Se não vier proposta, cobradores podem liberar catraca dos ônibus na quinta-feira



biaticulado_des
Catracas podem estar livres nesta quinta-feira (26). Foto: Reprodução
Os passageiros de Curitiba e região metropolitana podem não precisar pagar a passagem de R$ 2,70 nesta quinta-feira (26). A hipótese foi colocada pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), que ameaça promover uma greve de cobradores, com catracas livres. Isso pode acontecer caso não haja acordo entre a classe trabalhadora e as empresas de ônibus em reunião marcada no tribunal Regional do Trabalho nesta quarta-feira (25). A última paralisação geral da categoria aconteceu em fevereiro deste ano e durou três dias.
O presidente do Sindimoc, Dino César, em entrevista à Banda B, afirmou que a catraca livre pode acontecer caso a rodada de negociação não seja satisfatória para a classe. “Se tiver greve, essa é uma das hipóteses, com certeza. Seria uma mobilização direta dos cobradores e os motoristas trabalhariam normalmente em forma de protesto”, explicou.
A assembleia entre os trabalhadores e o sindicato aconteceu no sábado, quando decidiram aguardar as negociações em audiência do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR). “Se tiver proposta do setor patronal que venha de encontrou aos que os trabalhadores querem, temos autonomia, dada em assembleia, para fechar acordo. Caso contrário, vamos deflagrar a greve a partir da zero hora de quinta-feira”, conclui.
A audiência no TRT-PR está marcada para as 14h30 desta quarta com a desembargadora Ana Carolina Zaina. Ela deve reunir os sindicatos dos trabalhadores e patronal, URBS e Comec, para mais um passo nas negociações.
Urbs
A Banda B procurou a assessoria da Urbs, que informou que não vai se manifestar até a negociação desta quarta-feira.
.

Motociclista morre em acidente e moradores reclamam de falta de sinalização


acidente-180614-bandabdentro2
(Foto: Juliano Cunha – )

Um motociclista de 23 anos morreu após colidir contra um veículo Citroen C3 no bairro Lindóia, em Curitiba, na tarde desta terça-feira (24). O acidente aconteceu no cruzamento das ruas Avenida Santa Bernadethe com a Galileu Galilei.
Segundo testemunhas, a falta de sinalização foi um dos fatores que contribuiu com a tragédia. A condutora do C3, de 31 anos, fez o retorno na Avenida enquanto o ciclista descia a via. André Luiz Cardoso Lancoske bateu contra a porta do passageiro do veículo. A ambulância chegou rápido no local para prestar atendimento, mas nada pôde ser feito. Com o impacto, ele morreu na hora.
“Muita gente diz que o retorno é proibido, mas ninguém pode dizer que é, já que não há nenhum tipo de sinalização aqui. Acontecem muitos acidentes nessa esquina, não há fiscalização ou placas, é um absurdo. Antes tinha um radar aqui perto, mas tiraram”, disse o marceneiro Adir, um dos comerciantes da região, que presenciou a cena.
A motorista do C3 ficou bastante abalada com a tragédia. Ela estava com a Carteira Nacional de Habilitação suspensa. O tráfego no sentido Linha Verde ficou bloqueado para o atendimento da ocorrência. O corpo de André Luiz foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML).
A Banda B entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba, que informou que uma equipe de Engenharia da Secretaria  Municipal de Trânsito vai até o local para realizar uma vistoria e analisar quais medidas podem ser tomadas.

