Argentinos vão embora, mas devem R$ 2,3 mi em multas no Paraná


1607-multas-argentinos
Empolgados com a final da Copa, milhares de argentinos vieram ao Brasil no último fim de semana, principalmente de carro. Mas, além do título, eles podem perder seus veículos, se não pagarem as multas de trânsito. De 3 de junho até quarta-feira da semana passada, dos 21 mil veículos estrangeiros (90% deles argentinos) que entraram por Foz do Iguaçu, 1.214 foram autuados nas estradas federais, o que pode render cerca de R$ 2,3 milhões em multas. Sem contar os 210 veículos brasileiros autuados em Foz do Iguaçu e as outras 2.998 multas aplicadas a veículos nacionais e estrangeiros (maioria) em outras localidades do Paraná. Porém, os números devem quase triplicar. As informações são CGN.
Segundo o inspetor Wilson Martinez, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), estima-se que cerca de 51 mil veículos devem retornar aos seus países de origem (mais de 90% à Argentina) ao longo desta semana. Como o Paraná é a principal rota dos turistas, a PRF montou pontos de fiscalização nas principais estradas, para evitar que estrangeiros cometam novas infrações e saiam sem pagar as multas. Enquanto não forem pagas, o estrangeiro não pode tirar seu veículo do País.
O motorista e os passageiros são liberados para usar outra forma de transporte, mas o veículo fica retido. As taxas podem ser pagas em bancos e casas lotéricas. Se for noite ou fim de semana, os “hermanos” terão que esperar a abertura de um destes estabelecimentos para pagar o valor e seguir viagem. A Operação Retorno iniciou à 0h de ontem e vai até meia-noite de domingo. O balanço das infrações deve ser divulgado na semana que vem. Martinez explicou que haverá fiscalização nas BRs 116, 277, 369 e 163.
Infrações
As principais infrações (619) foram lavradas com base no Código de Trânsito Brasileiro. Martinez explicou que veículos sem condições de rodagem, com pneus carecas, sem cintos de segurança instalados, crianças sem a cadeirinha ou bebê conforto, foram barrados ainda na fronteira. Aqueles que tinham como resolver o problema no momento da abordagem policial foram multados mas continuaram viagem. Ele deu como exemplos, crianças entre 7 e 10 anos sentadas no banco da frente e passageiros sem cinto de segurança. Esses motoristas terão que pagar as multas para sair do Brasil com o veículo.
Houve também muitos casos de estrangeiros sem Carta Verde, seguro obrigatório para quem deseja circular com o seu veículo nos países do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela). A Carta pode ser adquirida com seguradoras (que têm tabelas com pequena variação de uma para outra) e o custo depende do tempo que o estrangeiro deseja ficar no país visitante. Geralmente varia de R$ 48 (para três dias) a R$ 400 (para um mês).
Outras 805 multas foram aplicadas porque feriram a legislação nacional e os acordos internacionais de transporte de cargas, de passageiros e produtos perigosos. Houve casos, por exemplo, de querosene transportada com alimentos, como arroz e bolachas.

Polícia confirma que corpo achado em alto-mar é de desaparecido em SC


Identificação foi feita por meio das digitais colhidas pelo IML de Paranaguá.
Pescador encontrou corpo e o levou até praia de balneário do Paraná.

Do G1 PR
Primos desapareceram há uma semana (Foto: Reprodução/RBSTV)Corpo era de um dos primos desaparecidos
(Foto: Reprodução/RBSTV)
corpo encontrado em alto-mar era mesmo do rapaz desaparecido em Santa Catarina, conforme informou a Polícia Civil do Paraná nesta quarta-feira (16). A identificação do corpo foi realizada com as digitais colhidas pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Paranaguá, no litoral do Paraná, e enviadas para o Instituto de Identificação de São Paulo. Agora, o caso será investigado pela polícia catarinense. Com a identificação, o corpo foi liberado a familiares na terça-feira (15).
Na segunda-feira (14), um pescador encontrou o corpo de Ivair Rogério Soares, de 36 anos, e o levou até a praia do Balneário Primavera, emPontal do Paraná, no litoral paranaense. De lá, o corpo foi encaminhado para o IML de Paranaguá. De acordo com o delegado Ítalo Sega, da Delegacia de Paranaguá, o corpo foi encontrado, em uma corrente marinha vinda de Santa Catarina, em estado avançado de putrefação, e o celular que estava no bolso da calça já tinha feito a polícia acreditar que a vítima fosse um dos desaparecidos.
Sega explicou que ainda não é possível afirmar se a morte foi violenta devido ao estado de decomposição que o corpo já se encontrava. Porém, a indicação do IML na terça-feira era de que não houve nenhum ferimento por arma de fogo ou faca, nem traumatismo aparente, segundo o delegado.

