"Corre atrás dele, faz alguma coisa", disse surfista ao tio, após ser baleado


Em relato, parente de Ricardo dos Santos explica que chegou a socorrer o 
sobrinho depois dos disparos e que suspeito teria atirado pelas costas do atleta

Por São José, SC
Mauro da Silva, tio do surfista Ricardo dos Santos (Foto: Renan Koerich)Tio comenta últimas palavras do surfista antes do atendimento (Foto: Renan Koerich)
"Corre atrás dele, anota a placa, faz alguma coisa", disse Ricardinho, surfista, estirado ao chão em frente a sua casa na Guarda do Embaú, na Grande Florianópolis. Ricardo dos Santos havia acabado de ser baleado e berrava para o seu tio, Mauro da Silva, que também estava no local.
Os momentos seguintes aos três tiros, como relata o tio do surfista, foram de apreensão. As últimas palavras de Ricardinho foram ditas antes do socorro do Corpo de Bombeiros chegar para o atendimento. Na sequência, Mauro teria corrido em direção ao carro dos suspeitos e conseguido anotar a placa.
- Uma situação surreal. O cara sacou a arma e atirou. Não teve de fato uma discussão para  atirar. Só pedimos para os "caras" saírem, o Ricardo olhou e falou duas coisas e saímos. Ele (suspeito) estava alterado, não conseguia falar muito. "A gente já vai sair, já vamos”, disse o irmão dele. O Ricardinho nem olhou para o "cara", ele atirou pelas costas, sem motivo algum – conta Mauro da Silva.
Segundo explica o tio, que também prestou depoimento para a Polícia, a situação teria ocorrido por volta das 8h40 da manhã desta segunda-feira. Mauro iria auxiliar em uma obra na casa do surfista. Juntamente com o jovem atleta, estaria o avô, Nicolau, para realizar a construção de encanamento residencial. Ao chegar no local, o tio se deparou com a cena em sua frente. 
Carro dos suspeitos de atirarem contra o surfista Ricardo dos Santos (Foto: Renan Koerich)Carro dos suspeitos está apreendido no pátio da PM (Foto: Renan Koerich)
- O carro estava parado próximo da casa, e eles iam fazer uma parte do encanamento. Um Citroën C4 parou perto dos canos. Nisso passou o avô do Ricardo, seu Nicolau, e o cara falou uma gracinha. Aí o Ricardinho foi tirar satisfação, perguntando o que que tinha acontecido. Eu tinha acabado de chegar e escutei o Ricardo falar: “Saí daí cara, aqui não é lugar para isso, vamos fazer obra aqui”. O Ricardinho virou as costas e saiu, a situação já estava amenizada. Só que ele (suspeito) parecia embriagado, eram dois. O mais novo estava atrás do carro, acho que urinando. Eu fiquei um pouco para trás, e o Ricardo e o avô dele estavam pegando as ferramentas para começar a obra, uma enxada, essas coisas. Quando eu vi, o cara atirou – relata Mauro da Silva.

De acordo com informações do delegado da Comarca de Palhoça, Marcelo Arruda, responsável pelo caso, o irmão do policial suspeito de alvejar o surfista declarou que os tiros foram efetuados por legítima defesa. O PM, no entanto, ainda não prestou depoimento oficial. Segundo a assessoria de imprensa da corporação, ele irá permanecer preso em quartel da Polícia Militar em Florianópolis, a fim de facilitar maiores esclarecimentos sobre os fatos. 

- São duas versões conflitantes. Uma parte diz que seria legitima defesa, a outra diz que os disparos foram injustificados, que não houve nenhuma agressão que motivasse esses disparos - disse o delegado. 

Até as 18h desta segunda, o hospital não havia divulgado o boletim oficial sobre o caso de Ricardinho. As informações, segundo explica o pai da namorada do surfista, Voleny Esser, são colhidas com a mãe, Luciane Dalcema dos Santos, e também com a companheira, Karoline Esser, que estão acompanhando de perto os procedimentos.
O tio acompanha, juntamente com outros familiares e amigos, a situação em frente ao hospital Regional de São José, cidade vizinha a Florianópolis. O estado de saúde do surfista Ricardo dos Santos é considerado gravíssimo, segundo informação de familiares. Baleado na manhã desta segunda-feira, em frente à casa onde mora, na Guarda do Embaú, Grande Florianópolis, o atleta passou por duas cirurgias. Até o momento, ele segue internado, acompanhado pelos médicos do hospital Regional de São José. Ainda de acordo com familiares, que estão em frente ao setor de emergência do hospital, o surfista teve as hemorragias controladas pela junta médica no começo da tarde, por volta das 13h30. Entretanto, a situação é tida como muito grave diante dos três tiros que recebeu. 
Ricardo dos Santos (Foto: Henrique Pinguim)Ricardinho levou três tiros em frente a sua casa na Guarda do Embaú (Foto: Henrique Pinguim)

Ministro diz que corte de energia não tem relação com alta no consumo


Segundo Braga, falta de luz ocorreu após falha em linha de transmissão.
Pelo menos 11 estados, além do DF, ficaram sem luz nesta segunda (19).

