Torcida alemã comemora o tetra com festa e funk em praia do Rio


Com gritos de 'Super Deutschand', alemães festejaram vitória no Leme.
Jogo acirrado não teve festival de cerveja como na partida contra o Brasil.



Grupo de torcedores alemães na Orla de Copacabana, Zona Sul  (Foto: Mariucha Machado/G1)Grupo de torcedores alemães na Orla de Copacabana, Zona Sul (Foto: Mariucha Machado/G1)
Desta vez sem o festival de cervejas como o oferecido na partida entre Brasil e Alemanha graças aos 7 gols marcados pela seleção de Joachim Low, a torcida alemã comemorou o tetracampeonato em uma festa com direto a funk carioca, DJ alemão e muita animação no Quiosque Tor, no Leme, Zona Sul do Rio, na noite deste domingo (13).
Em todas as partidas da Copa do Mundo, os torcedores do time do atacante Thomas Müller se reuniram no estabelecimento, que ofereceu telões e cervejas gratuitas a casa gol marcado pela seleção alemã. A festa organizada pelo Consulado da Alemanha no Rio.
Na acirrada partida contra a Argentina, a cerveja a cada bola na rede - fato que se repetiu em alguns jogos como no 4 a 0 contra Portugal e no 7 a 0 contra Brasil - deu lugar à apreensão. Concentrados e preocupados com a falta de gols, os torcedores alemães não tiravam os olhos das televisões.
Um problema na transmissão do telão poucos minutos antes da disputa da final deu um susto na torcida, que já se movimentava para procurar outro lugar pra assistir à partida quando o problema foi solucionado.
Este não foi o único susto. Durante alguns minutos a falta de energia no estabelecimento não permitiu que quem estivesse no local acompanhasse o jogo. Mas logo a energia voltou e a apreensão também.
Com a chegada da prorrogação, muitos já acreditavam que a final seria disputada no pênaltis, mas o gol de Götze no segundo tempo prorrogação transformou as areias do Leme no palco de uma grande festa. Enquanto o DJ alemão não chegava do Maracanã para animar os torcedores com musicas de sua terra, o funk carioca fazia todo mundo dançar.
 
Cidade cheia de turistas
A expectativa pela partida final da Copa e o bom tempo levaram muita gente às ruas e os torcedores se espalharam em vários pontos da cidade.
A arena Fifa Fan Fest, em Copacabana, na Zona Sul, lotou mesmo antes de o jogo começar e, com a lotação de 20 mil pessoas esgotada, uma multidão de torcedores se espalhou pela orla para assistir ao jogo nos telões disponibilizados pela Fan Fest e em bares, restaurantes e quiosques.
Na Tijuca, na Zona Norte da cidade, rubro-negros usavam a camisa do Flamengo para torcer para a Alemanha em um bar. Mas ali perto, alguns bares da Praça Vanhargen, tradicional point da Grande Tijuca, não abriram as portas neste domingo.
Também perto dali, torcedores argentinos se concentraram num bar na Rua São Francisco Xavier, no Maracanã, e comemoravam o bom desempenho da seleção nesta final. Mas a torcida argentina foi em peso para o Fifa Fan Fest e, em vez de samba, o que mais foi tocado foi o reggaeton, ritmo popular na Argentina. O gol do argentino Higuaín levou a arena ao delírio e à frustração, com o impedimento marcado.
Polícia retira torcedor durante confusão na orla de Copacabana (Foto: Lívia Torres/G1)Polícia retira um torcedor da confusão na orla de Copacabana (Foto: Lívia Torres/G1)
Protesto e confusão
No início da tarde, ativistas se reuniram em dois pontos da Tijuca, nas proximidades do Maracanã, para fazerem um protesto contra os gastos com a realizaçã da Copa do Mundo e contra a prisão de 19 ativistas, entre eles, a militante Elisa Quadros, no sábado (12). Por volta das 15h, houve confronto. Bombas foram lançadas e a manifestação foi dissolvida. Ao menos quatro pessoas ficaram feridos, entre eles, um fotógrafo.
Em Copacabana, logo após o jogo, a troca de provocações entre brasileiros e argentinos gerou brigas e correria. Os dois lados lançavam garrafas de vidro. Policiais usaram spray de pimenta para conter a onda de violência. Um dos rapazes que iniciou a confusão foi detido.
Também nos arredores do Maracanã houve confusão. Argentinos e brasileiros trocaram xingamentos na Rua São Francisco Xavier.
Dilma
A presidente Dilma Rousseff almoçou neste domingo com oito chefes de Estado no Palácio Guanabara e o presidente da Fifa, Joseph Blatter. Mais tarde, no Maracanã, a presidente fez a entrega simbólica do Mundial da Fifa para a Rússia, país que vai sediar a Copa em 2018. Dilma assistiu à final da Copa, entre Alemanha e Argentina.

Protestos terminam com feridos e bombas no Rio de Janeiro


Grupo saiu da Afonso Pena e se juntou a outro na Praça Saens Peña. 
Jornalista canadense sofreu lesão na perna e foi levado a hospital.



Policiais militares prendem ativista durante protesto na Tijuca, na Zona Norte do Rio (Foto: Leo Correa/ AP )Policiais militares prendem ativista durante protesto na Tijuca, na Zona Norte do Rio (Foto: Leo Correa/ AP )
Uma manifestação neste domingo (13) na Praça Saens Peña, na Zona Norte do Rio, teve registro de pessoas feridas e muitas bombas disparadas na região. Devido à ação da Polícia Militar e da Força Nacional, os manifestantes se dispersaram após as 15h, quando houve um confronto e princípio de tumulto. A Polícia Militar deu o protesto por encerrado às 16h25. Bloqueios na região após o fim do protesto, no entanto, causaram problemas a quem se movimentava pela região. Ao menos seis pessoas foram detidas.
Dentre os feridos, está o jornalista canadense Jason O'Hara. Ele foi atingido na perna e estava internado em observação no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, por volta das 19h45. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o quadro de saúde do estrangeiro é estável e ele pode receber alta ainda na noite deste domingo.
Outras quatro pessoas ficaram feridas, segundo a corporação. Duas mulheres, um menor de idade e um fotógrafo. Outro fotógrafo, Mauro Pimentel, do portal Terra, acusou um policial militar de ter quebrado a lente de sua câmera com golpes de cassetete.
Mais cedo, por volta das 11h, houve um outro protesto na estação Afonso Pena, também na Tijuca. Os manifestantes, com faixas com os dizeres "A nossa Copa é na rua", seguiu pela rua Heitor Beltrão, na Tijuca, no sentido Praça Saens Peña, onde um grupo maior começou a se concentrar por volta de 13h. Com temas variados como críticas à Copa do Mundo e o pedido de liberdade para os 19 ativistas presos neste sábado no Rio, o grupo chegou a ter cerca de 250 pessoas. Todas as ruas de escoamento da Praça Saens Peña, como a Carlos Vasconcelos e a Soares da Costa, estavam com bloqueios formados por pelo menos dez policiais. 
pesar da diminuição no número de manifestantes, a PM mantém o cordão de isolamento na Conde de Bonfim, na Tijuca. (Foto: Marcelo Elizardo/G1) PM fez cordão de isolamento durante protesto
(Foto: Marcelo Elizardo/G1)
Após duas horas em um clima aparentemente tranquilo, apesar da presença maciça de policiais e de agentes da Força Nacional, o confronto estourou por volta das 15h. Manifestantes tentavam sair da praça em direção ao Maracanã e policiais impediram. Houve bombas de gás lacrimogêneo lançadas e muita correria. Alguns manifestantes voltaram para o local após a primeira dispersão, mas a polícia considerou este ato encerrado às 16h25.
Bloqueios
Os bloqueios na Rua Conde de Bonfim e nas ruas perpendiculares causaram prejuízos aos que tentaram passar por eles, entre manifestantes, jornalistas e trabalhadores da região. O metrô da Saens Peña, que ficou fechado depois da confusão, permanecia fechado até 16h30.  Funcionários de uma pizzaria da região ficaram parados no bloqueio, a 30 metros da loja, e não conseguiram chegar para trabalhar.
protesto na tijuca final da copa (Foto: YASUYOSHI CHIBA/AFP)Policiais observam a manifestação na Tijuca
(Foto: YASUYOSHI CHIBA/AFP)
"Três funcionários querendo passar, mas não deixam ninguém passar. Estou com três funcionários presos. Falaram que tem gente lá fazendo arruaça e não querem deixar ninguém passar", disse uma funcionária da Domino's, na Rua Pinto de Figueiredo, que não quis se identificar.

Família Pessuti fora da disputa das Eleições 2014



A derrota de Orlando Pessuti (PMDB) para o grupo do senador Roberto Requião (PMDB) na convenção do PMDB, no dia 20 de junho, acabou excluindo toda a família da campanha eleitoral. Até mesmo o filho do ex-governador, o vereador de Curitiba Bruno Pessuti (PSC), que era apontado como nome certo para disputar uma das cadeiras na Assembleia Legislativa (AL), desistiu de se lançar candidato. Segundo a assessoria de imprensa do parlamentar, pesou na decisão o fato de "Pessutão" não conseguir se viabilizar na corrida ao Palácio Iguaçu. 

'Compromisso com Curitiba' 

A assessoria de Bruno Pessuti também disse que ele "não gosta de abandonar as coisas pela metade", motivo pelo qual continuará exercendo seu mandato na Câmara Municipal. Antes do encontro da executiva estadual, o ex-governador chegou a anunciar apoio à coligação com o PSDB do governador Beto Richa, que conta também com o PSC entre os aliados. O estranho é que, com a candidatura de Ratinho Junior (PSC) à AL, a expectativa é que o PSC consiga aumentar a bancada dos atuais dois para pelo menos seis deputados. Assim, Bruno não teria dificuldade em se eleger. 

Filho em Itaipu 

É bom lembrar que, em maio, outro filho do ex-governador, o advogado Orlando Moisés Fischer Pessuti, foi nomeado como conselheiro da Itaipu Binacional, cargo para o qual recebe pelo menos R$ 7,5 mil por mês (remuneração mais baixa, já que os vencimentos nos conselhos de estatais são calculados com base na participação dos integrantes). 

Futuro na política 

A indicação de Moisés ocorreu após Orlando se desincompatibilizar da função, justamente pensando em se lançar na corrida ao governo do Estado. Em fevereiro, "Pessuti pai" também já tinha deixado o conselho do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Nos corredores da Assembleia Legislativa, comenta-se que ele possa ocupar algum cargo na administração estadual ou mesmo no Tribunal de Contas (TC). Para isso, contudo, precisa torcer para que Beto seja reeleito. 

Última sessão 

A Câmara de Londrina vota depois de amanhã a redação final da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015, na última sessão antes do recesso legislativo. O Legislativo também aprecia o veto do prefeito Alexandre Kireeff (PSD) a projeto do vereador Marcos Belinati (Pros). A proposta do parlamentar proíbe a fixação de placas em estacionamentos particulares com aviso de isenção de responsabilidade do estabelecimento por objetos deixados no interior do veículo. Na justificativa, Kireeff argumenta que a matéria trata de direito do consumidor, ao qual a Constituição Federal não dá poder aos municípios e, mesmo que se enquadrasse no Código de Posturas, seria de iniciativa exclusiva do Executivo. 

Honras a Ratinho 

Um projeto de lei de autoria de Junior Santos Rosa (PSC) e Rony Alves (PTB), vereadores de Londrina, concede ao apresentador e empresário Carlos Massa, o Ratinho, o título de Cidadão Honorário. O mesmo projeto prevê ainda a Medalha Ouro Verde à Rede Massa de Televisão. A emissora é portanto ligada ao deputado federal Ratinho Junior (PSC), candidato à Assembleia Legislativa (AL) do Paraná e pertencente ao mesmo partido do vereador Junior Santos Rosa – que também concorre a deputado estadual. O vereador diz que não vê suspeição nas honrarias porque são direcionadas ao pai do candidato, em reconhecimento à importância que tem e aos laços que mantém com Londrina. Também afirmou que, se houver cerimônia para entrega dos títulos, será realizada após as eleições. 

Ficou para depois 

O projeto de lei que concede anistia a contribuintes de Londrina que informarem espontaneamente à administração municipal a ampliação ou alteração em suas construções que não foram declaradas já chegou à Câmara de Vereadores. A proposta já havia sido anunciada pelo prefeito Alexandre Kireeff (PSD) na divulgação do pacote chamado "Londrina Pra Frente". O texto, entretanto, só será apreciado a partir de agosto, já que o Legislativo entra em recesso na quarta-feira. 

Contra o tempo 

Pela legislação local, a não notificação da administração municipal de ampliações, demolições ou novas construções é infração passível de multa. O texto de Kireeff isenta quem incorreu em irregularidade das penalizações até o dia 30 de novembro. Na justificativa, o prefeito diz que o objetivo é apenas promover a "atualização cadastral, para efeito de tributação". Ainda este ano, Kireeff deve enviar uma revisão da Planta Genérica de Valores, que, se aprovada, vai impactar diretamente no IPTU.

Vigilante tenta defender sobrinho e morre com tiro na cabeça na RMC


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

Um vigilante de 43 anos foi assassinado no começo da tarde deste domingo (13) em frente ao Centro de Tradições Gaúchas (CTG) de Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a polícia dois jovens tiveram um desentendimento pela manhã e a vítima tentava defender o sobrinho com um simulacro de arma de fogo, provavelmente na intenção de intimidar o atirador.
campomagro
Foto: Antônio Nascimento – 
Segundo a Polícia Militar, tudo começou pela manhã, após o desentendimento. O suposto atirador, identificado apenas como Thiagão, teria realizado alguns disparos contra a casa do sobrinho da vítima e voltado para onde era realizado esse churrasco entre amigos e familiares do vigilante.
Para tentar intimidar o atirador, a vítima sacou o simulacro, mas acabou baleada na cabeça, vindo a morrer na hora.
No CTG, localizado na Rua Oito de Dezembro, acontecia um rodeio no momento do crime, o que fez reunir um grande número de pessoas no entorno.
O corpo de Sandro Luiz de Barros foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba. A Delegacia de Campo Magro investiga o caso.

.

Motociclista perde o controle e fica gravemente ferido após bater contra ônibus no Orleans


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento
Foto: Antônio Nascimento - Banda B
Foto: Antônio Nascimento – 
Um motociclista de 23 anos ficou gravemente ferido no final da tarde deste domingo (13) após perder o controle e bater forte contra um ônibus articulado da linha Interbairros IV na Rua João Falarz, no bairro Orleans, em Curitiba.
De acordo com relato do motorista do ônibus, Oziel Maciel, o motociclista perdeu o controle em uma travessia elevada e bateu contra o coletivo já parado na rua. “Como eu estava há uns trinta metros da travessia, consegui parar e evitar que algo pior acontecesse, mas ainda assim ele bateu forte e ficou preso embaixo do ônibus”, comentou.
Maciel contou que seguia para o Terminal Santa Felicidade, enquanto o motociclista seguia no sentido contrário em uma Twister 250 em aparente alta velocidade. O Siate socorreu a vítima e a encaminhou ao Hospital Evangélico com risco de morte.
Nenhum dos quase 50 passageiros ficou ferido.
Alto da XV
Já no Alto da XV, um homem de 63 anos ficou ferido após bater seu Corolla contra uma caminhonete no cruzamento das ruas Professor Brandão e José de Alencar. Ele foi encaminhado ao Hospital Cajuru.

Alemanha vence Argentina e conquista o quarto título mundial


Por João Guilherme Pellanda
A Alemanha é tetracampeã mundial
A Alemanha é tetracampeã mundial (Foto: Divulgação/Fifa)
Frente a um Maracanã com lotação máxima, Alemanha Argentina disputaram o título mundial lance a lance, neste domingo (13). As pessoas 74.738 pessoas presentes no estádio – e o resto do mundo – viram um jogo sofrido, truncado, travado. O gol não apareceu nos primeiros 90 minutos e tudo levava a crer que não apareceria também na prorrogação. Foi quando brilhou Götze. O jovem atacante matou a bola no peito, dentro da área, e bateu sem chances para o goleiro Romero. Gol do título. Gol do Mundo. Os alemães são tetracampeões mundiais.
O jogo
Os alemães chegaram primeiro ao ataque. Aos 3 minutos, tiveram falta próxima da área, mas a cobrança ficou na barreira. A Argentina respondeu com contra-ataque rápido. Higuaín carregou pela direita e bateu cruzado – a bola passou ao lado da trave. Jogo movimentado, ‘lá e cá’.
Aos 8′, Messi deu as caras. Fez grande jogada individual pela direita e descolou cruzamento para a área, mas Hummels afastou. A partir dos 10 minutos, a Alemanha passou a tocar a bola em seu campo de ataque. A Argentina se defendia com uma marcação forte – esperava uma bola para colocar Messi ou Higuaín na frente.
Aos 21′, foi Higuaín que teve a grande chance de abrir o placar. Kroos errou feio na tentativa de recuar de cabeça o e deu um presente para o atacante argentino. Cara-a-cara com o goleiro, ele chutou mal, para fora.
Com o passar do tempo, a proposta de jogo das duas equipes se definia: a Argentina recuada, bem posicionada defensivamente, esperando o momento certo para sair em velocidade; a Alemanha com a posse de bola, trocando passes no campo ofensivo e tentando encontrar espaços.
Com 31 minutos, gol da Argentina. Mas já não estava valendo mais nada. Em nova falha na saída de jogo alemã, Lavezzi cruzou para Higuaín – impedido – finalizar para as redes. Placar fechado.
Aos 36′ foi a vez da Alemanha ter uma grande chance. Müller chegou pela esquerda e ajeitou para Schürrle chegar batendo forte – grande defesa de Romero. Três minutos depois Messi deu a resposta: fez excelente jogada individual pela direita, chegou à linha de fundo, dentro da área, e cruzou para trás. A bola passou por Hummels, mas Boateng chegou para salvar.
No final do primeiro tempo, os alemães conseguiram criar mais. Chegaram algumas vezes com perigo, mas não conseguiram marcar. A bola mais perigosa da etapa inicial surgiu em um escanteio, cobrado por Kroos. Höwedes cabeceou forte e a bola explodiu na trave esquerda. As duas seleções foram para o vestiário com um zero a zero no placar.
Segundo tempo
Na volta do intervalo, a Argentina apareceu com uma mudança: ‘Kun’ Agüero entrou para a vaga de Lavezzi. E logo aos 2 minutos, os ‘hermanos’ por muito pouco não abriram o placar. Messi recebeu na área, com liberdade, mas chutou para fora – um lance que ele não costuma desperdiçar.
O jogo deu uma acalmada. Aos 15′, a Alemanha chegou com cruzamento na área, para cabeceio fraco de Klose. Ficou fácil para Romero defender. Conforme o tempo ia passando, o jogo ficava mais nervoso, com faltas duras e cartões para os dois times.
O segundo tempo decepcionava, em relação ao que se viu no primeiro. As chegadas ao ataque eram mais desorganizadas e tensas, sem muita precisão.
Aos 36 minutos, a Alemanha chegou com velocidade, sua principal característica – um pouco apagada na partida, até então. Lahm recebeu bom passe pela direita, tocou para a entrada da área para Kroos, livre, que bateu mal, para fora.
E seguiu assim até o final. Argentina e Alemanha teriam, na prorrogação, mais 30 minutos para evitar deixar a decisão do título para os pênaltis.
Prorrogação
Logo no primeiro minuto, duas grandes chances alemãs. Götze tocou para Schürrle, que soltou a pancada para a grande defesa de Romero. Logo em seguida, Schürrle escapou pela esquerda e rolou para o meio da área. Kroos chegou batendo forte, mas a bola parou em Garay.
Mais uma vez, a proposta do jogo era essa: Alemanha trocando passes no ataque e Argentina fechada no campo defensivo, aguardando a oportunidade. E ela quase veio aos 7 minutos, em um erro feio de Hummels, que perdeu o tempo de bola depois do cruzamento de Rojo. A bola sobrou limpa para Palacio, que tentou encobrir o goleiro Neuer, mas chutou para fora.
Depois dos 15 minutos jogados, o placar seguia fechado no Maracanã. Os jogadores, já exaustos, tentariam com suas últimas forças o gol do título. Mas o jogo era ainda mais truncado, parava a cada instante.
Götze comemora gol do título mundial
Götze comemora gol do título mundial (Foto: Divulgação/Fifa)
Foi quando parecia que tudo seria decido nos pênaltis que a Alemanha deu a resposta. E foi com um golaço. Schürrle escapou em velocidade pela esquerda e cruzou na primeira trave. Götze mata no peito, livre de marcação. O jovem atacante, que havia entrado para o lugar de Klose, acertou um belíssimo chute cruzado. Sem chances para Romero.
Desespero. Essa era a palavra para definir os minutos finais do jogo. Aí já não valia mais tática, tinha que ser na raça. Ou em um brilho de Messi, quem sabe. Mas não foi. Nem um, nem outro. O apito final soou, corando com o título a melhor equipe da Copa.
A Alemanha é tetra campeã mundial.

Homem morre atropelado no Contorno Norte e motorista foge sem prestar socorro


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

acidentecontornonorte
Foto: Antônio Nascimento –
Um homem de aproximadamente 40 anos morreu atropelado no começo da manhã deste domingo (13) no Contorno Norte, em Almirante Tamandaré, região metropolitana de Curitiba. De acordo com o bombeiro comunitário Evair, o acidente aconteceu próximo ao viaduto com a Rodovia dos Minérios por volta das 6 horas e o motorista fugiu sem prestar socorro.
“Podemos observar uma marca grande devido a freada do veículo, mas a vítima foi arremessada para o acostamento e ele não fez nada para ajudar”, comentou.
Ainda segundo o bombeiro Evair, é possível que a vítima seja um andarilho. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba.
.

Quadrilha tenta arrombar caixa eletrônico da RMC, mas desiste antes do roubo


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento

roubocaixasjp
Foto: Antônio Nascimento –
Cerca de quatro bandidos tentaram arrombar os caixas eletrônicos do banco Santander no final da madrugada deste domingo (13), em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.
De acordo com o soldado Exquipio, do 17° Batalhão da Polícia Militar, eles chegaram na agência da Avenida Rui Barbosa em um veículo sedan preto, mas desistiram da ação antes da chegada das viaturas. “Eles tentaram cortar com o maçarico, mas não conseguiram levar nada”, comentou.
O Comando de Operações Especiais (Cope) da Polícia Civil deve investigar o caso.

Alemanha e Argentina fazem hoje “tira-teima” no Maracanã


Do Portal da Fifa

O Brasil sediou uma Copa do Mundo da FIFA repleta de surpresas e revelações, mas, ironicamente, a final será disputada sob o signo da tradição. Afinal, a tricampeã Alemanha e a bicampeã Argentina decidirão a taça pela terceira vez na história do torneio. Em 1986, no México, os argentinos venceram por 3 a 2 e conquistaram o seu último título. Já os alemães levaram a melhor por 1 a 0 em 1990, também erguendo o caneco pela última vez.
messimuller
Foto: Divulgação Fifa
Somente Brasil e Itália se encontraram duas vezes em finais, em 1970 e 1994. A Alemanha disputará a sua oitava decisão de Copa do Mundo, recorde absoluto, e tentará ser o primeiro país europeu a se sagrar campeão na América do Sul. No sentindo inverso, a Seleção Brasileira realizou o feito em 1958 na Suécia.
A equipe comandada por Joachim Löw chega ao Estádio do Maracanã confiante, embalada pela incrível demonstração de facilidade, potência e objetividade nos 7 a 1 da semifinal contra o Brasil, além de ter descansado um dia a mais que os jogadores da Argentina, que precisaram passar pela prorrogação diante da Holanda. Outra força do conjunto germânico vem da espinha dorsal do Bayern de Munique, com seis atletas do clube bávaro a cada partida, o que garante um entrosamento que costuma fazer a diferença.
Do lado argentino, porém, há um certo Lionel Messi que transmite a sensação de ter sacrificado uma temporada no Barcelona para realizar o sonho pessoal da Copa do Mundo. Se alguns ainda acham que ele está jogando aquém do seu potencial, vale notar que Messi foi o único jogador a ter marcado mais de um gol de fora da área (3) e também o que executou mais dribles (82), além de ter sido o único a ser eleito Craque do Jogo Budweiser em quatro ocasiões.
Para completar, a Argentina ainda tem Javier Mascherano, com 478 de 552 passes completados (87%), um autêntico guerreiro capaz de superar montanhas e transcender os companheiros, como foi o caso para o goleiro Sergio Romero antes das cobranças de pênalti contra os holandeses.