Obras na Rua Aristóteles são concluídas em Colombo


WEBMASTER 31 DE AGOSTO DE 2015

Viga Benkelman, equipamento que determina se há alterações na pavimentação foi utilizado durante inspeção do novo asfalto

Além da nova pavimentação, serviços na Rua Aristóteles incluem sistema de drenagem, paisagismo, passeio e sinalização
Além da nova pavimentação, serviços na Rua Aristóteles incluem sistema de drenagem, paisagismo, passeio e sinalização
Viga Benkelman determina se há alterações no pavimento
Viga Benkelman determina se há alterações no pavimento
A preocupação em prestar serviços de qualidade fazem parte do planejamento da Prefeitura de Colombo. Prova disso é o que acontece na rua Aristóteles, no bairro Vila Guarani. Com as obras de pavimentação concluídas o local recebeu nesta semana a inspeção de uma máquina que mede a deflexão do pavimento.
A Viga Benkelman avalia a deflexão em todas as camadas do pavimento: terraplanagem, saibro, graduada e o asfalto. “Assim, é possível verificar se existe alguma alteração ou desvio na via” explica o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso.
E os resultados obtidos pelo equipamento são animadores. Até este momento nenhuma deformidade foi detectada. “Mais do que o aspecto estético é preciso pensar na estrutura das ruas. O nosso trabalho se concentra justamente nisso, em garantir um serviço de qualidade para que transtornos futuros sejam evitados”, explica Cardoso.
Além do novo pavimento, as obras na rua Aristóteles contemplaram sistema de drenagem, passeio, sinalização vertical e horizontal e paisagismo. Os serviços executados fazem parte do programa de Pavimentação Comunitária e com investimento de R$664.344,11, em uma extensão de 750 metros.
Sobre o equipamento
A Viga Benkelman é composta essencialmente de uma parte fixa e uma viga móvel. A parte fixa é apoiada no pavimento por meio de três pés reguláveis, sendo a viga móvel acoplada a esta por meio de uma articulação, ficando uma das extremidades (ponta de prova) em contato com o pavimento, e a outra extremidade acionando um extensômetro. Desta maneira é possível verificar se existe alguma deflexão no pavimento.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

Prefeita autoriza asfalto nas Ruas Guimarães Rosa e Marquês do Pombal, no bairro Guarani


WEBMASTER 31 DE AGOSTO DE 2015

O serviço faz parte do Programa de Pavimentação Comunitária, que inclui a execução de pavimentação, drenagem, sinalização viária e paisagismo

