Edilson Capetinha é alvo de operação da PF que apura fraude em loterias da CEF


Da Redação com PF e R7


edilson-capetinha
Capetinha é alvo de operação da PF
O ex-jogador da Seleção Brasileira Edilson Capetinha, pentacampeão do mundo em 2002, é apontado pela Polícia Federal como uma das pessoas investigadas pela Operação Desventura, deflagrada na manhã desta quinta-feira, 10. Segundo a PF, o esquema teria fraudado o pagamento de loterias da Caixa Econômica Federal.
Edílson da Silva Ferreira, mais conhecido como Edílson Capetinha, baiano de Salvador, de 44 anos, foi atacante de alguns dos principais times do País, Corinthians, Palmeiras, Flamengo, Vasco, Cruzeiro, Bahia e Vitória. Em 2002, ele fez parte do elenco que conquistou o último título mundial da Seleção Brasileira, disputado na Ásia. Segundo a PF, Edilson seria um dos correntistas que teria recrutado funcionários da Caixa Econômica para validar bilhetes de loterias. O ex-jogador ainda não se pronunciou sobre a investigação
Estão sendo cumpridos 54 mandados judiciais, incluindo 13 de prisão nos estados de São Paulo, Goiás, Bahia, Sergipe, Paraná e no Distrito Federal. Entre os suspeitos de envolvimento estão Edilson Capetinha e um doleiro.
O esquema desviou milhões de valores de bilhetes premiados, não sacados pelos ganhadores, que deveriam ser destinados ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Gerentes da Caixa ajudavam a validar os bilhetes. Os funcionários do banco eram recrutados por correntistas com grande movimentação financeira.  Ao todo, cerca de 250 policiais federais participam da Operação Desventura.
Durante a investigação, um integrante da quadrilha foi preso ao tentar aliciar um gerente para o saque do prêmio de um bilhete no valor de R$ 3 milhões. Meses depois ele foi liberado e, segundo a PF, morreu em circunstâncias que ainda estão sendo apuradas.