Dias após o desaparecimento, a polícia de Santa Catarina trabalhava com a hipótese de que os primos tivessem fugido após cometerem um delito na empresa em que prestavam serviço.
Ivair Rogério Soares, de 36 anos, e Gabriel Martins dos Santos, de 22, são de São Paulo e desapareceram no fim de junho deste ano.
Último vestígio
O carro em que os primos viajavam foi visto entre a noite do dia 26 de junho e a madrugada do dia 27 atravessando o ferry boat, que interliga Itajaí a Navegantes, e depois pelas ruas de Itajaí. Eles estavam em um Focus prata flagrado pelas câmeras de segurança da Empresa de Navegação Santa Catarina, que administra a balsa na região.
No dia 25 de junho, eles estariam em um boliche em Itajaí e compartilharam a imagem por meio de um aplicativo de celular para um parente. Segundo os familiares, este foi o último contato feito para a família. Desde então, os celulares permaneceram desligados.
Os desaparecidos
Ivair e Gabriel moravam no estado de São Paulo e foram de carro a Santa Catarina a trabalho. Desde o dia 25 de junho eles estavam em Navegantes. Ivair era engenheiro mecânico e sócio de uma empresa em Santos, no litoral de São Paulo. Ele era casado e pai de um menino de três anos e uma bebê de quatro meses. Já Gabriel, que mora em Cubatão (SP), é funcionário da empresa e também faz parte da família.

Funcionários de transportadora descobrem túnel que seria utilizado para roubo



Uma casa alugada em Ciudad del Este estava sendo utilizada por uma quadrilha que planejava roubar o cofre de uma transportadora de valores na mesma cidade. Os bandidos iriam entrar no estabelecimento através de um túnel que estava sendo construído, que dava acesso diretamente da residência.
tunel
(Foto: Divulgação/ Polícia Nacional do Paraguai)
A ação foi percebida por um dos funcionários responsáveis pela segurança do local, na última segunda-feira (14), quando o buraco já estava com aproximadamente 350 metros. O túnel tinha cerca de um metro de altura e, para se locomover, os suspeitos utilizavam um carrinho.


Operação termina com dez presos e carros apreendidos em chácara da RMC


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

Oito pessoas foram presas e dois adolescentes foram apreendidos no final da tarde desta quarta-feira (16) após operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar na zona rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Além das prisões, a PM ainda apreendeu cinco carros e três armas, sendo duas de uso exclusivo das forças armadas, e um colete balístico.
De acordo com o tenente Nunes, tudo começo após uma caminhonete carregada com produtos alimentícios ser roubada em Piraquara e uma informação anônima apontar que ela poderia estar próxima ao pedágio da BR-277. “Já na região conseguimos encontrar a caminhonete cerca de 10 quilômetros para dentro da área rural e, em uma chácara próxima, localizar todas essas pessoas que acabaram detidas”, disse.
Segundo o tenente, tudo leva a crer que eles estejam envolvidos em outros roubos, já que entre os veículos, dois eram furtados e estavam com as placas trocadas.
Todos eles foram encaminhados à Delegacia de São José dos Pinhais, que investiga o caso. Eles devem responder por roubo e formação de quadrilha.

TRE determina a cassação do diploma do vereador Professor Galdino


Da Redação com TRE-PR

A Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) determinou nesta quarta-feira (16) a cassação da diplomação do vereador de Curitiba, Professor Galdido (PSDB). A decisão atende recurso do Ministério Público Eleitoral, mas se houver recurso, Galdino pode ganhar o direito de exercer o mandato em toda a sua plenitude até decisão definitiva do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
professorgaldino
Foto: Divulgação CMC
O vereador foi condenado criminalmente pelo juízo de União da Vitória em 2011 por desacato a autoridade, cuja pena é a detenção de três meses a um ano e pagamento de 10 a 20 dias-multa, quando já exercia mandato.
Para a relatora Renata Estorilho Baganha, Galdino estava com os direitos políticos suspensos no período da sua diplomação. “O pleno exercício dos direitos políticos é condição de elegibilidade que resta afastada quando houver condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos. A hipótese descrita abrange a condenação por crime doloso ou culposo ou contravenção penal”, disse.
A decisão cabe recurso.

