Família de camelô morto por PM em SP diz que irá acionar a Justiça


Pai da vítima classificou a atitude do policial que atirou como covarde.
Corpo deverá ser levado direto para a cidade de Simplício Mendes, Sul do PI.


A família do vendedor ambulante Carlos Augusto Muniz Braga, 30 anos, morto após ter sido baleado por um policial militar em São Paulo, na quinta-feira (18) pretende acionar a Justiça e pedir uma indenização. A informação foi dada pelo pai da vítima, Raimundo Araújo Braga, que disse ainda não acreditar que o tiro fatal tenha sido disparado de forma acidental. Em entrevista ao G1, ele classificou a morte do filho como um ato covarde.
Vendedor ambulante Carlos Augusto Muniz Braga, 30 anos, (Foto: Arquivo pessoal )Vendedor ambulante Carlos Augusto Muniz Braga,
30 anos, (Foto: Arquivo pessoal )
“Esse homem que matou meu filho foi covarde e inconsequente. O tiro que ele disparou não matou só meu filho, mas toda a família. Foi o tiro da tragédia. Estamos todos bastante abalados com tudo que aconteceu, meu filho não merecia ter morrido, principalmente por quem deveria dar segurança a todos. A morte de meu filho não vai ficar impune. Queremos Justiça e vamos responsabilizar o autor do tiro e o estado por essa tragédia”, relatou.

Entenda o caso
O Raimundo Araújo disse que ao saber da notícia, a mãe do camelô precisou de atendimento médico e que a cidade de Simplicio Mendes, onde Carlos nasceu, ficou chocada com o que aconteceu. “Aqui é uma cidade pequena, com pouca criminalidade e quando a notícia se espalhou a cidade parou, principalmente pela forma como meu filho morreu e pelo assassino dele”, contou o pai.

O corpo de Carlos Augusto Muniz Braga estava programado para chegar ao Aeroporto Petrônio Portela, em Teresina, às 12h30 deste sábado (20) ,mas houve um problema no voo e a chegada foi remarcada para às 16h.

O corpo deverá ser levado diretemente para a cidade de Simplício Mendes, a 416 km ao Sul de Teresina, cidade natal da vítima. De acordo com os familiares, o enterro está previsto para acontecer às 16h deste domingo (21).
Carlos Augusto Muniz Braga, 30 anos, morreu após levar um tiro na cabeça, disparado por um policial militar, que participava de uma operação na Rua Doze de Outubro, Lapa, na Zona Oeste de São Paulo, na quinta-feira (20). A polícia fazia uma operação de combate à venda de produtos piratas na região. Segundo a PM, os camelôs se revoltaram e passaram a atacar os fiscais da Prefeitura e os policiais militares.
Na ocasião, três policiais faziam a prisão de outro ambulante quando Carlos tentou tirar uma lata de spray de pimenta da mão do policial Henrique Bueno de Araújo.  O PM reagiu e atingiu o vendedor com um tiro na cabeça. Ele morreu em seguida.

Parlamentares frequentavam empresa, diz sócio de Youssef


Carlos Alberto Pereira da Costa falou ao Jornal Nacional neste sábado.
Único parlamentar citado pelo advogado foi o do deputado Luis Argôlo.



