Fernando Baiano assombra o PMDB

petrobras2
Medo é pouco. A oposição quer convocar Fernando Soares, o Fernando Baiano (foto), o intermediário entre o propinoduto da Petrobras e o PMDB, para depor na CPI Mista. O governo controla a comissão e deverá deixar Baiano para o fim da fila. Através de terceiros, contudo, ele manda avisar que quer falar a verdade, pede beneficio da delação premiada e quer um esquema de segurança. Teme ser assassinado. E se abrir a boca vai restar pouco do PMDB e de uma área do PT no Congresso Nacional. Assim caminha a humanidade.

Juiz Sérgio Moro decide acabar com sigilo da Operação Lava-Jato


sergio moro - lava jato
De acordo com a emissora Globo News, depois de cumpridos os mandados de busca e apreensão e realizadas as prisões na última operação, o juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, responsável pelas investigações da operação Lava-Jato, decidiu acabar com o sigilo do caso.
No mesmo documento, Moro resumiu o esquema como quatro grupos criminosos que praticavam lavagem de dinheiro e crimes financeiros no mercado do câmbio negro. O juiz considerou inesperada a ligação entre Paulo Roberto Costa e Youssef. Costa teria recebido propina mesmo depois de deixar o cargo.
Confira, AQUI, o vídeo da notícia.

Rapaz é morto em troca de tiros após denúncia de briga de gangues na RMC


Da Redação

Um rapaz de 25 anos morreu em uma troca de tiros com a Polícia Militar (PM) em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, na tarde deste sábado (15). O caso aconteceu no final da Rua Divonzir, no Canal Extravasor.
troca-de-tiros
(Foto: Alexandre Xavier)
Segundo informações preliminares, moradores informaram aos policiais sobre a briga constante existente entre a gangue do Uberaba, na capital, e a de São José no local. Eles avisaram que o grupo de Curitiba estaria se deslocando para a cidade vizinha e que o encontro resultaria em agressões.
Quando a PM abordou os jovens, eles reagiram e, no revide, um deles acabou sendo baleado. Outros dois fugiram para o meio do matagal. Um helicóptero chegou a ser acionado para ajudar nas buscas.
O corpo do rapaz morto foi recolhido ao Instituto Médico Legal.

Polícia prende família por tráfico e mulher diz que guardava drogas da vizinha sem saber


Por Marina Sequinel e Danaê Bubalo

Dois homens e uma mulher foram detidos no bairro Xaxim, em Curitiba, por tráfico de drogasna noite desta sexta-feira (14). O caso aconteceu em uma casa na Rua Francisco Xavier Pontes, onde eles guardavam munições e entorpecentes.
A mulher, de 45 anos, foi presa com o marido, de 36, e com o filho, de 20. Quando a Polícia Militar chegou até o local, após receber denúncias, ela correu para dentro da residência, mas não conseguiu fugir.
Com a família foram encontrados R$ 400, 104 comprimidos de esctasy, 12 g de crack, 142 g de pasta base de cocaína, 279 g de maconha, um colete balístico, uma balança de precisão, além de munições. A mulher disse para a polícia que uma vizinha tinha pedido para guardar uma sacola em casa e que ela não sabia do que se tratava.
Ao checar a residência apontada, a PM encontrou apenas a identidade de um homem de 44 anos. A Divisão Estadual de Narcóticos deve investigar o caso para localizar essa pessoa.

Homem é morto em frente a bar após passar ‘noitada’ na casa de amigos


Por Marina Sequinel e Danaê Bubalo
morto-frg
No local da ocorrência. (Foto: Danaê Bubalo – Banda B)

Um homem de 32 anos foi morto em frente a um bar em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, na tarde deste sábado (15). O caso aconteceu na Rua Nossa Senhora do Rosário, no bairro Santa Terezinha.
Segundo o cabo Pereira, da Polícia Militar (PM), Fernando de Paula Prado passou a noite bebendo na casa dos amigos, localizada na frente do bar onde ele foi morto. “Mais tarde, eles teriam ido jogar sinuca no estabelecimento. Testemunhas informaram que houve uma briga feia entre os próprios colegas devido à embriaguez, que resultou no homicídio”, explicou ele em entrevista à Banda B.
Fernando foi atingido por disparos na cabeça e morreu no local. Ele não tinha passagens pela polícia. Ninguém que presenciou a cena soube dizer quem foi o atirador. O corpo da vítima foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) e a delegacia da cidade vai investigar o caso.
Araucária
morto-araucaria
(Foto: Danaê Bubalo – Banda B)