Moradora encontra sacos de lixo cheios de remédios jogados em valeta na CIC


Por Marina Sequinel, Geovane Barreiro e Marco Piza

Três sacos de lixo cheios de medicamentos foram encontrados em uma valeta na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), na tarde desta quarta-feira (16). Os moradores ficaram indignados com a quantidade de caixas jogadas fora na rua João Raphael Machado, enquanto falta, segundo eles, remédios nos postos de saúde do bairro.
“Eu passava por aqui para ir até a casa da minha mãe quando vi os sacos pretos na valeta. Eu achei que se tratava de um animal ou algo assim, e rasguei as sacolas. Me deparei com aquela quantidade enorme de remédios”, contou Alessandra Casagrande.
remedios-descartados-cic
(Foto: Alessandra Casagrande)
O medicamento em questão é o espironolactona, um diurético poupador de potássio usado para combater casos de hipertensão. As caixas mostram que os comprimidos vencem em 2016. “Todos eles têm uma faixa com o aviso ‘venda proibida’. Por isso, a gente acredita que veio de alguma unidade de saúde ou algo parecido. Há ainda a hipótese de que eles foram roubados, mas acho que foram simplesmente descartados aqui. Enquanto isso, a população sofre com a falta de remédio nos postos”, completou ela.
Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que uma farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde foi até o local na tarde de hoje com um médico da Vigilância Epidemiológica para verificar o caso. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente foi acionada para o recolhimento dos medicamentos e irá entrar em contato com o laboratório do fabricante do remédio para que faça o rastreamento e adote as medidas cabíveis. Não há registro de roubo desses comprimidos nas Unidades de Saúde.

Mulher acusada de mandar amante matar marido é presa no Cabral


Da Polícia Civil

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam uma mulher de 41 anos acusada de duas tentativas de homicídios, uma contra seu marido e outra contra sua filha. De acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (16),  Andréa de Souza, que trabalha como auxiliar de serviços gerais, foi capturada no prédio onde trabalhava no último dia 3, no bairro Cabral, em Curitiba.
Foto: Juliano Cunha - Banda B
Foto: Juliano Cunha – 
Quem prendeu Andréa foi a equipe da 3.ª Delegacia de Homicídios de Curitiba, comandada pelo delegado Danilo Zarlenga. Ele destacou que os crimes ocorreram devido a uma traição de Andréa, que foi descoberta por seu companheiro, Israel Padilha, 36 anos. Ele foi baleado nas costas e no rosto.
No dia 6 de abril último, Padilha descobriu que Andréa o estava traindo com outro homem. Mesmo separados, eles continuaram morando juntos numa casa na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). No dia 12, ele ligou para casa e ao terminar a ligação, ela não colocou o telefone direito no gancho. “Ele ouviu ela falando para o amante algo como quero que você mate ele para nós podermos ficar juntos, mas mate longe de mim, pois eu tenho pena até de um cachorro”, contou Zarlenga.
No dia 14, data do crime, Andréa ligou para Padilha e disse para ele voltar correndo para casa, já que sua filha havia caído e se machucado gravemente. Ele abandonou o serviço e voltou para casa. Chegando lá, descobriu que a filha do casal não tinha sofrido acidente nenhum. “Já em casa, a filha de Andréa, Ingrid de Souza Oliveira, 17 anos, pediu ao padrasto dinheiro para ir até a padaria comprar pão. Ele não tinha dinheiro no bolso e foi até o carro estacionado em frente à casa buscar o dinheiro. Quando chegou lá, foi surpreendido por dois homens armados, que dispararam contra ele. A garota tentou defender o padrasto e foi atingida no braço. “Andréa então apareceu, segurou no rosto de Souza e disse para os dois homens, matem ele, só cuidado com as meninas”, contou Zarlenga.
O delegado afirmou que equipe da 3.ª DH segue na caça dos dois atiradores. Um dele, com certeza, é o amante de Andréa.

