Marina declara apoio a Aécio no 2° turno


marina apoio aecio
A candidata derrotada à Presidência, Marina Silva (PSB), declarou neste domingo (12) seu voto e apoio a candidatura do tucano Aécio Neves.
“Tendo em vista os compromissos assumidos por Aécio Neves, declaro meu voto e meu apoio neste segundo turno. Votarei em Aécio e o apoiarei, votando nesses compromissos, dando um crédito de confiança à sinceridade de propósitos do candidato e de seu partido e, principalmente, entregando à sociedade brasileira a tarefa de exigir que sejam cumpridos”, disse a pessebista.
aecio-neves-marina-silva
Marina Silva assumiu a cabeça da chapa do PSB à Presidência após a morte de Campos no acidente aéreo em 13 de agosto. Fora do segundo turno, Marina condicionou o apoio a Aécio a um alinhamento programático entre suas propostas e as do tucano.
Parte das demandas de Marina já estava no programa de governo do tucano, mas ele elaborou uma “carta compromisso” contemplando formalmente algumas das reivindicações da pessebista.
Ladeado pelos principais nomes do PSB em Pernambuco e do candidato a vice na chapa de Marina, Beto Albuquerque (PSB-RS), o presidenciável garantiu que dará prioridade à demarcação de terras indígenas e ampliará a reforma agrária.
Ele voltou a defender o fim da reeleição, mas não deixou claro se abriria mão de disputá-la em 2018. Também disse que manterá e ampliará os programas sociais existentes. Em São Paulo, o coordenador da campanha de Marina, Walter Feldman, disse que a ex-senadora considerou a carta um avanço. Com isso, espera-se que ela endosse a candidatura do tucano.
Integrantes do grupo de Marina pediram ainda que Aécio desistisse de defender a redução da maioridade penal para crimes hediondos, uma das principais bandeiras da campanha do tucano no primeiro turno.
Nesse ponto, ele não cedeu. Questionado sobre o assunto, Aécio afirmou que o fim da revisão da pena para menores nunca foi colocado pelo grupo de Marina como pré-requisito ao apoio à sua candidatura no segundo turno.
Coordenador-geral da campanha de Marina à Presidência, Walter Feldman disse neste sábado (11) que a ex-senadora considerou um avanço a carta de compromissos que Aécio Neves (PSDB) divulgou neste sábado (11), em relação conteúdo de programa do tucano no primeiro turno.
O presidenciável Aécio Neves (PSDB) também recebeu neste sábado o apoio formal da viúva do ex-governador Eduardo Campos (PSB). Em carta lida por João, seu filho mais velho, Renata Campos disse acreditar “na capacidade de diálogo e gestão” do candidato e desejou “sorte” na corrida ao Planalto.
“Somos nordestinos, pernambucanos e queremos, juntos, construir a nação brasileira. Siga em frente, Aécio. Boa sorte e que Deus nos proteja”, escreveu Renata, que recebeu o tucano em sua casa para um almoço.
Em comício em Sirinhaém, zona da mata de Pernambuco, Aécio disse que os “sonhos de Eduardo” agora são os seus sonhos. “O que estamos fazendo aqui não é uma aliança eleitoral. É um pacto por todo uma vida, pela defesa da administração pública brasileira”, disse Aécio ao lado de Renata.

Homem que estava conseguindo superar as drogas é assassinado em Campo Magro


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
campo magro dentro
Corpo de Fermino foi encontrado um terreno baldio de Campo Magro (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

Familiares de Fermino Luiz Ferreira, de 32 anos, não conseguiram acreditar quando o viram assassinado com vários tiros em um terreno baldio no Jardim Viviane, em Campo Magro, na região metropolitana de Curitiba, na manhã deste domingo (12). Segundo os parentes, Ferreira tinha problemas com as drogas, mas nas últimas semanas parecia estar conseguido avançar na recuperação.
“Fomos pegos de surpresa, porque toda a família resolveu ajudar e ele estava melhorando pouco a pouco. Ontem fizemos até um churrasco para ele e agora aconteceu isso. Hoje pela manhã fomos avisados e ainda não conseguimos acreditar. Meu irmão trabalhava como artesão, mas acabou entrando neste mundo das drogas”, disse Joseli Ferreira, irmã de Fermino.
O assassinato aconteceu a duas quadras de onde está instalada a Delegacia de Campo Magro. Os investigadores dela terão a responsabilidade de esclarecer o caso. Não é possível precisar se Fermino foi assassinado no terreno baldio ou apenas foi desovado ali.
.