Carlos Alberto Pereira da Costa, sócio do doleiro Alberto Youssef na empresa GFD Investimentos, declarou neste sábado (20), ao Jornal Nacional, que parlamentares frenquentavam o escritório do doleiro e da empresa.
A GFD é investigada pela Polícia Federal por receber milhões de reais de origem duvidosa de construtoras que tinham contratos com a Petrobras, o que foi investigado pela Operação Lava Jato. Youssef e Costa foram presos pela PF; o advogado foi solto na última segunda (15).
Costa disse que foi apresentado a Youssef pelo ex-deputado federal José Janene (PP-PR), que morreu em 2010 e era um dos réus do mensalão do PT.
"O papel do Alberto Youssef, segundo me relatou o deputado José Janene, ele era o responsável pelo caixa dois do José Janene. Eu sei que mesmo depois do falecimento do deputado José Janene, o senhor Alberto Youssef continuou a frente na questão de cuidar do caixa. Ele fazia o caixa dois do partido, do PP, né?", declarou Carlos Alberto.
Ele declarou que sete parlamentares frequentavam os escritórios de Alberto Youssef e da GFD. Segundo ele, todos eram deputados federais ligados à bancada do governo, do Partido dos Trabalhadores (PT), e de outros partidos, mas disse que, estando sob sigilo, preferiria não mencionar nomes.
O único nome de parlamentar citado pelo advogado foi o do deputado Luis Argôlo (SD-BA) que, segundo Carlos Alberto frenquentava a empresa do doleiro. “Ele ia, e tinha uma permanência, permanência não, uma periodicidade talvez, mensal, ia sempre na GFD”, declarou Carlos Alberto.
O advogado disse também que o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, teve vários encontros com o doleiro Alberto Youssef. “Eu o vi talvez duas, três, quatro vezes. Eles se reuniam em sala fechada. Sabia que era o Paulo, o diretor da Petrobras, mas não sabia a que se devia essas reuniões, qual o objetivo dessas reuniões”, afirmou.
Carlos Alberto Pereira da Costa foi solto na última segunda-feira (15) por ter colaborado espontaneamente com as investigações. Ele não fez acordo de delação premiada, mas decidiu contar o que sabe sem ter garantia de redução de pena.
A assessoria do deputado Luiz Argôlo informou que o parlamentar já se defendeu no Conselho de Ética e que não vai comentar as novas declarações. O Jornal Nacional tentou entrar em contato com a advogada do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que está preso, mas ela não retornou as ligações. O Partido Progressista (PP) informou que desconhece as denúncias e que está à disposição para colaborar com as investigações.

Ibope: Beto Richa sobe 3 pontos, chega a 47% e pode vencer no primeiro turno


unnamed
Na terceira pesquisa Ibope/RPC divulgada nesta sexta-feira (19), Beto Richa (PSDB) cresceu três pontos e aumentou ainda mais sua liderança na preferência do eleitor paranaense, com 47% das intenções de voto, 17 pontos à frente de Roberto Requião (PMDB) e 35 pontos à frente de Gleisi Hoffmann (PT), que aparece com 12%. Ogier Buchi (PRTB) tem 1%.
Considerados apenas os votos válidos, Beto Richa tem 52,2% e pode vencer no primeiro turno. “Mais uma pesquisa mostra que a maioria dos paranaenses quer o caminho do respeito e do diálogo, sem mentiras e sem golpes baixos, para fazer o Paraná avançar. Só tenho a agradecer a confiança e o apoio”, afirmou Beto.
A pesquisa foi feita entre nos dias 16 a 18 de setembro, com 1.204 eleitores em 67 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. Está registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) sob o número 00037/2014 .

Suspeito pela morte de agente da Setran é baleado após tentativa de assalto no litoral


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha
Foto: Danaê Bubalo - Banda B
Foto: Danaê Bubalo – Banda B

O suspeito pelo assassinato do agente Reinaldo Lopes, de 54 anos, foi baleado no começo da madrugada deste sábado (20) após uma tentativa de assalto a uma mercearia de Matinhos, no litoral do estado. De acordo com informações do Hospital Regional de Paranguá, Josilmo Josias Lins, de 29 anos, deu entrada no pronto-socorro por volta das duas horas da madrugada, mas nesta manhã não havia informações sobre o seu estado de saúde.
homicidio-setran2De acordo com a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Lopes trabalhava na Secretaria Municipal de Trânsito de Curitiba (Setran) e teria levado dois tiros na cabeça logo após multar um grupo de pessoas por estacionamento irregular.
A Delegacia de Matinhos não repassou maiores informações, mas além do fato de Lins ter sido baleado, outras duas pessoas teriam acabado presas após o assalto.
No último dia 12 de setembro, o delegado Danilo Zarlenga apresentou a de Lins para que a população ajudasse a Polícia Civil a encontrá-lo e que não havia dúvidas de que Reinaldo foi assassinado por causa da profissão que exercia. “Ele recebeu uma denúncia do 156 e foi até a rua Ricardo Emílio Michel, na Cidade Industrial de Curitiba, para averiguar a situação. Ele fez as notificações e continuou no local para terminar a papelada quando foi surpreendido por Josilmo”, explicou.
Logo após a alta hospitalar, Lins deve ser encaminhado à DHPP para que possa responder pelo crime.