Fonte: Banda B

PM faz operação na Vila das Torres e é recebida a tiros; adolescente foi apreendida


Foto: Juliano Cunha - Banda B
Foto: Juliano Cunha – 

Viaturas da Polícia Militar foram recebidas a tiros e pedradas na tarde desta terça-feira (24) durante uma operação de combate ao tráfico de drogas na Vila das Torres, em Curitiba. De acordo com o tenente Cantador, essa é uma operação rotineira na qual a polícia busca prender uma minoria responsável pelos vários crimes provocados pela venda de entorpecentes no local.
“Logo após entrarmos na vila fomos recebidos dessa maneira hostil. Nós fazemos essas operações de surpresa justamente para prendermos essa minoria, já que enquanto não cessarmos os focos aqui, a criminalidade vai continuar”, disse.
Durante a operação desta manhã, uma adolescente foi apreendida e encaminhada à Delegacia do Adolescente.

Fonte: Banda B

Sarney anuncia a aliados que não vai disputar eleição


Aos 84 anos de idade, 60 deles dedicados à política, o senador José Sarney (PMDB-AP) comunicou a aliados que não vai se candidatar à reeleição ao Senado. Sarney justificou a aposentadoria dizendo que pretende ficar mais tempo ao lado de sua mulher, Marli, que está doente e vive em São Luís, capital do Maranhão. No entanto, pesou na decisão o cenário político desfavorável. Pesquisas locais mostram alta rejeição a Sarney no Amapá. Na segunda-feira (23) ele foi vaiado durante evento ao lado da presidente Dilma Rousseff, em Macapá.

"Conversei hoje com a presidente Dilma e disse a ela que a situação está muito complicada. Acredito que não vou concorrer ao Senado", disse Sarney ao presidente do PMDB do Amapá, o ex-senador Gilvan Borges. Ex-ministro do Turismo e aliado próximo da família Sarney no Maranhão, o deputado federal Gastão Vieira (MA) também disse ter sido comunicado da desistência.

No fim da tarde a assessoria de imprensa do gabinete de Sarney divulgou uma nota, assinada pelo funcionário Cléber Barbosa, confirmando a decisão de não concorrer este ano. "Essa decisão já estava tomada, comuniquei isso ao meu partido na semana passada. Entendo que é chegada a hora de parar um pouco com esse ritmo de vida pública que consumiu quase 60 anos de minha vida e afastou-me muito do convívio familiar", disse o senador, segundo seu assessor.

"Para ele é muito bom, acho importante essa decisão. Cada vez que ele vai para lá (Amapá) é uma dificuldade", afirmou ontem a governadora do Maranhão e filha do senador, Roseana Sarney. Segundo ela, a família o tem aconselhado a encerrar a vida pública. "Para mim, particularmente, está na hora", afirmou ela.

Reprodução


Margem de recuo
Apesar de ter ouvido do próprio Sarney o anúncio da aposentadoria, Borges ainda mantém a esperança de que o ex-presidente da República reveja a decisão - e enfrente mais uma campanha eleitoral - até o dia 30, data marcada para a convenção do PMDB-AP. "Estamos um pouco órfãos e vamos aguardar até o último minuto. Há um desejo, não só nosso do PMDB, de que ele seja candidato", afirmou Borges. "Espero que ele ainda se candidate", disse o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Será a primeira vez desde 1966, quando Sarney assumiu o governo do Maranhão, que nenhum integrante da família ocupa um cargo majoritário. Roseana (PMDB) está no fim de seu quarto mandato e não pode concorrer à reeleição. Os únicos membros do clã Sarney a disputar as urnas este ano serão o deputado Sarney Filho (PV-MA), o Zequinha, filho de Sarney, que vai se candidatar a mais um mandato na Câmara, e Adriano Sarney (PV), neto do senador, que disputará uma vaga na Assembleia do Maranhão.

Ao longo de 60 anos de política o senador perdeu apenas uma eleição, a primeira, em 1954, quando concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados. No ano seguinte, no entanto, ele assumiu uma cadeira no Parlamento na condição de suplente.

Embora tenha alegado motivos pessoais, o quadro político desfavorável foi determinante na decisão do senador. Pela primeira vez desde que Sarney mudou o domicílio eleitoral para o Amapá, em 1990, a possibilidade de uma derrota nas urnas era real. Pesquisas locais apontam alta rejeição ao nome do senador, que aparece em segundo ou terceiro lugar nos levantamentos de intenção de votos.

Além disso, ao contrário de eleições passadas, nas quais tinha apoio quase unânime no Estado, Sarney enfrenta a oposição do governador do Amapá, Camilo Capiberibe (PSB), e do prefeito de Macapá, Clécio Luís (PSOL). Em 2006, ao chegar ao quinto mandato de senador - dois pelo Maranhão e três pelo Amapá-, Sarney já havia enfrentado uma disputa difícil na qual foi eleito com margem de 5 mil votos. As informações são jornal O Estado de S. Paulo.

Após convenção, bancada do PMDB ainda ensaia discurso


Defensores da aliança com o PSDB de Beto Richa nem compareceram à primeira sessão da AL depois da derrota de sexta-feira

Sandro Nascimento/Alep
Romanelli: "Eu integrei o governo do Beto, temos uma relação de amizade e confio nele. Mas tenho de respeitar a legislação eleitoral"
Curitiba - Três dias depois da convenção que lançou o nome de Roberto Requião (PMDB) à disputa ao governo do Estado, os peemedebistas da Assembleia Legislativa (AL) ainda se mostravam divididos ontem. Embora o discurso oficial seja de apoio ao candidato do partido, alguns correligionários que defendiam a aliança com o PSDB admitiram que terão dificuldades de fazer campanha pelo senador. Nos bastidores, aliados do governador Beto Richa (PSDB) também se questionavam sobre quem teria "traído" a tese da coligação, tida por eles como favorita.

Quando a sessão plenária começou, pelo menos cinco parlamentares favoráveis à união com os tucanos estavam ausentes: Caíto Quintana, Luiz Eduardo Cheida, Stephanes Jr., Teruo Kato e Nereu Moura. Destes, apenas o último, que é o líder da bancada, compareceu mais tarde à votação. A AL possui 13 deputados do PMDB, sendo que somente dois - Anibelli Neto e Cleiton Kielse -, apoiavam publicamente Requião.

"Eu integrei o governo do Beto, temos uma relação de amizade e confio nele. Mas tenho de respeitar a legislação eleitoral", disse Luiz Cláudio Romanelli, ex-secretário de Estado do Trabalho e Economia Solidária. Segundo ele, sua única preocupação agora será com a própria reeleição. "Vou me dedicar de forma intensa, até porque devemos reduzir pela metade a bancada, para seis ou sete. Com isso, precisaremos fazer muito mais votos", afirmou. "Estou tranquilíssimo (com o resultado). Mas deixem passar 72 horas primeiro. Amanhã (hoje) eu falo", desconversou Alexandre Curi, um dos interlocutores junto ao governador.

Kielse e Anibelli, por sua vez, fizeram discursos a favor do senador. "A luta não foi fácil, mas dormimos em berço esplêndido com a convicção de que fizemos a coisa correta", comemorou o primeiro. "Conclamo todos os deputados, em uma demonstração de humildade e reconhecimento da vitória da candidatura própria, a se somar com a gente a partir do dia cinco de julho (quando conforme a legislação inicia a campanha eleitoral)", pediu Anibelli.

Conforme a ata da convenção, o PMDB terá 12 candidatos a deputado federal e 19 a federal. Para Nereu Moura, o ideal seria aumentar esse número, de forma a garantir que cada região do Estado conte com ao menos um peemedebista eleito. "Temos de ter a musculatura necessária para formar uma boa chapa. Vamos marcar uma reunião com o Requião e discutir isso", afirmou.

Moura falou ainda que a hora não é de buscar culpados. "Apoiei a coligação e agora vou apoiar o candidato do partido", garantiu. Na sexta-feira, 319 delegados votaram pela candidatura própria e 250 pela aliança. "Ou seja, a desobediência foi generalizada. Os comandados não seguiram os comandantes", opinou.

