Temporada deve movimentar R$ 3 bilhões no litoral do Paraná


litoral - pr
A temporada oficial de verão, que inicia nesse domingo (21), deve movimentar até R$ 3 bilhões, de acordo com projeção da Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia e Entretenimento do Estado do Paraná (Feturismo) e da Associação de Hotéis, Pousadas, Restaurantes, Bares e Similares do Litoral Paranaense (Assindilitoral). A expectativa é que o faturamento cresça 20% em relação à temporada anterior, quando a região movimentou R$ 2,5 bilhões. As informações são da Gazeta do Povo.
Comerciantes e empresários acreditam que a temporada mais curta, de 50 dias, beneficie a região. “Temos expectativa de maior faturamento por ser uma temporada mais enxuta. Na temporada de 2013-2014, tivemos uma temporada estendida porque o carnaval aconteceu em março, mas o comércio ficou praticamente três semanas de braços cruzados”, explica Carlos Alberto Freire, presidente da Assindilitoral.
A movimentação intensa típica do verão altera a rotina do Litoral paranaense. Cerca de 300 mil pessoas vivem nas cidades litorâneas; durante os três meses de calor, a estimativa da Polícia Militar (PM) é que até 9 milhões de pessoas passem pelas praias. Para atender essa demanda, devem ser criados em torno de 25 mil empregos em todo o Litoral.

Ex-diretor citou 28 políticos envolvidos em esquema da Petrobras


gleisi-h-470x247 e palocci
Gleisi Hoffmann, ex-ministra chefe da Casa Civil, e Antonio Palocci estão entre os apontados por Paulo Roberto Costa.
Do Estadão:
Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff, deputados, senadores, governador e ex-governadores.
O jornal O Estado de S. Paulo obteve a lista completa dos citados. A relação inclui diversos parlamentares que integram a base aliada ao Palácio do Planalto no Congresso como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012. A lista inclui também o ex-ministro Antonio Palocci, que ocupou a Esplanada nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma. Em sua delação, Costa teria dito que Palocci pediu, em 2010, um repasse de R$ 2 milhões – que seria para a campanha presidencial de Dilma. Na época, o ex-ministro coordenava a campanha da petista.
O ex-diretor citou ainda o atual ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e os ex-ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades). Foram relacionados também por Costa os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).
Há nomes que até aqui ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, foram mencionados ao todo sete senadores e onze deputados federais.
O perfil da lista reflete o consórcio partidário que mantinha Costa no cargo e contratos bilionários da estatal sob sua tutela – são 8 políticos do PMDB, 10 do PP, 8 do PT, 1 do PSB e 1 do PSDB. Alguns, segundo o ex-diretor, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão – dinheiro que teria sido usado em campanhas eleitorais. Outros receberam esporadicamente – caso, conforme Costa, do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente nacional do PSDB e em 2009 teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobrás no Senado.
Sobre vários políticos, o ex-diretor apenas mencionou o nome. Não revelou valores que teriam sido distribuídos a eles ou a suas agremiações.
Foram citados ainda os ex-governadores do Rio Sérgio Cabral (PMDB), do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto, durante campanha presidencial.
Os 28 nomes são exclusivamente de políticos que teriam sido beneficiários dos negócios da diretoria de Costa. A Polícia Federal e a Procuradoria da República trabalham com outros nomes de políticos que se relacionavam com os ex-diretores da estatal Renato Duque (Serviços) e Internacional (Nestor Cerveró).
As revelações foram feitas em depoimentos prestados por Costa à força-tarefa da Lava Jato e fazem parte do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor com o Ministério Público Federal em troca de redução da pena. Desde que sua delação foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal, ele cumpre prisão em regime domiciliar, no Rio.
Alguns nomes dessa lista também aparecem na relação fornecida pelo doleiro Alberto Youssef, que firmou acordo semelhante – ainda não homologado pelo ministro Teori Zavascki, do STF. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve denunciar os envolvidos no esquema de desvios da estatal em fevereiro. A delação do ex-diretor da Petrobrás, já homologada pelo Supremo, estava com Janot desde novembro. Ele aguarda o teor do depoimento de Youssef para cruzar os nomes citados, o que deverá ser realizado até o início da próxima legislatura.
Foro. Na troca da composição do Congresso, alguns dos citados perdem foro privilegiado e passam a ser julgados pela Justiça de primeira instância. Por decisão de Zavascki, as investigações permanecem divididas entre a Corte e a Justiça Federal no Paraná, onde serão investigados os acusados que não têm mandato.
A lista de 28 nomes foi revelada por Costa exclusivamente no âmbito da delação premiada. Como são citados políticos, o caso foi parar no STF. Em depoimentos à primeira instância da Justiça Federal, o ex-diretor não falou de políticos, mas citou que o PP, o PMDB e o PT recebiam de 1% a 3% sobre o valor dos contratos da estatal para abastecer caixa de campanha.
A Lava Jato foi desencadeada em março e identificou a parceria de Costa com o doleiro Youssef. Na última fase da operação, deflagrada em 14 de novembro, foram presos executivos e dirigentes das maiores empreiteiras do País, todos réus em ações penais por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, crimes de cartel e fraudes a licitações.
delacao-costaInfográfico: Estadão.