Acidente entre carro furtado e ônibus deixa um morto e dois feridos na BR-277


Da Redação

Um acidente entre um Honda Civic furtado e um ônibus da empresa Rimatur deixou um homem morto e dois gravemente feridos na madrugada deste sábado (20) no bairro Orleans, em Curitiba.
De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, as três vítimas estavam dentro do carro, quando acabaram colidindo contra o ônibus na BR-277.
Thiago Henrique da Silva, de 28 anos, morreu na hora. As demais vítimas foram levadas ao pronto-socorro.
Até o final da tarde, não havia informações se as vítimas do acidente seriam os responsáveis pelo furto do veículo.

Família escuta tiros durante a madrugada e encontra homem morto na garagem de casa


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha

assassinadocampodosantana
Foto: Juliano Cunha – Banda B
Uma família do bairro Campo do Santana, em Curitiba, levou um grande susto na manhã deste sábado (20) ao encontrar um homem morto nos fundos de casa. De acordo com a Polícia Militar, eles escutaram a troca de tiros no começo da madrugada, então acredita-se que a vítima tenha tentado se esconder mesmo após ser baleado.
De acordo com a PM, Lincon Rodrigo Alves de Assis, de 31 anos, teria discutido com um homem identificado apenas como “zóio”, que também pode ter sido baleado na Rua Leonice Rodrigues de Paula.
O corpo de Assis foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.
Foto: Juliano Cunha - Banda B
Foto: Juliano Cunha – Banda B

Briga por cavalete de político acaba em morte de cabo eleitoral do PT


Por Felipe Ribeiro e Danaê Bubalo

A presença de cavaletes políticos na Praça da Ucrânia pode ser o motivo do assassinato de um cabo eleitoral do PT ocorrido na noite desta sexta-feira (19), no bairro Bigorrilho, em Curitiba. De acordo com testemunhas, um jovem recolhia os cavaletes no cruzamento das ruas Padre Anchieta e Marcelino Champagnat, quando um homem teria iniciado a discussão e realizado um golpe de faca contra ele.
Segundo o tenente Diogo, do 12º Batalhão da Polícia Militar, o agressor já vinha incomodando os moradores do bairro há algum tempo. “Nos repassaram como sendo uma pessoa com barba ruiva e camiseta de time de futebol, mas realizamos um patrulhamento e não o encontramos. Aparentemente ele já vinha causando problemas na região, mas ainda não sabemos se a motivação foi política ou pelo incomodo”, disse.
Na primeira matéria relatada pela Banda B, a versão policial dizia que a vítima teria sido esfaqueada pelo cabo eleitoral, mas um assessor da campanha de Gleisi Hoffmann ao Governo do Estado entrou em contato com a reportagem para relatar que a vítima trabalhava para o Partido dos Trabalhadores. Segundo ele, a vítima nunca havia trabalhado na região anteriormente.
Uma equipe do Samu esteve no local e encaminhou a vítima até unidade de Pronto Atendimento do Campo Comprido, mas o jovem não resistiu.
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.
Em nota, a coligação Paraná Olhando pra Frente e a candidata Gleisi Hoffmann se solidarizam e estão prestando todo auxílio à família de Hiago Augusto Jatoba de Camargo quando fazia campanha com outros militantes.
Lamentamos profundamente o ocorrido. Sabemos que todo o apoio e auxílio prestado a família não lhe devolve o que é de maior importância: a vida de Hiago.
Pedimos a Secretaria de Estado da Segurança Publica que tome todas as providências no sentido de identificar e punir os responsáveis por tal agressão.
E pedimos a Deus para que dê forças e conforte a família neste momento, principalmente sua mãe.
.

Jovem que foi 'herói' em enchente fica tetraplégico e sonha em voltar a dirigir


Em 2009, ex-mecânico salvou vida de mulher em Rio Preto.
Um ano depois, ele levou um tiro no rosto: 'Não reclamo da minha condição'.