Fábio AmatoDo G1, em Brasília
Cartaz informa que a circulação nos trens da Linha 4 Amarela em São Paulo foi interrompida pela falta de energia (Foto: Fernando Zamora/Futura Press/Estadão Conteúdo)Cartaz informa que a circulação nos trens da Linha 4 Amarela em São Paulo foi interrompida pela falta de energia (Foto: Fernando Zamora/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Onze estados mais o Distrito Federal registraram falta de energia elétrica por volta das 15h desta segunda-feria (19). Distribuidoras em estados das regiões Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste disseram que reduziram o fornecimento de luz após uma orientação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o órgão responsável pela gestão de energia no país. Uma das distribuidoras, a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), afirmou em nota que o corte foi programado, por determinação do ONS.

Esse pico de consumo aconteceu na semana passada todos os dias e não tivemos nenhum problema"
O ONS divulgou posicionamento oficial às 18h40. Em comunicado, o órgão afirma ter havido "restrições na transferência de energia das Regiões Norte e Nordeste para o Sudeste" que "aliadas à elevação da demanda no horário de pico, provocaram a redução na frequência elétrica". A situação foi normalizada a partir das 15h45, diz o ONS.

O órgão também disse que adotou "medidas operativas em conjunto com os agentes distribuidores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, impactando menos de 5% da carga do Sistema".

TV Globo apurou que o corte determinado pelo ONS foi de 3.000 MW em todo o país - isso representa 8% de tudo que é gerado de energia.
Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia
Na noite desta segunda, porém, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, negou que o corte de energia tenha sido consequência do pico de consumo de eletricidade no país registrado no início da tarde. Segundo ele, um problema técnico em uma linha de transmissão entre as regiões Norte e Sudeste do país foi a causa do corte.
“O pico de consumo houve. No entanto, se não tivesse havido esse problema técnico [na linha de transmissão], não teria tido [corte de energia]. Esse pico de consumo aconteceu na semana passada todos os dias e não tivemos nenhum problema”, disse Braga a jornalistas, ao deixar a sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília.
“No determinado momento do pico de demanda na região Sudeste, a linha de transmissão Norte-Sul teve um problema. Houve, portanto, uma variação de frequência e algumas usinas, por sistema de proteção, tiveram que ser desligadas, inclusive Angra I”, completou o ministro.

Braga informou que a causa do problema ainda não está esclarecida. De acordo com ele, a falha foi em um banco de capacitores da linha Norte-Sul mas, disse, falta explicar como ela levou a uma variação de frequência da energia e, consequentemente, ao desligamento das usinas, inclusive de maneira manual.
apagão 4 (Foto: Editoria de Arte/G1)apagão 4 (Foto: Editoria de Arte/G1)
“Isso [falha no banco de capacitores] implicou em uma redução de carga para que pudéssemos recompor a frequência da energia e, assim, fazer o religamento.” Amanhã, no Rio, uma reunião envolvendo técnicos do ministério, do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e agentes do setor vai tratar das causas do corte de energia.

Na quinta-feira passada, Braga disse em entrevista à Globonews que não há risco de racionamento de energia em 2015. “O que nós podemos garantir é: não há racionamento", disse.

“Nós temos uma térmica básica suficientemente forte, e nós não tínhamos isso em 2001”, comparou na entrevista.

Momento crítico
O sistema elétrico brasileiro enfrenta um momento crítico por conta da falta de chuvas. Na região Sudeste, uma das maiores responsáveis pela geração de energia no país, os reservatórios das usinas hidrelétricas estão com 19% de sua capacidade, quando o esperadoera no mínimo de 40%.

Para o especialista em energia Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), o que aconteceu pode ser classificado como racionamento forçado por geração insuficiente ou estrutura de transmissão insuficiente para atender a demanda (leia a entrevista).

A usina nuclear de Angra 1 também foi desligada. A ação é automática e acontece toda vez que há oscilação de energia na área da usina. O desligamento não ofereceu riscos, segundo comunicado da gestora da usina.

Mulher é arrastada de casa na frente dos filhos, espancada e executada em Curitiba


Por Luiz Henrique de Oliveira e Juliano Cunha


pm
No local do crime (Foto: Juliano Cunha – Banda B)
Uma mulher de 28 anos foi espancada e depois executada com dois tiros no início da tarde desta segunda-feira (19), no bairro Caximba, em Curitiba. A suspeita da polícia é de que se trata de um crime passional. A vítima foi levada da casa em que morava na frente dos quatro filhos.
“Foi retirada dentro de casa pelo assassino. Apanhou e levou os tiros, em um matagal a 200 metros da casa em que morava”, disse à Banda Bo delegado Jaime da Luz, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que identificou a vítima como Loana Silva de Paula, de 28 anos.
A suspeita é de que o caso trata-se de um crime passional. Apesar disso, os policiais não quiseram dar detalhes sobre quem seria o suspeito.