A prefeita Beti Pavin assina ordem de serviços para obras de pavimentação asfáltica, nas ruas Guimarães Rosa e Marquês do Pombal
A prefeita Beti Pavin assina ordem de serviços para obras de pavimentação asfáltica, nas ruas Guimarães Rosa e Marquês do Pombal
A Prefeita Beti Pavin esteve na noite, desta quinta-feira, 27 juntamente com os moradores das Ruas Guimarães Rosa e Marquês do Pombal, no bairro Guarani para assinar as ordens de serviço para as obras de pavimentação asfáltica. O serviço faz parte do Programa de Pavimentação Comunitária, que inclui a execução de pavimentação, drenagem, sinalização viária e paisagismo.
Para a prefeita Beti Pavin, é um feito importante, pois atende a uma necessidade antiga dos moradores. “É com muita satisfação que estamos aqui para comunicar o início das obras de pavimentação. Todos vocês contribuíram e este dia chegou, obrigada pela confiança e por acreditarem nesse projeto”, disse Beti Pavin.
A Rua Marquês do Pombal contará com uma extensão de 261,62 metros de pavimentação asfáltica, que custará R$ 298.126,80. A entrega da obra está prevista para 150 dias. A comerciante Débora Gonçalves Sprada, moradora da região há 41 anos, comemorou a autorização do início das obras. “Este é um sonho antigo, que está tornando-se realidade. Agora os moradores terão um bairro organizado e mais limpo, sem lama ou poeira”, ressaltou a moradora.
Já a pavimentação asfáltica da Rua Guimarães Rosa contará com um investimento de R$ 83.651,57 e uma extensão de 93,77 metros. Para as moradoras Marilzete Antunes e Nilce Marques Pires a construção do asfalto mudará a realidade da região. “Este asfalto colocará fim a uma série de problemas existentes no bairro, como por exemplo, a poeira e a lama. Além disso, os nossos imóveis serão valorizados, os problemas respiratórios diminuíram e as nossas casas permaneceram mais limpas com esta melhoria que acontecerá na nossa rua”, comentaram as moradoras. A previsão é de que a pavimentação da Rua Guimarães Rosa seja concluída dentro de 120 dias.
O serviço faz parte do Programa de Pavimentação Comunitária, que inclui a execução de pavimentação, drenagem, sinalização viária e paisagismo
O serviço faz parte do Programa de Pavimentação Comunitária, que inclui a execução de pavimentação, drenagem, sinalização viária e paisagismo
O secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso esteve presente e explicou aos moradores sobre os benefícios das obras que serão realizadas. “Nós vamos trabalhar com materiais de qualidade e utilizando as boas e fieis técnicas de engenharia rodoviária. Porém, nós pedimos paciência e colaboração de todos os moradores, em relação aos transtornos que toda obra traz. Lembrando que, os transtornos são temporários, mas os benefícios são de longa duração, como a valorização dos imóveis, conforto, segurança, saúde, além de melhorar a infraestrutura do bairro”, destaca o secretário da pasta.
Estavam presentes as seguintes autoridades: a prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito, Ademir Goulart, o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso, os vereadores Gilgera, Sergio Pinheiro e Ratinho e o representante da empresa Itasul Terraplanagem Ltda.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/PMC

As Ruas Artur de Azevedo, Olavo Bilac e Marili Senhorinha da Silva serão pavimentadas em Colombo


WEBMASTER 31 DE AGOSTO DE 2015

A cerimônia foi realizada com a presença de moradores das ruas que receberão as obras, a partir do Programa de Pavimentação Comunitária