Domingo em Curitiba tem temperatura mais alta que o Nordeste; calor continua durante a semana


Por Luiz Henrique de Oliveira


O calor chegou, parece que com tudo e sem previsão de ir embora. Neste domingo (12), a temperatura máxima em Curitiba chegou aos 31,8°C, valor acima do que o registrado em várias capitais do nordeste brasileiro. Durante a semana que começa hoje, o clima de verão deve continuar, com previsão de máxima beirando os 30°C de segunda à quinta-feira.
tanguadentroefora
Calor deverá ficar em Curitiba até pelo menos quinta-feira (16) (Foto; Geovane Barreiro – Banda B)
Quando às 14h40 os termômetros em Curitiba chegavam perto dos 32°C, em Salvador, na Bahia, e em Recife, no Pernambuco, fazia 28°C, segundo o Instituto Clima Tempo. Outras cidades do nordeste brasileiro também tinham máximas mais baixas em comparação com Curitiba; Natal, no Rio Grande do Norte, 30°C, Maceió, em Alagoas, 27°C e Fortaleza, no Ceará, 29°C.
Interior
No interior do Paraná o calor está sendo ainda mais forte, com máximas passando dos 35°C. Em Cascavel fez 36,2°C, Campo Mourão 35,1°C, Londrina 36,0°C , Maringá 36,5°C e Toledo 36,9°, de acordo com o Simepar.
Mais calor
De acordo com a previsão do Simepar, nos próximos dias o calor deve continuar. Pelo menos até a próxima quinta-feira (16) a temperatura em Curitiba deve ficar entre 16°C e 32°C, com todos os dias a máxima passando ou chegando próximo dos 30°C.

Pai escolhe dia errado para visitar filho e pode ter sido assassinado no lugar dele


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
araucariadentro
Vigia foi assassinado na casa do filho e possivelmente no lugar dele (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

O vigia José Carlos Ribas, de 62 anos, foi assassinado a pedradas na madrugada deste domingo (12) na Rua Francisco de Assis Pereira Padilha, no Jardim Esperança, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. Segundo Isabele Ribas, filha de José Carlos, o pai morreu na casa do caçula da família, que possivelmente era o alvo dos assassinos.
“Ele não mora aqui e possivelmente veio visitar o meu irmão e acabou acontecendo isso. O que eu sei é que o meu irmão teve um desentendimento com a ex-mulher, que está agora saindo com um traficante, e desde então passou a ser perseguido. Acredito que meu pai dormiu aqui depois que veio visitar o meu irmão e não o encontrou, morrendo por estar no lugar errado”, contou Isabele.
Ainda de acordo com a mulher, outro irmão dela, Felipe Ribas, está desaparecido há três meses. “Eu suspeito que seja por culpa destas mesmas pessoas. Meu irmão que mora aqui ainda nem chegou em casa e não sabe o que aconteceu com o pai”, descreveu à Banda B.
No quarto em que José Carlos foi assassinado está escrita a frase bíblica; ‘Tudo posso naquele que me fortalece’. O corpo da vítima foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). A Delegacia de Araucária investiga o caso.

Lavrador avisa irmão que vai visitá-lo e dez minutos depois morre em acidente de motocicleta


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
courrier dentro
Lavrador de 50 anos não resistiu aos ferimentos e morreu na hora (Foto: Antônio Nascimento – Banda B)

O lavrador Paulo Alves Gomes, de 50 anos, morreu na hora na manhã deste domingo (12) em umgrave acidente de trânsito na Rua Doutor Júlio Carvalho Gomes, na Estrada da Roça Nova, zona rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O acidente aconteceu quando ele, em uma motocicleta, se dirigia à casa do irmão, que morava na região.
Segundo o apurado pela Banda B, Gomes enviou uma mensagem de texto para o irmão e dez minutos depois se envolveu no acidente. “Ele vinha em um trecho de descida e acabou fazendo a curva na pista contrária, batendo de frente contra um Ford Courrier, dirigida por outro lavador, de 59 anos”, descreveu o tenente Ivair, da Polícia Militar (PM).
De acordo com o tenente, o outro envolvido no acidente se dirigia até uma igreja em um povoado próximo, onde participaria da missa de Nossa Senhora Aparecida. “Ele não se feriu. Já os ferimentos que Gomes teve foram graves e ele acabou morrendo na hora”, relatou.
O corpo de Gomes foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML). No local do acidente, o irmão dele lamentava muito o que tinha acontecido.

Tirolesa não chega à margem de rio e jovem morre após não conseguir esperar por socorro


Por Luiz Henrique de Oliveira


Um jovem de 24 anos morreu após se afogar dentro de uma chácara de lazer em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba, na tarde deste domingo (12). Ele caiu de uma tirolesa dentro de um rio com profundidade de 15 metros e não conseguiu chegar à margem.
Segundo os bombeiros comunitários de Campina Grande do Sul, Marcos Aurélio de Lima não sabia nadar e resolveu atravessar o rio pela tirolesa, porém no meio do caminho as pernas dele enroscaram na água. “Um rapaz tentou puxá-lo até a margem usando uma corda, mas ele não aguentou segurar no ferro por alguns minutos e acabou caindo a cinco metros de chegar à margem”, explicou o bombeiro Dalpra.
De acordo com Dalpra, um jovem que estava com a vítima pulou no rio para salvá-lo, mas não conseguiu. “Esse rapaz também não sabia nadar e acabou tento dificuldades para resgatá-lo. Quando nós chegamos ao local já identificamos o óbito”, explicou.
Marcos Aurélio estava na chácara, que também conta com piscina e churrasqueira, ao lado de amigos. O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).
.

