Polícia conclui que menino de 13 anos morreu em roleta-russa no RS


Inquérito foi remetido à Justiça com pedido de internação de adolescente.
Autor do disparo foi identificado pela polícia, mas negou ter atirado.

Do G1 RS
Menino de 13 anos morto em Porto Alegre (Foto: Reprodução)Menino de 13 anos morto em Porto Alegre (Foto: Reprodução)
O inquérito que apurou a morte do menino Noé Guilherme Rodrigues da Silva, de 13 anos, em Porto Alegre, foi remetido à Justiça com o pedido de internação de um adolescente de 15 anos, apontado pela Polícia Civil como autor do disparo. Segundo o delegado Christian Nedel, os dois faziam roleta-russa quando aconteceu o disparo fatal.
saiba mais

A investigação do caso registrado no começo de outubro no bairro Teresópolis, na Zona Sul da capital, apontava como hipótese mais provável um disparo acidental.
Após ser baleado, o menino chegou a ser socorrido por familiares e foi levado a um hospital, mas morreu no trajeto.
Conforme o delegado do Departamento da Criança e do Adolescente (Deca), foi a partir de depoimentos de testemunhas que a polícia chegou à conclusão de que o menino morreu durante a prática de roleta russa.
"Identificamos esse adolescente de 15 anos como suspeito, e o indiciamos por homicídio qualificado. Por mais que ele não tenha tido intenção direta de praticar a morte do amigo, era uma brincadeira, mas quem age assume com dolo eventual, por questão fútil", explicou.
"Pedimos à Justiça a internação provisória dele, e agora aguardamos a decisão", acrescentou o delegado Nedel.
No depoimento, porém, o adolescente negou ter feito o disparo que matou Noé no pátio da casa dele. "Ele acabou negando, e disse que tinha uma outra pessoa envolvida. Ainda não localizamos essa terceira pessoa", completou.
A arma que foi usada pelos adolescentes não foi encontrada, apenas o projetil que foi retirado do corpo da vítima.
Nenhum dos adolescentes, tanto a vítima como o suspeito de ter efetuado o disparo, têm antecedentes criminais, de acordo com o delegado.