Em Araucária, na região metropolitana, um homem de 45 anos também foi morto a tiros durante a tarde de hoje. Cleonir Antônio de Oliveira recebeu os disparos enquanto dormia na cama, dentro da casa onde morava, na Rua Alfredo Rodrigues, no bairro Capela Velha.
De acordo com a tenente Tonelli, da PM, a filha da vítima, que vive em uma residência no mesmo terreno que o pai, ouviu os tiros e foi verificar o que aconteceu. “Ela encontrou Cleonir morto em cima da cama. Nós recebemos a informação de que ele sofreu ameaças de morte nos últimos dias, mas não sabemos o motivo”, disse ela à reportagem.
A cunhada de Cleonir contou que ele era dono de uma mercearia, onde trabalhava com a esposa, em frente a residência, e que não possuía inimizades. Ele morava com a mulher, mas estava sozinho em casa no momento do crime.
O corpo foi encaminhado ao IML e a delegacia deve investigar a ocorrência.
.

Revista Veja circula com duas capas diferentes neste final de semana

capas - veja 15.11..
Por razões operacionais, e em função da nova etapa de investigações da operação Lava Jato, que veio a público nesta sexta-feira, a revista VEJA desde final de semana circula com capas diferentes. A sonda Rosetta ilustra a capa da revista recebida pelos nossos assinantes. A Operação Lava-Jato é a capa dos exemplares de bancas e supermercados. O conteúdo interno é o mesmo nas duas versões.

Gleisi recebeu R$ 4,7 milhões das empreiteiras do Petrolão


unnamed
Além do R$ 1 milhão, apontado por Paulo Roberto Costa e Alberto Yousseff e não declarado na justiça eleitoral, parte da campanha de Gleisi Hoffmann (PT) ao Senado em 2010 foi bancada por empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras e que teve seus executivos presos nesta sexta-feira, 14. Declarados oficialmente, só das empreiteiras com contratos com o governo e e seus diretores, Gleisi recebeu R$ 3,71 milhões. Na sua prestação de contas, a petista declarou R$ 7,97 milhões arrecadados na sua campanha eleitoral. As doações equivalem à 46,49% das arrecadações de Gleisi. Esse montante deve ser maior, já que Gleisi recebeu mais R$ 2,78 milhões dos diretórios nacional e estadual do PT. E como as doações das empreiteiras costumam representar 75% da arrecadação do PT, estima-se que Gleisi recebeu outros R$ 2,08 milhões de forma indireta das empreiteiras. Somado os dois montantes, as empreiteiras bancaram 72,63% da campanha de Gleisi em 2010.
Detalhando os valores, Gleisi recebeu das seguintes empreiteiras e seus diretores: Camargo Correa (R$ 1 milhão), OAS (R$ 780 mil), UTC Engenharia (R$ 250 mil), CR Almeida (R$ 250 mil), Coesa Engenharia (R$ 220 mil), João Sanches Junqueira (R$ 170 mil), Antonio Sanches (R$ 170 mil), Paulo Francisco Tripoloni (R$ 170 mil), Cavalca Construções (R$ 100 mil), Construtora Central do Brasil (R$ 100 mil), Contax (R$ 100 mil), Alusa Engenharia (R$ 70 mil), Paranapanema (R$ 50 mil), Carlos Roberto Nunes Lobato (R$ 50 mil), José Maria Ribas Muller (R$ 50 mil), Cimento Itambé (R$ 50 mil), Brookfield Brasil (R$ 30 mil), Ecoplan Engenharia (R$ 25 mil), Arteleste Construções (R$ 25 mil), Fidens Engenharia (R$ 25 mil) e Enpa Engenharia (R$ 25 mil).
unnamed2
Nota-se que Gleisi recebeu R$ 510 mil de três diretores da construtora Sanches e Tripoloni, a empreiteira responsável pela construção do Contorno Norte, em Maringá – obra suspeita de superfaturamento e investigada pelo TCU – e que custou R$ 412 milhões. Gleisi e seu marido, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) foram acusados ainda de usar o jatinho da empreiteira na campanha de 2010.
Além disso, Yousseff confirmou que entregou R$ 1 milhão para Gleisi, através de um empresário dono de shopping popular em Curitiba, em quatro parcelas de R$ 250 mil. Yousseff confirma a versão das anotações na caderneta de Paulo Roberto Costa em que se registra “P.B – 0.1″ – e que significa, segundo os dois delatores, “R$ 1 milhão para Paulo Bernardo”.
A máquina de arrecadação do PT sobre as empreiteiras é gigantesca. O jornal “Folha de S. Paulo”, em maio deste ano, apontou que dos R$ 79,8 milhões doados ao PT nacional em 2013, quase R$ 60 milhões – o equivalente a 75% do total – veio de empresas construtoras. Grupos como Camargo Corrêa, Odebrecht e Queiroz Galvão figuram na lista de maiores patrocinadores da sigla por meio de doações ao diretório nacional do partido. O pagamento é feito de maneiras diversas. Enquanto a Odebrecht fez apenas três doações no ano, sendo uma delas de R$ 4 milhões, a Galvão Engenharia contribuiu mensalmente com o partido. Foram 12 doações ao longo do ano, sendo 10 delas no valor de R$ 500 mil.

