Operação policial em Saint-Denis contabilizou ao menos 2 mortos e 8 presos

Membro da polícia judiciária francesa inspeciona o apartamento invadido pelas forças especiais em Saint-Denis, durante operação para capturar fugitivos dos ataques da última sexta-feira (13) - 18/11/2015
Policial inspeciona apartamento invadido pelas forças especiais em Saint-Denis, durante operação para capturar terroristas (13) - 18/11/2015(Gonzalo Fuentes/Reuters)
A operação policial realizada na manhã desta quarta-feira no distrito de Saint-Denis, ao norte de Paris, deixou dois mortos, oito presos, além de cinco policiais e um pedestre feridos. A ação da polícia, que invadiu um apartamento onde estariam militantes que planejavam realizar um ataque ao distrito financeiro parisiense de La Défense, começou às 4h30 (horário local) e terminou no final da manhã.
De acordo com o promotor público de Paris, François Molins, um suspeito foi morto por tiros ou uma granada jogada pelos policiais e uma mulher explodiu um cinto de explosivos dentro do apartamento. Segundo o promotor, a explosão foi tão forte que o edifício corre o risco de desabar. Como ainda há pedaços de corpos nos escombros, é possível que um terceiro suspeito tenha morrido na explosão.
Embora o promotor não tenha informado a identidade dos mortos, oficiais da inteligência europeia afirmaram ao jornal americano Washington Post que Abdelhamid Abaaoud, belga de 27 anos identificado como o mentor dos ataques terroristas em Paris na semana passada, morreu na operação policial em Saint-Denis. Policiais disseram à imprensa local que a mulher suicida foi identificada como Hasna Aitboulahcen, que seria prima de Abaaoud.

"Uma quarta célula terrorista foi neutralizada", disse Molins, em referência às três equipes que promoveram os atentados do dia 13 de novembro em Paris. "Tudo leva a concluir que eles estavam prontos para agir".
Além dos seis presos no edifício, o dono do apartamento, Jawad Bendaoud, e uma amiga, foram detidos na rua. No momento da prisão, ele disse aos repórteres que um colega pediu que ele emprestasse o imóvel a dois amigos por alguns dias. "Eu não sabia que eram terroristas". A mulher disse que os 'novos moradores' chegaram há dois dias ao apartamento.
O alvo da operação era Abdelhamid Abaaoud, mas, segundo Molins, nem Abaaoud nem Salah Abdeslam, outro terrorista foragido, não estão entre os mortos e presos na operação desta quarta-feira. Abdeslam teria participado ativamente nos atentados que mataram 129 de deixaram mais de 350 feridos em Paris.
Segundo Molins, mais de 5.000 tiros foram disparados durante as sete horas da operação em Saint-Denis, que envolveu mais de cem policiais. Um cachorro da polícia morreu durante a operação.