Que fase! após eliminação precoce, avião da Espanha é atingido por raio


Segundo diário espanhol AS, aeronave sofre impacto nos instantes finais do voo, já no procedimento de aterrissagem em Madrid, e ruído do impacto parece com explosão



O retorno precoce da seleção espanhola após a eliminação na Copa do  Brasil teve um susto incluído na bagagem. Segundo o periódico espanhol AS, pouco antes de aterrissar no aeroporto Adolfo Suárez, em Madrid, próximo às 12h (7h no horário de Brasília, o voo que levava a Roja de volta a solo espanhol foi atingido por um raio. De acordo com o jornal, o impacto foi do lado direito da aeronave e o ruído, parecido com o de uma explosão. 

O piloto rapidamente avisou que havia sido um raio e tranquilizou a tripulação e passageiros. O voo, além da comissão técnica, transportou 20 dos 23 jogadores que disputaram o Mundial no Brasil, já que Fàbregas, Diego Costa e Piqué permaneceram no país para aproveitar as férias. No momento da aterrissagem, cerca de 250 fãs esperavam a seleção. 

A Roja venceu sua última partida no Brasil, nesta segunda-feira, contra a Austrália, mas já estava precocemente eliminada do Mundial após ser derrotada por Chile e Holanda nas duas primeiras partidas. 
Embarque Espanha (Foto: Reprodução / Twitter)Embarque da Espanha, sem Piqué, Fàbregas e Diego Costa (Foto: Reprodução / Twitter)

Vendendo votos…quem dá mais??


23 de junho de 2014
Vejam só a que ponto chega a cara de pau de alguns que vendem a mãe, o pai e o voto por uns trocados, ou pelo menos tentam. Quem dá mais leva. Marcelo Almeida, articulador assumido (e milionário) da campanha de Requião recebeu uma mensagem de texto pouco antes da convenção e foi interessante. Tratava-se de um moço do interior de primeiro nome Robson que passou os dados da conta bancária dele e escreveu o seguinte:  “R$ 5 000 na mesa voto Requião”.
marcelo almeida
Marcelo respondeu: “vou mandar essa mensagem para Polícia Federal pois é crime a compra de votos”.
O vendilhão se apressou: “me perdoe, peço desculpas”.
Marcelo disse: “desculpado”
E o Robson, o vendilhão, finalizou como um bom borra botas: “parabéns pelo seu caráter. O Brasil precisa de pessoas assim. Boa sorte”.

Robson, o homem que pensou valer R$ 5 mil, não ganhou nem churrascada. Ficou sem o dinheiro e com frouxos intestinais.

Menino de 13 anos é apreendido com cocaína no Centro de Curitiba


Da PMPR


Alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSd) do 25º Batalhão de Polícia Militar (25º BPM), sediado em Umuarama (PR), durante patrulhamento na região central de Curitiba (PR), capital do estado, em virtude da Operação Copa, realizaram a apreensão de um adolescente com 198 buchas de cocaína. A ação ocorreu na tarde desta segunda-feira (23/06).
“Os alunos soldados realizavam patrulhamento pelas proximidades do terminal do Guadalupe, um dos mais movimentados da capital, por volta das 12h30, quando visualizaram um adolescente em atitude suspeita. Ao notar a aproximação dos policiais ele tentou fugir, mas foi abordado”, explica o responsável pela equipe, tenente Namur Hamilton Zandona, do 25º BPM.
BUCHASCOCAINA25BPMALUNOS
(Foto: Divulgação PMPR)
Durante busca pessoal, os alunos localizaram com o suspeito 198 buchas de cocaína. O adolescente, de 13 anos, foi encaminhado, juntamente com a droga, à Delegacia do Adolescente para serem tomadas as providências necessárias ao caso.
Os alunos soldados do 25º BPM fazem parte de uma grupo de mais de mil policiais militares de diversas unidades do estado que estão em Curitiba para reforçar o