Acampados em frente a prédio da Fazenda, servidores pedem abertura das finanças do Estado


Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento
(Fotos: Antônio Nascimento – Banda B)

Servidores estaduais dormiram em frente ao prédio da Secretaria da Fazenda, na Av. Vicente de Machado, no Centro de Curitiba. Na manhã desta quarta-feira (20), a Banda B acompanhou a mobilização dos grevistas, que prometem não deixar o local enquanto o Governo Estadual não apresentar uma nova proposta de reajuste salarial.
Ontem, representantes dos servidores e do governo se reuniram, mas não chegaram a um acordo. Com isso, servidores de outras categorias se uniram aos professores e ameaçam promover uma greve geral caso o governo não reveja o reajuste proposto, que é de 5,5%. Durante todo o dias, cerca de 30 mil servidores (número dos sindicatos) lotaram a Praça Nossa Senhora da Salete em protesto.
“Hoje nós estamos aqui para pressionar o secretário da Fazenda Mário Ricardo, para que ele abra as finanças do Estado. O governo tem condições de pagar a nossa data-base. Não sairemos daqui enquanto isso não for resolvido”, afirmou à Banda B a professora Veronice Pedroso, que faz parte da APP-Sindicato.
O Governo chegou a oferecer um reajuste de 5,5% parcelado em duas vezes, mas retirou a proposta para análise. Os manifestantes chamaram a manifestação de ontem de “Dia 29 de Abril”, fazendo referência a ação da Polícia Militar contra professores na Praça Nossa Senhora de Salete.
Greve nas escolas
A segunda greve do ano nas escolas estaduais chegou nesta quarta-feira (20) ao 22° dia. Sem previsão de volta às aulas, grande parte dos colégios do Paraná seguem fechados. Com isso, o governo já trabalha com a possibilidade de estender o ano letivo para o mês de janeiro, contando com o fim da greve para os próximos dias.