Assembleia aprova diretrizes para orçamento do Paraná em 2015


Lei de Diretrizes Orçamentárias prevê orçamento de R$ 39,7 bilhões.
Proposta passou em redação final na Casa nesta terça-feira (15).


A Assembleia Legislativa do Paraná encerrou nesta terça-feira (15) a tramitação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2015. Após ser aprovada em primeira e em segunda discussão, os deputados aprovaram a redação final da proposta, que volta para apreciação do Poder Executivo. No próximo ano, o governo terá R$ 39,7 bilhões para fixar despesas. Confira o
 projeto na íntegra.

Ao projeto original encaminhado à Alep pelo governo, foram apresentadas 17 emendas na Comissão de Orçamento da Casa. Destas, sete foram acatadas integralmente, uma parcialmente, e nove foram rejeitadas. As alterações envolveram área social, de infraestrutura, saúde, e administrativa
.O valor de 2015 é 11% maior do que o disponível para o orçamento de 2014. Deste total, segundo a administração estadual, R$ 29,6 bilhões são receitas provenientes de impostos, das quais 30% devem ser dedicadas à educação (R$ 7,7 bilhões), e 12% para a saúde (R$ 3,08 bilhões). O Poder Legislativo deve receber 5% - R$ 1,01 bilhão – sendo que 3,1 devem ser destinados à Alep, e 1,9% ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). O Poder Judiciário tem previsão de receber 9,5% - R$ 1,9 bilhão, e o Ministério Público terá direito a 4,1% - R$ 829 milhões.
No segundo semestre, o Poder Executivo deve apresentar à Alep o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA), com detalhes sobre como a administração pretende investir os recursos do orçamento do ano seguinte.

Infecções por HIV caem no mundo, mas crescem no Brasil, diz ONU



Novos casos de contaminação no país subiram 11% entre 2005 e 2013
Informações foram divulgadas nesta quarta-feira pela Unaids.



Dados divulgados nesta quarta-feira (16) pela Unaids, programa conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, aponta que o índice de novos infectados pelo vírus no Brasil subiu 11% entre 2005 e 2013, tendência contrária aos números globais, que apresentaram queda.
No mesmo período, a quantidade de casos no mundo caiu 27,5%, de 2,9 milhões, em 2005, para 2,1 milhões, em 2013. Desde 2001, a queda foi de 38%. As informações estão em um novo relatório que analisa o impacto da Aids no planeta.
As mortes relacionadas com o vírus registraram queda de mais de um terço na última década. Em 2013, 1,5 milhão de pessoas morreram vítimas da doença, uma queda de 11,8% em comparação com 1,7 milhão de mortes em 2012, segundo os números da ONU. Além disso, o número representa uma queda de 35% na comparação com as 2,4 milhões de mortes registradas em 2004 e 2005.
"Terminar com a epidemia da Aids é possível', afirmou Michel Sidibe, diretor Unaids. "Restam cinco anos para estabelecer os objetivos, que foram cumpridos até agora. Os próximos cinco anos serão decisivos para os próximos 15", completou.
O relatório destaca que 35 milhões de pessoas viviam com o HIV em 2013, um número um pouco superior aos 34,6 milhões de 2012. "Dos 35 milhões de pessoas que vivem com o HIV no mundo, 19 milhões não sabem que são soropositivos", disse o diretor da Unaids.
Dados do Brasil
Segundo o relatório da ONU, o Brasil tinha 730 mil pessoas com Aids vivendo no país em 2013, número que representa 2% do total mundial. Estima-se que 44 mil pessoas tenham contraído o HIV apenas no ano passado, montante que também representa 2% do total global.
O documento não apresenta a quantidade de casos existentes em 2005, apenas o percentual comparativo.
Os dados das Nações Unidas afirmam que 16 mil pessoas com HIV morreram no ano passado e que 327.562 pessoas utilizavam antirretrovirais.
Em relação à América Latina, 47% dos novos casos registrados no ano passado surgiram no Brasil, sendo o México o segundo país com mais contaminações novas.
De acordo com a ONU, os grupos particularmente vulneráveis a novas infecções são transsexuais, homens que fazem sexo com outros homens, profissionais do sexo e seus clientes, além de usuários de drogas injetáveis.
No fim do ano passado, o Ministério da Saúde havia divulgado que o país tinha cerca de 700 mil pessoas infectadas pelo vírus, sendo que 39 mil descobriram estar contaminadas em 2013. Além disso, o governo informou que 300 mil pessoas estavam em tratamento em 2013.
África, o continente mais afetado
A África continua sendo o continente mais afetado pela doença, com 1,1 milhão de mortos em 2013, 1,5 milhão de novas infecções e 24,7 milhões de africanos que vivem com o HIV.
África do Sul e Nigéria encabeçam a lista de países mais afetados e a Unaids recorda que na África subsaariana ainda é muito difícil o acesso às camisinhas: cada indivíduo sexualmente ativo tem acesso a apenas oito preservativos por ano em média.
A América Latina tinha 1,6 milhão de soropositivos em 2013 (60% deles homens) e o número de novos infectados permaneceu estagnado, com um recuo de apenas 3% entre 2005 e 2013. Na Ásia, os países que mais preocupam são Índia e Indonésia, onde as infecções aumentaram 48% desde 2005.
O relatório da Unaids destaca os avanços no acesso aos tratamentos antirretrovirais, com 12,9 milhões de pessoas atendidas em 2013, contra apenas 5,2 milhões em 2009. Mas o importante avanço é inferior à meta da ONU, que espera 15 milhões atendidas em 2015.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu recentemente mais esforços para tratar em particular os homens que têm relações sexuais com homens, as pessoas transgênero, detentos, profissionais do sexo e usuários de drogas.
"Para garantir que ninguém ficará para trás nós temos que diminuir a brecha entre as pessoas que podem ser atendidas e as que não, entre as que estão protegidas e as que são castigadas", disse o diretor da Unaids.
O dinheiro destinado ao combate contra a Aids subiu de US$ 3,8 bilhões em 2002 para US$ 19,1 bilhões em 2013, mas está longe do objetivo da ONU de arrecadar entre 22 e 24 bilhões de dólares em 2015.