Daniela Mercury e Malu Verçosa comemoram um ano casadas, mas ainda há preconceito: ‘Não chamam de esposa, e sim de companheira’


Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Divulgação
Michael Sá

Há exatamente um ano, Daniela Mercury e Malu Verçosa deram o “sim” que mudaria suas vidas. Em meio à coragem de externar seus sentimentos para o mundo, veio uma série de julgamentos, mas elas também passaram a serem vistas como ícones da luta pela liberdade. O encontro de almas, como elas costumam definir, vai além da casa que elas moram com as três filhas adotivas em Salvador. Malu passou a fazer parte da vida profissional da mulher , e as duas afirmam viver, desde então, uma eterna lua de mel.

Como vocês avaliam esse um ano de casadas?
MALU: Foi um ano de aprendizado e muitos desafios. A sensação é que valeu por dez anos de convivência. Começamos um namoro e depois tivemos um casamento com muita exposição na mídia e muitos julgamentos e comentários. Inventaram até separações! Nos fortalecemos e muito com tudo isso, mas não foi fácil. Nos tornamos ícones da luta pela liberdade, contra o preconceito e contra qualquer tipo de violência e desrespeito à comunidade LGBT. Foi um ano de muita alegria, mas de muita pressão também.
Daniela Mercury e Malu Verçosa no dia do casamento
Daniela Mercury e Malu Verçosa no dia do casamento Foto: Divulgação
Qual foi o momento mais especial desse primeiro ano de casamento?
DANIELA: Foram muitos momentos divertidos e emocionantes. Viagens de férias para Paris, Dubrovinik, na Croácia, e muitas viagens pelo Brasil a trabalho. Também recebemos juntas alguns prêmios de direitos humanos pela nossa atitude. Nesse um ano, decidimos trabalhar juntas por que nos admiramos profissionalmente e também pela intensidade da paixão (risos). Não nos desgrudamos. Malu me protege e cuida muito de mim tanto profissional como pessoalmente, marcando consultas médicas e organizando as coisas da casa. Ela vai das coisas mais íntimas aos contratos e depois desse ano tão forte e intenso, nos amamos muito mais.

Vai ter uma nova lua de mel?
DANIELA: Nós aproveitamos as viagens a Portugal (por causa do “The voice kids”, em que Daniela é jurada) e já começamos a celebrar um ano de casadas. Afinal, foi lá que anunciamos o nosso amor ao mundo. E vamos fugir para o litoral norte da Bahia nesse fim de semana. A lua de mel é eterna.
MALU: A comemoração será só de nós duas. Queremos coisas simples, como um lindo pôr do sol e jantar num restaurante que amamos.
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Arquivo pessoal
Vocês já tiveram alguma briga de casal?
MALU: Temos discussões como qualquer casal, afinal de contas, duas mulheres leoninas e líderes natas sempre têm uma forma diferente de resolver os mesmos problemas.

Qual o segredo para manter a chama do amor acesa e não cair na rotina?
MALU: O olhar sobre a outra. A admiração que temos uma pela outra e a sedução que é diária e constante. O nosso jeito de ser mantém a nossa vida bem movimentada e intensa.

Trabalhar ao lado da mulher é mais fácil?
MALU: É um desafio. E é extremamente gratificante, uma delícia ter a companhia uma da outra diariamente, testemunhar a vida da pessoa que você amada é maravilhoso.
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Divulgação
O casamento de vocês serviu, como vocês mesmo disseram, para ajudar na luta pela liberdade. Hoje, um ano depois, como vocês enxergam a questão do preconceito?
DANIELA: O nosso amor inspirou as pessoas a lutar pelo que acreditam e isso tem sido bem claro para nós. O impacto do que fizemos é muito mais abrangente do que as questões do universo LGBT. Estamos orgulhosas pelo fato de inspirarmos as pessoas a falar a verdade, a viver seu amor com naturalidade. Nos sentimos muito queridas e recebemos muitos cumprimentos pela nossa atitude e muitos agradecimentos pela luta contra o preconceito e pela afirmação da força e da autonomia das mulheres. Um reforço bem importante à luta feminista também.

Vocês chegaram a sentir esse preconceito na pele?
DANIELA: É cansativo, pois é preciso lembrar ao mundo, o tempo todo, que somos casadas para que tratem a gente como tratam um casal hétero. A sociedade não tem hábito de considerar a união de mulheres um casamento. Então, nos restaurantes, nos hotéis e em praticamente todas as situações cotidianas, é preciso sutilmente educar as pessoas. E ainda tem os termos preconceituosos, não chamam de esposa, mas de companheira. Falam de “assumir” e esclarecemos dizendo que não há o que assumir e que, no nosso caso, apenas comunicamos a relação e depois casamos no civil como qualquer casal. Mas não precisamos de aprovação, precisamos de respeito!
Em tempos de eleição, o que vocês acharam da vitória do Jair Bolsonaro e Marcos Feliciano, dois ferrenhos críticos à causa LGBT?
DANIELA: Quanto mais a sociedade avança, mais barulho faz uma minoria conservadora, principalmente num país em que crenças religiosas e direitos humanos se confundem. A educação é o grande desafio.