Com uma extensão 621,30 metros de pavimentação asfáltica, a Rua Olávo Bilac contará com um investimento de R$ 543.938,87
Com uma extensão 621,30 metros de pavimentação asfáltica, a Rua Olávo Bilac contará com um investimento de R$ 543.938,87
A Rua Artur de Azevedo contará com uma extensão de 150 metros de pavimentação asfáltica, o investimento total será de R$ 127.460,56
A Rua Artur de Azevedo contará com uma extensão de 150 metros de pavimentação asfáltica, o investimento total será de R$ 127.460,56
O secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso o serviço será realizado com qualidade e utilizando as melhores técnicas de engenharia
O secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso o serviço será realizado com qualidade e utilizando as melhores técnicas de engenharia
A prefeita de Colombo, Beti Pavin definiu, na noite desta sexta-feira, 28, a assinatura da ordem de serviço para a pavimentação de três ruas, entre elas: a Artur de Azevedo e Olavo Bilac, no bairro Guarani e a Rua Marili Senhorinha da Silva, no bairro Maracanã.
A cerimônia foi realizada com a presença de moradores das ruas que receberão as obras, a partir do Programa de Pavimentação Comunitária, que inclui além de pavimentação, a execução de drenagem, sinalização viária e paisagismo. Aproximadamente, R$ 5 milhões serão investidos nas vias onde serão assinadas as ordens de serviço.
É a prefeitura investindo cada vez mais na qualidade de vida da população. “Estamos diariamente realizando trabalhos para tentar suprir as necessidades dos nossos moradores e, do município que vem crescendo aceleradamente, quem mora na região há bastante tempo, está acompanhando este crescimento”, destaca a prefeita Beti Pavin.
Entre os principais avanços que estão sendo impulsionados no município, estão às obras de pavimentação asfáltica em diversas ruas. “Com este benefício vamos ter um bairro com uma cara nova, melhorando significativamente a circulação de veículos e pedestres. Além de acabar definitivamente com a poeira e a lama”, afirmam os anfitriões e moradores da região há 44 anos, Dirce Procópio da Silva e Vitor Diogo.
A Rua Artur de Azevedo contará com uma extensão de 150 metros de pavimentação asfáltica, o investimento total será de R$ 127.460,56. Já a entrega da obra está prevista para 120 dias.
Para o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso o serviço será realizado com qualidade e utilizando as melhores técnicas de engenharia. “A nossa preocupação será com a qualidade do serviço. Vamos empregar as mesmas técnicas utilizadas em grandes obras, como por exemplo, rodovias, viadutos, entre outras. Pedimos apenas a compreensão de todos, em relação aos transtornos do dia a dia das obras. Porém, os benefícios futuros compensarão”, destaca o secretário da pasta.
Com uma extensão 621,30 metros de pavimentação asfáltica, a Rua Olávo Bilac contará com um investimento de R$ 543.938,87. Para a moradora, Senhorinha Lara as obras trarão mais conforto aos moradores. “A prefeita vai resgatar a nossa dignidade. Teremos mais qualidades de vida, pois com o fim da poeira melhorará à saúde dos moradores, o bairro ficará mais bonito e limpo. Estamos felizes com as melhorias”, comemora a moradora. O prazo de execução será de 150 dias.
Durante o evento, a prefeita Beti Pavin também assinou a ordem de serviço para a construção das obras de pavimentação na Rua Marili Senhorinha da Silva, no bairro Maracanã, com investimento de R$ 115 mil – em uma extensão de 132 metros.
Estavam presentes durante a assinatura de ordem de serviço: A prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito Ademir Goulart, o secretário de Obras e Viação, Rubens Cardoso e os vereadores Sergio Pinheiro e Gilgera.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Marcio Fausto/ PMC

Colombo recebe a quarta unidade de Módulo Policial Móvel


WEBMASTER 31 DE AGOSTO DE 2015

A prefeita Beti Pavin recebeu a chave das mãos do Coronel Chihade, e do deputado, Luiz Claudio Romanelli; a solenidade aconteceu em frente à Prefeitura Municipal de Colombo

A prefeita Beti Pavin recebeu a chave das mãos do coronel Chihade, e do deputado, Luiz Claudio Romanelli
A prefeita Beti Pavin recebeu a chave das mãos do coronel Chihade, e do deputado, Luiz Claudio Romanelli
Ao total, serão quatro unidades que irão reforçar o patrulhamento ostensivo do município
Ao total, serão quatro unidades que irão reforçar o patrulhamento ostensivo do município
Participaram do evento a prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito, Ademir Goulart, secretários municipais, vereadores, populares e comerciantes da região
Participaram do evento a prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito, Ademir Goulart, secretários municipais, vereadores, populares e comerciantes da região
O município de Colombo conta com mais um reforço na área de segurança. Na manhã, desta sexta-feira, 28, a prefeita Beti Pavin recebeu uma unidade de Módulo Policial Móvel para o policiamento comunitário, uma parceria entre o município e o governo do Estado. Ao total, serão quatro unidades que irão reforçar o patrulhamento ostensivo do município, além de aproximar as forças policiais da comunidade e permitir deslocamento rápido para as ocorrências.
Na ocasião, a prefeita Beti Pavin recebeu a chave das mãos do coronel Chihade – da Policia Militar, e do deputado, Luiz Claudio Romanelli, a solenidade aconteceu em frente à Prefeitura Municipal de Colombo. A ação reforça significativamente a segurança no município. “Esses módulos foram definidos pela polícia utilizando do georeferenciamento da criminalidade e são muito bem vindos para oferecer mais segurança para a nossa população”, destacou a prefeita.
O município recebeu os primeiros módulos policiais móveis que estão fazendo o policiamento preventivo e ostensivo por parte da Polícia Militar na cidade. As primeiras unidades foram distribuídas, sendo que duas estão reforçando a segurança na Praça Nossa Senhora do Rosário (Centro) e no Alto Maracanã (ao lado do terminal de ônibus).
De acordo com o Coronel Chihade a nova aquisição ajudará a reduzir substancialmente o índice de criminalidade em nosso município. “Agora será possível aumentar a presença policial nos bairros. A cidade já conta com três módulos policiais, mas como é dividida em grandes regiões, o novo veículo irá ampliar o patrulhamento. O novo veículo percorrerá às regiões mais populosas, onde há grande número de estabelecimentos comerciais, e vai somar às ações de policiamento”, garante.
O município conta com uma população de 240 mil habitantes e este é o quarto módulo entregue para o município, nos últimos três anos. “E com os Módulos Móveis circulando pela região darão mais visibilidade à polícia por garantir sua presença ostensiva. Além de, proporcionar sensação de segurança aos moradores, pois a polícia é uma força de segurança cada dia mais próxima da população”, ressaltou o deputado Luiz Claudio Romanelli.
Participaram do evento a prefeita Beti Pavin, o vice-prefeito, Ademir Goulart, secretários municipais, vereadores, populares e comerciantes da região.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Requião disputa presidência do PMDB nacional para preservar aliança com o PT


