Justiça pode barrar parte das transferências de presos em operação do Bope


Traficantes presos pelo Bope: transferência para presídio federal
Traficantes presos pelo Bope: transferência para presídio federal Foto: Fabiano Rocha / Extra
Carolina Heringer

O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, disse nesta terça-feira que vai pedir à Justiça a transferência dos seis criminosos presos pelo Bope para unidades federais. A Vara de Execuções Penais (VEP), no entanto, não deve autorizar a ida de todos os capturados para fora do Estado do Rio. O pedido do secretário ainda não foi formalizado. Após a solicitação, cada caso será analisado um a um.
Os presos foram levados ontem para o presídio de Bangu 1, unidade de segurança máxima localizada no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, no início da noite desta terça. Aqueles que não forem para presídio federal continuarão na penitenciária do Rio que possui o regime mais rigoroso. Foram capturados pelo Bope Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, e Robson Aguiar de Oliveira, o Binho do Engenho, apontados como chefes do tráfico no Complexo do Chapadão, na Pavuna, Zona Norte do Rio. Foram presos também Cláudio José de Sousa, o Claudinho da Mineira, primo de Fu, César Augusto Alta de Araújo, o PQD, Robson Aguiar de Oliveira, Eduardo Luís Paixão, o Duda 2D, e Rafael Silva Gomes, o Guerreiro. Eles estavam numa casa perto do Chapadão.
Os criminosos estavam numa casa fora do Complexo do Chapadão
Os criminosos estavam numa casa fora do Complexo do Chapadão Foto: Reprodução
Ontem, o juiz titular da VEP, Eduardo Perez Oberg, determinou que Fu e Claudinho da Mineira, além de Binho do Engenho, regridam cautelarmente para o regime fechado. O magistrado também determinou a retirada de qualquer benefício que os presos ainda possuam.
Fu e Claudinho ficaram seis anos e meio em presídios federais. Como o EXTRA noticiou com exclusividade em agosto de 2013, eles fugiram após conseguirem benefícios na Justiça Federal. Em 2007, os criminosos foram transferidos para Catanduvas, no Paraná, junto com outros dez criminosos, acusados de terem ordenado ataques a delegacias e ônibus no Rio. Em maio de 2013, os dois conseguiram transferência para uma unidade prisional estadual em Porto Velho, Rondônia, onde passaram a cumprir pena no regime semiaberto.
Fu da Mineira: uma das principais lideranças de facção criminosa
Fu da Mineira: uma das principais lideranças de facção criminosa Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo
Três meses depois, em agosto, Fu e Claudinho deixaram o presídio para visitar a família e nunca mais retornaram. Os traficantes conseguiram o benefício, concedido pela Justiça Federal de Rondônia, mesmo com altas penas ainda a serem cumpridas.
De volta ao Rio, em agosto de 2013, os criminosos se refugiaram no Complexo do Lins, onde passaram a ocupar posição de liderança. Com a pacificação da região, em outubro do mesmo ano, migraram para o Chapadão, onde ficaram até serem capturados.
As armas apreendidas com os traficantes
As armas apreendidas com os traficantes Foto: Divulgação
Binho do Engenho também estava foragido de uma unidade prisional desde fevereiro de 2012. Ele escapou do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, pela tubulação de esgoto, com outros 30 presos. No mesmo dia da fuga, quatro deles foram recapturados. Binho chegou ao Chapadão no início de 2013, passando a comandar o tráfico no complexo. Com a chegada de Fu, o poder foi dividido. O traficante também era chefe da venda de drogas no Morro do Engenho.
Os bandidos foram capturados na manhã desta terça-feira numa casa alugada, na Pavuna, próximo ao Complexo do Chapadão. Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) receberam a denúncia de que eles dormiam no imóvel às segundas, terças e quartas-feiras. Nesta manhã, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, afirmou que vai pedir a transferência para presídios federais dos seis traficantes.