As filhas de vocês já entendem que elas têm duas mães e que vocês são um casal?
DANIELA: Claro que elas sabem que têm duas mães e que somos um casal. Elas nos admiram e crescem com um exemplo de respeito, cumplicidade e, principalmente, amor, entre as mães. A questão não é “tratada”em casa porque não é uma questão. Elas não têm o preconceito que está dentro da nossa sociedade. E quando vem alguma questão de fora para dentro de casa, em muitos casos, elas mesmas encontram as soluções. Quando isso não acontece, a gente conversa e mostra o caminho de resolução e do amor.
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Divulgação
Pensam em adotar mais uma criança ou até mesmo engravidar?
MALU: O futuro a Deus pertence... Amamos crianças!

Como é o assédio das mulheres ao casal ?
DANIELA: O assédio é o mesmo dos homens. Ignoramos o assédio e seguimos adiante. Não nos mobiliza. Somos igualmente ciumentas, mas nada exagerado.
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Divulgação/ Fabio Cerati
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas
Daniela Mercury e Malu Verçosa: 1 ano de casadas Foto: Divulgação


Aécio 58,8%, Dilma 41,2% Aécio dispara e abre 17 pontos de vantagem sobre Dilma, na Istoé/Sensus


aecioE agora, como Ibope e Datafolha explicam seus números tão apertados? Primeiro levantamento após divulgação de áudios da Petrobrás mostra que escândalo atingiu em cheio campanha da petista
Mário Simas Filho
1) Primeira pesquisa ISTOÉ\Sensus realizada depois do primeiro turno da sucessão presidencial mostra o candidato Aécio Neves (PSDB) com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais.
2) O levantamento feito entre a quarta-feira 7 e o sábado 10 é o primeiro a captar parte dos efeitos provocados pelas revelações feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o detalhamento do esquema de corrupção na estatal.
3) “Além do crescimento da candidatura de Aécio Neves, observa-se um forte aumento na rejeição da presidenta Dilma Rousseff”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Segundo a pesquisa, o índice de eleitores que afirmam não votar em Dilma de forma alguma é de 46,3%. A rejeição de Aécio Neves é de 29,2%.
4) “O tamanho da rejeição à candidatura de Dilma, torna praticamente impossível a reeleição da presidenta”, diz Guedes. A pesquisa também capta, segundo o diretor do Sensus, os apoios políticos que Aécio recebeu durante a semana, entre eles o do PSB, PV e PPS.
5) As 2000 entrevistas feitas em 24 Estados e 136 municípios mostra que houve uma migração do eleitorado à candidatura tucana mais rápida do que as manifestações oficiais dos líderes políticos. No levantamento sobre o total dos votos, Aécio soma 52,4%, Dilma 36,7% e os indecisos, brancos e nulos são 11%, tudo com margem de erro de 2,2% e índice de confiança de 95%. Nos votos espontâneos, quando nenhum nome é apresentado ao eleitor, Aécio soma 52,1%, Dilma fica 35,4% e os indecisos são 12,6%.
“A analise de todos esses dados permite afirmar que onda a favor de Aécio detectada nas duas semanas que antecederam o primeiro turno continua muito forte”, diz Guedes. O tucano, segundo a pesquisa ISTOÉ\Sensus, vence em todas as regiões do País, menos no Nordeste. No PSDB, a espectativa é a de que a diferença a favor de Dilma no Nordeste caia nas próximas pesquisas, principalmente em Pernambuco, na Bahia e no Ceará. Em Pernambuco devido o engajamento da família de Eduardo Campos na campanha, oficializado na manhã do sábado 10. Na Bahia em função da presença mais forte do prefeito de Salvador, ACM Neto, no palanque tucano. E, no Ceará, com a participação do senador eleito Tasso Jereissati.
Além da vantagem regional, Aécio, de acordo com o levantamento, supera Dilma em todas as categorias socioeconômicas, o que, segudo a análise de Guedes, indica que a estratégia petista de apostar na divisão do País entre pobres e ricos não tem dado resultado.
PESQUISA ISTOÉ|Sensus
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01076/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – de 07 a 10 de Outubro de 2014
Margem de erro – +/- 2,2%
Confiança – 95%

