Polícia caça homem que matou guarda municipal, mas ele já pode estar longe de Curitiba


Por Felipe Ribeiro e Antônio Nascimento
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução


A Polícia Civil continua na caça do homem que matou o guarda municipal Roni Fernandes de Freitas, de 50 anos, mas as primeiras investidas já apontam que ele pode estar longe de Curitiba. De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, a família já foi localizada e alguns possíveis endereços onde ele poderia estar já foram visitados, mas até a tarde desta terça-feira (14) o suspeito não havia sido preso.
“As imagens são muito boas, então o que precisamos no momento é de colaboração e informações que nos levem até ele. A polícia já esteve em vários endereços, ele possuí antecedentes, mas vamos em busca dele”, comentou.
O nome do suspeito ainda não foi divulgado para não atrapalhar as investigações. Roni foi morto durante o assalto a uma distribuidora de doces na tarde de sexta-feira (10), no cruzamento da Rua André de Barros com a Lourenço Pinto, no Centro de Curitiba.
Outras duas pessoas chegaram a ser presas suspeitas pelo crime, mas a participação foi descartada. Os dois permanecem detidos porque tinham mandado de prisão em aberto por outros crimes. “O terceiro suspeito é possivelmente o autor e vamos continuar atrás”, concluiu o delegado Recalcatti.
Crime
Roni Fernandes morreu após ser baleado durante um assalto a uma distribuidora de doces. Segundo informações do local, ele sequer teria dado voz de abordagem aos dois bandidos. Pelo menos um dos tiros acertou a cabeça de Roni. Segundo o inspetor Stempiak, da GM, o guarda voltava de um curso, em horário de almoço, no momento do assalto.
Segundo o inspetor Frederico, coordenador da Guarda Municipal de Curitiba, a vítima era uma pessoa tranquila e bem querida por todos da corporação. “Ele tinha até uma organização não governamental voltada para a área dos direitos humanos. Por isso, nós classificamos o ato como selvagem e cruel. A vida virou algo completamente fútil na mão desses marginais”, declarou ele em entrevista à Banda B.
Qualquer informação pode ser repassada à Delegacia de Furtos e Roubos pelo telefone (41) 3218-6100.