Beto Richa ganha direito de resposta para restabelecer a verdade em site de Requião


Postado em 3 de agosto de 2014, por BetoRicha



O Tribunal Eleitoral do Paraná (TRE), em decisão do juiz Guido José Döbeli, ordenou ao senador Roberto Requião (PMDB) retirar de seu site áudio de entrevista em que divulga mentiras sobre o governador Beto Richa e concede a Richa direito de resposta na mesma forma e no mesmo espaço.
Em sua página na internet, Requião divulgou áudio de entrevista na qual afirmou que Beto Richa recebeu dinheiro das “empresas de pedágio”. A afirmação de Requião foi considerada pela Justiça propaganda eleitoral inverídica, ofensiva, caluniosa e difamatória.
“Determino (…) que divulguem, na mesma página eletrônica, com o mesmo tamanho, caracteres e outros elementos de realce usados no trecho considerado ofensivo, em até 48 (quarenta e oito) horas após a entrega da mídia física, a resposta do ofendido, a qual deverá ficar disponível para acesso pelos usuários do serviço de internet por tempo não inferior ao dobro em que esteve disponível a mensagem objeto desta representação”, determinou o juiz Döbeli.

Pesquisa aponta que Aécio vence Dilma no segundo turno no berço do PT





O candidato da Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, vence a petista Dilma Rousseff no segundo turno da eleição presidencial na região do Grande ABC, berço político do PT. No primeiro turno, Aécio e Dilma estão tecnicamente empatados. Os dados são do DGABC Pesquisas e foram publicados pelo Diário do Grande ABC na edição deste domingo (3/8).
No primeiro turno das eleições, Aécio empata com a atual presidente em seis das sete cidades, inclusive nos municípios governados pelo PT. As intenções de voto em Aécio chegam a 24,2% contra 26,3,3% de Dilma. No segundo turno, porém, Aécio vence Dilma com uma margem larga de votos em todo o Grande ABC. Aécio é citado por 38,9% dos entrevistados, e Dilma, por 31,3% deles.

Casal é morto no meio da rua com diversos tiros e polícia quer saber grau de parentesco entre eles


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

Um casal foi morto em frente de uma residência na madrugada deste domingo (3), no bairro Fazendinha, em Curitiba. O duplo homicídio aconteceu por volta das 4 horas e o casal ainda não foi identificado oficialmente. O homem tem 33 anos e a mulher 59. A Polícia Civil busca informação sobre o grau de parentesco entre eles.
O crime aconteceu na rua David Scussiato em frente ao numeral 27. A casa não era do casal e a probabilidade é que eles estivessem andando ou conversando com outras pessoas na rua. O Instituto de Criminalística confirmou que foram diversos disparos de arma de fogo, o que caracteriza execução. O atirador não foi identificado pela polícia.
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o caso a partir da identificação das vítimas. Os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba.

Briga de torcida reúne 2 mil no Alto da XV


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo


Um confronto violento entre torcidas organizadas na tarde deste domingo (3) deixa vários setores da polícia em estado de alerta na região do Alto da XV, em Curitiba. Torcedores com camisas da Império Alviverde e da Gaviões da Fiel se enfrentaram nas ruas ao redor do Estádio Major Antônio Couto Pereira, onde acontece a partida pelo Campeonato Brasileiro entre Coritiba e Corinthians. Um torcedor do Coxa foi socorrido e um ônibus dos visitantes foi completamente destruído. Cinco pessoas foram detidas e estão sendo levadas ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul). Comerciantes ficaram com medo do quebra-quebra e fecharam as portas dos estabelecimentos: a maioria restaurantes e bares.
Policiais militares realizavam a escolta de cerca de mil torcedores do time visitante quando, na rua 21 de Abril, foram cercados por torcedores alviverdes. A polícia estima que os torcedores do Coxa também somavam cerca de mil pessoas na confusão. Houve confronto com paus, pedras e as agressões duraram cerca de 15 minutos. O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), a Ronda Tática Motorizada (Rotam), a Cavalaria e até mesmo um helicóptero da Polícia Militar (PM) foram acionados.
O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) fez atendimento às vítimas das agressões, mas ainda não há confirmação de que torcida eles pertencem.
De acordo com informações obtidas pela Banda B, os torcedores do Coxa estavam fora do estádio aguardando a chegada dos corintianos. Assim que passaram a rua Itupava, dentro de 8 ônibus e 2 vans, o confronto teria começado. Paralelepípedos foram usados para arremessar contra os torcedores da Gaviões e também contra o ônibus, que era escoltado pela PM. O torcedor do Coritiba foi encontrado na rua Ubaldino do Amaral sangrando minutos depois da confusão. Ele estava com um corte na testa e o estado de saúde dele é estável. Cinco pessoas foram levadas ao Ciac-Sul, mas não se sabe oficialmente qual torcida eles pertencem.
Com medo de vandalismo, comerciantes fecharam as portas dos estabelecimentos. A situação tinha sido controlada pouco antes do início da partida, às 16 horas. No entanto, policiais estão em alerta em caso de novo confronto.

