Jovem tem celular furtado em boate GLS, chama a polícia e pai diz que filho “tem poucos amigos”



Redação

Um caso curioso chamou a atenção de policiais militares na madrugada desta sexta-feira (1º). Um jovem de classe média alta chamou a PM, já em casa, após afirmar que havia sido furtado dentro de uma boate com freqüentadores GLS (gays, lésbicas e simpatizantes), no centro de Curitiba. O detalhe é que o pai do rapaz resolveu deixar tudo pra lá dizendo que daria outro aparelho para o filho.
O estudante contou que foi até a boate para se divertir e lá conheceu uma garota. Depois de algum tempo, descobriu que não tratava-se de uma garota, mas sim de  um travesti. Foi então que decidiu ir embora. Lá fora, descobriu que seu celular havia desaparecido e também não encontrou mais a “garota”. O rapaz seguiu para casa e chamou a Polícia Militar, que foi até a residência da vítima.
Chegando lá, apesar do filho querer dar prosseguimento às investigações do suposto furto, o pai do jovem resolveu deixar tudo pra lá e dispensar os policiais. Ele falou que ia providenciar outro aparelho e fez questão de explicar aos PMs que o filho só estava na boate porque tem poucos amigos.
Nenhum boletim de ocorrência chegou a ser registrado.
.