Vingança por morte de PM pode ter provocado 32 mortes na Grande SP


PUBLICIDADE
A força-tarefa criada pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) para investigar a chacina que deixou 19 mortos na Grande SP detectou indícios de ligação do crime com outros 13 assassinatos ocorridos nos cinco dias anteriores.
Com isso, a apuração já trabalha oficialmente com a hipótese de um mesmo grupo ter matado 32 pessoas e deixado dez feridos em cinco municípios vizinhos entre si na região metropolitana: Osasco, Barueri, Carapicuíba, Itapevi e Santana do Parnaíba.
Os crimes ocorreram a partir de 8 de agosto, um dia após a morte de um PM por bandidos que assaltavam um posto de combustível. A principal linha da investigação é que a série de ataques, que culminou na chacina com 19 mortes em 13 de agosto, tenha sido retaliação de policiais ao assassinato do colega.