Aécio recebe apoio da viúva e dos filhos de Eduardo Campos


aécio e os campos
‘O Brasil pede mudanças. O governo que está aí tornou-se incapaz de realizá-las’, disse Renata Campos em carta. Em Pernambuco, Aécio divulgou manifesto em que se compromete com pontos do programa de Marina – condição para receber o apoio da ex-adversária
Agência O Globo
RECIFE – O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, recebeu neste sábado o apoio da família do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto num acidente aéreo em 13 de agosto. Os filhos do ex-governador participaram de dois eventos ao lado do tucano, em Recife. No primeiro, compareceram para dar um abraço no presidenciável e, no segundo, João Campos leu uma carta da viúva de Campos, Renata, com quem Aécio se encontrou à tarde.
“Hoje temos duas possibilidades: continuarmos como estamos ou tentar o caminho das mudanças. O Brasil pede mudanças. O governo que está aí tornou-se incapaz de realizá-las”, escreveu a viúva na carta.
O texto foi lido por João Campos durante encontro da Frente Popular no Clube Internacional do Recife. Foi ele quem marcou maior presença na campanha majoritária do PSB em Pernambuco: João participou de caminhadas e comícios em 41 municípios para reforçar a campanha do hoje governador eleito Paulo Câmara (PSB).
Na carta, a família reconhece “avanços”, mas diz ser fundamental “arejar a casa”. E envia um recado para o tucano: “Aécio, acredito na sua capacidade de diálogo, de gestão. Sei que não é a primeira vez que seu caminho se cruza com o de Eduardo”.
Renata diz ter certeza que o tucano empunhará as mesmas bandeiras defendidas pelo seu marido:
“Penso, Aécio, que hoje é um dia muito importante na sua caminhada. Você vai levar a garra e a energia do nosso povo, que são fundamentais e essenciais para a construção do novo Brasil. Somos nordestinos e pernambucanos e queremos juntos um novo construir Brasil. Siga em frente, Aécio, e que Deus nos proteja”.
Ao sair da casa da família Campos – onde almoçou com cerca de 40 lideranças políticas do estado – o candidato do PSDB afirmou que fechou em Pernambuco “não apenas um pacto eleitoral, mas um pacto de uma vida toda pela decência na vida pública brasileira”. Renata acompanhou o tucano até o portão da residência ao lado dos filhos, mas não gravou entrevista. Aécio reagiu com um sorriso e silêncio, quando lhe indagaram se havia recebido algum telefonema de apoio da ex-candidata Marina da Silva (PSB).
– Hoje estou muito feliz. E vou começar de trás para a frente. Acabei mais uma vez de comer o almoço da Dona Renata, um peixe maravilhoso, uma carne de sol saborosa. Eu vim buscar energia. Energia na alma, para continuar essa travessia. Eu me emociono ao voltar aqui à casa de Eduardo, porque aqui conversamos muito sobre o Brasil, tendo a Renata e os filhos como testemunhas – afirmou. E acrescentou:
– Saio daqui com uma responsabilidade que, se já era grande, ainda é maior. Para mim, hoje não foi nenhuma visita política. Hoje foi uma visita pessoal do coração. Fiz questão de trazer a Gabriela, minha filha, para conhecer os filhos de Eduardo. O que estamos fazendo aqui não é uma aliança eleitoral. É um pacto por toda uma vida. Pela decência na vida pública brasileira – ressaltou ele, antes de partir para um comício na cidade de Sirinhaém, na Zona da Mata, onde Marina teve o seu maior percentual de votação do país (74,19%).
AÉCIO DIVULGA DOCUMENTO PARA GARANTIR APOIO DE MARINA
Em sua passagem pela capital pernambucana, Aécio divulgou documento afirmando que “a Federação está doente, enfraquecida e debilitada” por padecer do “centralismo excessivo na esfera federal” e prometeu promover “a revisão desse Estado de coisas”, devolvendo a estados e municípios “meios de exercerem sua autonomia constitucional, habilitado-os a levar a solução do problema para perto de onde ele ocorre”. O manifesto consolida pontos em comum entre os programas de Marina Silva (PSB) e de Aécio e é uma condição para que o tucano receba o apoio da ex-presidenciável.
Aécio disse ainda ser preciso “devolver o Estado à sociedade brasileira”. E fez um apelo: “É urgente revirogar nossa federação, fortalecendo suas bases”. Ele prometeu promover o debate sobre o pacto federativo, articulado com a temática do desenvolvimento regional. Aécio comparou-se ao ex-presidente Juscelino Kubistchek.
O texto do documento divulgado por Aécio faz parte de uma carta divulgada pelo tucano, durante encontro com lideranças de movimentos sociais e a carta dos 21 partidos que integram a Frente Popular de Pernambuco, que é liderada pelo PSB. Aécio foi recebido em clima de festa, saudado com gritos de “Brasil pra frente, Aécio Presidente” e “País rico é país sem PT”.
