Subsídio será renovado, diz Governo do Paraná


unnamed
Em nota distribuída à imprensa, o Governo do Paraná esclarece que o subsídio à rede integrada de transporte de Curitiba e região metropolitana deverá ser renovado, com base na pesquisa origem/destino feita pela Fipe/Urbs. Leia a seguir a íntegra da nota.
O Governo do Estado do Paraná esclarece:
1) O Governo do Estado trabalha pela manutenção da Rede Integrada de Transporte (RIT), uma conquista histórica de Curitiba e Região Metropolitana;
2) Em outubro de 2014, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC) encaminhou ofício à URBS manifestando, de forma clara e objetiva, a intenção de manter o convênio que garante a integração do transporte coletivo;
3) O convênio deverá ser renovado com base na Pesquisa de Origem e Destino feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP). A pesquisa indicou que o custo por passageiro metropolitano é inferior ao que afirmava a Prefeitura de Curitiba, o que diminui o valor do subsídio;
4) O Governo do Estado honrará todas as parcelas definidas pelo convênio de 2014, como tem feito desde 2012, quando foi implantado o subsidio;
5) De 2012 até agora, o Governo do Estado já repassou mais de R$ 177 milhões à Rede Integrada de Transporte Coletivo de Curitiba e Região Metropolitana em forma de subsidio. Além disso, há a isenção de ICMS para o óleo diesel dos ônibus, implantada pelo Governo do Estado em 2013;
6) A COMEC ainda aguarda que a URBS encaminhe a planilha com o saldo do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), fundo público usado para operacionalização dos serviços de transporte, solicitada em 2014.
7) O Governo do Estado renova a intenção de manter o diálogo com a Prefeitura de Curitiba para a manutenção da Rede Integrada de Transporte.

Ratinho Jr reassume Desenvolvimento Urbano


unnamed
Ratinho Junior assume a SEDU e anuncia planejamento com mais técnica, valorizando cada vez mais o cidadão
Ao assumir mais uma vez, nesta quarta-feira, 07, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná (SEDU) Ratinho Junior já fez alguns anúncios. Disse que agora, com mais tempo, ele e a equipe de técnicos já começaram a avaliar e preparar um planejamento macro de ações para os municípios do Paraná, que inclui as Regiões Metropolitanas do Estado. “São Regiões que crescem, na maioria das vezes, desordenadamente”, diz. Ele pretende convidar o meio acadêmico para ajudar no planejamento dessas ações. “Vamos planejar de forma mais técnica em todo o processo, valorizando cada vez mais às prioridades e às transformações no dia a dia da vida da população das diferentes regiões do Paraná”, explicou.
Ratinho Junior também lembrou que a SEDU/Paranacidade – Serviço Social Autônomo -, não depende do orçamento do Governo do Estado. O sistema de trabalho difere das demais Secretarias de Estado. Os recursos chegam de fontes diversas, como do Fundo de Desenvolvimento Urbano (FDU), que moderniza a fortalece a própria gestão pública do Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM); pela Agência de Fomento Paraná, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); pela Agência Francesa; pelo Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e outras. “A perspectiva inicial, para este ano, é de investimentos de R$ 400 milhões. E vamos potencializar isto em favor dos municípios”, garante o novo secretário.
Ratinho Junior entra no lugar de João Carlos Ortega que retorna à Diretoria-Geral da SEDU. ”Não há mudança, há continuidade de pensamentos, filosofia de vida e de ações em favor do mesmo povo: o do Paraná”, assegura Ratinho Junior. Assim, somadas as ações de uma mesma equipe, em menos de dois anos, para atender as demandas da população, mais de 1,6 mil obras e ações são realizadas, com investimento de mais de R$ 950 milhões, até o início de dezembro último. “Centenas de novos contratos foram assinados, neste período, para alavancar o desenvolvimento em todos os municípios, transformando a vida dos paranaenses, com milhares de empregos, renda e melhor qualidade de vida. Batemos, de novo, o nosso próprio recorde de ações”, enfatiza Ratinho Junior.
Em menos de dois anos, foram inúmeras as obras construídas, como os 200 edifícios que resultaram em 21 Unidades de Atenção Primária à Saúde da Família; 13 Escolas Municipais – seis em convênio com a Secretaria da Educação -; 12 Barracões Industriais; 10 Praças; nove Ginásios de Esportes; oito Centros de Referência de Assistência Social; sete Paços Municipais; seis Centros de Juventude (SECJ); cinco Terminais de Transportes; cinco Quadras de Esportes; quatro Hospitais; três Postos de Saúde; uma Câmara Municipal; duas Creches, além de 18 outras obras públicas. “Observando esta realidade, o Governo do Paraná e as Prefeituras Municipais, juntos, proporcionaram milhares de emprego e renda, além de transformações no dia a dia da vida dos cidadãos, em todas as Regiões do Estado”, enfatiza Ratinho Junior.