Dois homens são encontrados mortos dentro dos próprios carros em diferentes locais na Grande Curitiba


Por Marina Sequinel e Danaê Bubalo

Um homem de 35 anos foi morto a facadas dentro do próprio carro, um veículo Gol, na Cidade Industrial de Curitiba na noite desta sexta-feira (14). O caso foi registrado na Avenida das Indústrias.
Roberto Rosa dos Santos foi atingido no peito. Segundo o tenente Roberto, da Polícia Militar (PM), a vítima morava próximo ao local do crime, mas os familiares não souberam informar exatamente o que aconteceu. “Eles disseram também não ter conhecimento se Roberto vinha sendo ameaçado ou se tinha envolvimento com o crime”, afirmou ele em entrevista àBanda B.
Ninguém testemunhou o homicídio e repassou maiores informações para a polícia que possam ajudar na investigação do caso. O corpo do homem foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Curitiba e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa investiga o assassinato.
Colombo
Em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, um homem sem identificação foi encontrado morto também dentro de um carro Gol, na madrugada deste sábado (15). O veículo estava estacionado na Rua Izabel Lima de Oliveira, no bairro São Gabriel.
A vítima foi assassinada com disparos de uma pistola nove milímetros. Segundo a PM, é provável que o atirador estava dentro do automóvel no momento do crime.
A delegacia da cidade deve cuidar do caso.

Homem morre e outro fica ferido em troca de tiros com a polícia no Cajuru


Por Marina Sequinel e Danaê Bubalo
homem-morto
(Foto: Danaê Bubalo – Banda B)

Um homem foi morto em uma troca de tiros com policiais da equipe das Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) no bairro Cajuru, em Curitiba, na noite desta sexta-feira (14). O caso aconteceu por volta das 22h em um campo de futebol no final da Rua Leonardo Gelinski.
Segundo a Polícia Militar, um veículo Honda Civic com três homens e uma mulher, com placas da capital, circulava pela região em atitude suspeita. “A PM tentou, então, abordar o carro, que fugiu em alta velocidade. Em um determinado momento, o motorista bateu o automóvel e os quatro ocupantes tentaram escapar a pé”, explicou o sargento Bindi em entrevista à Banda B.
troca-de-tiros-cajuru
Carro utilizado pelo quarteto é produto de roubo, segundo a PM. (Foto: Danaê Bubalo – Banda B)
Um dos homens, que estava armado com uma pistola de nove milímetros, trocou tiros com a polícia. Um dos abordados foi atingido de raspão na perna e socorrido por uma equipe do Siate. A mulher e um segundo indivíduo se entregaram e foram presos, enquanto o quarto envolvido correu para o meio do campo de futebol.
Ele continuou a atirar contra os policiais. No revide, o homem foi atingido e morreu na hora. “O elemento preso, namorado da mulher detida, estava com uma tornozeleira do sistema prisional”, completou o sargento. De acordo com ele, o veículo Honda Civic foi levado de um assalto a uma residência no bairro Parolin na semana passada e, possivelmente, era usado pelos indivíduos para cometer crimes em toda a cidade.
O corpo do homem sem identificação foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. O casal preso foi levado para a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos e o homem baleado segue internado no Hospital Cajuru sem risco de morte.
.

