Preso suspeito de matar agricultor em assalto à chácara de São José dos Pinhais; foto


Por Denise Mello e Djalma Malaquias

leonardo
Leonardo foi preso como principal suspeito do crime. Ele nega – Foto: DM/Banda B
Foi preso nesta sexta-feira (4) um homem apontado pela polícia como principal suspeito de ter matado o agricultor Benjamin Valaski, de 59 anos, durante um assalto no dia 23 de agosto. Leonardo Cordeiro, de 22 anos, foi reconhecido por cinco testemunhas do assalto que ocorreu na chácara da vítima. Ele nega a autoria, mas na casa em que foi preso na Vila Osternack, em Curitiba, a polícia encontrou armas, munições e uma banana de dinamite.
“Não temos dúvidas da participação de Leonardo no assassinato do agricultor. Todas as cinco testemunhas do assalto vieram à delegacia e reconheceram , com toda certeza, que ele participou do assalto que provocou a morte do senhor Valaski. Além disso, recolhemos imagens de câmeras da região que mostraram o carro utilizado pelo Leonardo e um comparsa no dia do criem”, afirmou o delegado Michel Carvalho, da delegacia de São José dos Pinhais.
Leonardo foi preso em casa após a Justiça decretar a prisão preventiva dele com base nas investigações. A polícia também divulgou o retrato falado do segundo suspeito do crime, que tem uma tatuagem tribal no pescoço.
A dupla, segundo a polícia, teria assaltado um bar logo depois de ter matado o agricultor. Os donos desse bar, na região, também reconheceram Leonardo. “Eles agiam com muito terror, ameaçando as vítimas e mostrando as munições dos revólveres para provar que não eram de brinquedo. Deviam estar tramando outros assaltos, inclusive o estouro de caixas eletrônicos”, completou o delegado.
retrato
Retrato falado do segundo suspeito do assassinato do agricultor
Revolta
A morte de Benjamin Valaski provocou grande revolta dos moradores da zona rural de São José dos Pinhais. No dia 27, centenas de pessoas foram às ruas pedir mais segurança e chamar a atenção das autoridades para prender os responsáveis pelo crime.
“O Benjamin era um homem muito trabalhador e dedicado. Ele levantava de madrugada para ir à lavoura e garantir o sustento da família. Na ocasião do homicídio, gentilmente, ele saiu para levar um copo de água para os indivíduos e acabou morto. É muito revoltante”, disse o agricultor Eugênio Greborge, vizinho da vítima, em entrevista à Banda B.
arma
Arma, munições e dinamite apreendidas com Leonardo
Amigos e familiares de Benjamin seguiram de caminhões, tratores e carros da zona rural até a Câmara Municipal e, em seguida, se dirigiram à sede da Prefeitura. “Nós queremos respostas das autoridades do município, estaduais e também federais. Todos deixamos de produzir para pedir mais segurança, já que o patrulhamento policial na região é muito esporádico. Esperamos que eles nos ouçam”, completou Eugênio.
O caso
O agricultor Benjamin Valaski foi morto durante um assalto à casa em que morava na Rua Professor Júlio Carvalho Gomes na tarde do último dia 23 de agosto. Ele era muito conhecido na cidade, por ser um dos principais produtores de alface da região.
Benjamin estava com a mulher na residência quando dois homens chegaram pedindo por um copo de água. Educada, a mulher preparou o copo e acabou rendida pelos marginais. A suspeita é de que, ao perceber que era um assalto, o agricultor possa ter reagido, embora isso não tenha sido confirmado pela Polícia Militar (PM).