Polícia francesa identifica e cerca suspeitos de ataque a revista


suspeitos
PARIS — Os três suspeitos de realizar o atentado ao semanário francês “Charlie Hebdo” foram identificados como dois irmãos e um terceiro homem. De acordo com a polícia francesa, os irmãos se chamam Said e Cherif Kouachi, são franceses e têm idades próximas dos 30 anos.
O terceiro suspeito, identificado como Hamyd Mourad. seria um sem-teto, que recentemente se registrou na Academia de Reims em Charleville-Mezieres, afirma o jornal “Metro News”.
O trio é suspeito de ter invadido a redação do semanário, matando 12 pessoas e ferindo uma dezena. Após o massacre, os suspeitos fugiram em um carro preto. O véiculo foi encontrado, mas, de acordo coma polícia, ele foi abandonado e os suspeitos, vestindos com roupas negras e usando máscaras, decidiram seguir em outro veículo.
— Perseguiremos esses criminosos pelo tempo que for necessário para que a justiça seja feita — afirmou o presidente François Hollande, que classificou o ato como “um atentado terrorista”.
O ataques aconteceram após o semanário publicar matérias e charges consideradas anti-islâmicas. O “Charlie Hebdo” já havia sido criticado no passado por publicar charges ironizando o profeta Maomé.
Jornalistas condenam ataque
A Associação Mundial de Jornais (WAN, na sigla em inglês) e o Fórum Mundial de Editores condenaram fortemente o ataque contra o semanário “Charlie Hebdo”, em Paris, que deixou 12 mortos e pelo menos cinco seriamente feridos
“Nós condenamos da forma mais forte possível esta absurda atrocidade e nos colocamos ao lado do Charlie Hebdo e de toda a comunidade jornalística na França na busca de justiça para as vítimas”, disse em comunicado o CEO da WAN-IFRA, Vincent Peyrègne.
Segundo Peyrègne, trata-se de um ataque à liberdade de imprensa e à sociedade.
“Com 61 jornalistas mortos em 2014 e o ano novo começando sob condições tão terríveis, nós observamos que um ataque desta natureza atinge o coração das liberdades que a imprensa da França defende tão apaixonadamente. Não é apenas um ataque contra a imprensa, mas também contra a sociedade e os valores pelos quais todos lutamos. Isto deve ser um alerta para todos nós nos impormos contra o crescente clima de ódio que ameaça fraturar nossa compreensão de democracia”.
O incidente foi oficialmente declarado ataque terrorista pelo presidente François Hollande, e o país teve seu nível de alerta terrorista elevado ao máximo, com policiais armados vigiando os prédios de veículos de comunicação e outros locais.
Em 2011, um atentado com bomba incendiária destruiu a então sede do semanário. O semanário continuou com sua posição de sátiras críticas, apesar de ameaças subsequentes.

Homem atira contra carro, fere dois e atinge prédio da Gazeta do Povo no Centro de Curitiba


Por Luiz Henrique de Oliveira e Juliano Cunha
FOTODENTRO
Área da Praça Carlos Gomes em frente à sede da Gazeta foi isolada (Foto; Juliano Cunha – Banda B)

