Pai que matou as filhas e se enforcou já tinha tentado suicídio, diz irmão


Crime aconteceu em Arujá, na Grande São Paulo, nesta sexta-feira (7). 
Segundo o irmão, pai das meninas era usuário de drogas.

Do G1 Mogi das Cruzes e Suzano com informações da TV Diário
Segundo a polícia, irmãs de 4 e 2 anos foram mortas pelo pai (Foto: Paulo Henrique da Silva/Arquivo Pessoal)Segundo a polícia, irmãs de 4 e 2 anos foram mor-
tas pelo pai (Foto: Paulo Henrique da Silva/Arquivo
Pessoal)
O homem de 31 anos que matou as duas filhas, de 2 e 4 anos, e se matou em seguida em Arujá nesta sexta-feira (7), já havia tentado suicídio há pouco mais de um ano, segundo familiares.

Alberico Alves de Oliveira matou as filhas Dandara Cândido de Oliveira, de 4 anos, e Emanuelly Cândido de Oliveia, de 2 anos, e depois se enforcou.

De acordo com Jorge Alves de Oliveira, irmão de Alberico, nos últimos meses ele estava fazendo o uso de entorpecente. Além disso, ele já havia tentado suicídio há 1 ano e 6 meses. "Ele tentou se matar, mas tiramos ele da corda. Fizemos massagem cardíaca e ele sobreviveu. Teria sido melhor não ter sobrevivido, porque dessa vez ele levou duas crianças junto", disse o irmão.(veja vídeo)
A Polícia Civil esteve na casa, no Parque Rodrigo Barreto, na tarde desta sexta para fazer a perícia. De acordo com a polícia, Alberico Alves de Oliveira, de 31 anos, matou as filhas
 Paulo Henrique Cândido da Silva, tio das meninas, contou que a irmã era separada do pai das crianças. Ela mora em Guarulhos e Alberico vivia em Arujá. Segundo Silva, ele tinha autorização judicial para pegar as filhas a cada 15 dias. “Há mais de dois meses ele não pegava as crianças. Ontem, por volta das 14h, ligou e perguntou se podia levá-las ao shopping. A mãe deixou. Primeiro disse que devolveria ainda ontem. Às 20h ela ligou para ele. Ele não atendeu. Minha irmã conseguiu falar só depois das 22h e ele disse que as crianças dormiriam na casa dele.”
saiba mais

Segundo o delegado Antônio Carlos Cavalcanti, em depoimento, a mãe contou que ligou para Alberico nesta sexta-feira às 9h45. “Segundo a mãe, no telefone ele disse que não ia devolver as crianças, porque elas já estavam mortas. Ela ligou para uma parente de Arujá, que ligou para uma vizinha do pai. A mulher foi até a casa. Ela achou os corpos. As meninas estavam deitadas na cama”, informou o delegado.
Ainda de acordo com a Polícia Civil, no imóvel havia garrafas de bebida cheias e vazias e pelo menso 30 embalagens que servem para guardar cocaína.
Segundo a polícia, vai ser necessário esperar os resultados da perícia para saber se a causa da morte das crianças foi envenenamento ou asfixia. Os corpos não tinham sinal de violência.
Segundo polícia, pai matou os dois filhos e cometeu sucídio, em Arujá (Foto: Fernando Mancio/ TV Diário)Segundo polícia, pai matou os dois filhos e cometeu sucídio (Foto: Fernando Mancio/ TV Diário)