rec
O senador Roberto Requião vai disputar a presidência nacional do PMDB, em novembro, contra o que chama de “estupidez do rompimento do partido com a presidenta Dilma Rousseff e o PT”. Crítico da politica econômica conduzida pelo ministro Joaquim Levy, Requião pretende apresentar “um projeto nacional de desenvolvimento.” Mas fará a defesa de Dilma Rousseff e do PT contra o PMDB de Eduardo Cunha e de Renan Calheiros, que defendem o afastamento dos peemedebistas de Dilma e do PT. “Eu não conversei ainda com Michel Temer sobre essa questão, mas o rompimento político do PMDB seria uma ‘estupidez’ sem precedentes.” Na última sexta, Requião liderou o lançamento nacional de uma Frente Popular e Democrática que prega mudanças na política econômica. O movimento suprapartidário serve à estratégia de empurrar o governo Dilma à esquerda dos acontecimentos recentes.

Osmar Dias quer ser homem de Dilma no Paraná


images_cms-image-000408210
Ex-senador e vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, Osmar Dias tem feito articulações no Palácio do Planalto para assumir a condição de “homem” da presidenta Dilma Rousseff no Paraná; de olho em 2018, o pedetista quer cheque branco da presidenta e do PT para fazer política no estado, ou seja, pretende se assenhorar de “bondades” em forma de anúncio de obras e serviços do governo federal nas terras das araucárias; no entanto, petistas desconfiam que ele pode fazer o jogo do irmão, Alvaro Dias (PSDB)

Idosos são mortos na frente da neta de 10 anos: ‘Ela está em estado de choque’, diz delegada


Polícia investiga morte de idosos em Diadema
Polícia investiga morte de idosos em Diadema
Luiza Souto
Tamanho do texto A A A
A polícia de Diadema, São Paulo, está em busca de pistas que levem aos motoqueiros que mataram os comerciantes Francisco Ferreira de Souza,de 67 anos, e Maria José Almeida de Souza, de 58, na última sexta-feira. O casal foi assassinado na frente da neta de 10 anos, ao chegar em casa, por volta das 18h.
A delegada que investiga o caso, Liliane Lopes Doretto, da delegacia de Homicídios, informou que um homem magro, negro e alto foi à adega onde os dois trabalhavam, em São Bernardo do Campo, minutos antes do crime, para perguntar que horas eles fechavam.
— Coincidentemente, assim que eles chegaram em casa, que é pertinho da adega, foram abordados. Eram dois homens numa moto. O casal estava com R$ 5 mil em dinheiro. Quando o portão eletrônico da casa deles já estava fechando, um dos bandidos entrou na garagem armado. O senhor lutou com ele e conseguiu tirar sua arma. A senhora pegou uma pá e o golpeou na cabeça. Mesmo assim, o criminoso conseguiu recuperar a arma e atirou nos dois. Depois foi embora como se nada tivesse acontecido — descreveu a delegada.
Francisco morreu na hora e Maria José chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu. A neta do casal, de 10 anos, assistiu a tudo de dentro do veículo e não ficou ferida.
— Ela está em estado de choque — afirmou a delegada.
Ainda de acordo com Liliane, os corpos foram levados para o Ceará, terra natal dos dois.