Um homem, com um comparsa na cobertura, disparou por várias vezes contra um Cintroen C3 estacionado na Praça Carlos Gomes, no Centro de Curitiba, na tarde desta quarta-feira (8). Dois homens ficaram feridos e um dos tiros acertou uma porta do prédio do jornal Gazeta do Povo. A informação inicial é que o suspeito, que foi preso em flagrante pela Polícia Militar (PM), tomou essa atitude por uma motivação passional, já que no carro também estava uma mulher com quem ele teria tido envolvimento amoroso.
De acordo com a PM, o homem chegou a pé e ao ver a mulher e outro homem entrando no Citroen, em que outro rapaz os aguardava, começou a disparar. “Os dois homens teriam ficado feridos, já a mulher correu em direção ao prédio da Gazeta, onde os disparos foram efetuados e um acertou a porta do jornal. Em seguida a isso, o suspeito largou a arma em um prédio do estabelecimento e fugiu, sendo preso um pouco depois pela PM, ainda nas imediações”, explicou à Banda B o delegado Rubens Recalcatti, da Polícia Civil.
gazeta2
Porta da Gazeta ficou danificada com os tiros (Foto: JC – Banda B)
Ainda segundo o delegado, o suspeito estava com uma tornozeleira de foragido do sistema prisional. “A mulher que seria alvo dele não foi localizada e um homem baleado foi até o Hospital Cajuru, onde o carro foi localizado”, falou Recalcatti, confirmando o tiro contra a sede da Gazeta. “Tinha uma recepcionista ali atrás, mas o tiro não passou do vidro que é bem resistente”, descreveu.
O suspeito preso foi encaminhado ao 1° Distrito Policial (1° DP) e o comparsa que estava com ele não foi localizado. Há a informação de que outra arma teria sido encontrada  no hospital com um dos baleados. “Ainda estamos apurando esse fato”, concluiu Recalcatti.
Passional
Conforme a polícia informou, o homem responsável pelos tiros foi casado com a mulher alvo por anos e do relacionamento tiveram dois filhos.  Hoje o suspeito armou a tocaia ao saber que ela iria resolver algumas coisas na região central. Ele estaria em liberdade condicional há oito meses, de acordo com a polícia.
“As informações preliminares apontam que a situação começou por volta da 13h, quando dois casais (um do Espírito Santo e outro de uma mulher curitibana e o namorado capixaba) almoçavam num restaurante na praça Carlos Gomes quando o ex-namorado (natural de Curitiba) da segunda mulher chegou e atirou contra o rapaz, fugindo na sequência. O casal e a namorada da vítima levaram o ferido até um hospital da região num Citroen C3”, disse comandante da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE), do BOPE, tenente Rafael Souza.
Quatro presos
Pelo seu site oficial, a PM informou que policiais do 12º Batalhão e o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) prenderam quatro pessoas envolvidas na troca de tiros. Além do primeiro preso, os demais envolvidos foram localizados num hospital da região. Um homem esta internado devido ao tiroteio e depois que passar pelo tratamento médico, será encaminhado à delegacia.
Susto
Uma funcionária de uma academia de ginástica, localizada a poucos metros do tiroteio, afirmou àBanda B que a correria foi grande. “Muitos tiros por aqui. Tem mais de sete disparos e falaram que até gente ferida. Eu prefiro ficar longe”, disse, momentos após o tiroteio.
O tiroteio em frente ao jornal aconteceu no mesmo dia em que o mundo vê assustado uma ação de terroristas contra um meio de comunicação francês, que terminou na morte de doze pessoas. No caso de Curitiba, foi uma ação isolada e que, por coincidência, aconteceu em frente à sede do jornal, que nada tinha a ver com a situação.

Motorista dos Correios fica ferido após van tombar em estrada rural de Colombo


Da Redação
correiosdentro
Van dos Correios tombou após desviar de caminhão (Colaboração – Andréa Deren)
Um motorista dos Correios quebrou uma das pernas durante um grave acidente de trânsito em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, na tarde desta quarta-feira (7). O acidente aconteceu na Rua José Beira da Silva, uma estrada rural que fica a 1 km da Rodovia da Uva.
correiosdentro2
(Colaboração Andréa Deren)
Segundo testemunhas, a van dos Correios tombou ao desviar de um caminhão de gás. O detalhe é que o socorro teria demorado demais e o funcionário da empresa teve que permanecer por cerca de uma hora dentro do veículo.
“Para vocês terem uma ideia, outra van dos Correios chegou antes do socorro. Nós ligamos três vezes ao Siate e demoraram para vir”, afirmou à Banda B a leitora Andréa Deren, que fotografou o acidente e envidou ao Portal da Banda B.
Após ser socorrido no local, o motorista foi levado ao Hospital Cajuru.

Policial civil morre no hospital após se envolver em troca de tiros com assaltantes


Por Felipe Ribeiro e Juliano Cunha
Foto: Juliano Cunha - Banda B
Foto: Juliano Cunha – Banda B

Um policial civil morreu no final da tarde desta quarta-feira (7) após se envolver em uma troca de tiros com assaltantes na Rua Arnaldo Thá, no bairro Fazendinha, em Curitiba. De acordo com as primeiras informações, o policial estaria com a esposa em um estabelecimento comercial e acabou envolvido na troca de tiros com dois bandidos que tentavam assaltar a loja.
Bandido baleado também foi encaminhado ao trabalhador
Bandido baleado também foi encaminhado ao trabalhador
De acordo com a Polícia Civil, o policial teria atingido os dois bandidos, que reagiram e acertaram um tiro na sua cabeça. Ele foi socorrido ainda com vida, mas em estado gravíssimo. Ele foi levado ao Hospital do Trabalhador, mas não resistiu.
Mesmo baleado, um dos bandidos conseguiu obrigar uma mulher a levá-lo até o pronto-socorro do Trabalhador. O outro foi levado por uma ambulância do Siate e corre risco de morte.
A Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp) confirmou a morte do policial e o identificou como Renato Stadler. Ele estava lotado no Diep, Departamento de Inteligência da Polícia Civil.
.