Do G1 Rio Preto e Araçatuba*
Leandro durante o tratamento com os robôs no Instituro Lucy Montoro (Foto: Leandro Arquivo Pessoal)Leandro durante o tratamento com os robôs no Instituro Lucy Montoro para tentar recuperar movimentos dos braços e mãos (Foto: Leandro Valério / Arquivo Pessoal)
O destaque em todo o Brasil de um resgate, em 2009, fez com que a vida do até então mecânico Leandro Valério de Jesus, mudasse. Durante uma enchente em São José do Rio Preto (SP) ele arriscou a vida para salvar uma motociclista que quase foi levada pela enxurrada. A história do jovem, no entanto, mudou um ano depois: ao levar um tiro, Leandro ficou tetraplégico e hoje, com 26 anos, depende dos “heróis” à sua volta para reconquistar a independência e realizar o sonho de voltar a dirigir.
A história de Leandro foi marcada pela enchente que atingiu Rio Preto naquele ano. “Estava chovendo muito e parei em um posto de combustíveis na Avenida Alberto Andaló. Foi quando vi uma mulher quase sendo engolida pela água. Então eu e mais alguns rapazes pegamos uma corda e entramos na água para salvá-la. Por pouco ela não foi levada, foi um alívio. Depois que vi as imagens, percebi o quanto me arrisquei, mas Deus estava conosco”, conta Leandro. (Reveja a reportagem ao lado, exibida na TV TEM em 2009).
O resgate emocionante foi exibido em telejornais de todo país e rendeu várias homenagens à ele, como os parabéns pelo ato de coragem pelo Rotary Club e uma medalha de honra ao mérito do Corpo de Bombeiros de São Paulo. “Foi uma alegria. Desfilamos no carro dos Bombeiros e fiquei muito orgulhoso. Se precisasse salvar novamente alguém, eu faria de novo. Na hora você só pensa em ajudar o próximo”, conta.
Leandro recebeu a medelha de honra ao mérito do Corpo de Bombeiros (Foto: Leandro Valério Arquivo Pessoal)Na época do salvamento, Leandro recebeu a medalha
de honra ao mérito do Corpo de Bombeiros
(Foto: Leandro Valério / Arquivo Pessoal)
A atitude foi motivo de orgulho de parentes e amigos do jovem, que ficou conhecido como “herói da enchente”. Mas em setembro de 2010, a história de Leandro mudou. Ele foi atingido por um tiro no queixo, que atravessou seu rosto e se alojou nas costas, deixando-o tetraplégico. “Eu não me lembro do que aconteceu, estava na oficina do meu pai e ao descer as escadas tomei um tiro. As circunstâncias nunca foram esclarecidas. Quando acordei, não sentia minhas pernas, foi horrível. Por pouco não perdi minha vida. Eu nasci novamente”, conta. A tetraplegia é a paralisia total ou parcial dos braços, pernas e tronco. O grau de mobilidade dos braços depende da altura (vértebra atingida) e da intensidade da lesão.

Na UTI por dois meses, o jovem permaneceu internado no Hospital de Base por mais três. Depois, teve que encarar a dura realidade de sua condição. “Um dia eu salvei a vida de alguém e acredito que Deus salvou a minha desta terrível fatalidade. Não reclamo da minha condição, a vida segue, eu renasci e não podemos parar”, dizLeandro.
Leandro e Monique durante o casamento (Foto: Leandro Arquivo Pessoal)Leandro e Monique durante o casamento. Jovem teve
ajuda para levantar braço para brinde
(Foto: Leandro Valério / Arquivo Pessoal)
Tratamentos e dança
A condição de tetraplégico nunca fez Leandro desanimar. Positivo, ele faz tratamento no Instituto Lucy Montoro – sendo um dos primeiros a usar a sala de robótica do local. “Os robôs ‘Arm’ e ‘Yrist’, que são respectivamente para melhorar os movimentos dos ombros, cotovelos e punhos - que ele não tem movimentos - é um dos tratamentos aplicados no Leandro. O próximo passo é utilizar o “robô Guisp” que serve para auxiliar os movimentos da mão”, afirma a terapeuta ocupacional Cristiane Pereirinha.