Marido é esfaqueado pela esposa no meio da rua no Centro de Curitiba


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

marido
Homem está em estado grave. 
Pessoas que estavam próximas ao Terminal do Guadalupe, no Centro de Curitiba, na manhã desta quarta-feira (16) se assustaram com uma cena violenta. Um casal, aos berros, discutia e se agredia entre os passageiros que faziam fila para aguardar os ônibus do transporte coletivo.
Durante a confusão entre eles, a mulher tirou uma faca de dentro de uma bolsa e, segundo testemunhas, agrediu o marido no peito. Ferido, Paulo Sérgio Trindade, 32 anos, pediu ajuda aos policiais do 1º Distrito Policial, na rua André de Barros.
Policiais afirmaram que a vítima estava com cheiro de bebida alcoolica, o que pode ter ajudado a acirrar os ânimos da briga. Trindade foi socorrido pelo Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) ao Hospital Cajuru e o estado de saúde é grave. A companheira dele não foi encontrada.

Caso Tayna e Ivan de Colombo no Programa Mesa Redonda dos Blogs














O Programa " MESA REDONDA DOS BLOG's  recebeu a visita do blogueiro Ivan de Colombo, que fez comentários do caso Tayná. 

Ouça o programa " MESA REDONDA DOS BLOGS " na www.radiomaracana.com.br todas as Terças, quintas e sábados a partira das 18.30 hrs.




