PM flagrado por TVs atirando em suspeitos caídos é posto em liberdade


Cabo havia sido preso ao balear menores que roubaram moto em SP.
Deputado Coronel Telhada gravou vídeo com cabo que atirou o elogiando.

Kleber TomazDo G1 São Paulo
O policial militar da Ronda Ostensiva com apoio de Motocicletas (Rocam) que estava preso disciplinarmente após ser flagrado por câmeras de TV atirando em dois adolescentes suspeitos, mesmo depois de eles caírem de uma moto roubada e aparentemente se renderem, foi colocado em liberdade. Na terça-feira (23), helicópteros de emissoras de televisão mostraram ao vivo a perseguição na Zona Sul de São Paulo. (veja imagens)

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP), informou que o policial foi preso num primeiro momento pela Polícia Militar (PM), mas depois foi colocado em liberdade nesta quinta-feira (25). Ele havia sido preso administrativamente, segundo a PM, na quarta-feira (24).
saiba mais

O agente, que seria um cabo, responderá a um Inquérito Policial Militar (IPM). A Corregedoria da PM vai apurar se o militar agiu corretamente ou não. Durante esse período, ele ficará afastado da atividade policial nas ruas; irá trabalhar internamente na corporação, fazendo serviços administrativos. Nesse caso, a arma que ele usava na corporação costuma ser recolhida.
“O policial militar foi preso disciplinarmente para facilitar a produção de provas do inquérito policial-militar instaurado", informa a nota da SSP. “Não havendo mais motivo para a manutenção da prisão disciplinar, o PM foi colocado em liberdade, na data de 25 de junho, sendo certo que será mantido no serviço administrativo enquanto perdurarem as investigações."
Na quarta-feira, a PM havia informado por meio de nota que "o policial militar envolvido na ocorrência foi preso administrativamente e afastado das atividades operacionais." Naquele  mesmo dia, o secretário da SSP, Alexandre de Moraes, criticou a ação do policial, dizendo que ele cometeu uma "séria irregularidade".
Imagens
As imagens das câmeras de emissoras mostram os adolescentes caídos perto da moto. Um deles joga o capacete em direção ao cabo, que reage com disparos. Nas cenas, o policial atira mais uma vez. Em seguida, ele desce da moto da PM e vai até os suspeitos, que estão deitados. O agente se abaixa e parece pegar uma arma que estaria com os jovens. Em seguida, é possível ver duas luzes de tiros em direção ao chão.
Membros da Corregedoria da PM vão analisar se esses dois tiros foram dados para tentar forjar uma troca de tiros entre os policiais e os adolescentes.
Os menores de 18 anos de idade baleados pelo cabo estão internados num hospital da região, em estado estável, sem risco de morrer. O garoto de 17 anos que conduzia a moto roubada levou três tiros, um na nádega e dois na perna. O garupa foi atingido por dois disparos na perna.
Quando se recuperarem dos ferimentos, os dois adolescentes infratores serão levados a uma das unidades da Fundação Casa, onde acabarão submetidos a medidas sócio-educativas com restrições de liberdade.
frame tiros perseguição PM são paulo (Foto: TV Bandeirantes/Reprodução)frame tiros perseguição PM são paulo (Foto: TV Bandeirantes/Reprodução)

Deputado elogia PM
A soltura do policial foi comemorada pelo deputado estadual Coronel Telhada (PSDB), mesmo partido do governador Geraldo Alckmin, nas redes sociais na internet. O G1 não conseguiu localizar o cabo que estava detido e nem o político para comentarem o assunto.

“Eu queria publicamente te dar os parabéns, a sua ocorrência foi excelente”, falou Telhada, que já trabalhou nas Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), grupo de elite da PM, num vídeo que gravou com o policial que, segundo o deputado, seria o cabo envolvido na ação, a quem chama de “De Souza”.

A filmagem, que tem 1 minuto e 32 segundos de duração foi postada na página oficial do político noFacebook. “Você [cabo] está sendo elogiado nas redes sociais”, disse Telhada. “Ele está bem e se Deus quiser logo estará nas ruas novamente cuidando de você cidadão. Porque homens assim é o que a gente precisa na Polícia Militar. Parabéns cabo De Souza”.
Nas imagens, o deputado peessedebista ainda entrevista o coronel Sérgio, comandante de uma unidade da PM e pergunta ao cabo De Souza se ele está bem ou se foi maltratado.
O vereador Coronel Telhada (PSDB) postou vídeo no Facebook no qual entrevista com cabo que atirou em dois adolescentes suspeitos de roubar moto  (Foto: Reprodução / Facebook)O deputado Coronel Telhada (PSDB) postou vídeo
no Facebook no qual entrevista o cabo que
atirou em dois adolescentes suspeitos de roubar
moto (Foto: Reprodução / Facebook)
“Tá tudo ótimo”, afirmou o policial militar. “De maneira alguma, Aqui eu tô em casa, minha casa. Todos aqui me apoiaram desde o início. Inclusive eu quero aproveitar a oportunidade para agradecer a todos, o empenho de todos na ocorrência (...)”.

A ocorrência comentada pelo cabo é a citada acima, no início deste texto, na qual ele atirou ao menos cinco vezes contra dois adolescentes suspeitos de roubar uma moto no Jardim São Luiz.

De acordo com a PM, o cabo e outro policial militar da Rocam estavam em patrulhamento quando encontraram duas pessoas numa moto roubada. Ao abordarem a dupla, ela não obedeceu a ordem de parada e fugiu, dando início a perseguição policial, que foi filmada pelas TVs.

Segundo integrantes da Corregedoria da PM, que trabalham na apuração do caso, o cabo teria dito a seus superiores que os menores estavam armados e atiraram em direção aos policiais.
'Ele não trocou tiros', diz mãe
"Meu filho não trocou tiros com a polícia. Está nítido que ele não trocou tiros com a polícia", disse na quarta-feira (24) ao G1 uma empresária de 34 anos, mãe do garupa baleado e detido pelo cabo.

Ainda na quarta-feira, Moraes, secretário da SSP, criticou o cabo que atirou nos suspeitos. "As imagens são muito fortes, demonstram que os criminosos que atiraram, mesmo tendo atirado neles, já estavam no chão. E há o desferimento de tiros. Ele vai se defender, acredito que alguma coisa ele deva ter a dizer, mas pelas imagens ele praticou uma séria irregularidade", afirmou Moraes.

"Nós temos que dar o direito de defesa, mas pelas imagens a constatação é de uma séria irregularidade por parte do policial, aonde indivíduos já deitados, sentados, sob o domínio da polícia, acabaram sendo alvejados por tiros", completou o secretário.