Além das terapias ocupacionais e fisioterapias, Leandro faz aulas de dança. Ele se dedicou para que pudesse dançar a valsa em seu casamento, em 2012. A esposa, Monique Jessie Garcia de Jesus, de 23 anos, ajudou em todo o processo. “Tenho muito orgulho de todas as suas atitudes. E com isso vencemos as dificuldades juntos. Já namorávamos na época do salvamento, acompanhei todo seu drama e hoje somos casados há dois anos, em uma relação muito feliz. Ele é um guerreiro”, conta Monique. “O que mais sinto falta é de dirigir. Quem faz isso agora é minha esposa e entrar no carro é um sofrimento. Eu fico dando palpites sem parar", conta bem humorado.
Durante pescaria no Rio Grande, Leandro apoveitou para matar a saudade de dirigir (Foto: Leandro Arquivo Pessoal)Durante pescaria no Rio Grande, Leandro aproveita ajuda dos amigos para colocar seus braços na direção e lembrar como é "dirigir" (Foto: Leandro Valério / Arquivo Pessoal)
A paixão pela direção no entanto vai além. Agora, o sonho dele é ter um táxi para deficientes físicos. "Acredito que vou voltar a dirigir. E quando isso acontecer, vou ter um táxi especial. Encontro muita dificuldade em Rio Preto. Quando falo que é para deficiente dificilmente alguém aceita me pegar. Quero fazer isso por mim e ajudar meus amigos que também precisam. Assim vou unir minha paixão - que é dirigir, junto com a ajuda para as outras pessoas”, sonha Leandro.
Mesmo com todos os problemas que o impedem de realizar atividades que gostava muito, Leandro não desanima e dá uma lição de vida. "Se alguém precisasse da minha ajuda, eu ajudaria. Salvaria qualquer pessoa novamente. Isso não muda minha história. Sou grato pelo que tenho e acredito que Deus também me salvou poupando minha vida. Não reclamo da vida e tenho fé que voltarei a andar e mexer meus braços corretamente”, finaliza.

Casal de Agudos faz campanha para ajudar menino com câncer de fígado


João recebeu fígado de doadora que precisou emagrecer 27 quilos.
Menino precisa do dinheiro para se manter em SP durante recuperação.


Um casal de Agudos (SP) se sensibilizou com a história do menino João Vitor que tem câncer de fígado e recebeu uma doação do órgão em agosto deste ano e decidiu usar as redes sociais para ajudar a família da criança, que é de Palhoça (SC). No dia 31 de agosto, o Fantástico mostrou a história do menino que precisava de um transplante e da doadora Tatiana Solanca que precisou emagrecer 27 quilos para poder fazer a operação.
João saiu da UTI, mas continua no hospital (Foto: Reprodução / Campanha Todos por uma vida)João saiu da UTI, mas continua no hospital
(Foto: Reprodução / Campanha Todos por uma vida)
Assim como Tatiana, que mal conhecia João quando decidiu ajudar de alguma forma a criança, o casal de Agudos também foi motivado pelo mesmo sentimento. O corretor de imóveis Vicente Evaristo Damante Netto, que tem um filho que também chama João, e a mulher, Soraya Hussein Damante, decidiram ajudar com os gastos que a família vai ter para se manter por pelo menos três meses em São Paulo, onde João faz o tratamento pós-operatório.

