Nada muda: Dilma vai entregar a taça para o campeão no domingo


DILMA-TAÇA-480x270

O Palácio do Planalto informou que a derrota de 7 a 1 da Seleção brasileira no jogo contra a Alemanha não muda a programação da presidente para a final de domingo, no Maracanã: Dilma Rousseff vai entregar a taça da Copa do Mundo para o campeão. Nesta semana, a presidente já havia anunciado que entregaria o troféu para a seleção vencedora, mas disse que gostaria que fosse o Brasil, o que não é mais possível.
Dilma deu entrevista nesta manhã para a emissora norte-americana CNN. Ela recebeu a equipe do canal no Palácio do Planalto.
Quem também esteve no palácio nesta quarta foi o presidente do PT, Rui Falcão. Ele se reuniu com o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini.
Falcão, que é um dos articuladores da campanha à reeleição de Dilma, disse que a derrota para a Alemanha não muda a estratégia do PT para a disputa eleitoral. Ele afirmou que está triste com a goleada e ainda criticou os que, segundo ele, querem crucificar a Seleção.

Volume de doações de sangue precisa aumentar 30% no Paraná


Doação de sangue. Foto: Venilton Küchler/SESA
Com a chegada do inverno as doações de sangue caem cerca de 40% no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar). Para manter os estoque regulares são necessárias de 150 a 200 doações por dia na unidade de coleta de Curitiba. Nas unidades do interior, este número é um pouco menor, mas também são necessárias doações frequentes.
O diretor do Hemepar, Paulo Hatschbach, explica que, em média, são coletadas 12 mil bolsas de sangue por mês no Paraná, mas este número precisa aumentar cerca de 30% para que não haja falta de sangue. O Hemepar distribui sangue e hemoderivados para 384 hospitais do Paraná. Destes, 42 são de Curitiba e Região Metropolitana.
“O sangue tem prazo de validade e por isso precisa ser reposto todos os dias. Além disso, nesta época do ano a média de doadores no Hemepar de Curitiba é de 80 a 100 doadores por dia”, reforça. Hatschbach enfatiza que sábado é o dia de maior movimento nos bancos de sangue. Em compensação, na segunda-feira quase ninguém doa. “Quem tiver a disponibilidade de doar nos dias úteis encontrará um movimento bem menor”.
O processo de doação dura cerca de 40 minutos, passando pela etapa de triagem clínica, triagem hematológica e a doação propriamente dita. É seguro, rápido e não prejudica a saúde do doador. Homens podem doar sangue a cada 60 dias, o que totaliza até quatro doações no período de um ano. Para as mulheres o intervalo de doação é de 90 dias, somando até três doações anuais.

Campanha começa a tomar corpo só após a Copa do Mundo


Os candidatos ao governo do Paraná preparam para a próxima semana, após o fim da Copa do Mundo, o início efetivo das campanhas. A propaganda passou a ser permitida no último domingo. Mesmo com o acirramento da disputa, os três nomes com cargos eletivos - o governador Beto Richa (PSDB), que tenta a reeleição, e os senadores Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) – não pensam em se afastar das atribuições durante a corrida eleitoral. Levando em conta o atual mandato dos três e o posto pleiteado nas urnas, a legislação eleitoral não obriga o afastamento, ao contrário de outras combinações de cargos ocupados e pretendidos.

Nos primeiros dias de campanha, Bernardo Pilotto (PSOL) fez reuniões de formação com partidários e finalizou detalhes. Com o material gráfico previsto para ficar pronto na quinta-feira, deve seguir com visitas em bairros e locais de trabalho em Curitiba, indo para o interior só a partir do dia 19 de julho.

Para ele, a coincidência com o Mundial de futebol é apenas um dos fatores que tornam a campanha morna no início, mas ele também leva em consideração a demora na definição de nomes pelos partidos e as regras burocráticas da disputa.