Dois carros batem em cruzamento na Estrada da Ribeira em Colombo


Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

estrada-ribeira
Dois ficaram feridos e a motorista do Honda Civic saiu ilesa. Foto: AN/Banda B

estrada-ribeira2
Carro ficou parcialmente destruído. Foto: AN/Banda B
Um grave acidente deixou duas pessoas feridas na manhã desta sexta-feira (19) na Estrada da Ribeira, sentido Colombo, região metropolitana de Curitiba. Dois veículos colidiram violentamente em um cruzamento bem sinalizado na alça de acesso da Estrada da Ribeira. Um Honda Civic e um Peugeot ficaram parcialmente destruídos. Dois ocupantes do Peugeot foram encaminhados ao Hospital Evangélico.
O acidente aconteceu em um trecho onde há semáforo dos dois lados, no entanto, existe um espaço entre um sinaleiro e outro, o que pode ter ocasionado o acidente. A motorista do Civic não teve ferimentos, no entanto Robson Carvalho de Souza, 28 anos, e o irmão Cleverson Carvalho de Souza, 34, precisaram de atendimento médico. Aribaldo da Cruz Vieira teve ferimentos generalizados. Eles são passageiros do Peugeot.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada. O trecho ficou parcialmente interditado até a remoção dos veículos.

Avanço de sinal na madrugada provoca morte de motorista de 31 anos no bairro São Francisco


Por Denise Mello e Antonio Nascimento

Era madrugada de sexta-feira (19). As ruas estavam praticamente vazias. Voltando para casa estava Eder Cavalcanti Prudencio, de 31 anos. Dirigia o próprio carro, um Saveiro, até ter a infelicidade de cruzar com outro veículo, um Fiat Palio. A triste coincidência provocou a morte de Prudencio. Os dois veículos bateram no cruzamento da Alameda Cabral com a Rua Martin Afonso, no bairro São Francisco, em Curitiba.
O acidente aconteceu por volta da 1h30. O Palio vinha pela Alameda Cabral e o Saveiro pela Martin Afonso. De acordo com informações do subtenente Gonçalves, do Bptran, um dos veículos teria avançado o sinal vermelho e provocado a colisão. “Um dos veículos avançou o sinal, mas não foi possível coletar mais dados. Alguns moradores de prédios da região nos disseram que, após o impacto, viram o motorista do Palio fugir. Provavelmente, ele estava alcoolizado e não quis arcar com sua responsabilidade”, afirmou o subtenente.
Com a força do impacto, o motorista do Saveiro morreu na hora. A batida atingiu em cheio o lado dele, na direção. O muro de uma casa vizinha também foi atingido.
A polícia acredita que deve chegar ao condutor do Palio nas próximas horas, que deverá ser identificado pela placa do veículo.
Outro acidente
Também na madrugada, por volta das 4 horas, ouro acidente foi registrado em Curitiba. Um jovem de 22 anos perdeu o controle do carro, um Celta, e bateu violentamente contra um poste. O acidente foi na Avenida Mauricio Fruet, embaixo da trincheira, no Cajuru. O carro chegou a dobrar com a força do impacto. O jovem foi encaminhado em estado grave ao Hospital Cajuru. Moradores da região ficaram sem energia e equipes da Copel devem consertar o estrago na manhã desta sexta-feira
Blitz
Durante a madrugada, ocorreu uma blitz itinerante do Bptran pelas ruas de Curitiba. Ao todo, 18 veículos foram apreendidos. A maioria com problemas de documentação. Dos carros apreendidos, dois apresentaram condutores alcoolizados

Homem mata mulher após ver textos de traição no WhatsApp, diz PM


Caso aconteceu na manhã desta quinta-feira (18), em Mogi das Cruzes.
Segundo a polícia, homem confessou o crime e foi preso em flagrante.