Aécio: 'Acusações vêm dos que enxergam a derrota'




O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, atribuiu ao 'momento eleitoral' a denúncia sobre a construção de um aeroporto em uma fazenda que pertencia ao seu tio-avô, quando ele era governador de Minas Gerais, e sugeriu, sem citar nomes, que ela tenha partido do governo petista.

'Nós estamos num momento eleitoral. As acusações vêm, e vêm sobretudo daqueles que veem a perspectiva de derrota cada vez mais próxima', alfinetou Aécio, que cumpre agenda neste sábado 2 em Curitiba, no Paraná. O tucano está acompanhado do candidato a senador Alvaro Dias (PSDB-PR) e do governador Beto Richa (PSDB), candidato à reeleição.

O presidenciável voltou a defender a importância do aeródromo, construído em Cláudio (MG), para a região mineira. 'Essas obras do aeroporto, elas se inserem em um conjunto de milhares de obras que foram feitas em Minas Gerais, com absoluta transparência, buscando fazer com que o estado se desenvolvesse', afirmou o candidato.

'Discriminação' contra o Paraná

Aécio corroborou com o discurso de Richa, que acusa frequentemente a União de discriminar o estado do Paraná, ao afirmar que, se for eleito, irá 'reconciliar o Paraná com o governo federal'. O candidato acrescentou que acabará com a 'discriminação que existe' contra o estado. Richa acusa o governo federal de impedir que sejam feitos empréstimos para o governo estadual e de não dar retorno em investimentos.

 (Do Portal Paraná 247)

'O pai me pediu perdão' diz mãe de menino atacado por tigre no Paraná


Menino teve o braço amputado depois de ataque de tigre em zoológico.
Criança, de 11 anos, estava de ferias com o pai, em Cascavel.


 A mãe do menino que foi atacado por um tigre no Zoológico de Cascavel, na região oeste do Paraná, afirmou neste sábado (2) que perdoa o pai do garoto, que o acompanhava na visita ao local. O acidente foi na quarta-feira (30) e o menino acabou tendo o braço amputado na altura do ombro, após o ataque.
“Ele me pediu perdão pelo amor de Deus. Não tem nem porque não perdoar, a gente tem que se unir, se ajudar para melhora. O pai está muito triste, muito abalado, chora demais, está sem estrutura, sem chão, está o tempo todo do lado dele", contou.
A declaração foi dita durante uma entrevista coletiva, no hospital onde o menino está internado desde o dia do acidente. Embora tenha falado com vários veículos da imprensa, ela pediu para não ser identificada.
A mulher, que é policial ambiental e mora em São Paulo, disse que ficou sabendo do ataque por uma tia da criança. "Eu soube através da tia do meu filho que ele tinha sofrido um acidente no Paraná. No primeiro momento foi um choque, um susto, o meu filho estava longe eu não sabia o que estava acontecendo com ele, soube depois por intermédio de outras pessoas que foi um acidente no zoológico com um animal. Daí, foi o mais rápido possível tentar chegar aqui para ver as condições que ele estava, para ver se meu filho estava vivo, se estava bem. Foi uma fatalidade", acredita.
  •  
Menino teve o braõ dilacerado por tigre em zoológico de Casacavel (Foto: Reprodução / RPC TV)Menino teve o braço dilacerado por tigre em
zoológico de Casacavel (Foto: Reprodução / RPC TV)
Sem culpados
"A criança não tem culpa, o animal não tem culpa. Vamos pensar para não acontecer isso com outras famílias porque é doido, podia ter sido com qualquer família, com qualquer um de nós, com qualquer criança e é o que a gente não quer, porque dói muito", afirmou a mãe. Segundo ela, o filho ficou preocupado com o que havia acontecido ao tigre, após o ataque. "Ele [o garoto)]se preocupou com o tigre, se ninguém iria sacrificar o animal porque ele foi mordido”, disse.
A preocupação da mãe agora é como será a reabilitação, após o menino receber alta do hospital. "Toda a aprendizagem, como ele vai aprender tudo isso, que seja tranquila, que seja de uma maneira boa e feliz, que a vida continue e que ele aprenda sem sofrimento nenhum”, torce.
A mãe ainda pediu para que as pessoas mandem boas energias para a criança. "Agora eu peço para que rezem pelo meu filho para que ele volte o mais rápido possível para casa, volte bem para que a gente possa abraçar ele”, diz a mãe.
Ataque
O garoto, de 11 anos, estava em uma área proibida, próximo à jaula do felino na hora do ataque. Ele ficou gravemente ferido e precisou ter o braço direito amputado na altura do ombro. Segundo o hospital, o estado de saúde da criança é estável e deve receber alta na terça-feira (5).