Candidato à reeleição, Beto fez reuniões com correligionários em Maringá, anteontem à noite, e deve trabalhar fora do horário de expediente. O coordenador da campanha, Eduardo Sciarra (PSD), diz que o governador não deve deixar o Palácio Iguaçu, pelo menos até a segunda quinzena do próximo mês. "Nada certo ainda sobre afastamento dele", afirma.

Geonísio Marinho (PRTB) diz que o interesse do eleitor pela Copa do Mundo "ajuda um pouco", uma vez que a primeira semana dá poucas possibilidades de publicidade. O partido conta com um início efetivo por volta do próximo dia 20. No caso de Gleisi, a campanha cumpre agenda planejada já há algum tempo, o que permitiu levar em consideração o esvaziamento com a seleção brasileira em campo, como ontem. Enquanto isso, ela visita as cidades menores do Paraná. A candidata vai aliar sua agenda com a do Senado, já que não há previsão de se afastar.

Já para Ogier Buchi (PRP), a Copa rendeu convites para assistir à partida contra a Alemanha em pelo menos oito lugares, conta o presidente da legenda, Jorge Luiz de Paula Martins. A expectativa é que, até sexta-feira, a plataforma de mídias sociais esteja pronta e, em dez dias, o material gráfico impresso. As viagens pelo Estado devem começar na próxima semana.

Roberto Requião também deve manter as atividades no Senado entre segunda e quarta-feira e fará campanha nos outros dias da semana. Deve se licenciar no último mês de campanha, segundo sua assessoria.

A campanha de Roberto Tomazini (PSTU) começou com visitas à feira livre de Sarandi, sua cidade natal, e em Maringá. No fim de semana, entretanto, segue para Curitiba, onde ficará concentrada a coordenação da campanha.

Tulio Bandeira (PTC) começou pela região sudoeste do Paraná, com reuniões com correligionários em Foz do Iguaçu, Cascavel e Umuarama. Porém, o presidente do partido, Marcelo Sampaio, admite que as atividades externas só começarão após o dia 13, quando se encerra a Copa do Mundo.

Romário declarou que o futebol brasileiro está falido

A falência do futebol brasileiro!




Galera,

passado o luto das primeiras horas seguidas da derrota, vamos ao que verdadeiramente interessa! Quem tem boa memória, vai lembrar da minha frase: Fora de campo, já perdemos a Copa de goleada!

Infelizmente, dentro de campo, não foi diferente.

Ontem foi um dia muito triste para nosso futebol. Venceu o melhor e ninguém há de questionar a superioridade do futebol alemão já há alguns anos. Ainda assim, o mundo assistiu com perplexidade esta derrota, porque nem a Alemanha, no seu melhor otimismo, deve ter imaginado essa vitória histórica.

Porém, se puxarmos da memória, vamos lembrar que nossa seleção já não vinha apresentando nosso melhor futebol há muito tempo. Jogamos muito mal. Infelizmente, levamos sete e, por mais que isso cause mal-estar, devemos admitir que a chuva de gols foi apenas reflexo do pânico, da incapacidade de reação dos nossos jogadores e da falta de atitude do treinador de mudar o time.

Vivemos uma crise no nosso esporte mais amado, chegamos ao auge dela. Acha que isso é problema só dos jogadores ou do Felipão? Nem de longe.

Nosso futebol vem se deteriorando há anos, sendo sugado por cartolas que não têm talento para fazer sequer uma embaixadinha. Ficam dos seus camarotes de luxo nos estádios brindando os milhões que entram em suas contas. Um bando de ladrões, corruptos e quadrilheiros!

O meu sentimento é de revolta.

Estou há quatro anos pregando no deserto sobre os problemas da Confederação Brasileira de Futebol, uma instituição corrupta gerindo um patrimônio de altíssimo valor de mercado, usando nosso hino, nossa bandeira, nossas cores e, o mais importante, nosso material humano, nossos jogadores. Porque não se iludam, futebol é negócio, business, entretenimento e move rios de dinheiro. Nunca tive o apoio da presidenta do País, Dilma Rousseff, ou do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Que todos saibam: já pedi várias vezes uma intervenção política do Governo Federal no nosso futebol.