Banca do Passeio Público é arrombada e comerciante desabafa: “Não aguento mais”


Por Marina Sequinel e Danaê Bubalo

(Fotos: Danaê Bubalo – Banda B)

banquinha do Passeio Público, no Centro de Curitiba, foi arrombada por assaltantes na manhã deste sábado (15). Segundo o dono do quiosque, José Estevam da Silva, essa é a segunda vez no ano que esse tipo de ação acontece – no total, foram 10 atos criminosos contra o local.
Por volta das 8h de hoje, pessoas ligaram para José informando que o telhado da banca havia caído. “Quando cheguei aqui, descobri que tinham quebrado tudo e fugido com o dinheiro do caixa e alguns produtos como doces, salgadinhos, refrigerante e cerveja. Eu havia abastecido o estoque ontem. É realmente muito triste ver a situação do lugar, está tudo destruído”, lamentou ele em entrevista à Banda B.
A banca funciona no Passeio Público há 52 anos e foi dada de presente para José depois que o pai dele, dono do estabelecimento, morreu. “Eu amo o que eu faço e tenho um sentimento muito grande pelo local principalmente por causa do meu pai. Antes, aqui funcionava uma banquinha de fotos. Mas, com o surgimento das novas tecnologias, não havia mais sentido continuar no ramo, então começamos a vender alimentos e bebidas”, explicou José Estevam.
Segundo ele, atualmente, depois das 18h, é impossível deixar a banca aberta, devido a falta de segurança. “O Núcleo da Polícia Militar que atua no local é responsável apenas por realizar patrulhas fora do Passeio e não dentro. Nós já ligamos para a Guarda Municipal para ver se é possível realizar algum tipo de vigília no interior do parque, mas não recebemos resposta”.
Se as coisas não mudarem, há a possibilidade de José vender o local. “É muito triste, porque eu não queria me desapegar da banca, mas, infelizmente, não tenho alternativa”, concluiu.
No olho da Câmara
O vereador Colpani (PSB) esteve no local e conversou com alguns comerciantes. Um casal dono de um carrinho de pipoca, Verônica e Manoel, que estão há 44 anos no Passeio, e o gerente do restaurante, Mohamed, também reclamaram do abandono e da falta de segurança. O parlamentar informou que vai levar a discussão sobre a revitalização do parque para a Câmara Municipal de Curitiba. “Nós não podemos deixar a situação desse jeito. Os comerciantes estão desesperados e com medo”, explicou o vereador.
A Banda B entrou em contato com a Prefeitura, que informou que a segurança no local passou a ser responsabilidade da PM, por meio de um decreto. A GM trabalha na região para combater crimes contra o Meio Ambiente.
Segundo a Polícia Militar, o módulo que existe dentro do Passeio realiza o patrulhamento constante do parque e das áreas ao redor. A assessoria da corporação ainda afirmou que a GM também deve cuidar desses casos, já que o parque é municipal. Além disso, é de competência da Polícia Civil investigar os autores dos delitos cometidos no local.

Polícia Federal começa a ouvir executivos presos na Lava Jato


Ao todo, 20 pessoas estão presas na Superintendência da PF em Curitiba.
Presos são suspeitos de celebrar contratos fraudulentos com a Petrobras.

Bibiana DionísioDo G1 PR

Os presos da sétima fase da Operação Lava Jato começam a prestar depoimento neste sábado (15) na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba. Um avião, com 16 suspeitos, deixou o Rio de Janeiro e chegou à capital paranaense por volta das 4h20. Além destes, também prestarão informações quatro investigados que se entregaram voluntariamente à polícia na noite de sexta-feira (14) e seguem presos. Todos são ligados ao alto escalão de  empreiteiras que possuem contratos com a Petrobras. Outros cinco investigados ainda são procurados. 