Modelo que imobilizou namorado em porta de boate desabafa: ‘repercussão foi ruim para ele’


Zélia está com o namorado há quase três anos e diz que ele “não é brigão” Foto: Reprodução / Facebook
Júlia Zaremba
Tamanho do texto A A A
As últimas semanas foram turbulentas para a modelo e estudante de odontologia Zélia Pamplona, de 33 anos. A mulher ficou conhecida após aparecer em um vídeo dando uma “chave de perna” no namorado na porta de uma boate em Belém do Pará. Porém, apesar de muitos terem vibrado com a atitude de Zélia, a modelo diz que a repercussão não foi boa para a imagem do namorado, com quem está há quase três anos.
- As pessoas viram como uma coisa boa eu ter usado o jiu-jítsu para segurá-lo. Mas a repercussão não foi boa para ele, foi uma situação vergonhosa. Ele foi julgado pelas pessoas, criaram piadas nas redes sociais. Ele não é brigão. Eu só tentei protegê-lo de uma situação que poderia ser ruim. Também não foi bom para mim, alguns amigos desaprovaram minha atitude - desabafou a modelo, que também é dona de um salão de beleza.
Além de modelo e estudante de odontologia, Zélia é dona de um salão de beleza
Além de modelo e estudante de odontologia, Zélia é dona de um salão de beleza Foto: Reprodução / Facebook
Zélia explica que a confusão ocorreu por volta das 5h30 da manhã do dia 22 de agosto, em frente a uma boate no bairro Umarizal. Segundo ela, o casal havia terminado o relacionamento no dia anterior, e, naquele dia, estavam na mesma festa. Foi quando o homem decidiu puxá-la a força para ir embora da boate.
- Ele queria que eu saísse com ele de qualquer forma, então me puxou. As pessoas acharam que ele estava me agredindo, mas não estava. Deixei isso claro, mas tentaram segurá-lo. Até que uma menina me ofendeu, disse que eu “gostava de apanhar”. Eu reagi e ela, junto com os amigos, tentaram me agredir. Nesse momento, meu namorado tentou me defender. Foi quando eu dei a chave de perna nele, pois ele estava fora de si. Não foi difícil, ele logo cedeu - afirmou, destacando que lutou jiu-jítsu por muitos anos, mas que está parada há três anos.


Zélia luta jiu-jitsu desde criança e diz que não foi difícil dar “chave de perna” no namorado
Zélia luta jiu-jitsu desde criança e diz que não foi difícil dar “chave de perna” no namorado Foto: Reprodução / Facebook
Após a confusão, o casal voltou para o apartamento em que vive e, segundo ela, ficou tudo bem entre os dois. No dia seguinte, quando acordaram, Zélia recebeu o vídeo da confusão através do WhatsApp. Mas não esperava que fosse ter uma repercussão tão grande.
- Tenho até medo de andar na rua, as pessoas ficam me encarando. Chegaram a pedir para tirar foto comigo na farmácia. Jornalistas do mundo inteiro estão me procurando - afirmou a modelo.
A modelo revela que está com medo de andar nas ruas
A modelo revela que está com medo de andar nas ruas Foto: Reprodução / Facebook


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/modelo-que-imobilizou-namorado-em-porta-de-boate-desabafa-repercussao-foi-ruim-para-ele-17358997.html#ixzz3kReYeU3p

José Dirceu também fica em silêncio em depoimento à Polícia Federal


Oitiva foi realizada na tarde desta segunda-feira (31), em Curitiba.
Pela manhã, ex-ministro permaneceu calado na CPI da Petrobras.