Em 2012, eu apresentei um pedido de CPI da CBF, baseado em um série de escândalos envolvendo a entidade, como o enriquecimento ilícito de dirigentes, corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e desvio de verba do patrocínio da empresa área TAM. O pedido está parado em alguma gaveta em Brasília há dois anos. Em questionamento ao presidente da Câmara dos Deputados, sr. Henrique Eduardo Alves, mas ouvi como resposta que este não era o melhor momento para se instalar esta CPI. Não concordei, mas respeitei a decisão. E agora, presidente, está na hora?

Exceto por um vexame como o de ontem, o Brasil não precisaria se envergonhar de uma derrota em campo, afinal, derrotas fazem parte do esporte. Mas vergonha mesmo devemos sentir de ter uma das gestões de futebol mais corruptas do mundo. A arrogância dessa entidade é tão grande que até o chefe da assessoria de imprensa chega ao absurdo de bater em um atleta de outra seleção, como fez o Rodrigo Paiva contra um jogador do Chile Pinilla. Paiva pegou quatro jogos de suspensão e foi proibido de acessar o vestiário dos jogadores. Este ato foi muito simbólico e diz muito sobre eles. O presidente da entidade, José Maria Marin, é ladrão de medalha, de energia, de terreno público e apoiador da ditadura. Marco Polo Del Nero, seu atual vice, recentemente foi detido, investigado e indiciado pela Polícia Federal por possíveis crimes contra o sistema financeiro, corrupção e formação de quadrilha. São esses que comandam o nosso futebol. Querem vergonha maior que essa?

Marin e Del Nero tinham que estar era na cadeia! Bando de vagabundos!!!

A corrupção da CBF tem raízes em todos os clubes brasileiros, vale lembrar que são as federações e clubes que elegem há anos o mesmo grupo de cartolas, com os mesmos métodos de gestão arcaicos e corruptos implementados por João Havelange e Ricardo Teixeira e mantidos por Marin e Del Nero. Vale lembrar, que estes dois últimos mudaram o estatuto da entidade e anteciparam a eleição da CBF para antes da Copa. Já prevendo uma possível derrota e a dificuldade que eles teriam de se manter no poder com um quadro desfavorável.

E os clubes? Sim, eles também são responsáveis por essa crise. Gestões fraudulentas, falta de investimento na base, na formação de atletas. Grandes clubes brasileiros estão falindo afogados em dívidas bilionárias com bancos e não pagamentos de impostos como INSS, FGTS e Receita Federal.

E toda essa má gestão que tem destruído o nosso futebol, infelizmente, tem sido respaldada há anos pelo Congresso Nacional com anistias e mais anistia destes débitos. Este ano tivemos mais um projeto desses vexatórios para salvar os clubes. Um projeto que previa que clubes pagassem apenas 10% de suas dívidas e investissem 90% restante em formação de atletas. Parece até deboche. Uma soma de aproximadamente R$ 4 bilhões ou muito mais, não se sabe ao certo. Corajosamente, o deputado Otávio Leite, reconstruiu o texto e apresentou uma proposta honesta estruturada em responsabilidade fiscal, parcelamento de dívidas e a criação de um fundo de iniciação esportiva, com obrigações claras para clubes e CBF.

Em resumo, a nova proposta além de constituir a Seleção Brasileira de Futebol e o Futebol Brasileiro como Patrimônio Cultural Imaterial – obrigava a CBF a contribuir com alíquota de 5% sobre as receitas de comercialização de produtos e serviços proveniente da atividade de Representação do Futebol Brasileiro nos âmbitos nacional e internacional. O tributo também incidiria sobre patrocínio, venda de direitos de transmissão de imagens dos jogos da seleção brasileira, vendas de apresentação em amistosos ou torneios para terceiros, bilheterias das partidas amistosas e royalties sobre produtos licenciados. O valor seria destinado a um fundo de iniciação esportiva para crianças e jovens de todo o Brasil. Esses e outros artigos dariam responsabilidade à CBF, punição à entidades e outros gestores do futebol, a CBF estaria sujeita a fiscalização do TCU e obrigada a ter participação de um conselho de atletas nas decisões.