AÉCIO LEMBRA DE CAMPOS
Publicidade
O documento foi lançado no sábado no Recife, com pouco mais de 80 linhas. Ele assegurou que vai preservar “o legado e os sonhos” de Eduardo campos, mostrando que o documento é uma síntese do que querem as forças que agora o apóiam. Ele ressaltou que as urnas acusaram o desejo de mudança:
– A maioria do eleitorado, 60%, mostrou o desejo de mudança. Mudar significa tirar do poder os que o estão exercendo, mas significa, também, mudar para melhor, em primeiro e principal lugar visando a aprimorar práticas partidárias e eleitorais – afirmou.
Na carta, ele reiterou “o compromisso com valores democráticos, cuja efetivação depende de mantermos instituições virtuosas e de sermos capazes de entender que, no mundo atual, a ampliação da participação popular no processo deliberativo, através da utilização das redes sociais, dos conselhos, das audiências públicas sobre temas importantes não se choca com os compromissos da democracia representativa, que têm que ser preservados. Ao contrário, dá-lhes maior legitimidade”. Aécio leu a carta no encontro com lideranças de movimentos sociais – negros, mulheres, pessoas com necessidades especiais e sindicalistas, – que ocorreu em um hotel, no bairro do Pina, na Zona Sul da capital.
Ele fez uma lista das conquistas do país durante as duas gestões presidenciais do PSDB. Segundo Aécio, o documento divulgado no Recife se baseia no tripé “juntos pela democracia, juntos pela inclusão social e juntos pelo desenvolvimento sustentável”.
– O PSDB se orgulha de ter ajudado o Brasil a reencontrar o equilíbrio econômico. Não só fizemos a estabilização da moeda com o Plano Real, mas criamos instituições fundamentais para sua continuidade, sustentadas por políticas de transparência que infelizmente não vêm sendo seguidas pelo atual governo. O sistema de metas da inflação e autonomia operacional do Banco Central para fixar a taxa de juros e observar as livres oscilações de câmbio provaram ser ineficientes. Graças a essa base, inauguramos nova etapa de investimentos tanto internos quanto externos – disse Aécio.
Aécio Neves ao lado da filha, Gabriela (de vestido), e dos filhos de Eduardo Campos – / Agência O Globo
AÉCIO: TUCANOS INICIARAM ENTREGA GRATUITA DE MEDICAMENTOS
Ele ressaltou ainda políticas sociais criadas nas gestões tucana, a implantação do Sistema Único de Saúde e atribuiu aos tucanos o início da entrega gratuita de medicamentos aos mais pobres:
– Falta muito ainda, mas o governo do PT maltratou a saúde pública.
Aécio prometeu reajuste da tabela dos serviços do SUS e recuperação de instituições filantrópicas que prestam serviços de saúde. Ele falou também em retomar a reforma agrária “com seriedade e prioridade” e prometeu levar adiante “o resgate da dívida social brasileira”.
– Vamos ampliar e aprimorar as políticas existentes, inclusive transformando o Bolsa Família em política de Estado e não de governo, justamente para que não sofra descontinuidade ou interrupção.
O tucano disse esperar a vitória no segundo turno:
– A democracia, tal como a concebemos, não se faz destruindo os órgãos do Estado ao sabor de interesses partidários e privados, como foi feito com as agências reguladoras, as empresas estatais, os fundos de pensão, e a própria administração federal.
Para Aécio, é preciso “devolver o Estado à sociedade brasileira”.
‘NÃO VOU ACEITAR O QUE ELES ESTÃO FAZENDO’
Depois de ler a carta, Aécio foi para o Clube Internacional, ao lado do governador eleito Paulo Câmara (PSB), do senador eleito Fernando Bezerra Coelho (PSB), e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB). O governador do Espírito Santo (PSB), Renato Casagrande, também compareceu ao encontro.
Publicidade
– Em solo sagrado de Pernambuco, digo que não sou mais candidato a presidente só do PSDB e dos partidos aliados. Sou o candidato que vai trazer as mudanças, reduzir as disparidades regionais, o que vai permitir que as populações mais desfavorecidas sejam aquelas mais atendidas pelo Estado. Não vou aceitar o que eles estão fazendo, dividindo o Brasil em dois, entre nós e eles, norte e sul. Quero ser o presidente da integração de todos os brasileiros. Essa integração se fará construindo pontes, construindo alianças – disse.
O presidenciável tucano lembrou Campos:
– Nós tínhamos certeza de que um dia estaríamos juntos, construindo um Brasil melhor, mais honrado, mais generoso – afirmou, dizendo que fez questão de trazer sua filha Gabriela a Pernambuco, para ela “conhecer a boa política que ainda se pratica no Brasil”.