Thais KaniakDo G1 PR
José Dirceu participou da CPI da Petrobras nesta segunda (31), em Curitiba, mas permaneceu em silêncio (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS )José Dirceu participou da CPI da Petrobras nesta segunda (31), em Curitiba, mas permaneceu em silêncio (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS )
O ex-ministro José Dirceu ficou em silêncio perante à Polícia Federal (PF), em Curitiba, na tarde desta segunda-feira (31). Ele seria ouvido por representantes da corporação, entretanto, por recomendação da defesa, permaneceu calado.
O advogado Roberto Podval, que representa o ex-ministro, justicou ao G1 o silêncio: "Ainda não tive acesso ao inquérito completo". Como Dirceu não falou nada, o procedimento durou minutos, conforme informou o advogado.
Pela manhã, na sessão da CPI da Petrobras que, nesta semana, interroga presos da Lava Jato que estão detidos na capital paranaense, Dirceu também ficou calado.
O ex-ministro da Casa Civil é suspeito de praticar crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Ele foi preso no dia 3 de agosto, quando a 17ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada. Desde então, ele está detido na carceragem da PF.
saiba mais

CPI da Petrobras
Integrantes da CPI da Petrobras começaram a ouvir presos da Operação Lava Jato nesta segunda, em Curitiba. A comitiva de deputados deve ficar na cidade até quinta-feira (3) para, além de ouvir os presos, fazer acareações entre eles. As sessões serão realizadas às 9h, no prédio da Justiça Federal.
Esta é segunda vez que os parlamentares vão à capital do Paraná para ouvir investigados que estão detidos na cidade. A primeira vez foi em maio.
Todos os presos que participaram da CPI nesta manhã ficaram calados. Além de Dirceu, foram interrogados pelos deputados: Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras; Otávio Marques de Azevedo e Elton Negrão de Azevedo, executivos da Andrade Gutierrez; e João Antônio Bernardi, funcionário da empresa Saipem.
17ª fase
Esta etapa foi apelidada de "Pixuleco" em referência a como o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, tratava os valores supostamente recebidos de propina de empreiteiras que tinham contratos com a Petrobras.
José Dirceu participou da instituição do esquema de corrupção da Petrobras quando ainda estava na chefia da Casa Civil, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, de acordo com as investigações do Ministério Público Federal (MPF) e da PF.
Até então, o ex-ministro cumpria prisão domiciliar na capital federal devido à condenação na Ação Penal 470, conhecida como "Mensalão". Por esse motivo, a transferência dele para Curitiba precisou ser autorizada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal.
'Repetiu o esquema do mensalão'
O ex-ministro "repetiu o esquema do mensalão", disse o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima numa entrevista coletiva, em Curitiba. "Não é à toa que o ministro do Supremo disse que o DNA é o mesmo. Nós temos o DNA, realmente, de compra de apoio parlamentar – pelo Banco do Brasil, no caso do mensalão, como na Petrobras, no caso da Lava Jato."
Segundo ele, Dirceu foi "instituidor e beneficiário do esquema da Petrobras", mesmo durante e após o julgamento do mensalão.
"José Dirceu recebia valores nesse esquema criminoso enquanto investigado no mensalão e enquanto foi preso. Seu irmão fazia o papel de ir até as empresas para pedir esses valores." O procurador afirmou que esta foi uma das razões que motivaram o novo pedido de prisão para Dirceu, que já cumpria prisão domiciliar por condenação no mensalão.
Luiz Eduardo de Oliveira e Silva era sócio de Dirceu na JD Consultoria, empresa suspeita de receber R$ 39 milhões por serviços que não foram feitos.
Conforme as investigações, o grupo de Dirceu recebia propina por meio da JD por contratos na estatal. O grupo também teria recebido valores ilícitos em espécie de prestadores de serviços da Petrobras – as empresas Hope (recursos humanos) e Personal (serviços de limpeza).
Como começou o esquema
Investigações mostram que Dirceu indicou Renato Duque para a diretoria de Serviços da Petrobras e, a partir disso, organizou o esquema de pagamento de propinas. Duque já é réu em ações penais originadas na Lava Jato.
"Temos claro que José Dirceu era aquele que tinha como responsabilidade definir os cargos na administração Luiz Inácio [Lula da Silva]", disse o procurador (assista ao vídeo abaixo). O nome de Duque teria sido sugerido pelo lobista Fernando Moura, também preso nesta segunda.
Nesta fase da Lava Jato, os investigadores focam irregularidades em contratos com empresas terceirizadas. "São empresas prestadoras de serviços terceirizadas da Petrobras contratadas pela diretoria de Serviços que pagavam uma prestação mensal através de Milton Pascowitch [lobista e um dos delatores da Lava Jato] para José Dirceu. Então, é um esquema bastante simples que se repete", afirmou o procurador.
Para o MPF, o ex-ministro enriqueceu dessa forma. "A responsabilidade do José Dirceu é evidentemente, aqui, como beneficiário, de maneira pessoal, não mais de maneira partidária, enriquecendo pessoalmente", disse o procurador.
O juiz Sérgio Moro escreveu no despacho de prisão de José Dirceu que o ex-ministro "teria insistido" em receber dinheiro de propina em contratos da Petrobras mesmo após ter deixado o governo, em 2005.