Mas este texto infelizmente não foi para a frente. Sete deputados alemães fizeram os gols que desclassificaram nosso futebol e nos tirou a chance de moralizar nosso esporte. Estes deputados, como todos sabem, fazem parte da Bancada da CBF, mudei o nome porque Bancada da Bola é muito pejorativo para algo que amamos tanto. Gosto de dar os nomes: Rodrigo Maia (DEM -RJ), Guilherme Campos (PSD-SP), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), José Rocha (PR-BA) , Vicente Cândido (PT-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Valdivino de Oliveira (PSDB-GO).

Essa partida ainda pode ser revertida com a votação do projeto no Plenário da Câmara. Será que esses sete deputados voltarão a prejudicar o nosso futebol?

O futebol brasileiro tomou uma goleada e a derrota retumbante, infelizmente, não foi só em campo. Nem sequer tivemos o prazer de jogar no Maracanã, um templo do futebol mundial, reformado ao custo de mais de R$ 1 bilhão. Acha que foi porque não chegamos a final? Não. Poderíamos ter jogado qualquer outro jogo lá. A resposta disso é ganância e arrogância. É a CBF que escolhe onde o Brasil vai jogar, mas, obviamente, poderia ter tido interferência do Ministério do Esporte e da presidência da República, mas nenhum destes se manifestou. Quem levou com essas escolhas?

Para fechar com chave de ouro, a CBF expulsou do vestiário Cafú, capitão de seleção do pentacampeaonato. Cafú foi expulso do vestiário enquanto cumprimentava os jogadores ontem. Este é o retrato do nosso futebol hoje, não honramos a nossa história.

Dilma tem sim que entregar a taça para outra seleção. Este gesto será o retrato do valor que ela deu ao nosso futebol nos últimos anos! Eles levarão a taça e nós ficaremos com nossos estádios superfaturados e nenhum legado material, porque imaterial, mostramos para o mundo que com toda nossa dificuldade, somos um povo feliz.

Essa será a taça da vergonha.

Texto: Deputado Federal Romário.

Ponte que liga municípios é queimada e moradores reclamam de prefeituras


 Por Marina Sequinel e Antônio Nascimento


Os moradores de Curitiba e de Colombo, na região metropolitana, não aguentam mais as precárias condições da ponte que liga os municípios entre o bairro Atuba, na capital, e o Jardim Campo Alto. Na manhã desta quarta-feira (9), a estrutura foi queimada por pessoas revoltadas depois que ela começou a ceder e os ônibus pararam de passar pela região, na rua Sebastião Gonçalves Pinto com a Adelino de Paula.
“Fazia todo esse tempo que as pessoas só usavam a ponte para ultrapassar o local a pé. Mas como elas pediam respostas para as duas prefeituras e nada foi feito, alguém resolveu colocar fogo na estrutura. Agora está inviável andar por aqui, não tem condição nenhuma”, explicou um morador, que preferiu não se identificar, em entrevista à reportagem.. Segundo os moradores, a Prefeitura de Colombo interditou a ponte para a passagem de veículos depois que a madeira começou a ceder. A estrutura foi construída há 20 anos a pedido de um ex-candidato a prefeito de Curitiba.
As pessoas que moram na região não sabem quem foi o responsável pelo incêndio, mas todos sofrem as consequências. “Isso é um absurdo. Enquanto ninguém soluciona o problema, quem sai no prejuízo são as pessoas que vivem e trabalham aqui, e precisam da ponte. Mas um órgão municipal fica jogando o problema nas mãos do outro”, relatou ele.
Respostas
A reportagem entrou em contato com as duas instâncias para relatar a situação e aguarda resposta. Em nota, a Prefeitura de Colombo informou que um estudo da sondagem de profundidade já foi realizado para a implantação de uma nova ponte no local, feita de concreto. A partir disso, um projeto será elaborado. Um convênio com o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) foi firmado para executar o trabalho, que deve ser realizado o mais rápido possível.
A Prefeitura de Curitiba informou que a Secretaria Municipal de Obras enviou em junho uma solicitação de investimentos ao programa de gestão de riscos, do Ministério da Integração Nacional, para a construção de uma ponte de concreto na rua. A secretaria também afirmou que está em negociação com a prefeitura de Colombo para dividirem os custos da construção da ponte. Um caminho alternativo aos moradores é uma ponte de concreto instalada a 300 metros da via de madeira.

Fonte Banda B

Farmacêutico que vendia medicamentos controlados sem prescrição é preso em Curitiba


Da Polícia Civil

Após receber informações de que uma farmácia estaria vendendo medicamentos controlados sem receita médica, policiais civis da Delegacia de Repressão aos Crimes da Saúde (Decrisa), sob o comando da delegada Araci Costa Vargas, com o apoio da Vigilância Sanitária, vistoriaram, na tarde da última segunda-feira (07), uma farmácia no bairro Sitio Cercado, em Curitiba. Durante a fiscalização no local, os policiais apreenderam diversos medicamentos controlados de venda restrita sem notas fiscais.
medicamentos
Foto: Divulgação Polícia Civil
Investigações apuraram também, que o estoque de medicamentos não estava cadastrado corretamente no órgão de fiscalização nacional, indício de que os remédios poderiam estar sendo vendidos sem receita médica. O farmacêutico responsável foi preso por tráfico de drogas, já que não estava seguindo as determinações legais efetuando a venda de medicamentos sem a exigência da receita médica.
A Decrisa, em conjunto com a Vigilância Sanitária, continua a vistoria para verificar outras irregularidades no estoque de medicamentos e na conduta do responsável técnico pela farmácia. As fiscalizações fazem parte da rotina da Decrisa, no cumprimento de sua função institucional de proteção à pessoa.
.

Acidente com três caminhões interdita pistas nos dois sentidos da BR-277; há ferido grave




Um acidente com três caminhões interditou faixas dos dois sentidos da BR-277, entre Curitiba e o litoral do Paraná, por volta das 16h30 desta quarta-feira (9). De acordo informações da Polícia Rodoviária Federal, ainda não foram apuradas as causas do acidente, já que os três veículos estavam no sentido Curitiba. Um dos motoristas ficou preso às ferragens e ficou em estado grave. Uma segunda vítima teve apenas ferimentos superficiais.
Em entrevista à Banda B, o PRF Pasqualini, um dos caminhões chegou a tombar sobre a mureta que separa as pistas no quilômetro 45, o que ocasionou o fechamento de uma pista também no sentido Paranaguá. “Não houve derramamento de carga, apenas há uma operação com guindaste para que a retirada de um contêiner”, disse.
Segundo a concessionária que administra o trecho, a Ecovia, duas faixas estão interditadas no sentido Curitiba e uma no sentido Paranaguá, mas como ali é um trecho de faixa estendida, o tráfego ainda flui normalmente.
As duas vítimas já foram encaminhadas ao pronto-socorro e não correm risco de morte.
.

Principais candidatos têm patrimônio superior a R$ 1 mi

Richa, com R$ 5,5 milhões em bens, teve a menor evolução patrimonial em quatro anos: 31%; Gleisi: salto patrimonial de R$ 659,8 mil para R$ 1,4 milhão em quatro anos, um aumento de 118%;Requião: evolução de bens desde 2010 foi de 49,3%, indo de R$ 797 mil para R$ 1,2 milhão


Em quatro anos, evolução patrimonial de Beto Richa, Gleisi Hoffmann e Roberto Requião teve variação positiva de 31% a 118%, segundo dados do TRE

