ‘operado’ dentro de uma ambulância do Samu após ser esfaqueado no Centro de Curitiba, não resistiu e morreu no Hospital Cajuru durante o começo da tarde desta quarta-feira (21). Durante o socorro, comerciantes afirmaram que ele era usuário de drogas e incomodava a eles há algum tempo, mas através das redes sociais da Banda B, a família da vítima negou que ele atrapalhasse essas pessoas.
morrehospital
Foto: Bruno Henrique – Banda B
O jovem Lucas Menegasse Monteiro chegou a ser salvo por um procedimento rápido, mas após mais de duas paradas cardíacas, ele não resistiu. O rapaz chegou a ter o tórax aberto pela equipe médica para que a lesão fosse corrigida com bombeamento de sangue diretamente no coração.
A vítima se envolveu em uma briga na Rua Saldanha Marinho, em frente a uma faculdade, e acabou levando uma facada a dois centímetros do coração. Ele era usuário de drogas. A situação aconteceu entre a Alameda Doutor Muricy a Rua do Rosário.
A Polícia Militar (PM) ainda não encontrou o autor das facadas.

Polícia prende quadrilha que usava Maçonaria para aplicar golpes na RMC; vídeo


Da Redação com Polícia Civil
maconaria1
Envolvidos no esquema. (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

Policiais civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (21), a Operação Castelo de Areia, em Curitiba e Campo Largo, na região metropolitana. A Grande Loja Mista do Rito Memphis-Misraim, um luxuoso templo maçônico em forma de castelo, localizada em Campo Largo, era a sede de um grupo de maçons irregulares, não reconhecidos pela Maçonaria.
castelo-maconaria-210514-bandab
Um luxuoso templo maçônico em forma de castelo era a sede de um grupo de maçons irregulares. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)
Esse grupo usava programas de televisão e sites para anunciar a associação à rede, prometendo lucros aos participantes, que inicialmente teriam que contribuir para poder entrar e, na sequência, eram lesados, esquema aos moldes de uma pirâmide. Estima-se que eles deram um prejuízo em torno de R$ 4 milhões. Foram presas sete pessoas e cumpridos onze mandados de busca e apreensão.
Segundo o delegado da DEDC, Matheus Laiola, as reuniões de uma “pseudo Maçonaria” eram feitas em um luxuoso templo no formato de um castelo. O casal Samuel Mineiro da Trindade, de 34 anos, e Bianca Moreira da Silva, de 28, eram responsáveis pela Loja Maçônica. Eles e outras seis pessoas, também presas na manhã desta quarta, participavam da organização criminosa.
Através do programa Maçonaria da TV, veiculado em um canal de televisão e no site www.grandeloja.org.br, as vítimas eram convidadas a investir em um negócio que lhe dariam ótimo rendimento. “Era utilizada a estrutura da suposta Maçonaria e dos membros como pano de fundo para tentar dar credibilidade aos negócios”, disse Laiola.
maconaria
Entre os presos está o casal responsável pela Loja Maçônica. (Foto: Juliano Cunha – Banda B)
As possibilidades de investimentos estavam nos negócios da Grande Loja Mista do Rito de Memphis-Misraim, como na venda de material de iniciação, apostilas que ensinam os rituais, CDs com mensagens e programa na televisão que permite angariar novos adeptos, dentre outros. “Os membros que se apresentavam às vítimas estavam sempre com veículos de luxo, ostentando riqueza”, lembrou o delegado.
Trindade e Bianca apresentavam o programa na televisão vestidos de maneira a dar um ar de seriedade e ao mesmo tempo de ostentação. Eles posavam para fotos que seriam postadas no site vestidos com roupas luxuosas e ao lado de carros valiosos.
Depois de conseguirem a vantagem ilícita, eles começavam a se esquivar do pagamento, momento em que a vítima percebia ter caído em um golpe.
“Foi montada toda uma estrutura criminosa, com divisão de tarefas de cada indivíduo, para, juntos, lesarem o patrimônio alheio. Representamos pelas prisões preventivas de todos os envolvidos e diversos mandados de busca e apreensão, tendo o Ministério Público concordado e o Judiciário aceito integralmente”, disse Laiola.
“Conseguimos apreender diversos documentos durante o cumprimento dos mandados comprovando o que estávamos investigando. Apreendemos, inclusive, uma arma de fogo com um dos investigados, que acabou sendo preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Esta é mais uma Operação da DEDC em que acabamos desmantelando uma outra Quadrilha que agia no Paraná”, explicou o delegado-titular da DEDC, Marcelo Lemos de Oliveira.
Além de Trindade e Bianca, foram presos preventivamente José Geraldo Ferreira, 55 anos, Marcelo Lopes Reinecken, 33 anos, Edson da Cunha Souza, 52 anos, Paulo Henrique Costa, 49 anos, e Eloir Antônio Padilha, 52 anos.
Participaram da operação 50 policiais civis lotados na DEDC, Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Núcleo de Repressão aos Crimes Econômicos (Nurce) e Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre).
Assista ao momento da abordagem no player abaixo:

