Seis ficam feridos em acidente com ônibus no Campo Comprido; família saia de formatura


Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento


Um grave acidente deixou seis pessoas feridas na madrugada desta quinta-feira (11) no bairro Campo Comprido, em Curitiba. Uma família que voltava de uma formatura da Universidade Positivo bateu o veículo em que estava contra um ônibus que recolhia para a garagem. Quatro ocupantes do carro e duas pessoas que estavam no ônibus ficaram feridas. Nenhuma delas em estado grave.
O acidente aconteceu por volta das 4h20 no fim da rua Pedro Viriato Parigot de Souza esquina com a rua Eduardo Sprada. O sinaleiro estava em alerta e, segundo o motorista do ônibus, o carro da família, um Peugeot 408, não reduziu no cruzamento e o atingiu lateralmente. “Foi muito rápido, não consegui frear. Já estava acabando esse turno e o ônibus ia para a garagem. Estava com alguns colegas de trabalho no ônibus”, disse o motorista do coletivo que tem 46 anos.
Dentro do carro, um casal de adulto no banco da frente e três jovens atrás. Quatro deles ficaram feridos. Já no ônibus, oito pessoas estavam com o motorista e apenas duas ficaram feridas com o impacto. O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) foi acionado e encaminhou as vítimas aos hospitais de Curitiba. Nenhuma delas corre risco de morte. Uma moradora disse à Banda B que, embora o local seja sinalizado, a esquina é palco de frequentes acidentes. O Batalhão de Polícia de Trânsito (Bptran) esteve no local e orientou os motoristas.

Vinte dias depois, gangue volta ao Festval para estourar caixa que tinha ficado intacto


Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

festval
Bandidos agiram com rapidez e, diferente do primeiro ataque, não houve confronto. Foto: AN/Banda B

A Gangue da Dinamite nunca está satisfeita. Passados exatos 20 dias do primeiro ataque, a quadrilha voltou ao Supermercado Festval, na avenida Manoel Ribas, para levar aquilo que tinha ficado para trás. O caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF) já tinha ido aos ares no último dia 21 e na madrugada de hoje (11) foi a vez do caixa do Banco do Brasil (BB). Na última ação, o alarme do Festval soou, os bandidos trocaram tiros com o segurança e foram obrigados a fugir.
Dois homens encapuzados chegaram no local com um veículo Ford Ka prata. Era por volta das 4h40 quando eles invadiram o local e ativaram as dinamites no único caixa eletrônico que tinha sobrado, do BB. Eles conseguiram levar uma quantia não revelada e fugiram, ainda com paradeiro desconhecido.
O Esquadrão Antibombas da Polícia Militar (PM) foi acionado. O tenente Fabris disse à Banda B que câmeras poderão auxiliar. “As imagens das câmeras de segurança vão auxiliar na investigação”, finalizou. A Polícia Civil (PC) investiga.

.

Ameaça de bomba com sacola abandonada na Praça Osório fecha lojas e mobiliza Esquadrão


Por Denise Mello e Danaê Bubalo

isolado
Área foi isolada na Praça Osório – Foto: Danaê Bubalo/Banda B

Fim de tarde dezembro e o centro de Curitiba completamente tomado de gente para as compras de Natal. Foi neste cenário que ocorreu uma ameaça de bomba na Praça Osório, por volta das 17 horas desta quarta-feira (10). Uma sacola abandonada, deixada em cima de banco localizado na Rua Comendador Araújo fez com que os policiais fechassem a rua e impedissem a passagem de pedestres pelo local. Lojas foram fechadas e o Esquadrão Antibombas foi chamado. Logo se descobriu o motivo de toda a correria: uma sacola recheada de comida.
bomba6
Esquadrão antibombas foi acionado
A Polícia foi chamada depois que pessoas que passavam pelo local estranharam a sacola abandonada em um dos bancos da Praça Osório. Assim que o esquadrão antibombas chegou, foi dado início ao trabalho de verificação da sacola abandonada. Primeiro, com a ajuda de um equipamento semelhante a um braço mecânico, o esquadrão retirou a sacola do local e a colocou no chão. Em seguida, uma foto do material foi tirada e a sacola foi removida. O procedimento para esse tipo de situação é internacional e é sempre necessário analisar o material após o trabalho de remoção.
A Comendador Araújo, entre a Rua Visconde de Nácar e Travessa Jesuíno Marcondes, ficou bloqueada por mais de duas horas. Lojas e comércios da região foram orientados a fechar as portas para evitar qualquer acidente. O local foi isolado e diversos curiosos se aglomeravam para saber o que estava acontecendo. De acordo como Tenente Diogo, do 12º Batalhão, da PM, nesses casos a curiosidade até mesmo atrapalha o trabalho dos policiais. “Acaba dificultando o isolamento, que é necessário. Não sabemos se é uma bomba ou não e, em caso de explosão, o estrago é grande num raio de ação imenso. As pessoas precisam colaborar”, afirmou.
Depois que a área foi isolada, a sacola removida e os curiosos afastados eis que o esquadrão antibombas descobre o que tinha dentro da sacola. “Alimentação. Isso era o que tinha na sacola”, informou o Tenente Diogo.
A área foi liberada por volta das 19 horas e todos seguiram seu caminho.
.