Motoristas e cobradores decidem “dar voto de confiança” para a Prefeitura e suspendem greve


Por Felipe Ribeiro, Juliano Cunha e Danaê Bubalo

Os motoristas e cobradores de ônibus decidiram, no final da tarde desta quarta-feira (7), dar um “voto de confiança” para a prefeitura e suspender a greve marcada para começar na madrugada de quinta-feira (8). A decisão aconteceu algumas horas após o presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Roberto Gregório, anunciar que a Prefeitura abriu um crédito adicional de R$ 3,8 milhões, por meio do Fundo de Urbanização, para o pagamento dos repasses atrasados às empresas.
IMG-20150107-WA0012
Presidente do Sindimoc anuncia suspensão da greve (Foto: Danaê Bubalo – Banda B)
De acordo com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba (Sindimoc), os trabalhadores irão esperar a quinta-feira (8) e, caso não aconteça o pagamento, podem parar na sexta. “Amanhã vamos realizar um grande ato, porque não podemos esperar que essa situação ocorra todos os meses. Estamos dando um voto de confiança e esperamos que tudo ocorra como prometido”, disse.
No microblog twitter, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), falou sobre a medida tomada. “Acabo de assinar decreto autorizando repasse de R$ 3,8 milhões para q empresas de ônibus paguem em dia o salário de cobradores e motoristas.Fundamental evitar q trabalhadores fiquem sem receber vencimentos, q motivaria paralisação sistema transporte, gerando prejuízo p/ todos. Seguimos nas tratativas para que o Governo do Estado efetue o pagamento dos passivos do convênio vencido em 31 de dezembro”, informou.
Segundo o presidente da Urbs, as empresas urbanas irão receber o pagamento até as 14 horas, mas as metropolitanas ainda dependem do repasse da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), já que o convênio acabou com a prefeitura no último dia 31 de dezembro. “Queremos garantir tranquilidade ao morador da capital. Já conversei com o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira, e ele se mostrou muito receptivo ao repasse”, disse.
Posição do Governo do Estado
Em nota, o Governo do Estado disse que trabalha pela manutenção da Rede Integrada de Transporte (RIT), uma conquista histórica de Curitiba e Região Metropolitana;
Em outubro de 2014, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (COMEC) encaminhou ofício à URBS manifestando, de forma clara e objetiva, a intenção de manter o convênio que garante a integração do transporte coletivo;
O convênio deverá ser renovado com base na Pesquisa de Origem e Destino feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP). A pesquisa indicou que o custo por passageiro metropolitano é inferior ao que afirmava a Prefeitura de Curitiba, o que diminui o valor do subsídio;
O Governo do Estado honrará todas as parcelas definidas pelo convênio de 2014, como tem feito desde 2012, quando foi implantado o subsidio;
De 2012 até agora, o Governo do Estado já repassou mais de R$ 177 milhões à Rede Integrada de Transporte Coletivo de Curitiba e Região Metropolitana em forma de subsidio. Além disso, há a isenção de ICMS para o óleo diesel dos ônibus, implantada pelo Governo do Estado em 2013;
A COMEC ainda aguarda que a URBS encaminhe a planilha com o saldo do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), fundo público usado para operacionalização dos serviços de transporte, solicitada em 2014.
O Governo do Estado renova a intenção de manter o diálogo com a Prefeitura de Curitiba para a manutenção da Rede Integrada de Transporte.
Gregório anuncia medidas (Foto: Juliano Cunha - Banda B)
Gregório anuncia medidas (Foto: Juliano Cunha – Banda B)
.

Procuradoria deve pedir ao STF para investigar Eduardo Cunha, diz jornal


'Folha de S.Paulo' afirma que líder do PMDB foi citado na Operação Lava Jato.
Candidato à presidência da Câmara, deputado nega ter recebido propina.

