Corpo de esportista morto em salto no Rio é velado em Mogi das Cruzes


Paraquedista morreu em salto de wingsuit na Pedra da Gávea na sexta.
Enterro será às 17h no Cemitério São Salvador.

Do G1 Mogi das Cruzes e Suzano
Corpo de esportista é velado em Mogi das Cruzes (Foto: Bruno Oliveira/TV Diário)Corpo de esportista é velado em Mogi das Cruzes (Foto: Bruno Oliveira/TV Diário)
O corpo do paraquedista Fernando M. Gonçalves, de 36 anos, que morreu em um salto de wingsuit no Rio de Janeiro, é velado em Mogi das Cruzes (SP) neste domingo (26). Gonçalves morreu ao saltar na Pedra da Gávea na sexta-feira (24). O corpo está no Velório Cristo Redentor, no Parque Monte Líbano, e o enterro está previsto para acontecer às 17h, no Cemitério São Salvador, que fica no mesmo bairro.
Filha de esportista pede respeito ao luto da família (Foto: Reprodução/TV Diário)Filha de esportista pede respeito ao luto da família
(Foto: Reprodução/TV Diário)
Fernando morava em San Diego, na Califórnia, e havia chegado ao Rio de Janeiro na quarta-feira (22). A filha do esportista, Isabela Feitosa Gonçalves, de 15 anos, fala sobre a perda do pai e pede respeito ao luto da família. "Queria que as pessoas respeitassem o luto da minha família e parassem com as críticas nas redes sociais. A polícia está investigando e não há nada de concreto. Mesmo morando longe ele era um pai muito presente e sempre conseguia estar perto da família. Está sendo difícil conviver com isso. A gente sabe que ele partiu fazendo o que gostava".
 
Mãe de esportista mostra foto do filho (Foto: Bruno Oliveira/TV Diário)Mãe de esportista mostra foto do filho
(Foto: Bruno Oliveira/TV Diário)
Segundo a mãe de Gonçalves, Zélia Monteiro Gonçalves, o filho tinha vindo ao Brasil a trabalho e iria fazer uma supresa para a família. Neste domingo (26) Zélia comemora aniversário. Ela fala sobre como era a relação do filho com o esporte. "Ele morava no exterior há 15 anos. Aqui no Brasil não abriram as portas para ele, por isso foi procurar apoio no exterior".

Zélia disse também que desde que o filho foi morar fora do país, há 15 anos, não tinha voltado para passar nenhum aniversário ao lado da mãe. Este ano o esportista faria uma surpresa no dia do aniversário dela.

Emocionado, o pai do esportista, Nelson José Gonçalves, agradeceu os amigos do filho pelo apoio. "Gostaria de agradecer a todos os amigos do meu filho que têm levado grande apoio à minha família".
 
Vídeo
Um estudante que fez a trilha da Pedra da Gávea, na Zona Sul do Rio,  registrou os últimos momentos do paraquedista. O vídeo, obtido pelo G1, mostra o esportista saltando para o que seria seu último voo.
saiba mais

“Quando ele pulou, sumiu. Disseram que ele estava desde cedo tentando pular. Uma hora ele chegou até a raspar uma pedra porque as plantas estavam atrapalhando. Lembro que ele colocou a GoPro no capacete do Brasil, vestiu uma roupa amarela e pulou. Descemos a trilha tranquilamente e eu só soube que ele tinha morrido depois que cheguei em casa”, contou Breno Dantas, de 18 anos, que acompanhou ansioso, junto com alguns amigos e curiosos, o salto do atleta.
O estudante Gabriel Nogueira, de 18 anos, também viu o salto do atleta. Segundo ele, ventava muito forte na região. "Quando a gente chegou ele estava olhando onde ia saltar. Ele saltou da pedra e pensamos que ele tinha ido para o outro lado. A gente até achou estranho, mas não pensamos no pior", disse.
Fernando Gonçalves tinha 36 anos (Foto: Reprodução / Facebook)Fernando Gonçalves tinha 36 anos (Foto: Reprodução/Facebook)
Fernando Gonçalves postou vídeo de salto de wingsuit na quarta-feira (22) (Foto: Reprodução / Facebook)Fernando Gonçalves postou vídeo de salto de wingsuit na quarta-feira (22) (Foto: Reprodução/Facebook)
Atleta postou vídeo na quarta-feira
O paraquedista postou na quarta-feira um vídeo de outro voo, saltando da mesma montanha. Nas imagens, publicadas em seu perfil no Facebook, é possível ver o esportista passando rente à pedra.
Amigos de Fernando compartilhou o vídeo com mensagem de lamento (Foto: Reprodução / Facebook)Amigos de Fernando compartilhou o vídeo com
mensagem de lamento (Foto: Reprodução/
Facebook)
"Gávea, estou de volta. Muito bom estar de volta nessa maravilha com meus amigos. Valeu", postou Fernando.
No esporte, praticantes de base jump ou paraquedismo usam um macacão que permite planar durante a queda livre ao causar mais resistência com o ar. Os esportistas mais radicais voam próximo a montanhas, aumentando o grau de dificuldade e risco. Para o pouso, é aberto paraquedas antes de chegar ao solo.
Em maio, um dos atletas radicais mais destemidos e conhecidos do mundo, o americano Dean Potter, morreu durante um voo de wingsuit na Califórnia. Desde que o esporte começou a ganhar popularidade, em 2002, cerca de 70 pessoas morreram.
Fernando Gonçalves já tinha saltado da Pedra da Gávea em 2011 (Foto: Reprodução / Facebook)Fernando Gonçalves já tinha saltado da Pedra da Gávea em 2011 (Foto: Reprodução/Facebook)
Homenagem para amigo
Em um post de 2013 em seu Facebook, Fernando homenageou um amigo que morreu praticando o esporte e respondeu aos críticos do wingsuit.
"É dificil mesmo para as pessoas que não são apaixonadas pelo esporte entender o motivo que fazemos isso!! Espero que um dia tu experimente o gosto de voar e um dia irá entender o por que de tudo isso!! Sim, o lugar e maravilhoso e sim quero incentivar as pessoas a fazer o mesmo, por que eu quero dividir um pouco do que eu faço e do que eu sinto para as pessoas do mundo inteiro para que elas tenham uma outra visão da vida!! A vida é muito boa e com certeza vou dividir mais momentos como esse, graças a pessoas como nós fazemos o mundo ter um pouco de paz e ver a vida com outros olhos!! Um dia tu vai entender prometo!", escreveu nos comentários.