Bandidos arrombam carro de professora e levam até provas não corrigidas em Curitiba


Por Luiz Henrique de Oliveira e Elizangela Jubanski


Sabe quando você vai mal em uma prova e torce para que alguma coisa aconteça com ela. No caso dos alunos menos estudiosos de uma professora de inglês de um curso de Curitiba houve o que comemorar. Cômico, se não fosse trágico. A professora, deixando a brincadeira de lado, é mais uma vítima da violência em Curitiba. Ela deixou as provas não corrigidas em uma bolsa no porta-malas de seu carro estacionado na região do bairro Alto da XV e, em menos de trinta minutos, os ladrões furtaram, nesta terça-feira (20).
bolsa
(Foto: Imagem Ilustrativa)
“Eu sai do trabalho e fui até um café na Atílio Bório. Fiquei só meia hora e quando voltei roubaram o meu pneu reserva, laptop e a mochila com todo o material de aula que estavam no porta-malas. Eram provas que eu entregaria esta semana. São duas turmas pequenas de inglês, com menos de dez alunos, mas que também foram afetadas”, contou à Banda B.
A professora enviou uma foto ilustrativa de como é a mochila furtada pelos ladrões. Ela lamentou o que aconteceu e explicou qual será o procedimento por parte da escola. “Agora vai ser aplicada uma nova prova. O professor sempre teme e faz de tudo para que isso não aconteça. Eu deixei tudo fechado e fui ao café, porque pretendia voltar rapidamente. Em menos de meia hora estava de volta e o meu carro já arrombado”, descreveu.
Quem tiver informações sobre alguma bolsa parecida com essa, deixada em algum local de Curitiba com documentos de uma professora, pode entrar em contato com a Banda B pelo telefone: 3240-7500.

Suspeito reage a abordagem e morre em confronto com a polícia em São José dos Pinhais


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

sjpdentro
Arma do suspeito, usada no confronto. Foto: Banda B

Um suspeito com cerca de 25 anos morreu durante um confronto com policiais da Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone) na noite desta terça-feira (20), em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ele teria trocado tiros com policiais em uma abordagem. Policiais estão na região há semanas intensificando abordagens e prisões de traficantes, na tentativa de coibir a criminalidade.
A abordagem aconteceu na rua Divonzir Luciano no Jardim Independência, por volta das 23 horas. O homem fugiu da abordagem e teria sacado uma arma e disparado contra os policiais, que revidaram.
Ele não portava documento oficial e a identificação oficial vai depender de exames complementares. Com ele, a polícia encontrou uma pequena quantidade de crack, dinheiro em notas trocadas e um revólver calibre 32 com uma munição deflagrada.
“Aqui a criminalidade é alta. Ele não acatou a abordagem, sacou a arma e revidamos. Estamos intensificando o policiamento para combater crimes de maior intensidade”, disse o tenente Mário da Rone à Banda B.
Também
No fim do mês passado, um homem também morreu em uma troca de tiros, no mesmo local, depois de uma abordagem policial.

Ângelo Betinardi (PMDB) no Programa Mesa Redonda dos BLOG'S - OUÇA O ÁUDIO

Renato da farmácia no Programa Mesa Redonda dos blogs - OUÇA O ÁUDIO




Polícia Federal faz operação contra pornografia infantil no Paraná e em outros 13 estados


Redação com PF



Pelo menos três pessoas foram presas em flagrante, nesta quarta-feira (21), durante ação de combate ao crime de difusão de imagens com conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes pela internet. Deflagrada pela Polícia Federal, a Operação Proteja Brasil colocou nas ruas de todo o país cerca de 200 policiais para cumprir 40 mandados de busca e apreensão em 14 estados: Alagoas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina e Tocantins.
As primeiras prisões ocorreram em Goiás, Rio Grande do Sul e Paraná. De acordo com a Coordenação da Operação da PF, no decorrer do cumprimento das cautelares de buscas e apreensão, existe a possibilidade de diversas autuações de prisão em flagrante.
Coordenada pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil pela Internet (URCOP), a Proteja Brasil é parte de uma série de ações de prevenção e repressão, com o objetivo de conter os crimes de abuso e violência sexual infantojuvenil no Brasil, principalmente, no período da Copa do Mundo.
As últimas três operações da PF para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes prenderam 100 pessoas acusadas de cometer esse tipo de crime. De janeiro de 2013 até o dia de hoje, 1441 inquéritos foram instaurados para investigar crimes de pornografia infantil.

Policiais civis acusados de tortura dizem que foram impedidos de coletar DNA no Caso Tayná


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique



Os doze policiais civis do Alto Maracanã, em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, acusados de tortura no Caso Tayná não conseguiram realizar o procedimento de coleta de material genético na manhã desta quarta-feira (21). A coleta estava marcada  a partir das 9h30 no Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba, mas os policiais alegam que não foi permitida a entrada do médico indicado pela defesa do grupo para acompanhar o procedimento. Eles então se recusaram a fazer a coleta.
O procedimento dos policiais aconteceria de maneira aleatória e seria confrontado com o DNA encontrado na garota. A jovem Tayná desapareceu no dia 25 de junho de 2013 e foi encontrada morta três dias depois, em um terreno baldio de Colombo, na região metropolitana de Curitiba.
Segundo os policiais acusados, a direção do Instituto de Criminalística impediu a presença do médico indicado pela defesa durante a coleta. Embora, segundo os policiais, um documento autorizasse a presença do médico do grupo. Os policiais não são suspeitos nesse caso e forneceriam material genético de maneira espontânea para o caso.
O resultado seria anexado ao inquérito sobre a morte da garota que está sendo investigada pelo delegado Cristiano Quintas, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).
De acordo com o advogado de defesa dos policiais, André Romero, o Ministério Público do Paraná (MPPR) concordou em apresentar, primeiramente, um perfil genético do material colhido na garota, para então realizar a coleta dos policiais. “Os policiais jamais se recusaram a fornecer material genético, o que a gente estava pedindo é um perfil genético, uma contraprova, que tinha sido negado para a defesa, até então”, explicou.
Suspeitos
Os quatro funcionários do parque de diversões da região que foram apontados como suspeitos do crime já voltaram a participar do programa de Proteção à Testemunhas. Segundo as investigações da época, eles teriam confessado ter estuprado e matado Tayná. Depois, alegaram que sofreram torturas de policiais para que confessassem o crime. O paradeiro dos quatro é mantido em sigilo.

Briga em frente à universidade movimenta Centro; jovem levou facada perto do coração


Por Luiz Henrique de Oliveira e Bruno Henrique
centrodentro
Jovem de 18 anos ficou gravemente ferido (Foto: Bruno Henrique – Banda B)

Uma briga na Rua Saldanha Marinho, em frente  a uma faculdade, movimentou a região central na manhã desta quarta-feira (21). Um jovem de 18 anos, identificado apenas como Lucas, levou uma facada a dois centímetros do coração. Ele é um usuário de drogas que costuma dar trabalho aos comerciantes no Centro de Curitiba.
Vários curiosos e até estudantes acompanharam o trabalho dos bombeiros, que entubaram a vítima e encaminharam ao Hospital Cajuru, com risco de morte. “O agressor fugiu logo em seguida ao que aconteceu. Aqui é complicado, o Centro desta cidade que vai receber a Copa está tomado por usuários de drogas”, afirmou à Banda B um comerciante que não quis se identificar.
A situação aconteceu entre as Alameda Doutor Muricy a Rua do Rosário. “A situação do menino ali é bastante preocupante, aliás, já é faz tempo, por conta da situação social que vive”, concluiu o comerciante.
A Polícia Militar (PM) faz buscas na região para tentar prender o autor das facadas.

Ladrão cai de telhado de 8 metros e, sem conseguir se mexer, pede socorro a quem iria roubar


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

oficina
Dono da oficina acionou o Siate para socorrer ladrão. Foto: BH/Banda B

Ao chegar para trabalhar, o dono de uma grande oficina mecânica no bairro Campina do Siqueira, em Curitiba, levou um susto. Um ladrão de 34 anos caiu de uma altura de 8 metros do telhado e sofreu uma grave lesão na bacia. Eduardo Rodrigo Vitivinski estava na companhia de outro comparsa, tentando invadir o local, quando parte do telhado cedeu. O outro fugiu.
oficina-telhado
Telhado por onde o suspeito tentava entrar e caiu. Foto: BH/Banda B
De acordo com o proprietário, assim que chegou na oficina, por volta das 8 horas, ouviu gemidos na parte dos fundos do barracão, que fica na rua Mário Tourinho. O suspeito estava caído no chão,  não conseguia se mexer e pedia por socorro. O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado e fez o resgate do suspeito.
O suspeito contou aos socorristas que ele e um comparsa, conhecido como ‘Gigante’, estavam no telhado que, de repente, cedeu. Gigante conseguiu fugir, mas o Eduardo caiu de uma altura de 8 metros e teve uma grave lesão na bacia. “Parece que ele estava aqui faz tempo, pela posição e tudo mais”, disse o soldado Rudolfo. A Polícia Militar (PM) foi acionada e fez a escolta do suspeito até o Hospital Evangélico, para onde foi levado. Eduardo poderá responder por tentativa de furto.

Engenheira denuncia pedreiro que a ameaçou de morte e polícia descobre que promessa poderia ser cumprida


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento




Um pedreiro de 41 anos, de primeiro nome Cláudio, foi preso em flagrante pela Polícia Militar (PM) por porte ilegal de arma de fogo, na noite desta terça-feira (20). Durante a tarde, ele tinha brigado com a engenheira de uma obra em Curitiba e dito para ela: “Vou te matar”.
A engenheira procurou a PM e foi até a casa do pedreiro, no bairro Hauer, onde ficou confirmado que de fato a promessa poderia ser cumprida, já que muitas armas foram apreendidas. Quatro espingardas, um revólver calibre 38 e munições de pistola estavam escondidas na residência.
O suspeito foi autuado em flagrante no Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, onde está preso à disposição da Justiça.

Suspeito reage a abordagem e morre em confronto com a polícia em São José dos Pinhais


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

sjpdentro
Arma do suspeito, usada no confronto. Foto: Banda B

Um suspeito com cerca de 25 anos morreu durante um confronto com policiais da Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone) na noite desta terça-feira (20), em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ele teria trocado tiros com policiais em uma abordagem. Policiais estão na região há semanas intensificando abordagens e prisões de traficantes, na tentativa de coibir a criminalidade.
A abordagem aconteceu na rua Divonzir Luciano no Jardim Independência, por volta das 23 horas. O homem fugiu da abordagem e teria sacado uma arma e disparado contra os policiais, que revidaram.
Ele não portava documento oficial e a identificação oficial vai depender de exames complementares. Com ele, a polícia encontrou uma pequena quantidade de crack, dinheiro em notas trocadas e um revólver calibre 32 com uma munição deflagrada.
“Aqui a criminalidade é alta. Ele não acatou a abordagem, sacou a arma e revidamos. Estamos intensificando o policiamento para combater crimes de maior intensidade”, disse o tenente Mário da Rone à Banda B.
Também
No fim do mês passado, um homem também morreu em uma troca de tiros, no mesmo local, depois de uma abordagem policial.

Trio finge ser polícia, forja blitze, faz limpa na população, mas chinelo de dedo estraga tudo


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
coletedentro
Coletes apreendidos com os ‘poliças’ (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Trio finge ser polícia, forja blitze, Um trio de jovens foi preso em flagrante após se passar por policiais civis no bairro São Braz, em Curitiba, na noite desta terça-feira (20). Os ‘poliças’ forjaram uma blitze e apreenderam tudo o que vinham pela frente, só que se deram mal, após um morador perceber que algo estava errado e acionar a Polícia Militar (PM).
Os bandidos usavam coletes da Polícia Civil, cassetetes e até armas, conforme contou à Banda B o delegado José Sudário, responsável pelo flagrante. “A gente vê no Rio de Janeiro e em São Paulo aqueles arrastões, só que aqui em Curitiba o arrastão foi diferente. Eles se passaram por policiais, fizeram barreira, fingiam que checavam nomes e tudo mais”, descreveu.
De acordo com o delegado, um morador desconfiou do fato de um dos policiais estar usando chinelo de dedo. “Ele chamou a PM que prendeu todo mundo. Neste caso fica até configurado um roubo, porque eles usaram armas para retirar celulares e outras coisas de quem era abordado. É uma prática comum, mas que serve de alerta”, disse Sudário.
Os suspeitos estão detidos no Centro de Atendimento Integrado ao Cidadão, o Ciac-Sul, no bairro Portão, onde estão à disposição da Justiça.