  •  
O menino estava acompanhado do pai, que, segundo testemunhas, deixou a criança brincar perto dos animais. Ele chegou a ser detido na quarta para prestar esclarecimentos, mas foi liberado em seguida.
A Polícia Civil investiga se o acidente emCascavel foi causado por omissão do pai, ou da guarda do zoológico. Eles podem responder pelo crime de lesão corporal, de acordo com o andamento do inquérito.
O Delegado Denis Merino, que investiga o caso, disse que em depoimento o pai afirmou que não viu o menino perto da jaula. "O pai do menino disse que estava cuidando do outro filho dele, de três anos, que reside aqui em Cascavel, quando o maior, de 11 anos, se desvencilhou e estava nas proximidades. Tão logo ele percebeu que o animal atacou a criança, ele o socorreu", contou o delegado.
O delegado pretende ouvir a guarda patrimonial e as testemunhas para só depois decidir quem será responsabilizado pelo ataque do animal. "O código penal prevê que, quando o responsável legal é omisso, ele responde pelo resultado - no caso, o resultado foi uma lesão corporal grave. O pai e a guarda patrimonial - que deveria guardar o local para evitar o acesso de qualquer visitante naquela área - podem responder pelo crime de lesão corporal. A pena é de 2 a 5 anos", disse.
O diretor da Guarda Municipal de Cascavel, Lauri Dallagnol, disse que o guarda patrimonial não viu o garoto na área restrita porque estava fazendo ronda em outro local do zoológico. “Ele estava fazendo ronda no recinto dos macacos. Ele cuida de três recintos, então ele vem, faz a ronda neste local e vai para outro, faz a ronda e volta. Ele só viu a situação depois do fato consumado”, explicou.
Para o veterinário do zoológico, as grades são seguras. “O recinto atende as todas as especificações técnicas do Ibama, tanto para animais, quanto para os visitantes. A grade de 1,50 m está na norma técnica. O que aconteceu foi uma fatalidade”, concluiu Passos.

“Aécio vai reatar a parceria com Paraná”, diz Beto Richa

“Aécio vai reatar a parceria com Paraná”, 
diz Beto Richa

unnamed
O governador Beto Richa (PSDB), na caminhada de hoje no Calçadão da XV e na Boca Maldita de Curitiba, disse que a eleição de Aécio Neves (PSDB) na presidência da República representa a mudança que o país precisa, com mais ética e competência, e principalmente a retomada da parceria entre o Estado e o governo federal. “O Paraná quer é um governo federal ético, competente, e que acima de tudo que se reconcilie com os paranaenses e que Brasil possa pagar a dívida que tem com o nosso estado”, disse Beto Richa.
“O Aécio vai representar isso, uma grande parceria para fazer o Paraná se desenvolver e crescer ainda mais, com uma vida mais próspera e melhor para todo o nosso povo. Vamos a vitória, pela decência e pela ética na vida pública e contra a corrupção”, completou Beto Richa.

Paranaense paga R$ 42,60 em tributos à União para ter R$ 1 em obras federais


Das 27 unidades da federação, Paraná é o 24º no ranking do investimento da União em relação à arrecadação no estado. Mudar esse cenário será desafio do futuro governador


Uma sina acompanha o Paraná há mais de uma década e será um desafio para o governador que for eleito em outubro: o estado é um dos que mais contribuem com tributos federais, mas não sai do fim da fila dos investimentos regionalizados previstos no orçamento da União. Levantamento feito pela Gazeta do Povo com dados de 2002 a 2013 revela que, em média, o paranaense destinou R$ 42,60 em impostos para Brasília para receber R$ 1 em empenho de recursos para obras ou aquisição de equipamentos no estado. No ranking das 27 unidades da federação, o Paraná fica em 24.º lugar, com uma situação mais favorável apenas que São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.
O desempenho de “patinho feio” se manteve estável ao longo das últimas três gestões dos governos estadual e federal. Em 2002, último ano dos governos Fernando Henrique (PSDB) e Jaime Lerner (PFL, atual DEM), o Paraná já aparecia como 25.º colocado nos investimentos federais regionalizados por habitante. Nos oito anos de Lula (PT) e Roberto Requião (PMDB), variou entre 23.º e 26.º na distribuição per capita; performance que se repetiu com Dilma Rousseff (PT) e Beto Richa (PSDB).

185%

Foi quanto subiu o montante de investimentos federais no Paraná desde 2002. No mesmo período, a quantia arrecada pela União no estado aumentou 129%.

Catarinenses e gaúchos recebem mais que paranaenses

A análise dos investimentos da União no Paraná entre 2002 e 2013 mostra que o estado sai perdendo na comparação com seus vizinhos da Região Sul.

Metodologia

Levantamento foi feito na verba de investimento
O levantamento produzido pela Gazeta do Povo foi dividido em duas etapas. Na primeira, filtrou o que está incluído como investimento empenhado na execução regionalizada das leis orçamentárias de 2002 a 2014, por meio da ferramenta Siga Brasil, do Senado. Depois, comparou os balanços anuais das arrecadações por estados divulgados pela Receita Federal para o mesmo período. Na técnica orçamentária, o empenho é a etapa em que o recurso é reservado para a posterior realização do gasto. Já a terminologia “investimento” é utilizado apenas para obras, como a construção de uma rodovia, e para a aquisição de equipamento e de material permanente. O período pesquisado não foi ampliado porque o Siga Brasil não possui dados de execução orçamentária regionalizada anteriores a 2002. Também não foram contabilizados investimentos de empresas estatais. A soma do levantamento engloba todos os investimentos “rastreáveis” na execução regionalizada, ou seja, aqueles que aparecem com a localidade definida (estado ou município). As despesas previstas no orçamento federal se destinam a municípios, estados, regiões ou ao país como um todo. Cerca de 50% dos investimentos totais são definidos como “nacionais”, ou seja, não é possível aferir ao certo em que localidade foram alocados – o que certamente aumenta o volume de investimentos feitos nos estados, mas não se sabe em quanto. “É um sério problema de transparência”, alerta o diretor da associação Contas Abertas, Gil Castello Branco. “Outro fato é que, no Brasil, o investimento público foi e continua sendo muito baixo”, diz o professor de Orçamento Público da Universidade de Brasília, James Giacomoni.


Em relação ao volume total de arrecadação federal, o estado era, em 2002, o 5.º em contribuição por habitante. Entre 2003 e 2010, variou entre 4.º e 6.º na comparação per capita. Nos últimos três anos, ficou duas vezes em 6.º até voltar ao 5.º lugar em 2013.
O levantamento mostra que, apesar de não ter evoluído nos rankings e se manter quase sempre atrás dos vizinhos Santa Catarina e Rio Grande do Sul em todos os indicadores por habitante, o volume total de investimentos federais no Paraná cresceu mais que a arrecadação da União no estado. No período, os valores investidos subiram 185%, de R$ 324,744 milhões para R$ 925,044 milhões. Já a quantia arrecadada subiu 129%, de R$ 18,599 bilhões para R$ 42,675 bilhões (todos os números estão corrigidos pelo IPCA).
Na outra ponta da tabela dos investimentos, o 2.º estado mais populoso do país, Minas Gerais, foi o que recebeu mais investimentos em valores absolutos durante quase todos os anos. Quando é feita a relação entre arrecadação e investimento, no entanto, cai para 19.º na média do período – pagou R$ 14,10 para receber R$ 1 em obras. Quem aparece no topo desse ranking são Acre, Tocantins e Roraima, os únicos que precisaram desembolsar menos de R$ 1 para ter R$ 1 em investimento federal.
Ao contrário dos fundos de Participação dos Estados e Municípios, que são de caráter obrigatório e redistributivo, os investimentos previstos na Lei Orçamentária não precisam ser concentradas nos estados mais pobres. Já o artigo 165 da Constituição fala em “reduzir desigualdades inter-regionais, segundo critério populacional”. Apesar de estar em situação populacional e socioeconômica muito similar à do Rio Grande do Sul, no entanto, o Paraná recebe menos da metade dos empenhos para investimentos nos últimos cinco anos.