"Tive a ideia logo após assistir à reportagem, ai entrei em contato com a TV Globo, consegui o telefone da família da doadora e através dela consegui conversar com a mãe e avó do João. Com a aceitação deles lancei a campanha na internet e aos poucos foi ganhando repercussão", conta. Segundo Vicente,
 o vídeo da campanha teve mais de mil compartilhamentos em um rede social.Vicente ainda não conhece João Vitor pessoalmente, ficou sabendo da história dele pela televisão, mas se emocionou e quis ajudar de alguma forma.“Nos sensibilizamos ao ver a luta do guerreiro, como é chamado pela avó, e não conseguimos ficar de mãos atadas. Precisamos ajudar de algum jeito”, contou Vicente. Por isso eles usaram as redes sociais e criaram a campanha "Todos por uma vida".
João ainda está no hospital em São Paulo, onde fez o transplante, com a avó Maria dos Santos. Ele teve alta da UTI nesta semana, mas permanece no quarto. Após sair do hospital, eles devem ficar por cerca de três meses em São Paulo. “Estamos no hospital ainda, mas quando ele tiver alta, vamos para uma casa de apoio em Jabaquara”, conta a avó.
Casal se sensibilizou com a história (Foto: Arquivo pessoal / Vicente Damante)Casal se sensibilizou com a história
(Foto: Arquivo pessoal / Vicente Damante)
A campanha pretende arrecadar dinheiro suficiente para Maria e o menino se manterem na cidade. “Não tinha como ficar aqui. Ainda tem muita viagem para São Paulo depois dos três meses”, completa Maria. A família ainda tem os gastos com alimentação, ônibus, táxi. 
Mesmo depois dos três meses, João precisará ir ao hospital onde fez a cirurgia fazer acompanhamento médico e a avó terá os custos com a viagem de Florianópolis para São Paulo. "Por isso tudo o que conseguirmos arrecadar é bem vindo, porque ele ainda vai precisar de muitos cuidados e por muito tempo, ele é uma criança e já enfrentou toda essa doença", completa Vicente.
Confiante, Vicente conta que a campanha já arrecadou R$ 7 mil. “Achava que não ia atingir muita gente, mas mesmo assim não podia ficar parado. A nossa meta era arrecadar entre R$ 5 e R$ 10 mil e estamos quase lá. Pensei nesse valor para que a avó não se preocupe com dinheiro, já que ela tem muita coisa importante para cuidar." O número da conta está na página da campanha na rede social.
Entenda o caso
Até abril deste ano, João Victor, de 4 anos, e Tatiana de 33 anos não se conheciam. Ele foi diagnosticado com câncer no fígado quando tinha 2 anos. Ela se sensibilizou com a história do menino quando o conheceu em uma igreja. O menino procurava um doador, mas não tinha ninguém na família compatível. Na intenção de ajudar de alguma forma, Tatiana descobriu que poderia fazer a doação de parte do órgão para João.
O único problema é que ela precisava emagrecer pelo menos 27 quilos para fazer a cirurgia, porque ela estava acima do peso, com 103 kg. Com a ajuda de, até então, desconhecidos, como uma nutricionista e um personal trainer voluntários, ela começou a luta para perder os quilos a mais. Nesse tempo, os médicos chegaram a não dar mais esperança a João, mas ele melhorou e Tatiana conseguiu emagrecer. Com tudo pronto, os dois viajaram para São Paulo em agosto para realizar o procedimento.
Foram quase 11 horas de cirurgia e os dois se recuperaram bem. Tatiana já teve alta e voltou para Florianópolis. João teve alta da UTI, mas continua internado. Ele ainda passará por tratamento durante três meses em São Paulo antes de voltar para casa.
João e Tatiana se recuperam bem (Foto: Reprodução / RBS TV)João e Tatiana se recuperam bem (Foto: Reprodução / Campanha Todos por uma vida)

1° Campeonato Kradak Game of Skate acontece em Colombo


WEBMASTER 19 DE SETEMBRO DE 2014


Evento será realizado no bairro São Gabriel; inscrições podem ser feitas no local durante o período da manhã

Neste sábado, 20, será realizado o 1º Campeonato Kradak Game of Skate nas categorias mirim, iniciante e feminino, no bairro São Gabriel, em Colombo. O evento acontece na Avenida São Gabriel, 2180 e as inscrições serão limitadas e realizadas somente no local, entre 10h e 13h30. O início da competição será às 14h com as provas ‘’Game of Skate’’ e ‘’Trick’’.
A expectativa é atrair um grande número de skatistas, tanto iniciantes quanto veteranos do esporte. O evento tem apoio da Prefeitura de Colombo por meio do departamento de Esportes e o foco será na prova Game of Skate, onde é realizada uma sessão com todos os skatistas andando na pista composta por três obstáculos (corrimão, rampa de 45° e caixote).
Nesta etapa os árbitros analisam o desempenho dos atletas no decorrer da cronometragem, levando em conta a quantidade de manobras bem realizadas para a escolha do campeão. Ao final do evento será realizada a prova Trick, em que cada skatista terá direito a realizar uma manobra de solo. Aquele que realizar a manobra de maior grau de dificuldade será o vitorioso.
Premiação
Na prova Game of Skate serão premiados os cinco primeiros colocados, o 1° lugar conquista um troféu e entre a 2° e 5° colocação o prêmio será uma medalha. Na prova Trick, o campeão levará um kit com acessórios novos para skate. O evento ainda vai contar com sorteio de brindes durante o decorrer da competição.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Colombo participa do 16° Campeonato Paranaense CAIXA de atletismo