Eduardo Cunha pede mais tempo ao STF para responder a denúncia


Deputado quer acesso a vídeos e documentos que embasaram acusação.
Regras do STF preveem que prazo vence no próximo dia 9 de setembro.

Renan RamalhoDo G1, em Brasília
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pediu nesta segunda-feira (31) aoSupremo Tribunal Federal um prazo maior, de 30 dias, para responder às acusações de corrupção e lavagem de dinheiro nas investigações da Operação Lava Jato. A decisão caberá ao ministro Teori Zavascki, relator do caso no STF.
Na semana passada, o deputado foi notificado sobre a denúncia apresentada contra ele pela Procuradoria-Geral da República e, pelas regras do Supremo, teria 15 dias, que serão completados no próximo dia 9 de setembro, para se manifestar sobre o caso.

Cunha é acusado de ter recebido, entre junho de 2006 e outubro de 2012, pelo menos US$ 5 milhões para viabilizar a contratação de dois navios-sonda para a Petrobras. Ele nega ter recebido o dinheiro.
No pedido para estender o prazo, a defesa argumenta que, para responder às acusações, precisa de acesso a documentos e vídeos que embasaram a denúncia ainda não disponibilizados.
Os advogados querem acesso a todos os acordos de colaboração firmados pelo empresário Julio Camargo – que citou o deputado como beneficiário de propina – bem como sua acareação com Paulo Roberto Costa – acusado de desviar recursos da estatal.

A defesa faz o mesmo pedido em relação às delações do doleiro Alberto Youssef – apontado como operador de propinas – e de Paulo Roberto Costa, "na medida em que também foram utilizados pela Procuradoria Geral da República como fundamento para a formulação da denúncia", conforme o pedido.

"É manifesta a impossibilidade de oferecimento de qualquer resposta pelo requerente que esteja adequada à plenitude das garantias constitucionais da ampla defesa e do contraditório enquanto não franqueado o acesso a tais elementos produzidos durante a fase de investigação", justifica a defesa.
saiba mais

A resposta à acusação é a primeira manifestação de um acusado denunciado junto ao STF e serve não só para contestar as acusações feitas pela PGR, mas também apontar eventuais erros na investigação que possam embasar a decisão dos 11 ministros da Corte de aceitar ou rejeitar a denúncia.
Essa decisão, ainda sem prazo para ser proferida, determinará se Cunha responderá ou não a uma ação penal como réu. A resposta é uma manifestação preliminar da defesa sobre o caso, que poderá voltar a contestar as acusações posteriormente se o processo penal for efetivamente aberto.
Não há prazo máximo nem previsão para o relator do caso no Supremo, ministro Teori Zavascki, levar a denúncia ao plenário para decisão sobre abertura ou não do processo penal. Depois da abertura da ação, acusação e defesa poderão pedir depoimentos de testemunhas e juntar novas provas ao processo.