Bens
Veja qual é o patrimônio dos candidatos ao governo do Paraná:
• Beto Richa (PSDB)
Patrimônio em 2010:
R$ 4,2 milhões
Patrimônio atual:
R$ 5,5 milhões
Aumento: 30,9%
• Gleisi Hoffmann (PT)
Patrimônio em 2010:
659,8 mil
Patrimônio atual:
R$ 1,4 milhão
Aumento: 118%
• Roberto Requião (PMDB)
Patrimônio em 2010:
R$ 797,2 mil
Patrimônio atual:
R$ 1,2 milhão
Aumento: 49,3%
• Geonísio Marinho (PRTB)
Patrimônio atual:
R$ 200 mil
• Rodrigo Tomazini (PSTU)
Patrimônio atual:
R$ 0,00
• Túlio Bandeira (PTC)
Patrimônio atual:
R$ 0,00
• Bernardo Pilotto (PSol)
TRE não divulgou o patrimônio
• Ogier Buchi (PRP)
TRE não divulgou o patrimônio
Riqueza
Em outros estados, concorrentes declaram aviões e carros de luxo
Agência Estado
Em outros estados, entre os candidatos a governador e senador há um grupo de donos de bens como aviões, lanchas e automóveis de luxo (Ferrari, Mercedes-Benz e BMW). O raio-X das declarações de patrimônio entregues à Justiça Eleitoral mostra, por exemplo, que a garagem do ex-presidente Fernando Collor (PTB), que tenta a reeleição ao Senado por Alagoas, tem 14 carros – incluindo uma BWW 760iA, avaliada em R$ 714,5 mil; uma Ferrari Scaglietti (R$ 556 mil); e uma Mercedes E320 (R$ 342,8 mil). O governador de Roraima, Chico Rodrigues (PSB), candidato à reeleição, é um colecionador de carros Mercedes. Ele tem quatro veículos da marca que, juntos, valem R$ 208,5 mil. O senador Ataídes Oliveira (Pros), que disputa o governo do Tocantins, informou ser o dono de um jato avaliado em R$ 7,5 milhões. O parlamentar tem ainda uma aero­nave Embraer avaliada em R$ 430 mil. Candidato à reeleição em Rondônia, o senador Acir Gurgacz (PDT) tem dois aviões – que custam R$ 1 milhão. Já o senador Lobão Filho (PMDB-MA) e os candidatos a governador Luiz Pitiman (PSDB-DF), Eduardo Tavares (PSDB-AL), José Filho (PMDB-PI), Eduardo Braga (PMDB-AM) e Simão Jatene (PSDB-PA) são donos de lanchas.
Os três principais candidatos ao governo do Paraná – o governador Beto Richa (PSDB), a senadora Gleisi Hoffmann (PT) e o senador Roberto Requião (PMDB) – têm patrimônio superior a R$ 1 milhão cada um. E enriqueceram de 31% a 118% nos últimos quatro anos. As informações, divulgadas ontem, constam das declarações de bens apresentadas ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE). Todos os candidatos que se inscrevem para concorrer a uma eleição têm de apresentar à Justiça Eleitoral a relação de bens que possuem.
Candidato à reeleição, Ri­­cha foi quem teve a menor evo­­lução patrimonial desde 2010, data da última eleição estadual. Enriqueceu 30,9%. Richa, porém, tem o maior patrimônio entre os principais candidatos ao governo: R$ 5,5 mi­­lhões. Em 2010, o candidato havia declarado R$ 4,2 milhões. Por meio de sua assessoria, Richa afirmou que sua evolução patrimonial “é compatível com aplicações bancárias” que realizou. O governa­­dor tem, por exemplo, R$ 1 milhão investido em ações.
Gleisi Hoffmann foi quem mais aumentou seu patrimônio desde que se elegeu senadora em 2010. Nos últimos quatro anos, ela dividiu o Senado com a chefia da Casa Civil da Presidência da República. No período, o patrimônio da candidata aumentou 118%, saltando de R$ 659,8 mil para R$ 1,4 milhão.
Dos cinco itens declarados em 2010, dois permanecem inalterados: um apartamento de R$ 245,5 mil em Curitiba e um automóvel ano 2009 no valor de R$ 88 mil. Depósitos bancários, ações e aplicações fi­­nanceiras, que somavam R$ 326,3 mil, não aparecem na de­­claração atual. O salto no pa­­trimônio se deveu a um apartamento, também em Curitiba, avaliado em R$ 1,1 milhão.
Por meio de sua assessoria, Gleisi explicou que o apartamento foi adquirido na planta e que “o pagamento foi efetuado em parcelas, durante a construção, com R$ 422 mil de recursos próprios”. De acordo com a senadora, o valor restante foi financiado na entrega do imóvel e será pago em 20 anos.
Requião também teve aumento considerável de patrimônio. Em 2010, o candidato declarou possuir R$ 797,2 mil em imóveis, veículos, objetos colecionáveis e dinheiro em espécie. Na declaração de bens atual, Requião informou patrimônio de R$ 1,2 milhão, um aumento de 49,3%. O crescimento ocorreu principalmente nos depósitos bancários: R$ 3.048,00 em 2010 e R$ 464,1 mil em 2014. A declaração de bens do peemedebista apresenta uma curiosidade: um veículo Ford 1928 avaliado em R$ 1.
Também por meio da assessoria de imprensa, Requião alegou que o dinheiro acumulado em suas contas é resultado dos salários recebidos nos últimos três anos e meio no Senado. Após os descontos, o vencimento de um senador é de R$ 18 mil.
Outros concorrentes
Dois candidatos ao governo estadual afirmaram não possuir nenhum bem: Rodrigo Tomazini (PSTU) e Túlio Bandeira (PTC). Geonísio Marinho (PRTB) informou ao TRE que tem um único bem, um imóvel no valor de R$ 200 mil. A Justiça Eleitoral não informou, até o fechamento da edição, a declaração de bens dos outros dois concorrentes ao Palácio Iguaçu: Bernardo Pilotto (PSol) e Ogier Buchi (PRP)
.