Vida ‘susse’ da Aranha Marrom, ‘vilã curitibana’, está por um fio; pesquisador explica o motivo


Por Luiz Henrique de Oliveira e Elizangela Jubanski


Aquela que é há muitos anos conhecida como a grande ‘vilã’ de Curitiba, a Aranha Marrom, nem sabe ainda, mas pode estar com a sua vida ‘susse’ dentro de residências por um fio. Em entrevista à Banda B, na manhã desta segunda-feira (19), o químico Francisco de Assis Marques, do Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR), afirmou que questões tecnológicas precisam ser resolvidas para o ‘herói’ ser colocado em circulação. Não se trata de nenhum homem musculoso ou nerd estudioso, mas de uma pequena cápsula no formato de uma bala jujuba.
“Nós já temos os compostos, que são os mesmos utilizados para matar mosquitos como o da dengue, o que nos falta é transformar isso em uma cápsula que pegue este inimigo ‘invisível’, que diferente de um mosquito fica escondido e se movimenta silenciosamente”, explicou Marques, responsável pela pesquisa, que acontece desde 2004 e em breve poderá estar disponível nos mercados para venda aos consumidores.
O pesquisador, que também tem apoio do biólogo Eduardo Novaes Ramires, da UTFPR e Faculdade Espírita, não soube precisar quando o estudo estará finalizado, mas será inédito. “Conseguimos os compostos com produtos naturais, um deles de um famoso perfume, o que falta é encontrar a dosagem para que a aranha o absorva e morra gradualmente”, concluiu.
aranha-marrom-101213-bandab
(Foto: Divulgação SMCS)
Com a chegada do calor é preciso ficar atento às aranhas marrons. Examinar roupas de cama e banho, sofás, travesseiros, almofadas e calçados antes de usá-los é um hábito que deve ser retomado. A medida é essencial para prevenir acidentes com a aranha marrom, que já vitimou 619 pessoas em Curitiba neste ano.
Segundo a bióloga Claudia Staudacher, do Centro de Zoonoses, as aranhas marrons costumam se esconder em locais como rodapés, atrás de armários e quadros e em meio a papéis, e deixam os esconderijos quando está mais quente. “Além da limpeza, a organização da casa é importante para evitar a presença da aranha marrom. É preciso evitar guardar as coisas em caixas de papelão e guardar entulhos. Também é bom passar aspirador de pó em rodapés e manter a casa arejada”, orienta.
A picada da aranha causa dor, queimação e inchaço, num período entre seis e 12 horas. Quem apresentar esses sinais deve procurar a unidade de saúde mais próxima o mais rápido possível. As 109 unidades básicas estão preparadas para atender casos assim, com medicamentos (corticóides) e acompanhamento ambulatorial. Os casos mais graves – com lesão mais extensa – são encaminhados para as Unidades de Pronto Atendimento 24 horas (UPAs), para aplicação de soro e observação clínica do paciente.

Empreiteiras investigadas doaram R$ 484,4 milhões a partidos


gleisi -2-
Os principais grupos empresariais do país, citados em investigações da Operação Lava-Jato, doaram, juntos, pelo menos R$ 484,4 milhões a políticos – a paranaense Gleisi Hoffmann (PT) aparace na lista – e partidos nas eleições do ano passado. Odebrecht, OAS, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, UTC, Camargo Corrêa, Galvão, Engevix, Mendes Junior e Toyo Setal fizeram depósitos polpudos na conta de políticos e direções partidárias por meio de suas subsidiárias, empresas cujas ações são controladas pela matriz principal do grupo. No caso de Odebrecht e Queiroz Galvão, o cálculo também levou em conta quantias repassadas por empresas cujos grupos têm participação de 30% a 54% nas controladas. As informações são d’O Globo.
Esse formato de doação diluída entre vários braços de uma empresa — previsto em lei e detalhado na prestação de contas feita ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) — dificulta o rastreamento do montante total que o grupo doou na campanha. É comum, por exemplo, que o nome de empresas controladas não tenha nenhuma relação com o da holding — caso da Braskem ou da Usina Eldorado, subsidiárias da Odebrecht, da HM Engenharia e Construções, do grupo Camargo Corrêa, ou da Cosima, que pertence ao grupo Queiroz Galvão.
Ainda que os negócios das empresas de um mesmo grupo possam atuar em esferas totalmente diferentes, com interesses difusos — a Odebrecht, por exemplo, citada pelo Ministério Público Federal como uma das participantes do cartel que fraudava licitações da Petrobras, tem empresas de construção e de produção de etanol —, os maiores grupos do país possuem certa unidade gerencial.
— Há casos em que as unidades de negócio têm autonomia suficiente para decidir (para quem doar). Mas a maior parte das empresas (investigadas) são empresas com características de certa unidade gerencial, então é possível sugerir que a holding estava absolutamente ciente do que estava sendo doado por cada uma das subsidiárias. Algumas são empresas onde existe um controle familiar, isso sugere que de fato havia algum grau de programação entre o que acontecia na holding e nas diversas subsidiárias — explica Paulo Furquim, professor de economia e negócios do Insper e ex-conselheiro do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
Para Sérgio Lazzarini, professor de administração e negócios do Insper, o mecanismo de doação das empresas brasileiras ajuda a desvincular dos grupos os altos valores doados. É uma forma, segundo ele, de desviar o foco das empresas:
— Doar por subsidiárias ajuda a deixar as doações menos “escancaradas”, sem conexão direta ao grupo. Pode ser também uma forma de captar recursos internos vindos de negócios múltiplos. Por exemplo, múltiplos negócios do grupo podem estar interessados nos benefícios trazidos por conexões (com) políticos. Assim, cada negócio pode contribuir para doações que reforcem o grupo como um todo.
Citados em depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, pelo menos 16 dos 28 políticos que teriam sido delatados por Costa, segundo o jornal “O Estado de São Paulo”, receberam dinheiro das empreiteiras investigadas pela Lava-Jato. Quem encabeça a lista é o senador Delcídio Amaral (PT-MS), derrotado na disputa ao governo do Mato Grosso do Sul, que recebeu R$ 9,7 milhões dos grupos Engevix, OAS, UTC e Queiroz Galvão. O senador foi responsável pela indicação do ex-diretor da área Internacional da estatal, Nestor Cerveró, preso na última quarta-feira. Henrique Eduardo Alves (PMDB-AL), presidente da Câmara, também derrotado na disputa pelo governo de Alagoas, recebeu R$ 9 milhões dos grupos Galvão, OAS, Odebrecht e Queiroz Galvão. Lindbergh Farias (PT-RJ), que acabou em terceiro no páreo fluminense, recebeu R$ 2,8 milhões de OAS, Queiroz Galvão e UTC. Outros candidatos que receberam altas quantias foram Gleisi Hoffmann (PT-PR), de R$ 1,8 milhão, Benedito de Lira (PP-AL), R$ 1,7 milhão, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), R$ 1,4 milhão, e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB-PE), R$ 1,1 milhão.
Paulo Furquim explica que as subsidiárias podem ter interesses independentes das holdings, o que influenciaria o destino das doações feitas por elas. Mas que as doações “ilegítimas”, feitas já com algum tipo de acordo para receber um benefício em troca, costumam interessar mais ao grupo e menos às subsidiárias.
— Quanto mais “ilegítima” (a doação), mais tende a ser interesse do grupo e menos das unidades separadas. As unidades têm interesses econômicos diferentes, mas a relação do grupo é uma relação com o político, um favorecimento num nível mais generalizado, às vezes em coisas que vão acontecer na legislatura e que nem são possíveis de antecipar. O financiamento mais preocupante é o do grupo principal, da holding. Até porque ela é dona de interesses tão variados abaixo dela que é difícil ter uma plataforma que se alinhe com algum governante específico.
Maior doador das eleições de 2014, só o grupo Odebrecht, por meio da holding e de várias controladas, doou pelo menos R$ 113 milhões. O grupo OAS desembolsou ao menos R$ 99,7 milhões; o Andrade Gutierrez, R$ 97 milhões; o Queiroz Galvão, R$ 74,3 milhões; o UTC, R$ 52,7 milhões; o grupo Camargo Corrêa, R$ 19,8 milhões; o grupo Galvão, R$ 14,6 milhões; oEngevix, R$ 10 milhões; o Toyo Setal, R$ 2,4 milhões, e o Mendes Junior repassou R$ 200 mil a políticos e partidos.
Levando em conta as doações a políticos que concorreram às eleições do ano passado, a soma dos partidos que mais receberam dinheiro desses grupos foram PT (R$ 123,5 milhões), PSDB (R$ 63,7 milhões), PMDB (R$ 58,6 milhões), PSB (R$ 29,8 milhões) e DEM (R$ 18,2 milhões).
Para Furquim, o financiamento de campanhas eleitorais feito por empresas deveria ser proibido, já que é orquestrado por pessoas físicas dentro de uma organização estruturada. Ex-conselheiro do Cade, ele afirma que a possibilidade de essas empresas firmarem acordos de leniência com a Justiça no âmbito da Lava-Jato é “praticamente zero”:
— As empresas não fazem parte do processo político, que é um processo de pessoas. Quem tem interesse são os participantes da empresa, funcionários e acionistas. O problema da pessoa jurídica é que ela é um conjunto muito grande de pessoas. É uma coordenação hierárquica, indesejável no sistema político.
— O histórico dessas empresas de construção é de não firmar esses acordos de leniência, nenhum foi feito até agora no âmbito do Cade. Nesse caso (da Operação Lava-Jato), a probabilidade é quase zero — completa.

Procura-se Rose ex secretária da Presidencia da Republica na era LULA


rose - noro
do Claudio Humberto:
Como pode a sonda Beagle2, desaparecida há 13 anos, ter sido encontrada em Marte, e ninguém ainda ter encontrado Rosemary Noronha? A amiga muito íntima de Lula é acusada de corrupção e tráfico de influência quando trabalhou na Presidência da República.