Do G1, em Brasília
Deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) publicou mensagens no Twitter sobre possível citação em depoimento na Lava Jato (Foto: Reprodução/Twitter)Eduardo Cunha (PMDB-RJ) publicou mensagens no Twitter comentando a possível citação de seu nome em depoimento da Operação Lava Jato (Foto: Reprodução/Twitter)
Candidato à presidência da Câmara dos Deputados, o líder da bancada do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), teria sido mencionado em depoimento da Operação Lava Jato como suposto beneficiário do esquema de corrupção que atuava na Petrobras, segundo reportagem publicada nesta quarta-feira (7) pelo jornal "Folha de S.Paulo". A reportagem também afirma que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF), na primeira semana de fevereiro, abertura de inquérito para investigar a suposta participação do deputado do PMDB com a organização criminosa comandada pelo doleiro Alberto Youssef.
De acordo com a publicação, o peemedebista teria recebido suborno por meio do policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, conhecido como "Careca", acusado de trabalhar para Youssef. O próprio "Careca", informa o jornal, teria revelado à Polícia Federal (PF) que entregou dinheiro na casa do líder do PMDB, no Rio de Janeiro.
Jayme Alves de Oliveira Filho chegou a ser preso em outubro, na mais recente fase da Operação Lava Jato, porém, foi libertado no momento em que expirou o prazo de sua prisão temporária. Na ocasião, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da Lava Jato na primeira instância, determinou que "Careca" fosse afastado temporariamente de suas atribuições na PF.
G1 tentou falar com Eduardo Cunha, mas até a última atualização desta reportagem não havia conseguido localizá-lo. O deputado do Rio está em viagem de campanha eleitoral à Região Norte nesta quarta.
Por meio de sua conta pessoal no microblogTwitter, Eduardo Cunha negou envolvimento com o esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina operado por Youssef. O parlamentar fluminense atribuiu a denúncia contra ele como uma tentativa política de atacar sua candidatura à presidência da Câmara.
Considerado favorito para a eleição interna do Legislativo, ele já obteve o apoio formal de PSC, DEM e PRB a sua candidatura e negocia os votos dos deputados de PR, PSD e PP.  Eduardo Cunha disputará o comando da casa legislativa contra os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Júlio Delgado (PSB-MG).
"Se a pólvora da bomba deles [adversários na disputa pela presidência da Câmara] é dessa qualidade, será tiro de festim na água. E lamentável que oponentes meus usem desse expediente baixo tentando me desqualificar. Absurdo também que a matéria contenha acusação inexistente, quando, no citado depoimento, de nada fui acusado", escreveu o deputado do PMDB na rede social.
Também por meio do Twitter, Cunha disse que tomou conhecimento da citação de seu nome em depoimento da Lava Jato, mas, segundo ele, o policial federal suspeito de envolvimento com o esquema de corrupção não o acusa de nada. Conforme o líder do PMDB, "Careca" relatou à PF que entregou dinheiro em um condomínio da Zona Oeste do Rio supondo se tratar da residência de Cunha. O peemedebista, entretanta, afirma que o endereço mencionado por Oliveira Filho não corresponde ao local onde ele mora.

"[Careca] Fala que ouviu dizer que é o meu [endereço], mas que entregou ao proprietário do imóvel, mas que não pode afirmar que sou eu. Fui informado através de informação dada pelo adv do caso que o endereço é o situado na Rua Fala Amendoeira, condomínio Novo Leblon. Fui informado também que o adv teria peticionado esclarecendo o endereco", comentou Cunha no Twitter.
Eduardo Cunha disse ainda na rede social que foi informado que o advogado do policial federal investigado pela Lava Jato disse que irá apresentar à Justiça Federal uma petição para esclarecer o suposto equívoco na citação do endereço.
A assessoria de Eduardo Cunha divulgou nota oficial no site do líder do PMDB para comentar a suspeita de que ele recebeu propina de um assessor do doleiro Alberto Youssef. No comunicado, o parlamentar diz rechaçar com "veemência e indignação" a suspeita de que tenha envolvimento com o esquema de corrupção que tinha tentáculos na Petrobras. O peemedebista também afirma na nota que não conhece o policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho.
Veja a íntegra do comunicado divulgado pela assessoria de Eduardo Cunha:
‘Não vão me constranger com a divulgação de fatos inexistentes. Disso, tenham certeza’
‘Não devo e nada temo. O fato não existe e tampouco há acusação. Isso é única e exclusivamente uma tentativa torpe de envolver meu nome para criar constrangimento’, rebate Eduardo Cunha, desmentindo conteúdo inverídico divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo
Rechaço, com veemência e indignação, qualquer veracidade do que foi publicado na Folha de S. Paulo desta quarta-feira, 7. Não admito me designarem como suspeito, como ressalta a reportagem sobre suposto fato que simplesmente não ocorreu. Não conheço o cidadão citado pela Folha, nunca o vi na vida, bem como não conheço o patrão dele, o tal doleiro. O tal depoimento a que se refere o jornal não me acusa de nada.
Ademais, fui informado que durante o depoimento foi mencionado que ele teria entregue determinada quantia em um condomínio que, reforço, não é o em que resido. O depoente teria dito durante o depoimento que supostamente ouviu dizer que é o meu endereço, mas que entregou ao proprietário do imóvel. O mais grave: o depoente teria dito que não pode afirmar que sou eu.
O advogado que trabalha no caso a mim informou que o endereço mencionado pelo depoente é situado à rua Fala Amendoeira, localizada no condomínio Novo Leblon, na Barra da Tijuca. O meu condomínio é outro, a minha rua é outra e a distância do tal endereço citado pelo depoente para o meu é de uns três quilômetros. O mesmo advogado também informou que teria emitido petição para que se esclarecesse esse imbróglio sobre o endereço.
Simplesmente, é um verdadeiro absurdo a divulgação de forma irresponsável de um conteúdo inverídico, cujo objetivo é, obviamente, buscar me igualar a outros envolvidos no caso. Isso é, claramente, uma tentativa política de atacar a minha candidatura para criar constrangimentos que só beneficiam os contrários a mim.
No momento que defendo a Câmara independente, aparecem aqueles patrocinados não sei por quem que inventam e divulgam fatos inexistentes.
O fato a que se refere o jornal não ocorreu, ou seja, não conheço o cidadão mencionado pela Folha, não moro no endereço citado e nem ninguém me acusa de nada. Fazer manchete e página inteira sobre isso baseado numa citação “de que ouvi dizer” que o imóvel seria meu é um verdadeiro absurdo.
Não devo e nada temo. O fato não existe e tampouco há acusação. Isso é única e exclusivamente uma tentativa torpe de envolver meu nome para criar constrangimento.
Qual o motivo de vazarem dessa forma esse conteúdo falso? Qual o motivo de a mim atribuírem um conteúdo de natureza totalmente inverídica? Vamos lá, detratores, qual o motivo de vazarem dessa forma esse conteúdo falso?
Todos nós sabemos quem trabalha dessa forma com o intuito de desconstruir imagens, divulgando caluniosas e criminosas mentiras através de fatos inexistentes. Isso não se sustenta. Provo que o local citado não tem nada a ver com nenhum endereço meu, e estranho não terem procurado o tal policial. Não vão me constranger com a divulgação de fatos inexistentes. Disso, tenham certeza.
Alias, vários apoiadores de minha candidatura à Presidência da Câmara foram procurados por defensores de outra candidatura avisando que havia uma “bomba” contra mim. Se a pólvora da “bomba” deles é dessa qualidade, será tiro de festim na água. É lamentável que meus oponentes usem desse expediente baixo tentando me desqualificar. Absurdo também que a reportagem contenha acusação inexistente, quando no citado depoimento de nada fui acusado. Jamais admitirei uma tentativa política tão espúria de ataque à minha candidatura.
Ass. deputado Eduardo Cunha (RJ), líder do PMDB na Câmara Federal.
VALE ESTE - PRESOS LAVA JATO (28/11) (Foto: Arte/G1)

Diretor de jornal e três cartunistas morrem durante atentado que matou doze na França


Da Agência Lusa



O jornalista, cartunista e diretor do semanário Charlie Hebdo, Stephane Charbonnier, conhecido como Charb, e três cartunistas do jornal estão entre os 12 mortos do ataque promovido hoje (7) à sede da publicação em Paris.
O advogado do jornal confirmou à rádio France Info os nomes dos quatro profissionais da redação como estando entre os 12 mortos do ataque: Charb, Cabu, Wolinski e Tignous.
Os homens armados com um fuzil kalashnikov e um lança-foguetes, que atacaram a sede do Charlie Hebdo, no centro de Paris. Além de matarem 12 pessoas, segundo o último boletim divulgado, os homens mataram 20 feridos, quatro em muito graves.
jornaç
(Foto: Divulgação Agência Brasil)
Segundo a televisão pública France Télévision, os profissionais da redação do Charlie Hebdo estavam reunidos quando ocorreu o ataque. O jornal tornou-se conhecido em 2006 quando decidiu republicar charges do profeta Maomé, inicialmente publicados no diário dinamarquês Jyllands-Posten, o que provocou forte polêmica em vários países muçulmanos.
Em 2011, a sede do semanário foi destruída num incêndio de origem criminosa depois da publicação de um número especial sobre a vitória do partido islâmico Ennahda na Tunísia, no qual o profeta Maomé era o “redator principal”.
.

Cliente vê funcionários serem rendidos em farmácia e Guarda Municipal consegue prender dupla fugindo


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

farmacia
Bandidos invadiram a farmácia, renderam os funcionários e fugiram levando dinheiro do caixa e alguns produtos da farmácia. Foto: DB/Banda B

Dois homens foram presos por volta das 21 horas desta terça feira (6) depois de assaltarem uma farmácia no bairro Água Verde, em Curitiba. O assalto aconteceu no cruzamento das ruas Brasílio Itiberê com a rua Coronel Dulcídio. Os bandidos invadiram a farmácia, renderam os funcionários e fugiram levando  dinheiro do caixa e alguns produtos da farmácia. A dupla foi presa logo depois.
Um cliente que saia da farmácia viu o assalto, parou uma viatura da Guarda Municipal de Curitiba e avisou sobre o crime. Os guardas patrulharam o bairro e identificaram dois suspeitos correndo. “Na verdade eles estavam com um simulacro de pistola, bem parecida com uma arma de verdade, produtos da farmácia e foram reconhecidos pelas vítimas. Já foram detidos várias vezes no centro por causa de tráfico”, contou o guarda Babetto.
Os presos foram identificados apenas como Diego, conhecido como Paulista, e Walter, ambos com 19 anos, e já diversas passagens pela polícia. Eles foram encaminhados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul).

Morador de rua atira pedra contra biarticulado e fere passageira


Por Elizangela Jubanski e Bruno Henrique

biarti-dentro
Suspeito saiu correndo, a Polícia Militar (PM) foi acionada, mas ainda não foi encontrado. Foto: BH/Banda B

Uma passageira do transporte público foi ferida no rosto por estilhaços de vidro de um biarticulado que faz a linha Centenário/Campo Comprido, em Curitiba. Um morador de rua atirou uma pedra em direção ao ônibus, um dos vidros laterais quebrou e os estilhaços atingiram a passageira, de 53 anos. Ela foi encaminhada ao Hospital Evangélico com ferimentos no olho.
O biarticulado saiu do terminal Campina do Siqueira, pela canaleta, e seguia para o Centro quando, na altura da rua Bruno Fligueira, no bairro Campina do Siqueira, o motorista ouviu um barulho, que pensou ser de colisão. Ele contou aos socorristas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) que parou o coletivo e viu a passageira ferida. Ela foi socorrida, mas o estado de saúde é estável.
Havia cerca de 50 passageiros no biarticulado. Alguns confirmaram que viram um morador de rua, vestindo uma camisa verde, atirando uma pedra em direção ao biarticulado. Logo depois o suspeito saiu correndo. A Polícia Militar (PM) foi acionada e fez buscas pela região, mas ainda não tinha encontrado o homem.
Água Verde
Na av. República Argentina, na altura do Shopping Água Verde, um homem de 62 anos foi atropelado por um biarticulado da linha Pinheirinho/Rui Barbosa. Identificado apenas como Elói, o homem estava em uma bicicleta andando na canaleta, sentido Pinheirinho, quando se assustou com outro biarticulado que vinha na direção dele. O homem se desequilibrou, caiu e foi atropelado pelo biarticulado. Sem ferimentos graves, ele foi socorrido pelo Siate e encaminhado ao Hospital do Trabalhador.
.

Porteiro de condomínio em Santa Felicidade é preso com pistola que usava para ‘assustar’ ladrões


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo

psitola-porteiro
Pistola que estava com o porteiro no condomínio em Santa Felicidade. Foto: DB/Banda B
Um porteiro de um condomínio na rua Fredolin Wolf, no bairro Santa Felicidade, em Curitiba, foi preso em flagrante com uma pistola 762 na noite desta terça-feira (6). O trabalhador guardava a arma em uma gaveta, no momento em que policiais militares deixavam o condomínio, onde tinham sido acionados por outra situação familiar.
Por volta das 21 horas, a Polícia Militar (PM) foi acionada para ir a esse condomínio por causa de uma briga familiar. Após acalmar os ânimos dos envolvimentos na briga, policiais deixavam o condomínio quando viram o porteiro guardando uma pistola 762. De acordo com o tenente Rocha, o porteiro tentou esconder a arma, mas foi surpreendido por um policial. “Era uma briga de casal por disputa das guardas dos filhos e quando estávamos indo embora notamos a arma e checamos que ele não tinha documento, nem registro da pistola. Ele disse que usava a arma para ‘assustar’ alguém que quisesse invadir o condomínio”, explicou o tenente.
Ainda segundo o tenente, a pistola não estava municiada e há possibilidade de o homem não saber manusear. O porteiro, que tem 44 anos, foi preso em flagrante pela posse de uma arma de fogo e encaminhado ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac-Sul).

Primeiro transplante de rim incompatível é realizado no Brasil


Com sangue tipo O, jovem recebe órgão da mãe com tipo sanguíneo A

Cirurgia tornou-se possível já que foi filtrado o plasmaThinkstock
Pela primeira vez no Brasil, uma paciente recebeu um rim incompatível em uma cirurgia inédita, em São Paulo. A jovem, de 28 anos, que esperava pelo órgão desde 2008, foi submetida ao procedimento chamado de ABO incompatível, em que o doador e o receptor não possuem o mesmo tipo sanguíneo.  Nesse caso, a paciente, cujo tipo sanguíneo é O, recebeu o rim de sua mãe, de 63 anos, que possui o tipo A.
De acordo com a nefrologista Maria Cristina Ribeiro de Castro, do Centro de Transplante Renal do Hospital Samaritano, responsável pela operação, o tipo sanguíneo O pode doar para qualquer pessoa, mas só recebe do tipo O. Já o tipo AB recebe de qualquer pessoa; o tipo A só recebe A ou O; e o tipo B só recebe B ou O. Estatísticas apontam que de 30% a 40% dos doadores são recusados nesse primeiro teste devido a sua incompatibilidade.
Segundo a médica, a cirurgia tornou-se possível já que foi filtrado o plasma para se retirar os anticorpos que impediam a compatibilidade com o órgão. Além disso, o uso de medicamentos também contribuiu para impedir a produção dos mesmos.

Foram feitas seis sessões de filtragem antes do transplante e mais cinco nas primeiras semanas após a cirurgia, segundo Maria Cristina.
— É uma medida para deixar um nível seguro de anticorpos até que os imunossupressores possam agir e que ocorra a natural acomodação aos antígenos do doador.
Após 20 dias, a transplantada recebeu alta sem complicações e com o rim em excelente funcionamento.
Sobre o ABO incompatível
A especialista explica que o preparo do transplante ABO incompatível é semelhante ao que já é utilizado em pacientes que possuem altas taxas de anticorpos contra o sistema HLA (Antigenios Leucocitários Humanos) — responsável pela identificação dos genes. 
— Toda pessoa tem nas suas células uma série de antígenos que nos identifica. Pacientes que já fizeram outro transplante, ou passaram por transfusões ou gestações, tiveram contato com antígenos de outras pessoas e podem desenvolver anticorpos contra o sistema HLA de potenciais doadores. Essa também é uma condição que impede que o transplante seja feito se esses anticorpos não forem reduzidos.
Fonte; Portal R7

Sede de revista é atacada em Paris e deixa 11 mortos


Do UOL, em São Paulo
rro
  • Philippe Dupeyrat/AFP
    Bombeiros resgatam um homem ferido, depois que homens armados invadiram os escritórios do jornal satírico francês Charlie Hebdo, em Paris
    Bombeiros resgatam um homem ferido, depois que homens armados invadiram os escritórios do jornal satírico francês Charlie Hebdo, em Paris
Dois homens armados abriram fogo contra a sede da revista francesa "Charlie Hebdo", em Paris, nesta quarta-feira (7), matando 11 pessoas. O número de vítimas foi confirmado em entrevista pelo presidente François Hollande, que já está no local.
Não há informações sobre quem seriam os atiradores e o que os motivou, mas a revista semanal já publicou ilustrações satíricas sobre líderes muçulmanos e foi ameaçada por divulgar caricaturas de Maomé há três anos, tendo inclusive sua sede incendiada na época.
"Um ataque foi cometido contra um jornal, contra jornalistas que sempre quiseram mostrar que podiam agir, na França, para defender suas ideias. Havia policiais para protegê-los. Eles foram mortos covardemente. Onze pessoas estão mortas, quatro em situação de urgência absoluta. Há 40 pessoas que estão protegidas e salvas", declarou Hollande. 
O presidente Hollande afirmou que o ataque à revista foi "terrorismo". "A França está em choque por um atentado terrorista porque foi isso que aconteceu", afirmou o presidente.
Os dois atiradores estavam encapuzados e usavam fuzis quando invadiram o prédio da "Charlie Hebdo", que fica no 11º distrito da capital francesa, por volta de 11h30 no horário local (8h30 em Brasília). Na fuga, eles trocaram tiros com policiais em carros que chegavam ao local, segundo testemunhas.
Vincent Justin, jornalista que trabalha em um edifício próximo à sede da revista, afirmou que as duas pessoas entraram na redação do semanário e começaram a atirar. De acordo com ele, os atiradores gritavam a frase "vamos vingar o profeta".
No Twitter, há vários exemplos de ilustrações já publicadas pela revista. A última mensagem da publicação na rede social foi uma charge do líder do grupo Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi.
A França acaba de elevar para o nível mais alto o status de segurança em Paris. (Com agências internacionais)