Vexame histórico vira piada nas redes sociais; confira as melhores


Da Redação
Quando o jogo estava 1 a 0 o clima era de tristeza e preocupação, mas quando você foi ao banheiro e voltou e já estava 5 a 0, virou piada na web. As redes sociais bombaram com a derrota do Brasil e várias brincadeiras foram compartilhadas no Facebook.
reportagem selecionou as melhores. Confira:
piada 15 piada 116
piada14
piada piada2 piada3 piada4 piada5 piada6 piada7 piada8 piada9 piada10 piada11 piada12

Incêndios em barracões de reciclagem mobilizam bombeiros em Curitiba




Dois incêndios em barracões de reciclagem mobilizaram o Corpo de Bombeiros (CB) nas últimas horas, nos bairros Uberaba e Parolin, em Curitiba. Confira os detalhes
Uberaba

incendiodentro1
Incêndio atingiu barracão no Uberaba 

Um grande incêndio aconteceu na tarde desta terça-feira (8), no bairro Uberaba, em Curitiba. O fogo teve início por volta das 17h em um barracão de reciclagens na Avenida Salgado Filho, próximo à Rua Coronel Amarildo dos Santos. Segundo o CB, dos 400 metros quadrados do local, 250 foram atingidos pelas chamas.
O fogo durou cerca de duas horas e  o grande número de material inflamável dificultou o trabalho dos bombeiros. De acordo com o tenente Zarpellon, foram necessários cinco caminhões e mais duas viaturas para apagar as chamas, que chegaram a atingir um condomínio residencial, que fica próximo ao barracão.
O fogo foi controlado no fim da noite e apenas danos materiais foram registrados. O dono do barracão contou que o trabalho foi encerrado uma hora antes do fogo começar, devido ao jogo do Brasil, e não soube dizer o que causou o incêndio.
Parolin
incendiodentro2
No Parolin, fogo ainda está sendo controlado 

O segundo incêndio em um barracão de recicláveis aconteceu no fim da madrugada desta quarta-feira (9), na Rua Daisy Luci Berno, no bairro Parolin, em Curitiba. No local, apenas danos materiais foram verificados, já que não havia ninguém dentro.
O dono do terreno, que se identificou apenas como Jamil, afirmou à reportagem que o imóvel estava alugado. “O contrato estava acabando. Acho que o rapaz tomou uns goles e acendeu alguma vela. O prejuízo vai ser grande”, afirmou.
No momento do fechamento desta reportagem, os bombeiros ainda trabalhavam para controlar as chamas.
.

Carro com placas de Curitiba bate contra árvore e jovem morre no interior do PR


Do Diário dos Campos
acidentedentro
Jovem morreu na hora e outro ficou gravemente ferido (Foto: Anderson Maciel – Diário dos Campos)

Um homem morreu em um acidente na manhã de ontem na BR-476, na região de São Mateus do Sul. A colisão aconteceu por volta das 10 h, no trecho entre São Mateus e União da Vitória, quando uma Fiorino com placas de Curitiba bateu em uma árvore e em seguida caiu em uma ribanceira.
O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar socorro, mas José Alexandre Anchieta Júnior, 20 anos, condutor do veículo, morreu na hora, enquanto que Leonardo Maia de Souza, 18 anos, ficou ferido em estado grave e foi encaminhado para o Pronto Socorro Municipal de São Mateus do Sul. O corpo de José Alexandre foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de União da Vitória.

Trabalhador é morto a tiros dentro de bar enquanto via jogo do Brasil




bar-cavo
Homem trabalhava na Cavo. Foto: DB/Banda B

Um homem de 35 anos foi assassinado durante o jogo do Brasil no fim da tarde desta terça-feira (8) no bairro Tatuquara, em Curitiba. O atirador invadiu o bar onde Valdilei Glinski estava e disparou dois tiros contra ele. Ninguém mais se feriu e o assassino ainda não foi identificado.
O crime aconteceu por volta das 18 horas, logo após o início do segundo tempo. Segundo informações de testemunhas, a vítima estava dentro do bar, na rua Otto Urban, quando o atirador chegou e disparou dois tiros contra a vítima.
Uma equipe do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionada, mas a vítima morreu na hora. De acordo com familiares, Glinski trabalhava na CAVO e não tinha envolvimento com o crime.
A dona do bar, Raquel de Oliveira, disse à Banda B que não viu o atirador. “Eu não vi nada, eu estava entregando troco. Tinha umas quatro pessoas aqui só hoje. Ainda bem, né? O cara estava dando risada, estava normal e de repente. Não teve discussão nenhuma, o cara entrou e fez isso”, descreveu.
A Polícia Militar informou que a vítima não tinha passagens pela polícia e que o motivo para o assassinato ainda é um mistério.
bar-saojose
Outro crime em bar, horas depois. Foto: DB/
São José dos Pinhais
Horas depois, a Polícia Militar (PM) recebeu informação de outro crime em um bar. Dois homens foram baleados na rua Aníbal Silva, no Jardim Independência, no bairro Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.
Cristiano Leonel da Silva, 33 anos, foi atingido por, pelo menos, sete tiros e morreu na hora. Outro homem, ainda não identificado, foi baleado com um tiro na perna e encaminhado sem gravidade ao Hospital São José.
Segundo os familiares, Silva teria assassinado uma pessoa por causa de R$ 20, recentemente. De acordo com a tenente Tonelli, mesmo tendo diversas pessoas no local ninguém soube passar informações sobre o atirador. “O alvo era mesmo a vítima porque o outro foi ferido de maneira superficial. Temos poucas informações e por isso pedimos ajuda da população”, disse.
O corpo do homem foi recolhido ao Instituto Médico Legal e a Delegacia de São José dos Pinhais investiga o caso.