Marina anuncia apoio a Aécio neste domingo


marina
Segundo interlocutores, ex-ministra deve anunciar apoio ao tucano Aécio Neves, que se comprometeu com temas sugeridos por ela.
De O Globo
Após passar a semana se reunindo com aliados em São Paulo, Marina Silva vai anunciar neste domingo qual será seu posicionamento no segundo turno. Pessoas que participaram da campanha da ex-ministra do Meio Ambiente dizem que ela considerou um avanço a carta-compromisso apresentada por Aécio Neves (PSDB) neste sábado e que deve anunciar apoio ao senador tucano. No documento, Aécio se comprometeu a incorporar a seu programa de governo questões que envolvem reforma agrária, questões indígenas e ambientalismo, consideradas cruciais por Marina.
Marina passou a tarde reunida com pessoas próximas em seu apartamento, em Moema, zona sul da capital. Participaram do encontro políticos ligados à Rede Sustentabilidade, partido que Marina tentou criar ano passado, como Walter Feldman, Bazileu Margarido e Gabriela Barbosa. Feldman disse que Marina falou pouco sobre o que achou da carta, mas considerou o gesto de Aécio um avanço em relação ao debate programático do primeiro turno.
— Não dá pra se imaginar que o programa da Rede e da campanha da Marina seja o mesmo que o do Aécio, mas na minha avaliação, é uma carta-compromisso de forte cunho social. Foram garantidas questões da democracia, da sustentabilidade e dos programas sociais. Me parece bastante relevante.
Segundo Feldman, nem todos os políticos ligados a Rede são favoráveis ao anúncio de apoio a Aécio Neves no segundo turno:
— Alguns acham que deve continuar batalhando a despolarização e não participar (do segundo turno). Outros acham que dada a dramaticidade da desconstrução democrática e retrocesso ambiental, social e econômico do governo Dilma, você não tem muita escolha a não ser tomar uma opção.
Após o resultado do primeiro turno, Marina sinalizou que anunciaria apoio a Aécio Neves se ele se comprometesse com propostas defendidas por ela nas áreas social e de sustentabilidade. Na carta apresentada neste sábado, o tucano faz referência à candidata que se lançou candidata pelo PSB ao dizer que “é natural que contemos, neste etapa, com as sugestões dos que, comprometidos com a mudança, se lançaram à campanha e, mesmo não obtendo votos suficientes para chegar ao segundo turno, contribuíram com suas ideias, propostas e debates para melhorar a qualidade de nossa democracia.”
Umas das bandeiras do PSDB, a redução da maioridade penal para 16 anos em caso de reincidência por crimes considerados graves, chegou a ser apresentada como um entrave para a oficialização do acordo, já que a Rede Sustentabilidade, partido que Marina tentou criar ano passado, é contra a proposta. Na sexta-feira, aliados de Marina já haviam mostrado que poderiam flexibilizar essa exigência. O coordenador da campanha de Marina, Walter Feldman, e o candidato à vice-presidência, senador Aloysio Nunes (PSDB), autor do projeto de lei que trata do assunto, discutiram o assunto.
A carta divulgada neste sábado, caminha no sentindo de um meio-termo, ao propor que a sociedade seja convocada para “debater e encontrar soluções generosas para nossa juventude”. Diz o texto: “podemos, juntos, evitar que os problemas relacionados aos jovens sejam encarados apenas sob a ótica da punição. Essa seria uma forma injusta de penalizá-los, nas ponta do processo, por erros e omissões que são de todos nós”.
ALIADOS DIZEM QUE GESTO ERA ESPERADO
Aliados próximos da ex-ministra Marina Silva disseram que o candidato do PSDB, Aécio Neves, fez o gesto esperado para o anúncio de seu apoio, ao divulgar, em Recife, a carta que inclue, em seu programa de governo, os pontos considerados essenciais para a candidata do PSB: não recuar na política social e avançar na política de sustentabilidade. A redução da maioridade penal, segundo aliados da socialista, não era um ponto inegociável, e que Marina se deu por satisfeita de marcar sua posição contra.
— As coisas estão acontecendo. Marina esperava esse gesto de Aécio e deve anunciar seu apoio até amanhã — disse um dos coordenadores de sua campanha após o ato de Aécio em Recife com o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara, e o candidato a vice em sua chapa, Beto Albuquerque (PSB-RS).