Quarenta argentinos não têm dinheiro para voltar para casa, diz Consulado





Passada a comoção da Copa do Mundo, é hora de os turistas acampados no Terreirão do Samba, no Centro do Rio, voltarem para casa. A maioria já fez isso e alguns deixam o local na manhã desta quarta-feira. Mas 40 argentinos se viram sem dinheiro e tiveram que apelar para o Consulado do país no Rio. O vice-cônsul da Argentina, Gonçalo Fernandes, informou que o grupo terá ajuda para a viagem de retorno.
- A maioria dos cem mil argentinos que vieram para o Mundial já retornou. Mas esses 40 não conseguiram comprar passagem por causa da demanda muito grande e usaram o dinheiro que seria gasto nelas em comida - disse Gonçalo, que levantou junto às autoridades de segurança que 600 argentinos foram vítima de furto no Rio durante o Mundial.
O motorhome sendo preparado para a viagem de volta
O motorhome sendo preparado para a viagem de volta Foto: Guilherme Pinto / Extra
Um dos que contam com a ajuda do Consulado é Oscar Contreas, de 39 anos. Ele contou ter chegado ao Brasil de bicicleta, por Foz do Iguaçu:
- Agora o dinheiro acabou. Estou contando com o Consulado para comprar a passagem de volta. Mas garanto que se tivesse mais dinheiro, com certeza ficaria mais tempo aqui.
O turista de malas prontas
O turista de malas prontas Foto: Guilherme Pinto / Extra
O colombiano Carlos Jurado, de 30 anos, é outro que estava acampado no Terreirão. Ele deixará o Rio ainda nesta quarta. Mas ainda vai dar um “passeio” antes de voltar para seu país. Carlos contou que seguirá de ônibus para o Paraguai, depois segue para a Argentina e só então retornará para a Colômbia.
- A acolhida no Rio foi incrível, mas é hora de ir embora - disse ele.
A Comlurb já começou a limpeza do Terreirão.
A bagagem sendo arumada
A bagagem sendo arumada Foto: Guilherme Pinto / Extra
O clima é de despedida
O clima é de despedida Foto: Guilherme Pinto / Extra
Equipes da Comlurb limpam o local
Equipes da Comlurb limpam o local Foto: Guilherme Pinto / Extra
Os turistas juntam seus pertences
Os turistas juntam seus pertences Foto: Guilherme Pinto / Extra
As argentinas recolhem as roupas do varal improvisados
As argentinas recolhem as roupas do varal improvisados Foto: Guilherme Pinto / Agência O Globo


Leia mais: http://extra.globo.com/esporte/copa-2014/quarenta-argentinos-nao-tem-dinheiro-para-voltar-para-casa-diz-consulado-13274232.html#ixzz37e60UG2t

Curitiba é a residência da maioria dos candidatos nas Eleições 2014


unnamed
Curitiba é a cidade do Paraná com maior representação nas candidaturas às eleições deste ano. Dos 379 candidatos a deputado federal, 180 estão domiciliados em Curitiba – 47% do total. Dentre os 665 candidatos a deputado estadual, 402 vivem na capital paranaense, totalizando 60%. E todos os candidatos ao governo do Estado moram em Curitiba. As informações são da Gazeta do Povo.
Os especialistas são unânimes em afirmar que o predomínio de representatividade das capitais é uma consequência natural do sistema eleitoral proporcional. “Os candidatos são atraídos para as capitais por três motivos principais: maior concentração do eleitorado, maior disponibilidade de recursos financeiros e presença maciça de todas as principais instituições ou organizações democráticas”, explica o cientista político Ricardo de Oliveira, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Para ele, no interior paranaense especificamente, há um desestímulo, pois tanto a arrecadação de dinheiro para campanhas quanto o estabelecimento de contatos são prejudicados. Porém, esse fenômeno pode mascarar o fato de que muitos desses candidatos têm um extenso histórico político em outras regiões ou cidades do estado, como lembra o sociólogo e consultor legislativo do Senado Federal Caetano Ernesto de Araújo. Como exemplo ele cita o senador Alvaro Dias (PSDB), que começou sua carreira política na Câmara Municipal de Londrina em 1968.

Polícia infiltrou mulheres em festas para chegar a Mohamadou Fofana



Mohamadou Lamine Fofana é levado preso


RIO - A trama é digna de um filme de ação. Os bastidores da Operação Jules Rimet, que desarticulou o milionário esquema ilegal de venda de ingressos operado pelo britânico Raymond Whelan e pelo franco-argelino Mohamadou Lamine Fofana, mostram que a Polícia Civil infiltrou agentes mulheres, armadas apenas com microcâmeras, em festas frequentadas por personalidades do mundo da bola para chegar aos articuladores da quadrilha, que teria movimentado R$ 200 milhões desde o início da Copa do Mundo. E foi uma policial infiltrada que conseguiu gravar as imagens de Mohamadou Fofana entregando garrafas de uísque em formato de chuteiras a ex-jogadores da seleção durante almoço num restaurante na Lagoa, na Zona Sul do Rio. Entre os que receberam o mimo estavam Dunga, Jairzinho e Carlos Alberto Torres.