Jenifer Carpani e Jamile SantanaDo G1 Mogi das Cruzes e Suzano
Uma mulher de 25 anos foi morta pelo companheiro com golpes de facão na manhã desta quinta-feira (18) em um sítio no Distrito de Taiaçupeba, em Mogi das Cruzes (SP). Segundo a Polícia Militar, o homem de 34 anos confessou ter matado a mulher depois de ler mensagens no aplicativo WhatsApp. O casal estava junto há quase dois anos.
"Ele disse que estava desconfiado da traição há um tempo, que já tinha visto mensagens antes e que hoje pela manhã voltou a ver", informou Antônio Carlos Bono, 1º sargento da Polícia Militar. A PM qualificou o crime como passional. O celular com as supostas mensagens não foi encontrado pelos policiais no local do assassinato.
Polícia apreendeu facas e enxadas usadas pelo suspeito de matar a companheira em Mogi das Cruzes (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)Polícia apreendeu facas e enxadas usadas pelo
suspeito de matar a companheira em
Mogi das Cruzes
(Foto: Polícia Militar/ Divulgação)
De acordo com Bono, o marido relatou ter ido tirar satisfação com a esposa e que ela confessou ter uma relação extraconjugal com o chefe. A vítima trabalhava em uma loja de roupas íntimas, na região central de Mogi das Cruzes. A mulher também teria dito que iria viver com o chefe na casa dos dois, por isso o marido deveria ir embora.
O tenente da PM Fábio Shultze informou que a mãe do suspeito presenciou a briga e tentou intervir, mas acabou ferida com golpes de facão pelo próprio filho. "A genitora correu para a base de Taiaçupeba, onde a PM irradiou a ocorrência e as equipes chegaram logo em seguida", disse o tenente. Em seguida, a mãe do suspeito foi levada para receber cuidados médicos.
Esposa foi morta pelo marido em Taiaçupeba após assumir relacionamento extraconjugal (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)Mulher foi morta pelo marido após assumir traição,
diz PM (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)
Cova
Segundo a Polícia Militar, os policiais chegaram ao sítio pouco tempo depois do crime, quando o homem estava tentando esconder o corpo. "Quando chegamos ao local ele estava cavando um buraco para colocar o corpo dentro da cova. Ele já havia tomado banho inclusive", afirmou o tenente Shultze.
Segundo o sargento Bono, o suspeito havia levado o corpo da companheira para o alto do morro, próximo ao buraco que estava cavando. Ele não resistiu à prisão. "Assim que chegamos, ele já confessou o crime. Disse que perdeu a cabeça por ter descoberto a traição", afirmou o sargento.
Na casa, foram aprendidos três facões, uma enxada, um carrinho de mão e um enxadão. O suspeito foi levado para o 4º Distrito Policial, em Jundiapeba, onde o caso foi registrado como homicídio qualificado.

Mulher que esqueceu menino em carro na Zona Norte do Rio teve o muro de casa pichado: ‘Vida se paga com vida

Gabriel Martins Alves de Oliveira morreu trancado em carro Foto: Foto: Reprodução do Facebook
Luã Marinatto


“Vida se paga com vida”. A frase, escrita no muro do terreno onde moram vários parentes de Claudia Vidal da Silva, incluindo a própria, causou revolta na família, que chegou a acionar a polícia. Segundo eles, a mulher, por conta do medo, não é vista no bairro de Vigário Geral há uma semana, desde a noite da última sexta-feira, quando morreu o menino Gabriel de Oliveira, de 2 anos, deixado por ela no interior de um carro particular utilizado irregularmente para fazer transporte escolar.
A pichação foi feita na tarde de sábado, um dia após a tragédia, e apagada por um irmão de Claudia horas depois. Os gritos de “assassina” durante a madrugada se tornaram comuns, embora já tenham começado a rarear.
— Ela também está sofrendo muito, não para de chorar — desabafa uma irmã, acrescentando: — Se ela errou, tem que pagar, mas é na Justiça.
Claudia não aparece em casa desde sexta-feira
Claudia não aparece em casa desde sexta-feira Foto: Reprodução
Claudia mora no pavimento superior da segunda casa do terreno, que totaliza dez residências pertencentes à família. No local, ela vive — ou vivia, já que os parentes não sabem se voltará — com o marido e os filhos, de 11, 8 e 4 anos, além da mãe, de 91. A idosa, por enquanto, mudou-se para o andar debaixo, de onde, a cada ligação de Claudia, insiste em vão numa conversa.
Quando investiu as economias para comprar uma Fiat Doblò, há quatro anos, Claudia tinha a intenção de ajudar o marido, motorista de van, a manter a casa. Na última sexta, porém, um problema no veículo fez com que ela usasse um Gol para transportar Gabriel, a quem levava para a creche desde 2013.
Inicialmente, ela contou à polícia que passou mal dentro do carro e desmaiou por duas horas. A investigação, contudo, apontou que a mulher teria deixado Gabriel no veículo enquanto fazia as unhas. Agora, Claudia é esperada entre esta sexta e segunda-feira na 27ª DP (Vicente de Carvalho) para prestar novo depoimento.


Aguenta, coração!


SÈrgio Fernando Moro
Com o juiz Sérgio Moro aceitando a denúncia contra Nestor Cerveró e Fernando Baiano, o Judiciário entra em férias fazendo 39 réus da Lava Jato. Tudo recomeça em fevereiro e até lá, a classe política respira mais aliviada. Ou nem tanto: há quem aposte que, antes do Natal, novas revelações ganharão as páginas dos jornais, fazendo o coração de congressistas (novos, reeleitos ou não reeleitos) permanecer em constante disparada. Quem viver, verá.

Bandidos invadem Cassol para cortar cofre, mas abortam plano ao notar que não estavam sozinhos

Publicado em 19 de dezembro de 2014,8:42

Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

cassol
Bandidos fugiram às pressas e não levaram nada. Foto: Antônio Nascimento/Banda B


A loja Cassol Materiais de Construção, no bairro Santa Cândida, em Curitiba, foi invadida por bandidos na madrugada desta sexta-feira (19). Eles usaram maçarico para tentar chegar ao cofre, mas fugiram ao notar a presença da Polícia Militar (PM). Essa não foi a primeira vez que um grupo de bandidos tenta roubar o cofre da empresa. Em agosto do ano passado, o plano deu certo.
No entanto, por volta das 2h50, já dentro da empresa, os bandidos tiveram de abordar o roubo. Depois de descarregar os equipamentos, entre eles, um maçarico que ajudaria na abertura do cofre, o grupo precisou fugiu às pressas ao notar que policiais militares estavam próximos à loja. Não há informações sobre o número de bandidos na ação. Há suspeita de que eles estivessem usando um rádio transmissor na frequência da polícia.
Na última ação, os bandidos conseguiram levar R$ 24 mil em dinheiro e ferramentas e máquinas da loja.  Dessa vez, saíram de mãos abanando. A Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) investiga o caso.

Motorista fura preferencial e atinge carro com família que levava crianças no colo no banco de trás


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo




Um acidente entre dois veículos deixou duas mulheres feridas na noite desta quinta-feira (19) no bairro Cajuru, em Curitiba. Elas tentaram proteger as duas crianças que estavam no banco de trás, sem cadeirinhas, e tiveram ferimentos graves. A colisão aconteceu por volta das 22h30 entre o carro da família um Gol e um Vectra. O motorista que teria causado o acidente fugiu e os passageiros e as crianças não se feriram gravemente.
De acordo com as testemunhas, o motorista do Vectra teria furado o sinal vermelho na rua Luiz França e atingido o Gol, que seguia pela rua Sebastião Marcos Luiz. Dentro do Gol, uma família que seguia para a casa: dois homens, duas mulheres e duas crianças. Os dois homens estavam no banco da frente, usavam o cinto de segurança e tiveram ferimentos leves. As mulheres estavam no banco de trás com as duas crianças no colo e sem o cinto. Com o impacto, as passageiras ficaram gravemente feridas ao tentar proteger as crianças, que tiveram escoriações, mas passam bem.
O motorista e o passageiro do Vectra fugiram depois da colisão e abandonaram o carro. As duas crianças foram encaminhadas ao Hospital Evangélico, já as duas mulheres que estavam com ferimentos mais graves foram levadas ao Hospital do Trabalhador. “Por causa da batida eles ficaram presos e não conseguiram sair do carro. O trabalho dos bombeiros foi retirá-las do carro para socorrê-las”, disse o tenente Lopes do Corpo de Bombeiros.
A Polícia Militar esteve no local e segue a procura do motorista que fugiu do acidente. O caso será investigado  Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) investiga as causas do acidente.