Assaltante foge de táxi, não dá ouvidos a PM e é baleado em esquina movimentada


Por Elizangela Jubanski e Danaê Bubalo




Um assaltante que fugiu em um táxi após roubar uma lanchonete na Rodoviária foi baleado por um policial militar na manhã desta segunda-feira (19), no bairro Prado Velho, em Curitiba. Antônio Marcos de Macedo Davino Gonçalves, 32 anos, estava armado com uma faca, reagiu à abordagem e levou um tiro na perna. Ele passa bem e foi encaminhado ao Hospital Cajuru.
O confronto aconteceu na rua Brasílio Itiberê com a rua Embaixador Hipólito de Araújo. Um capitão da Polícia Militar, que comandava uma operação contra assaltos na Rodoviária, recebeu a informação de que uma lanchonete teria sido alvo de um criminoso.
De acordo com as vítimas, o bandido fugiu em um táxi e estava com uma camiseta vermelha. “O policial seguiu em patrulhamento pelo local de fuga, que foi indicado, e o encontrou próximo a entrada da Vila Torres, saindo do táxi”, disse o sargento Nicácio à Banda B.
O policial deu voz de abordagem, o suspeito o ameaçou com uma faca e saiu correndo, cruzando o Rio Belém, que divide o Viaduto Colorado. Para detê-lo, o capitão efetuou um disparo de arma de fogo em direção as pernas do suspeito. Um tiro atingiu as duas pernas e Gonçalves foi socorrido ao Hospital Cajuru, sem risco de morrer. No bolso, policiais encontraram, além da faca, R$ 110 levados da lanchonete.
.

Assassinos invadem casa para matar adolescente no Uberaba; jovem é executado na CIC


Por Luiz Henrique de Oliveira e Danaê Bubalo


Dois casos de assassinato durante a madrugada desta segunda-feira (19) e um na noite de ontem (18) foram atendidos pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) em Curitiba. Um crime foi no bairro Uberaba, outro na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e o terceiro no bairro Novo Mundo.
Uberaba
No Uberaba, homens armados invadiram uma residência para matar Joel Moreira Santos da Silva, de 17 anos. Ele morava há sete meses nesta casa, que é do tio de sua namorada. No momento do crime, na Rua Fernanda Antônio Alberti, estavam no local a vítima, a namorada, o irmão dela, o tio – proprietário do local – e a mãe dele.
Segundo o investigador Magalhães, da DHPP, os atiradores chegaram em três e, de cara limpa, executaram Joel. As outras pessoas foram poupadas. Ainda de acordo com o investigador, a vítima foi baleada no último dia 28 de outubro e acabou sobrevivendo na ocasião, mas desta vez não teve a mesma forte.
CIC
Na CIC, também de madrugada, Alisson de Alencar Pereira, de 19 anos, foi assassinado e Rogério Pinto de Lara, de 19, ficou gravemente ferido. Os dois levaram vários tiros na Rua José Laurindo Souza, no Victória Régia.
Segundo Magalhães, moradores ouviram tiros e pediram socorro. O que chama a atenção é que Pereira não tem passagens pela polícia, o que torna a motivação do caso um mistério.
Lara, que também tem ficha limpa, está internado no Hospital do Trabalhador (HT) com risco de morte.
Novo Mundo
Já na noite de ontem, Antônio Carlos de Castro, de 46 anos, foi executado com dois tiros na costa na Rua Queirolo Russo, no bairro Novo Mundo. A vítima foi encontrada caída no meio da rua e ninguém soube passar detalhes sobre o autor. Assim como no caso anterior, Castro não tinha ficha criminal.
.

Paraná apresenta lista de projetos e obras para ministro das Cidades


Publicado em 16/01/2015 19:00

Governo do Estado apresenta projetos para o Ministério das Cidades.Curitiba, 16/01/2015.Foto: Orlando Kissner/ANPr
O Governo do Estado apresentou ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab, uma lista de projetos de infraestrutura, nas áreas de saneamento, habitação, desenvolvimento urbano e mobilidade, em reunião nesta sexta-feira (16). O Paraná busca recursos para execução das obras.

Entre os projetos apresentados estão a construção de praças multiuso nos municípios, novos terminais para o transporte coletivo em Curitiba e Região Metropolitana, aumento da rede de coleta e tratamento de esgoto, construção de casas populares e o Trem Pé Vermelho, que fará a ligação ferroviária entre Londrina e Maringá.

“O ministro, que também já foi prefeito, conhece a realidade das cidades e sabe da importância desses projetos; tenho certeza de que trabalhará em parceria com o Estado”, afirmou o governador Beto Richa. “Venho em nome da presidente Dilma formalizar a intenção de fazer parcerias para que possamos corresponder às expectativas de todos os paranaenses e de todos os brasileiros”, destacou Kassab.

Também participaram da reunião a vice-governadora Cida Borghetti, o secretário da Casa Civil, Eduardo Sciarra, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche, o presidente da Cohapar, Nelson Justus, o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, o diretor-geral do Detran, Marcos Traad, o secretário de Planejamento, Silvio Barros, e o presidente da Comec, Omar Akel. O ministro Kassab trouxe sua diretoria técnica e executiva.

PROJETOS - Na área de saneamento, o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche, ressaltou a necessidade de se continuar investindo em obras que levam tratamento e coleta de esgoto aos paranaenses. “A Sanepar tem inúmeros projetos e hoje apresentamos um pleito de projetos já assegurados para levar maior qualidade aos municípios tanto no tratamento de água e esgoto”, disse.

O recurso que será investido é de R$ 1,6 bilhões reais, e vai atingir 18 municípios do Estado (Rolândia, Londrina, Mandaguari, Cianorte, Campo Mourão, Ortigueira, Curiuva, Curitiba, Ivaiporã, Ibaiti, Wenceslau Braz, Cândido de Abreu, Ponta Grossa, Laranjeiras do Sul, Irati, União da Vitoria, Pontal do Paraná e Guaratuba). Ao todo serão investidos R$900 milhões no tratamento de água e R$760 milhões em saneamento.

O secretário nacional de Saneamento Ambiental, Paulo Ferreira, destacou que hoje há no Ministério 285 empreendimentos apresentados pelo Paraná, sendo que 90 já estão concluídos e 195 em execução . Ele ainda elogiou a participação do Estado do Paraná na apresentação dos programas. “O Estado do Paraná tem apresentado muitos projetos, mas principalmente eles possuem qualidade e são muito bem elaborados pela Companhia”.

O secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, apresentou aos técnicos e ao ministro o projeto do Trem Pé Vermelho. O plano é construir uma ferrovia ligando o município de Londrina a Maringá. Para o secretário, o projeto é uma boa iniciativa e foi bem recebido. “A equipe do Ministério já tinha conhecimento do projeto, e o elogiou bastante, pois é um movimento muito importante para o Paraná, que visa ligar duas cidades-polos que contribuem de maneira significativa para o desenvolvimento do Estado”, disse.

Para a melhor execução, o projeto foi dividido em duas partes que estão sendo desenvolvidas uma em Londrina e outra em Maringá, para depois serem unidas. O total de investimento da União é de R$ 10 milhões e o projeto foi selecionado e aprovado pelo Ministério das Cidades em junho de 2014, e recebe agora o estudo ambiental por parte do Estado, no valor de R$ 350 mil.

A área da Habitação também fui muito elogiada pela secretária Nacional da Habitação, Inês Magalhães, que ressaltou a qualidade e agilidade de apresentação dos projetos realizados pela Cohapar. A programação apresentada pelo diretor-presidente da Companhia, Nelson Justus, demonstra a necessidade de investimento no valor de R$ 1,9 bilhões para a execução de 52 mil unidades.

De acordo com ele, o grande destaque para a área da habitação paranaense é a forte demanda da construção de casas rurais. “O projeto de habitação rural foi pioneiro no Paraná e constantemente vem sendo reconhecido nacionalmente, e queremos iniciar uma nova fase do projeto com a construção de mais casas nesta modalidade”.

Em todo o Estado, a Companhia de Habitação do Paraná executa mais de 400 projetos nos 399 municípios. A intenção é que mais 6 mil casas rurais sejam construídas nos próximos anos.

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Ratinho Junior, pediu a ajuda do Ministério das Cidades para a capacitação técnica dos municípios para a realização dos Planos Diretores, além de apresentar propostas nas áreas de incentivo ao uso da bicicleta e também a construção de praças multiusos nos municípios.

O secretário Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana, Dario Lopes, reforçou que a pasta está aberta para ajudar o desenvolvimento dos pequenos municípios do Paraná. Ele destacou que serão ofertadas capacitações constantes e oferecido apoio técnico para que os planos de desenvolvimento das cidades sejam executados da melhor maneira possível.

A coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) apresentou projetos que visam melhorar o deslocamento das pessoas interligando os municípios da Região Metropolitana com maior fluxo de pessoas para o trabalho e estudos e por consolidar os corredores de transporte radiais, relacionando a malha urbana de Curitiba com a dos núcleos urbanos metropolitanos periféricos do norte, leste e sul.

A principal iniciativa é assegurar recursos para a implantação de linhas troncais exclusivas, integrando o sistema de transporte através do sistema de BRT (transporte rápido) ao atual sistema de transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana, implantar terminais já projetados, requalificar alguns projetos de terminais com reforma e ampliação, e a construção de pontos de ônibus cobertos nas linhas metropolitanas.

Outra demanda apresentada pelo Paraná foi a maior participação dos Detrans nas decisões de investimentos. O diretor-geral do Detran, Marcos Traad, defendeu que é preciso que os órgãos tenham maior participação nas decisões tomadas pelo Conselho de Trâsito. Outro item defendido foi a distribuição igualitária do Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito, órgão nacional que recolhe 5% das multas do país para serem investidos por meio do Ministério das Cidades para a sinalização municipal.

Ao final da reunião, o secretário-executivo Elton Santa Fé Zacarias, destacou a alta produtividade da reunião com os secretários e com o governador Beto Richa. “Todos os secretários mostraram uma boa gestão e organização dos projetos e agora vamos à etapa de análise e escolha dos projetos para que o Ministério os ajude a executar por meio da liberação de recursos”.

 
PROJETOS APRESENTADOS AO MINISTÉRIO DAS CIDADES

Trem Pé Vermelho - Ligação ferroviária entre Londrina e Maringá para desenvolver econômica e socialmente a região Norte do Estado. R$ 10 milhões

Mobilidade da Região Metropolitana de Curitiba - Interligação de corredores de transporte radiais com malhas urbanas periféricas, melhoria da mobilidade por transporte público metropolitano, reforma e ampliação de terminais rodoviários e construção de pontos de ônibus cobertos nas linhas metropolitanas.

Saneamento - Implantação de redes de coleta e tratamento de esgoto em 18 municípios. R$ 760 milhões.
Ampliação da rede de abastecimento de água - Ampliação dos reservatórios e redes de distribuição de água. R$ 900 milhões

Casas populares - Construção de mais 52.000 unidades habitacionais e 6 mil casas rurais. R$ 1,9 bilhão 

Praças multiuso -  Construção de praças com local de atividades físicas e centros comunitários, estimulando o convívio social e o lazer. R$ 395 milhões 

Programa Ciclovias Paraná - Contempla 367 municípios do Estado. Projeto para institucionalizar o modal cicloviário como opção efetiva de transporte e mobilidade urbana para atendimento das demandas de deslocamento no espaço urbano, em condições de segurança e conforto aos cidadãos. R$ 279,5 milhões 

Programa Calçadas Paraná - Adequação da cidade para a promoção do convívio e da circulação das pessoas com segurança. R$ 279,5 milhões

Revisão dos Planos Diretores Municipais - Contratação de serviços técnicos de consultoria para revisão de Plano Diretor Municipal para 180 cidades. R$ 18 milhões

Novas regras para primeira habilitação entram em vigor em março


Publicado em 16/01/2015 17:10

Novas regras na Primeira Habilitação entram em vigor em março.Foto: Detran-PR
Os 800 Centros de Formação de Condutores (CFCs) com cadastro ativo no Departamento de Trânsito do Paraná (Detran) têm mais 45 dias para se adequarem às mudanças na carga horária dos cursos de habilitação previstas na resolução 493/2014 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Em 2014, o Departamento prorrogou a entrada em vigor da nova carga horária por 90 dias para que a aplicação das mudanças estabelecidas na legislação fosse feita de forma correta. Assim, a partir de 1º de março entra em vigor a portaria 635/2014 do Detran, publicada no último dia 9 de dezembro, que exige o cumprimento dos requisitos para processos iniciados desta data em diante.

“Estendemos o prazo era curto para que as autoescolas tivessem condições de atender às demandas de alunos e se adequassem aos novos procedimentos e agendas. A mudança na carga horária é necessária para tornar ainda melhor a formação dos novos motoristas e fundamental para um trânsito seguro”, ressalta o diretor-geral do Detran, Marcos Traad.

A nova resolução do Contran estabelece nova carga horária mínima para a categoria B (carros e veículos comerciais leves) e a realização de aulas no período da noite. A alteração também se refere ao uso de simuladores, que é opcional, nas aulas de candidatos à habilitação na categoria “B”.

CARGA HORÁRIA – As alterações não atingem os candidatos à obtenção da Autorização de Circulação e Ciclomotor (ACC) e categoria “A”, para a qual se mantém fazer, no mínimo, 20 horas de aulas práticas para o exame de direção.

Na categoria B, para dirigir automóveis, as atuais 20 horas serão acrescidas de mais cinco horas/aula, havendo a obrigatoriedade de 5 delas serem feitas no período noturno. 

Ação da Polícia reduz criminalidade no Litoral do Paraná


Publicado em 16/01/2015 20:20
Governador Beto Richa compareceu em Matinhos, litoral do Paraná, para apresentação do balanço da Operação Verão/15. Presentes: secretário de Segurança Francisco Francischini, da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, presidente do IAP, Tarcisio Mossato Pinto, prefeito de Matinhos, Eduardo Dalmora, coordenador da Operação Verão, pela Polícia Civil, delegado Luiz Alberto Cartaxo, coordenador pela Polícia MIlitar, major Nivaldo, entre outras autoridades.Matinhos, 16-01-15.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.
O governador Beto Richa e o secretário da Segurança Pública e Administração Peniteciária, Fernando Francischini, anunciaram nesta sexta-feira (16), em Matinhos, os resultados obtidos pelas polícias Militar, Civil e Científica desde o início da Operação Verão, em 18 de dezembro. Na área da Segurança Pública, houve queda de 12% nos casos de furtos e roubos e aumento de 57% no número de prisões.

Richa parabenizou os policiais pelos resultados positivos e a qualidade do trabalho realizado. “A qualidade dos serviços ofertados têm atraído cada vez mais turistas ao Paraná, movimentando a economia e gerando emprego e renda”, disse.

O governador reforçou que este governo respeita o Litoral paranaense, que agora recebe atenção durante todo o ano e não apenas durante a temporada. “Sabemos que é preciso continuar este trabalho para garantir a qualidade de vida da população, mesmo com o número recorde de visitantes nesta temporada”, destacou.

Outro fator mencionado por Richa foi a parceria com os municípios. “Temos uma grande parceria com os prefeitos da região, o que resultou em investimentos em saneamento e infraestrutura”, completou.

O secretário da Segurança Pública destacou a melhoria da qualidade das abordagens policiais. “Com os avanços nesse trabalho direto junto à população houve redução do número furtos e roubos e aumento no número de prisões. O nosso objetivo é garantir a tranquilidade e a segurança de todos no nosso Litoral”, disse, Francischini.

Iniciada em 18 de dezembro, a Operação Verão reúne uma série de ações do governo estadual nas áreas de segurança, saúde, meio ambiente, energia, saneamento e turismo para apoiar os municípios do Litoral e da Costa Oeste e atender moradores e veranistas.

NÚMEROS – Desde o início da Operação Verão, a Polícia Militar realizou 19.265 abordagens nos municípios litorâneos, um aumento de 84,7% na comparação com o mesmo período da temporada passada, quando foram feitas 10.426 abordagens. O número de prisões cresceu 57% - foram registradas 188 desde 18 de dezembro, contra 120 no mesmo período da temporada 2013/2014.

Aconteceram três homicídios, todos relacionados ao tráfico de drogas. Os casos de furtos e roubos caíram 12,9% (354 registros nesta temporada, contra 308 casos no mesmo período da operação verão anterior). Houve apreensão de 15 armas de fogo, aumento de 36,3%, frente às 11 apreensões. A recuperação de veículos cresceu 112,5% (17 agora e 8 no verão passado).

A Polícia Ambiental prendeu cinco pessoas e emitiu 39 termos circunstanciados.

Foram registradas mais de 328 autuações por perturbação do sossego e da tranquilidade – aumento de 22% na comparação com a temporada passada –com a apreensão de 123 equipamentos de som e 1.750 notificações de trânsito. Foram detidos 140 veículos e feitos 192 teste de bafômetro, com 24 prisões em flagrante.

Para esta temporada, o Governo do Estado convocou para o trabalho no Litoral 3,2 mil policiais, entre civis, militares e científicos. Também foram instalados 99 postos guarda-vidas para atender os veranistas em toda orla marítima.

SALVAMENTOS - O Corpo de Bombeiros e os policiais e médicos do Grupamento Aeropolicial e Resgate Aéreo (Graer) salvaram 554 pessoas nos municípios do Litoral desde o início da temporada. A média é de 19 vidas salvas por dia pelas equipes que integram a Operação Verão.

Os salva-vidas também fizeram mais de 21 mil advertências 36 mil orientações aos veranistas, como alertar sobre locais impróprios para banho ou situações que possam colocar em risco a vida do banhista. Na parte preventiva, 28,5 mil pulseirinhas de identificação foram distribuídas às crianças, pelos policiais militares e bombeiros.

O helicóptero do Graer atendeu 24 vítimas, entre missões de salvamentos aquáticas, terrestres e remoções e resgates aeromédicos, além do patrulhamento policial. O helicóptero foi mais requisitado para a remoção aeromédica – levar pacientes de um hospital para outro.

BASE NÁUTICA - Para contribuir nos resgates marítimos, foi inaugurada uma nova Base Náutica de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros de Guaratuba, neste mês de janeiro. A estrutura, que fica ao lado do ferryboat, teve investimento de R$ 1,1 milhão e abriga uma equipe de resgate 24 horas, nos 365 dias do ano.

A base dá resposta imediata a casos de emergência na Baía de Guaratuba e nas praias de Matinhos e Guaratuba. Em algumas situações, pode ser utilizada para atender também nas praias de Pontal do Sul e na Baía de Paranaguá, onde já há uma base para os municípios e ilhas do litoral norte. A base tem uma rampa de lançamento de embarcações na água, com fácil saída para o mar, e uma passarela com píer flutuante (por conta da variação da maré) para retirar rapidamente as vítimas do mar e encaminhá-las a uma ambulância, em casos de salvamento de emergência.

ATIVIDADES EDUCATIVAS – Já a Polícia Civil teve reforço para investigar os crimes e demais situações atípicas, além de ações educativas, como as do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride).

Para garantir agilidade na elaboração de perícias e exames necessários em casos de violência, por exemplo, a Polícia Científica (IML e Criminalística) mantém uma unidade em Guaratuba e uma unidade no balneário Perequê, em Matinhos. As unidades funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, para prestar serviços de qualidade com rapidez e eficiência, para garantir um atendimento humanizado.

Entre os trabalhos executados até o momento estão 650 análises laboratoriais, com laudo entregue no prazo de 24 horas, em média. Também foram produzidos cerca de 90 laudos de lesões corporais. Esse material é imprescindível para dar prosseguimento aos inquéritos policiais instaurados.