Pai que matou filho diz que queria evitar que ele sofresse por falta de dinheiro


Por Marina Sequinel
carro-familia-erick
Corpo foi encontrado próximo ao carro da família. (Foto: Colaboração/Banda B)
Daniel Pereira, pai do pequeno Erick, de dois anos, disse à polícia que queria evitar que o filhosofresse pelos problemas financeiros pelos quais ele passava. Segundo a delegada Nilcéia Ferraro da Silva, do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride), esse foi o motivo apontado por ele para cometer o crime.
erickdentro
Erick estava desaparecido desde a tarde do último domingo (15). (Foto: Arquivo pessoal)
“Desde o princípio, a equipe do Sicride sabia que a versão do pai para os fatos não condizia com a verdade. Diligências foram feitas com o suspeito e, só depois de quatro horas e cerca de 130 quilômetros rodados, é que ele confessou e nos levou até o corpo”, disse a delegada em entrevista à Banda Bna tarde desta terça-feira (17).
De acordo com as investigações, Daniel jogou o menino na represa, o tirou de lá e, depois, o asfixiou com as mãos próximo ao carro da família, um Corsa prata. “No momento em que nós vimos aquela cena chocante, ele se manteve frio, não chorou e não demonstrou arrependimento”, contou a delegada. A informação inicial era de que ele teria levado dois tiros, o que não foi confirmado pela polícia.
Sobre o motivo, ele apenas alegou que passava por problemas financeiros. “Daniel disse que não queria que o filho sofresse por causa disso. A mãe da criança não sabia de nada e está em choque”, concluiu a delegada.
Daniel foi levado à delegacia de Rio Branco do Sul, que deve concluir o inquérito sobre o caso.