Entre os flagrados figuram Sérgio Antônio de Lima, Alexandre Marino Vieira e Marcelo Pavão da Costa Carvalho. Sem saber que estavam sendo filmados, eles foram liberados e passaram a ter os telefones monitorados com autorização da Justiça. Foi dessa maneira que a equipe do delegado Fábio Barucke, da 18ª DP (Praça da Bandeira), montou o quebra-cabeças chegando aos nomes de Antônio Henrique de Paula Jorge e, posteriormente, ao do argelino naturalizado francês Mohamoud Fofana.Durante a investigação iniciada em fevereiro passado, os policiais também simularam o recebimento de propina de três cambistas flagrados negociando ingressos desviados pelo esquema montado por Fofana. A estratégia, conhecida no jargão policial como ação controlada, parece extraída de seriados policiais como “CSI”. Com o conhecimento prévio de representantes do Ministério Público e do Juizado Especial do Torcedor, os policiais filmaram e gravaram com o auxílio de câmeras e microfones escondidos numa sala da delegacia o momento em que os cambistas ofereciam dinheiro e ingressos como suborno à equipe.

Antônio Henrique já tinha um histórico de passagens pela polícia por suspeita de atuar como cambista em grandes eventos, inclusive nos desfiles do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio. O monitoramento revelou que os quatro suspeitos estavam abaixo de Fofana no organograma da quadrilha. Faltava descobrir quem era o fornecedor de Fofana. O “cara da Fifa”, como o franco-argelino costumava se referir a Raymond Whelan nas conversas telefônicas interceptadas. Para isso, conta o chefe da Polícia Civil, delegado Fernando Veloso, o Departamento Geral de Polícia da Capital designou policiais que falam inglês e francês para apoiar as investigações, fazendo a tradução das escutas telefônicas. O que revelou a dimensão do esquema diante das cifras citadas.
— Foi uma surpresa descobrir a participação do executivo britânico que atuava diretamente com integrantes da cúpula da Fifa. Ninguém esperava chegar tão longe. Falam tanto da capacidade das polícias internacionais, mas foi a Polícia Civil do Rio quem desarticulou o esquema ilegal que já estaria em operação há quatro Copas. Foi um golaço. Principalmente por ter revelado a fragilidade do sistema adotado pela Fifa para a venda e distribuição de ingressos — acredita Veloso.
O chefe da Polícia Civil admite que logo após a Operação Jules Rimet ter sido deflagrada, no dia 1º de julho, quando foram presos Mohamadou Fofana e outros 11 integrantes da quadrilha, chegaram a questionar a competência de uma delegacia distrital (de bairro) para levar à frente uma investigação tão complexa:
— O que só aumenta o mérito da equipe do Barucke, que à frente de uma delegacia de bairro, que tem uma rotina diária de balcão, atendendo as demandas da região, conseguiu ampliar a investigação. Para isso, contudo, ele vem recebendo apoio de outras unidades. Agora, por exemplo, agentes do Laboratório de Lavagem de Dinheiro já estão atuando numa segunda fase da investigação, que tem o objetivo de rastrear a movimentação financeira da quadrilha — disse.
Fernando Veloso lamentou o fato de o britânico Raymond Whelan ter sido beneficiado com um habeas corpus 12 horas após ser preso. A medida acabou facilitando a fuga do estrangeiro do Copacabana Palace, com o auxílio de seu advogado.


 Ele teve a prisão preventiva decretada na tarde da última quinta-feira, após o Juizado do Torcedor ter recebido a denúncia do Ministério Público contra Whelan e outros dez suspeitos de integrar a quadrilha, e até que apresente o diploma informando que possui nível superior, ele está preso em uma carceragem comum no presídio Bandeira Stampa, Bangu 10, no Complexo de Gericinó.
Fernando Veloso acredita que a segunda fase da investigação conseguirá chegar à movimentação financeira do bando e até mesmo a outros envolvidos ligados à Fifa:
— As somas movimentadas por essa quadrilha foram levadas para algum lugar, alguma conta. Estou certo de que vamos descobrir o caminho desse dinheiro e, assim, vamos descobrir outros envolvidos nesse esquema — acredita o chefe da Polícia Civil.
A segunda etapa das investigações também vai tentar identificar de onde foram desviados ingressos de setores populares que eram negociados pelo bando de Mohamadou, que só negociava pacotes VIP para camarotes e setor 1, considerados os mais caros. A venda dos convites para outros setores ficava por conta dos integrantes da quadrilha subordinados diretamente a Antônio Henrique. Além de ONGs, há suspeita de que ingressos destinados pela Fifa a indígenas tenham sido desviados e colocados à venda. A comprovação, contudo, depende ainda da ampliação da investigação.