A sétima fase da Operação Lava Jato – que investiga um esquema de lavagem e desvio de dinheiro na ordem de R$ 10 bilhões –, deflagrada na sexta-feira (14), teve como foco executivos e funcionários de nove grandes empreiteiras, que apenas com a Petrobras têm contratos que somam R$ 59 bilhões. Boa parte destes contratos estão sob avaliação da Receita Federal, do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal.Ao todo, foram expedidos cumpridos 85 mandados em cidades do Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Distrito Federal. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal do Paraná, responsável pelas investigações.
Segundo a Polícia Federal, as apreensões, diligências, quebras de sigilo e depoimentos – colhidos durante toda a Operação Lava Jato – produziram um material robusto que prova o envolvimento de nove empreiteiras com formação de cartel e desvio de recursos para corrupção de entes públicos.
Os presos não estão em celas separadas. De acordo com a Polícia Federal, eles foram divididos de maneira confortável pela carceragem. Entre os detidos está o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, que foi indicado pelo PT para o cargo. Ele foi detido em casa, no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Duque é o segundo diretor da estatal preso em diligências da Operação Lava Jato. O primeiro foi Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Refino e Abastecimento.
Os quatro investigados que se entregaram diretamente da superintendência da Polícia Federal em Curitiba são Valdir Lima Carreiro, da Iesa, Sérgio Cunha Mendes, da Mendes Júnior, Newton Prado Jr, da Engevix, José Aldemário Pinheiro Filho, da OAS. Assim como os demais, eles ficaram detidos.

Assim que os investigados chegaram à Polícia Federal, tiveram que entregar joias, cintos e cadarços de sapatos, porém, foram autorizados a ficarem com as próprias roupas. Nesta manhã, como café da manhã, foi servido café com leite e pão. Para o almoço, será servido feijão, arroz e macarrão.

Ainda há cinco mandados de prisão em aberto, por isso, aqueles investigados que ainda não foram encontrados tiveram os nomes registrados no sistema da Polícia Federal e estão impedidos de deixar o país. Os nomes dos investigados com mandado de prisão preventiva também foram incluídos na lista de alerta vermelho da Interpol.
Mandados
Veja a lista de mandados expedidos pela Justiça Federal do Paraná:

Mandados de prisão preventiva
- Eduardo Hermelino Leite (vice-presidente da Camargo Correa)
- José Ricardo Nogueira Breghirolli (funcionário da OAS, em São Paulo-SP)
- Agenor Franklin Magalhães Medeiros (diretor-presidente da Área Internacional da OAS)
- Sérgio Cunha Mendes (diretor-vice-presidente-executivo da Mendes Junior)
- Gerson de Mello Almada (vice-presidente da Engevix)
- Erton Medeiros Fonseca (diretor presidente de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia)

Mandados de prisão temporária
- João Ricardo Auler (presidente do Conselho de Administração da Camargo Correa)
- Mateus Coutinho de Sá Oliveira (funcionário da OAS, em São Paulo-SP)
- Alexandre Portela Barbosa (advogado da OAS)
- Ednaldo Alves da Silva (funcionário da UTC, em São Paulo-SP)
- Carlos Eduardo Strauch Albero (diretor técnico da Engevix)
- Newton Prado Júnior (diretor técnico da Engevix)
- Dalton dos Santos Avancini (presidente da Camargo Correa)
- Otto Garrido Sparenberg (diretor de Operações da IESA)
- Valdir Lima Carreiro (diretor-presidente da IESA)
- Jayme Alves de Oliveira Filho
- Adarico Negromonte Filho
- José Aldemário Pinheiro Filho (presidente da OAS)
- Ricardo Ribeiro Pessoa (responsável pela UTC Participações)
- Walmir Pinheiro Santana (responsável pela UTC Participações)
- Carlos Alberto da Costa Silva
- Othon Zanoide de Moraes Filho (diretor-geral de Desenvolvimento Comercial da Vital Engenharia, empresa do Grupo Queiroz Galvão)
- Ildefonso Colares Filho (diretor-presidente da Queiroz Galvão)
- Renato de Souza Duque (ex-diretor da Petrobras)
- Fernando Antonio Falcão Soares