WEBMASTER 19 DE SETEMBRO DE 2014

Esportistas da categoria Pré-Mirim trouxeram de Campo Mourão, sete medalhas, sendo três delas de ouro

O atleta Vitor Gabriel Motim ficou com a 1ª colocação na prova do lançamento do disco e bateu sua própria marca
O atleta Vitor Gabriel Motim ficou com a 1ª colocação na prova do lançamento do disco e bateu sua própria marca
Colombo esteve mais uma vez representada pelos atletas que participam do projeto ‘’Atletismo por um futuro melhor’’ desenvolvido pela Prefeitura Municipal por meio do departamento de Esportes, durante os dias 13 e 14, em Campo Mourão, no Campeonato Paranaense CAIXA de Atletismo Pré-Mirim. O evento contou com a participação de cerca de 500 atletas de todo o Paraná com idade entre 11 e 13 anos.
Os representantes de Colombo conquistaram sete medalhas, sendo três de ouro, uma de prata e três de bronze e superaram quatro recordes paranaenses. O atleta Vitor Gabriel Motim ficou com a primeira colocação na prova do lançamento do disco, com a marca de 52,30m batendo seu recorde anterior na mesma categoria, que antes era de 43,15m. Vitor também foi campeão na prova do arremesso do peso com a marca de 16,16m, onde também passou a ser recordista paranaense.
O atleta Igor Fernando Vandelão foi o campeão da prova do lançamento do martelo com a marca de 37,85m, novo recorde paranaense para a prova, e chegou a terceira colocação na prova do lançamento do disco. Outro representante da modalidade foi o esportista Osmar Gielow Junior que ficou com a segunda colocação na prova do lançamento do martelo com 32,28m, superando o recorde paranaense anterior e atingindo a terceira colocação na prova do arremesso do peso.
Colombo foi representada em Campo Mourão pelos atletas que participam do projeto ‘’Atletismo por um futuro melhor’’
Colombo foi representada em Campo Mourão pelos atletas que participam do projeto ‘’Atletismo por um futuro melhor’’
Na prova do lançamento do dardo o destaque foi o colombense Alcides Nilton Geverton, terceiro colocado na prova. Também compõem as conquistas do campeonato os atletas Vinicius Bolsi Biasoli e Luis Eduardo de Andrade. A equipe de Colombo ganhou o vice-campeonato masculino ficando atrás somente da equipe de Paranavaí. Completaram o pódio a equipe de Curitiba, terceira colocada, Medianeira como a quarta colocada e Maringá com o quinto lugar.
O treinador da equipe, Sidmar Andrigheto Gielow, destacou a dedicação de todos como ponto fundamental para as conquistas. ‘’Já esperávamos resultados expressivos na competição, mas os atletas superaram as expectativas. Tem sido recompensador o trabalho que temos feito. Esperamos implementar cada vez mais os treinamentos para que os atletas possam atingir bons resultados’’, afirmou Gielow.
Ao final da competição, Vitor Gabriel Motim foi eleito o melhor atleta, levando para casa mais um troféu de destaque.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Dpto Esportes/PMC

Homem é assassinado na feira da Praça da Ucrânia e polícia investiga motivação eleitoral


Por Felipe Ribeiro e Danaê Bubalo

A presença de cavaletes eleitorais na Praça da Ucrânia pode ser o motivo de um assassinato ocorrido na noite desta sexta-feira (19), no bairro Bigorrilho, em Curitiba. De acordo com testemunhas, a vítima teria reclamado dos cavaletes no cruzamento das ruas Padre Anchieta e Marcelino Champagnat, quando o responsável pelo material político esfaqueou o ombro do jovem de 21 anos.
Segundo o tenente Diogo, do 12º Batalhão da Polícia Militar, o agressor já vinha incomodando os moradores do bairro há algum tempo. “Nos repassaram como sendo uma pessoa com barba ruiva e camiseta de time de futebol, mas realizamos um patrulhamento e não o encontramos. Aparentemente ele já vinha causando problemas na região, mas ainda não sabemos se a motivação foi política ou pelo incomodo”, disse.
Uma equipe do Samu esteve no local e encaminhou a vítima até unidade de Pronto Atendimento do Campo Comprido, mas o jovem não resistiu.
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso.