Garrafas em chinês e indonésio são achadas perto de destroço de avião


Autoridades analisam se peça é do voo MH370, que sumiu em 2014.
Segundo site da Ilha Reunião, garrafas foram achadas junto a destroço.

Da EFE
Garrafa de sabão líquido feita na Indonésia foi encontrada ao lado de destroço de avião na Ilha de Reunião, no Oceano Índico, em foto desta sexta-feira (31) (Foto: Zinfos974/Prisca Bigot/Reuters)Garrafa de sabão líquido feita na Indonésia foi encontrada ao lado de destroço de avião na Ilha de Reunião, no Oceano Índico, em foto desta sexta-feira (31) (Foto: Zinfos974/Prisca Bigot/Reuters)
Uma garrafa com inscrições em chinês e outra em indonésio foram encontradas nesta sexta-feira (31) perto da praia da ilha francesa de Reunião, no Oceano Índico, onde na quarta-feira (29) surgiu um pedaço de um avião que pode pertencer ao boeing do voo MH370 de Malaysia Airlines que sumiu em março de 2014.
saiba mais

Segundo o meio digital da ilha, o "Linfo.re", se trata de uma garrafa de água com a etiqueta em chinês e de um produto de limpeza indonésio, encontrados perto do local no qual apareceram os destroços do avião.
No local apareceu também ontem uma mala que é analisada pelos investigadores.
Os destroços de avião achados na quarta-feira passada vão ser levados esta mesma noite para um laboratório especializado da Aeronáutica francesa situado em Toulouse, no sul do país.
Investigações
As autoridades australianas envolvidas na busca do avião Boeing 777disseram nesta sexta-feira (31) estarem "cada vez mais convencidas" de que o resto de asa encontrado na ilha francesa da Reunião pertence à aeronave.
"Estamos cada vez mais convencidos de que os destroços são do MH370", declarou à AFP o diretor do Escritório Australiano de Segurança dos Transportes, referindo-se ao número do voo do avião desaparecido da Malaysia Airlines.
"Continuaremos trabalhando com nossos companheiros franceses e malaios para analisar a informação disponível, já que ainda não estamos 100% seguros, mas esperamos alcançar esse grau de confiança muito rapidamente (...) nas próximas 24 horas", antecipou.
Autoridades francesas analisam suposta parte de avião da Malaysia Airlines, na ilha de Reunião, nesta quinta-feira (30) (Foto: Zinfos974/Prisca Bigot/Reuters)Autoridades francesas analisam suposta parte de avião da Malaysia Airlines, na ilha de Reunião, nesta quinta-feira (30) (Foto: Zinfos974/Prisca Bigot/Reuters)
Se forem levadas em consideração as projeções da deriva do avião em função das correntes marinhas, "estamos convencidos de que procuramos no lugar correto", afirmou o ministro australiano dos Transportes, Warren Truss.
"A confirmação de que os fragmentos do avião descobertos na Reunião são os do [voo] MH370 reforçará a ideia de que estamos no lugar correto", completou.
Relembre o caso
O voo MH370 da Malaysia Airlines, um Boeing 777-200, decolou de Kuala Lumpur na madrugada do dia 8 de março com 239 pessoas a bordo e deveria chegar a Pequim seis horas mais tarde. Quarenta minutos após a decolagem, o avião desapareceu subitamente das telas do radar.
As autoridades malaias asseguram que o aparelho mudou de rumo em uma "ação deliberada" para atravessar a Península de Malaca em direção contrária a seu trajeto inicial sem motivo aparente.
Segundo o grupo de especialistas que estuda o caso, o avião voou em direção ao sul do Índico com todas as pessoas a bordo inconscientes pela falta de oxigênio até ficar sem combustível e cair ao mar. Desde então não se encontrou nem sequer um pequeno pedaço da fuselagem da aeronave que confirme o acidente.
Segundo as investigações, o avião caiu em algum lugar das águas do sul do Oceano Índico.
Johnny Begue, integrante de uma associação de limpeza do litoral da Ilha da Reunião, posou nesta quinta-feira (30) para fotos com mala encontrada na Ilha da Reunião (Foto: Linfo.re/Antenne Réunion/AFP)Johnny Begue, integrante de uma associação de limpeza do litoral da Ilha da Reunião, posou nesta quinta-feira (30) para fotos com mala encontrada na Ilha da Reunião (Foto: Linfo.re/Antenne Réunion/AFP)