Mandados de condução coercitiva
- Edmundo Trujillo (diretor do Consórcio Nacional Camargo Correa)
- Pedro Morollo Júnior (funcionário da OAS, em Jundiaí-SP)
- Fernando Augusto Stremel Andrade (funcionário da OAS, no Rio de Janeiro-RJ)
- Ângelo Alves Mendes (funcionário da Mendes Júnior, em Belo Horizonte-MG)
- Rogério Cunha de Oliveira (funcionário da Mendes Júnior, em Recife-PE)
- Flávio Sá Motta Pinheiro (diretor administrativo e financeiro da Mendes Júnior)
- Cristiano Kok (presidente da Engevix)
- Marice Correa de Lima (funcionária da OAS, em São Paulo-SP)
- Luiz Roberto Pereira

Operação Lava Jato (Foto: G1)

Mega-Sena acumula, e prêmio pode chegar a R$ 80 milhões na próxima quarta feira (19)


Confira as dezenas sorteadas: 01 - 21 - 22 - 27 - 32 - 45.
Quinta teve 134 acertadores que receberão R$ 39.421,72 cada.

Do G1, em São Paulo

 

MEGA-SENA
CONCURSO 1653
1 21 22
27 32 45
Nenhuma aposta acertou as seis dezenas sorteadas no concurso 1.653 da Mega-Sena realizado excepcionalmente nesta sexta-feira (14), em Osasco (SP), por conta do feriado da Proclamação da República. No próximo sorteio, que vai acontecer na quarta-feira (19), a previsão é que o prêmio chegue a R$ 80 milhões.
Confira as dezenas sorteadas: 01 - 21 - 22 - 27 - 32 - 45.
A quina teve 134 acertadores e cada um vai levar R$ 39.421,72 cada. Já a quadra pagará R$ 625,17 para cada um de seus 12.071 ganhadores.
Para apostar
A Caixa Econômica Federal faz os sorteios da Mega-Sena duas vezes por semana, às quartas-feiras e aos sábados. As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 2,50
.

Acórdão de condenação de agente da Lei Seca afirma que Luciana ‘zombou’ de juiz


Luciana alega que juiz tentou dar carteirada
Luciana alega que juiz tentou dar carteirada Foto: Marcelo Theobald


Em menos de 20 minutos, os desembargadores Cleber Ghelfenstein, Gilberto Campista Guarino e Plinio Coelho Filho, da 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, confirmaram a decisão de José Carlos Paes sobre a disputa judicial entre a agente da Lei Seca Luciana Tamburini e o juiz João Carlos de Souza Correa, na última quarta-feira. De acordo com Tatiana Tamburini, irmã e advogada de Luciana, o julgamento ainda começou antes da hora marcada.
— Cheguei lá 13h05m e peguei só o final. Outros advogados que estavam no local me contaram que eles começaram 12h50m. Era para ser às13h, e demorou menos de 20 minutos — conta Tatiana.
O Tribunal de Justiça foi procurado, mas não se pronunciou sobre a acusação.
O acordão publicado ontem, assinado pelo desembargador José Carlos Paes, afirma que “ao desdenhar do conhecimento jurídico do réu, afirmando ‘você é juiz e desconhece a lei?’, a autora (...) zombou dolosamente (...), menosprezando seu saber jurídico e a função exercida por ele na sociedade”.
O documento também lembra que o artigo 35 da Lei Orgânica da Magistratura Nacional afirma que é dever do juiz “manter conduta irrepreensível na vida pública e particular” e que “ao se despir da toga, o magistrado não se desvencilha da relevância da sua função na sociedade”.
O juiz João Carlos de Souza Correa tem histórico de polêmicas
O juiz João Carlos de Souza Correa tem histórico de polêmicas Foto: Márcio Alves
Sem carteira

A confusão aconteceu no dia 12 de fevereiro de 2011. A agente Luciana Tamburini parou o juiz João Carlos numa blitz da Lei Seca por volta das 23h30m, na Lagoa. Ele fez o teste do bafômetro e não apresentou sinais de consumo de álcool. No entanto, estava sem carteira de habilitação e em um veículo sem placa. Quando ele argumentou que não sabia por quanto tempo podia andar com o carro antes de colocar a placa, Luciana teria dito: “Você é juiz e desconhece a lei?”. A agente alega que João Carlos tentou dar uma carteirada se apresentando como juiz e dando voz de prisão para ela.
Procurados, os quatro desembargadores se recusaram a dar entrevista. A assessoria do Tribunal de Justiça do Rio afirmou que a presidente, Leila Mariano, não pode se pronunciar porque um juiz é proibido de comentar a decisão de outro.
João Carlos, que é titular na 18ª Vara Criminal da Zona Oeste, foi procurado no fórum, mas um estagiário informou que ele não estava, por volta das 16h de ontem, e que não quer dar entrevista.

Morre ex-ministro Adib Jatene pai da CPMF


Segundo o Hospital do Coração, ele teve um infarto agudo do miocárdio.
Um dos pioneiros da cirurgia cardíaca no Brasil, Jatene tinha 85 anos.

Do G1, em São Paulo

Morreu na noite desta sexta-feira (14), aos 85 anos, o médico e ex-ministro da Saúde Adib Jatene. Segundo o Hospital do Coração, em São Paulo, a causa da morte foi infarto agudo do miocárdio. O velório será realizado no anfiteatro do hospital neste sábado (15).

Adib Jatente em foto de janeiro de 2011 (Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo)Em 22 de setembro deste ano ele havia sido internado também após sofrer um infarto. Em maio de 2012, o médico já havia sido internado com dores no peito e passado por um cateterismo. No procedimento, ele precisou colocar um stent (prótese metálica para a desobstrução de artérias).

Jatene era diretor-geral do HCor e um dos pioneiros da cirurgia do coração no Brasil. Ele deixa quatro filhos – os também médicos Ieda, Marcelo e Fábio, além da arquiteta Iara – e a mulher Aurice Biscegli Jatene.
Adib Jatene em foto de janeiro de 2011
(Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo)
Médico e ministro
Acriano de Xarupi, Jatene era filho de um seringueiro libanês e de uma dona de armarinho. Quando criança, a família se mudou para Uberaba, em Minas Gerais, e, depois, para São Paulo. Na capital paulista, estudou na Universidade de São Paulo (USP), formando-se aos 23 anos pela Faculdade de Medicina. A residência e pós-graduação foram feitas no Hospital das Clínicas da mesma faculdade, sob a orientação do professor Euríclides de Jesus Zerbini (1912-1993), pioneiro dos transplantes de coração no país.

Com mais de 20 mil cirurgias no currículo, se destacou também por ter sido o primeiro a realizar a cirurgia de ponte de safena no Brasil e por ter inventado aparelhos e equipamentos médicos. Em Uberaba (MG), lecionou Anatomia Topográfica da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro. Neste período, construiu seu primeiro modelo de coração-pulmão artificial. Em São Paulo, trabalhou no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e como cirurgião no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia da Secretaria de Estado da Saúde.
Na política, apesar de não ter se filiado a partidos, atuou como secretário estadual da Saúde de São Paulo (1979-1982), no governo de Paulo Maluf, e duas vezes como ministro, na mesma área, nas gestões Fernando Collor (1992, por oito meses) e Fernando Henrique Cardoso (1995-1996, por 22 meses). No governo de FHC, criou a Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF), para ajudar a financiar a saúde brasileira, e deu continuidade ao projeto dos medicamentos genéricos e ao programa de combate à Aids. Foi membro da Academia Nacional de Medicina e autor e co-autor de cerca de 700 trabalhos científicos publicados na literatura nacional e internacional.
Dono de uma coleção particular de quadros, com obras de Di Cavalcanti, Alfredo Volpi e Tarsila do Amaral, presidiu o conselho deliberativo do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Secretário da Saúde lamenta
Por meio de nota, o secretário de Estado de Saúde de São Paulo, David Uip, disse que a "perda do professor e ministro Adib Jatene é motivo de absoluta tristeza" e que "a saúde pública está em luto". O secretário ainda destacou o papel de Jatene "para a consolidação do SUS em São Paulo e no Brasil"
.