Paulo Roberto Costa diz que também havia cartéis fora da Petrobras


prc
Ex-diretor afirma que prática ocorreu em contratos na Repar e em hidrelétricas ‘no Norte do país’
De O Globo -O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse, em depoimento à Justiça Federal do Paraná, que empreiteiras que realizavam obras para a estatal pagavam propinas de 3% dos contratos para os partidos da base governista (PT, PP e PMDB) porque, segundo ele, temiam, em represália, ficar sem receber contratos em outras obras de outros ministérios ou estatais.
— Se as empresas não pagassem as propinas na Petrobras, os partidos políticos não iriam ver isso com bons olhos — disse Costa, que não informou se as empresas pagariam propina em contratos de outras áreas.
Ele afirmou que tentou, sem sucesso, ampliar o número de empresas a serviço da estatal:
— Os interesses mútuos dos partidos, dos agentes públicos e das empresas, visavam não só a obras da Petrobras, mas também em hidrovias, ferrovias, hidrelétricas etc. A Petrobras até tentou quebrar esse cartel, mas, como eu já disse, o número de grandes empresas é de um grupo muito pequeno. Eu até tentei colocar empresas de menor porte nas obas, mas fui tachado de doido, de que eu iria quebrar a cara, porque algumas empresas não iriam dar conta. Algumas quebraram, como a Santa Barbara, a AIT e a Tenassi. Elas quebraram nos contratos com a Petrobras, mas outras foram em frente.
Ao responder ao juiz Sérgio Moro se alguma empresa do cartel se recusou a pagar propina, Costa disse que “nunca aconteceu”. No depoimento, ele insinuou que havia influência dos partidos políticos também em outras obras do governo federal:
— A cartelização funcionava na Petrobras e fora da Petrobras. Funcionou, por exemplo, na Repar (Refinaria do Paraná). Em Angra dos Reis e nas hidrelétricas do Norte do país. Primeiro, as empresas tinham interesses em outros ministérios, capitaneados pelos partidos políticos. As empresas que atuam na Petrobras são as mesmas que atuam em obras de ferrovias, rodovias, aeroportos, portos, usinas hidrelétricas, de saneamento básico, no Minha Casa Minha Vida. Ou seja, em todos os programas a nível de governo tem partidos políticos interessados.
Costa disse que as grandes empreiteiras sabiam que o dinheiro da propina poderia servir para financiar campanhas políticas em 2010. Procurado, o Palácio do Planalto informou que não comentaria o assunto.
Os advogados do engenheiro Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, entraram ontem com ação por crime contra a honra contra Costa no 9º Juizado Especial Criminal do Rio. Afirmam que Costa fez acusações falsas e sem apresentar provas de que Duque participasse de um esquema ilícito.
CERVERÓ CONTESTA ACUSAÇÕES
O advogado de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da estatal, informou que seu cliente deixou o cargo em 2008, antes do período investigado. No entanto, Costa disse que o esquema passou a funcionar em 2005. Disse ainda que Costa fez declarações “em condições de constrangimento” e que isso pode levar à invalidade das provas.
Um relatório técnico da Polícia Federal esmiuçou números da Unidade de Coqueamento Retardado (UCR), da refinaria Abreu e Lima, obra a cargo do consórcio CNCC, liderado pela Camargo Corrêa. Concluiu que o CNCC repassou pelo menos R$ 38,750 milhões a título de “comissão” pela obra da Unidade de Coqueamento Retardado (UCR) da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.
O valor teria sido repassado por meio de uma fornecedora, a Sanko-Sider. Do valor foram descontados impostos e despesas, e R$ 27,7 milhões foram depositados em contas de empresas de fachada controladas pelo doleiro Alberto Youssef. Para a PF, o consórcio também levou vantagem. O lucro, que era de 9,96% do valor previsto no contrato original, com os aditivos que aumentaram o valor da obra chegou a 26%.

Paranaense acerta 15 números e leva mais de R$ 500 mil na Lotofácil


Da Redação




Um apostador de Pitanga, região central do Paraná, acertou os 15 números da Lotofácil e ganhou pouco mais R$ 580 mil reais. Outros dois apostadores, de Concórdia (SC) e São Paulo (SP), também levaram a mesma quantia. O sorteio foi realizado na noite deste sábado (11), em Osasco (SP).
Também ontem, 16, 19, 20, 28, 37 e 60 foram os números sorteados na Mega-Sena. Ninguém acertou as seis dezenas e, por isso, o próximo sorteio pagará aproximadamente R$ 18 milhões. Por sua vez, 60 pessoas acertaram a Quina e ganharam pouco mais de R$ 45 mil.

Terror do Jardim Ipê atira contra inimigos e atinge mulher que nada tinha a ver com ‘a bronca’


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento


Uma mulher de 24 anos foi baleada na perna durante a noite deste sábado (11) no Jardim Ipê,em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com a Polícia Militar (PM), o autor do disparo é um homem conhecido como “Tiaguinho”, que estaria envolvido com acriminalidade na região.
Segundo o tenente Gantzel, da PM, o atirador abriu fogo contra um grupo de pessoas que conversava perto de um bar e acabou atingindo a jovem, de primeiro nome Francielle. “Não era ela o alvo dele, de acordo com as primeiras informações. Ele passou em um carro e disparou várias vezes. A vítima teve fratura na perna devido ao tiro”, descreveu o tenente.
A Delegacia de São José dos Pinhais investiga o caso.

Motorista embrigado bate carro conta árvore e passageiro morre no interior do PR


Da Redação


Um grave acidente de trânsito em Rebouças, na região central do Paraná, terminou em morte namadrugada de sábado (11). Um jovem de 18 anos morreu após o carro em que estava sair da pista e bater contra uma árvore.
carro prf
(Foto: Divulgação PRF)
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Golf em que a vítima estava era dirigido por um motorista de 19 anos, que estava embriagado. No veículo acidentado, além do motorista e da vítima fatal, estavam outras quatro pessoas.
Três vítimas ficaram feridas, entre elas o motorista, e foram levadas para a Santa Casa de Irati, na região central. O condutor segue internado e, quando for liberado do hospital, responderá por dirigir embriagado.