Orçamento prevê salário mínimo de R$ 865,50 e inflação de 5,4% em 2016


Da Redação com Agência Brasil


Os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, entregaram hoje (31), ao presidente do Congresso Nacional e do Senado Federal, Renan Calheiros (PDMB-AL), e para o relator, deputado Ricardo Barros (PP-PR) a peça do Orçamento Geral da União para 2016. O texto prevê o valor de R$ 865,50 para o salário mínimo a partir de janeiro do ano que vem.
salario-minimo
(Foto: Divulgação)
O documento apresenta, ainda, previsão de décifit primário para o próximo ano de R$ 30,5 bilhões, o que corresponde a 0,5% do produto interno bruto do país. A inflação deve superar o centro da meta e chegar a 5,4% em 2016, de acordo com o texto, que será detalhado em coletiva no Palácio do Planalto.
Segundo o relator da proposta da Comissão de Orçamento, o deputado Ricardo Barros (PP-PR), caberá ao Congresso, juntamente com o governo, encontrar uma saída para a questão orçamentária, já que essa é a primeira vez que o Executivo encaminha uma proposta de Orçamento ao Congresso Nacional com déficit de receita em relação às despesas.
Apesar do déficit, o relator agradeceu ao governo por ter enviado uma peça “realista” e disse que o Congresso irá trabalhar para reverter o quadro, aprovando um Orçamento que não seja deficitário. “Temos que aumentar a receita e cortar as despesas, são as únicas soluções”, afirmou Barros. “Manter o Orçamento com o déficit não é bom para o Brasil, não é bom sinal para os mercados, pode acabar onerando mais a iniciativa privada e a economia do país do que um eventual aumento de receita, um eventual aumento na carga tributária. É uma ampla discussão que vamos enfrentar com transparência e com a participação de todos”, disse.
Agora, a Lei Orçamentária Anual (LOA) seguirá para a Comissão Mista de Orçamento para iniciar a tramitação. A expectativa é que a lei seja aprovada até o dia 22 de dezembro, antes de o Congresso entrar em recesso. Se a LOA não for votada até o fim deste ano, o governo começará o próximo ano podendo gastar o equivalente a um doze avos do OGU de 2015 por mês para custear suas despesas, até que o Congresso aprove o novo Orçamento.

Suspeito é baleado durante assalto e tem corpo abandonado perto de unidade de saúde


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha
Suspeito foi abandonado no meio da rua (Foto: Juliano Cunha - Banda B)
Suspeito foi abandonado no meio da rua (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

Um suspeito de assalto foi baleado e morreu no começo da tarde desta segunda-feira (31) na Rua João Domingos Vizintim, no bairro Umbará, em Curitiba. De acordo com a polícia, ele e mais dois bandidos teriam cometido o crime contra um mercado do bairro Pinheirinho, mas não contavam que um policial fazia compras no estabelecimento.
Baleado pelo policial, Everton Ferreira ainda tentou fugir com os comparsas em um veículo Peugeot prata, mas teve o corpo abandonado. Na Rua João Domingos Vicentim, familiares ainda tentaram o socorrer, nas nada pôde ser feito pelas enfermeiras da unidade de saúde do bairro.
No local houve princípio de tumulto, já que cerca de cem pessoas acompanhavam o trabalho da polícia. A polícia não falou sobre o caso no local.
O tenente Werner, da PM, confirmou que o caso será investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR).