Quadrilha acusada de roubo de cargas é preso em operação que terminou em boate na RMC


Da Polícia Civil
QUADRILHA
Quadrilha foi presa em flagrante pela Polícia Civil (Fotos: Juliano Cunha – Banda B)

Policiais civis da Delegacia e Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) prenderam, no início da noite da última quinta-feira (6), um quinteto de ladrões de cargas e recuperaram uma carga de doces e bolachas, parte de uma carga de bonés e dois veículos roubados, em uma boate em Araucária, na região metropolitana de Curitiba.
Segundo o delegado Rubens Recalcatti, titular da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), por volta das 19h de quinta, policiais rodoviários federais prenderam na BR-116, próximo a Colombo, Renan Jaison Ribeiro, 25 anos, com um i30 roubado. Ele alegou que o carro era de Altair Tibes da Silva, 23 anos, e contou aos policias que Silva costumava mexer com cargas roubadas.
quadrilha dentro2
Materiais recuperados (Foto: JC -Banda B)
Os policiais entraram em contato como plantão da DEDC e levaram o rapaz para delegacia. Lá, ele contou todo o esquema de roubo de cargas e disse que Silva morava em Araucária com a mulher. “Sabendo quem era o Silva, com informações sobre seu veículo e sobre sua mulher, nossos policiais se deslocaram de imediato para Araucária”, contou Recalcatti.
Chegando lá, no bairro Bela Vista, nas proximidades da Ponte do Rio Iguaçu, eles abordaram Silva, que mantinha em casa parte de uma carga de bonés e parte de uma carga de doces roubados. “Ele foi preso e com ele apreendido um revólver 38 municiado e com numeração suprimida”, lembrou o delegado.
Sabendo que a mulher de Silva, Andréia Aparecida Gomes, 35 anos, era gerente de uma casa noturna na região, os policiais se deslocaram até essa boate e lá encontraram o restante da carga de doces. A mulher foi presa, assim como Jean Marcos Cardoso, 27 anos, e Valdelino de Souza, 38 anos, que trabalhavam no local e ajudavam no roubo e transbordo das cargas roubadas.
Ribeiro, Silva e Souza eram foragidos da Colônia Penal Agrícola (CPA).
Frontier
Em revista à bolsa da mulher, na delegacia, os policiais encontraram documentos de possíveis vítimas do grupo. Um desses nomes era o dono de uma Frontier que havia sido tomada de assalto em Campo Largo no mesmo dia. “Em interrogatório, Silva confessou que o veículo estava escondido no estacionamento da boate. Nossos policiais retornaram lá e de fato a caminhoneta foi localizada e apreendida”, disse Recalcatti.
O quinteto responderá por associação criminosa, roubo de veículo e desvio de carga. Silva responderá também por porte ilegal de arma de fogo

Em uma hora, dois assassinatos em Fazenda Rio Grande; mulher foi a motivação dos crimes


Por Luiz Henrique de Oliveira e Juliano Cunha
assassinato fazenda1
Primeiro caso aconteceu no Jardim Europa (Fotos: Barbosa Junior)

A cidade de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, foi palco de dois assassinatos em menos de uma hora na tarde desta sexta-feira (6). João Pedro Pereira, de 25 anos, discutiu e matou Alexandre Marques, de 23, no bairro Jardim Europa. Pouco depois, Pereira foi assassinado por amigos de Marques, já no bairro Santa Terezinha. A motivação do crime foi a esposa de Pereira.
assassinato fazenda2
Autor do crime no Europa foi assassinado no Santa Terezinha
Segundo o delegado Fabio Machado, de Fazenda Rio Grande, a esposa do autor, que também virou vítima, teria passado o dia de ontem fumando crack com Marques, o que gerou a confusão.
“Primeiro aconteceu uma briga generalizada e o Pereira matou o Marques. Ele fugiu daqui e acabou sendo assassinado por amigos do Marques, que foram até o outro bairro vingar o crime”, explicou à Banda B.
Os atiradores que mataram a segunda vítima estavam em uma Kombi. Até o fechamento desta reportangem eles não foram localizados. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Curitiba (IML).

Executivo se entrega à Polícia Federal em Curitiba na 9ª fase da Lava Jato


Da Agência Brasil 

Um dos executivos de empreiteiras que tiveram prisão decretada na nona fase da Operação Lava Jato se entregou hoje (6) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. João Gualberto Pereira teve mandado de prisão expedido pela Justiça, mas estava nos Estados Unidos.
De acordo com o Ministério Público Federal, três executivos são acusados de pagar propina para obter contratos com a BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. Com sede em Santa Catarina, a empresa fabrica tanques de combustíveis e caminhões-tanque. Ontem (5), foram presos no município catarinense de Itajaí Gilson Pereira, sócio da empresa, e Sérgio Ambrósio, diretor financeiro.
Segundo o advogado Leonardo Pereima, os sócios da empresa nunca pagaram propina para a Petrobras e não tiveram contato com o ex-gerente da estatal Pedro Barusco e com o ex-diretor de Serviços Renato Duque.
Para a defesa, as acusações decorrem de vingança de uma ex-funcionária do departamento financeiro, demitida por desviar cerca de R$ 1 milhão. Ela teria envolvido os dirigentes da empresa com o pagamento de propina a dirigentes da Petrobras.

PT recebeu até US$ 200 milhões em propina; US$ 50 milhões pelas mãos de Vaccari, diz delator


pedro barusco --o globo
De Cleide Carvalho e Renato Onofre, O Globo:
O delator Pedro Barusco, ex-gerente da diretoria de Serviços da Petrobras, ​afirmou em delação premiada que, no período de 2003 a 2013, o PT recebeu entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões em propina de 90 contratos firmados pela estatal. Pelo menos US$ 50 milhões deste montante teriam passado pelas mãos do atual tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.
Os depoimentos de Barusco, prestados em novembro do ano passado, foram divulgados nesta quinta-feira pela Justiça Federal do Paraná. Foi através de informações fornecidas por Barusco que a Polícia Federal deflagrou, entre outras, a nona fase da Operação Lava-Jato, que nesta quinta-feira cumpriu mandatos em São Paulo, Rio, Bahia e Santa Catarina, além de levar João Vaccari para depor.
Dirigentes do PT ainda não foram localizados para comentar as acusações.
Barusco relatou ainda que seu ex-chefe, o então diretor de Serviços Renato Duque, pedia semanalmente R$ 50 mil em dinheiro de propina cobrada em contratos com a Petrobras e que continuou a recebê-las em conta no exterior, mesmo depois de ter deixado o posto, em 2012. Barusco afirmou ainda que Duque não precisava exigir dos empresários o pagamento de propina, pois ele era endêmico na Petrobras e “fazia parte da relação”.
Pedro Barusco confirmou que recebeu propina da Odebrecht e da holandesa SBM em contas no exterior. Ele admitiu que o recurso ilícito era pago desde 1997 em bancos da Suíça e do Panamá. Entre os operadores que negociaram diretamente propina com o ex-funcionário da estatal estão Julio Faerman e Mario Góes.
Faerman é apontado pelos investigadores como o lobista responsável por intermediar pagamentos de propina da empresa holandesa em operações da Petrobras. De acordo com a Polícia Federal, ele pode ter pago ilegalmente US$ 30 milhões a funcionários da petroleira brasileira.
Em troca, a holandesa conseguiria contratos de locação de plataformas para exploração de petróleo em valores próximos a R$ 10 bilhões. Uma auditoria interna da SBM mostrou que, de 2007 a 2011, a empresa já havia subornado autoridades e políticos em Angola, Cazaquistão, Guiné Equatorial, Itália, Iraque e Malásia.
Barusco informou que recebeu, através da off-shore PEXO, US$ 1 milhão de funcionários da Odebrecht.
O delator contou ainda que quando Paulo Roberto Costa foi preso, na primeira fase da Lava-Jato, ele próprio mantinha em casa R$ 3 milhões em dinheiro vivo e que remeteu o montante às contas na Suíça por meio de um operador identificado como Bernardo Freiburg Hauss, que trabalhava também para Costa.
Barusco afirmou que cada uma das empreiteiras do cartel tinha também um “operador”.
Incomodado por fazer o gerenciamento da propina de Duque, ele afirmou que foi com ele até Milão, no Banco Drenos, onde foram abertas duas contas, identificadas como K, de Korat, e T, do qual não se recorda o nome.
Ele diz que Duque passou a utilizar ainda um intermediário chamado Roberto, brasileiro que trabalhava no banco Lombardi Odier, em Paris, onde depositou US$ 6 milhões. Segundo ele, Roberto sumiu com o dinheiro. Barusco diz que Duque quis então que Barusco assumisse com ele o prejuízo.
Barusco, que assinou acordo de delação premiada com a Justiça, afirmou que a propina de Duque era depositada em cinco bancos da Suíça. Além de Duque, disse o ex-gerente, também Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras, também recebia propina da área de Serviços esporadicamente.
O dinheiro pago a Duque em espécie, em período “semanal”, era oriundo de propina que Barusco guardava em casa.
Barusco relatou qual era a divisão da propina. Segundo ele, Duque ficava com 60% e o próprio Barusco com 40%. Quando o pagamento de propina ocorria com a intermediação de operadores, pessoas com papel semelhante ao de Alberto Youssef, a divisão mudava: Duque ficava com 40%, Barusco com 30% e o operador com 30%.
Ele afirmou que Duque era confuso na administração do dinheiro e confirmou a participação do cartel de empreiteiras na licitação das obras da Refinaria Abreu e Lima.
Barusco disse que quando assumiu a gerência executiva da área de Engenharia, foi “bolado um projeto para as utilidades do Comperj” por Júlio Gerin Camargo – que também assinou acordo de delação premiada na Justiça. Camargo teria comentado com Paulo Ribero Costa e, quando surgiu a licitação, a propina foi embutida na formação da proposta de preços, de maneira que “naturalmente”, seria paga uma parte em favor de Costa, que era da diretoria de Abastecimento.
Barusco diz que o valor da propina foi proporcional ao valor dos negócios.
Em 2003, explicou, o setor de Serviços e Egenharia gerenciava US$ 3 bilhões por ano. Quando Barusco deixou o posto, em 2011, o valor total dos negócios da área era de US$ 3 bilhões por mês e a propina “era proporcional”.

Batida entre carro e caminhão deixa um morto no interior do Paraná


Do Portal Catve.tv


Um grave acidente foi registrado na manhã desta quinta-feira (05), na rodovia PR-483 linha Gaúcha, envolvendo um Clio Sedan, placas de Manfrinópolis, um caminhão, com placas de Ronda Alta/RS, um caminhão Volks carregado com bebidas e um Scania, conduzido por Laudemir Bender, placas de São Lourenço do Oeste/SC, carregado com compensados, que tombou após a colisão.
acidente
(Foto: Rádio Educadora)
O motorista do Clio que foi identificado no local como Sérgio Negri, 48 anos teria tentado ultrapassar o caminhão do Rio Grande do Sul, bateu na lateral e deu de encontro com a carreta. Os caminhões tiraram para o lado, porém ao enroscar no primeiro caminhão ele perdeu o controle do carro que rodou na pista indo de encontro aos caminhões. Havia muita neblina no local na hora do acidente.
O condutor do carro morreu no local. Ele foi retirado pelos Bombeiros e encaminhado ao IML de Francisco Beltrão. Ele residia na comunidade de Santo Antônio do Divisor, município de Manfrinópolis.

Eduardo Cunha lê ato de criação da CPI da Petrobras na Câmara


eduardo cunha
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), leu em plenário na manhã desta quinta-feira o ato de criação de uma nova CPI da Petrobras, com objetivo de investigar o esquema de corrupção na estatal. A comissão terá 26 integrantes titulares e igual número de suplentes, mais um titular e um suplente atendendo ao rodízio entre as bancadas não contempladas. Das 182 assinaturas colhidas no requerimento da CPI da Petrobras na Casa, apresentado pela oposição, estavam 52 de deputados de partidos aliados, 28,5% do total.
Eduardo Cunha disse que dará um prazo para que os partidos preencham as vagas da nova CPI até a próxima semana e só depois do Carnaval instalar a comissão. Caso não haja indicação, o presidente da Casa pode definir os nomes por conta própria.
NOVO EMBATE PT X PMDB
O presidente da Câmara disse que o PMDB, como maior partido do maior bloco partidário da Câmara escolherá que cargo terá na nova CPI da Petrobras na Casa, a presidência ou a relatoria. Em uma CPI, a relatoria é o cargo mais cobiçado, mas o presidente dá o comando e o ritmo da comissão. Os cargos dessa CPI, apresentada pela oposição, poderão provocar novo embate entre PT e PMDB.
Indagado se o PT, que tem a maior bancada na Casa com 69 deputados (o PMDB tem 65 ) ficaria com a presidência ou na relatoria da comissão, Cunha afirmou que o que conta, agora, é o tamanho dos blocos. Ele não descartou que a vaga poderá ser ocupada pelo PT, mas disse que a decisão caberá ao novo líder do PMDB, que será escolhido na próxima semana. O PT dependerá do PMDB para ter uma das vagas, a não ser que não se chegue a uma acordo e o bloco lance uma candidatura alternativa para a presidência da CPI. A eleição é secreta e tradicionalmente os partidos vão para o voto com acordo. O deputado escolhido para presidir a comissão, escolhe o relator entre os integrantes.
‑ Quando se constituíram os blocos, todos sabem que a contagem passou a ser o bloco, não tem mais essa história que o PT é a maior bancada. O PT é a maior bancada, mas passou a ser o segundo bloco. É uma questão que vão ter que se entender, uma questão política que vão conversar. Por isso é importante que o PMDB tenha líder, para que ele possa se posicionar. Não posso me sobrepor à função de líder – disse Cunha.
Cunha voltou a dizer que preferiu uma CPI mista, da Câmara e do Senado, mas que a ele, como presidente cabe cumprir o regimento e criar, se há número regimental e fato determinado para a CPI existir.
Publicidade
Entre os partidos da base, o PDT deu o maior número de assinaturas para a nova comissão, com 14 deputados apoiando, inclusive o novo líder da bancada, deputado André Figueiredo (CE). Também assinaram a CPI 12 deputados do PSD, dez do PMDB, sete do PR, cinto do PP, dois do PRB, um do PROS e um do PTB.
O prazo de funcionamento da CPI é de 120 dias, podendo ser prorrogado por mais 60. Pelo requerimento da oposição, a CPI deve investigar a prática de atos ilícitos e irregularidades no âmbito da Petrobras entre os anos de 2005 e 2015.
GOVERNO MINIMIZA CRIAÇÃO DA CPI
Para o ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, esse tipo de comissão há muito tempo perdeu a eficácia. O ministro disse que o Planalto pretende deixar a CPI atuar, e disse que quem tem feito um combate contra a corrupção é o próprio governo, por meio da Polícia Federal ou da Controladoria Geral da União (CGU), ou outros órgãos, como o Ministério Público.
— As investigações desses órgãos ocorrem com sigilo, que permite quebra de sigilo fiscal, bancário, patrimonial, com equipes de profissionais e o processo é muito mais efetivo e consegue resultados muito mais concretos. Vivemos num país que, efetivamente, está combatendo a corrupção — afirmou Vargas, completando:
— Uma CPI pode atuar. O que sempre disse é que as comissões, em função desse novo protagonismo de órgãos que combatem a corrupção, perderam o protagonismo que tinham no passado, até porque as regras agora são diferentes – uma pessoa pode chegar para depor e ficar calada e nada acontece. As CPIs têm servido mais como instrumento de disputa política do que, efetivamente, fazer investigação.
Indagado sobre as críticas do ministro Pepe Vargas, Eduardo Cunha afirmou:
— A crítica é dirigida aos 182 parlamentares que assinaram, não é dirigida a mim.
Publicidade
REUNIÃO COM DILMA
O presidente da Câmara disse que o encontro com a presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira é um encontro institucional e que o convide partiu dela, irá ouvi-la. Ele destacou que sua postura como líder do PMDB sempre foi a de combater qualquer coisa que impeça o país de conseguir controlar suas contas públicas.
— Jamais fomos favoráveis a pautas bombas, que estourem o orçamento, o gosto público. Nunca tive essa postura como líder. Se não tive como líder, não será como presidente que a gente vai ter. Sou muito previsível. É só olhar como eu me comportei que vou continuar me comportando — disse Cunha.
Eduardo Cunha anunciou que votará, na sessão extraordinária da próxima segunda-feira a Proposta de Emenda Constitucional do Orçamento Impositivo das emendas parlamentares individuais, concluindo a votação na Casa.

Grupo armado invade ônibus de compras na BR-116 e deixa passageiros nus, sem um centavo


Por Denise Mello e Antonio Nascimento

Moradores de São Mateus do Sul, município a 140 km de Curitiba, viveram momentos de terror nas mãos de bandidos na madrugada desta quinta-feira (5). O grupo de 19 passageiros foi obrigado a entregar todos os pertences a um bando armado que rendeu o ônibus em que estavam, na BR-116. Os passageiros voltavam de uma viagem de compras em São Paulo. Ninguém ficou ferido, mas os sacoleiros ficaram nus e sem um centavo sequer após o assalto.
O assalto aconteceu na Rodovia Régis Bittencourt, em São Paulo, por volta das 3 horas. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), seis homens fortemente armados em um Vectra escuro fecharam o ônibus na estrada e obrigaram o motorista a estacionar. Com a arma apontada na cabeça, o motorista foi obrigado a dirigir até o km 29, já em Campina Grande do Sul, no Paraná. Neste ponto, o ônibus entrou em uma estrada de terra  e todos os passageiros tiveram que entregar joias, celulares e cerca de R$ 40 mil. Antes de sair, os bandidos fizeram  o grupo tirar toda a roupa e todos foram trancados no bagageiro.
Com muito esforço, os passageiros e o motorista conseguiram abrir a porta do bagageiro e seguiram até um posto da PRF em Campina Grande do Sul. Lá foi registrado um boletim de ocorrência. A polícia não tem pistas dos bandidos. Os passageiros seguiram viagem para São Mateus do Sul.
.

Ministério da Justiça apaga peça publicitária após polêmica nas redes sociais


Imagem com mulheres rindo de outra causou polêmica nas redes sociais
Imagem com mulheres rindo de outra causou polêmica nas redes sociais Foto: Reprodução
Ana Carolina Pinto

Ministério da Justiça retirou do Facebook uma peça publicitária da campanha "Bebeu, perdeu", depois da repercussão negativa nas redes sociais. Na imagem, duas jovens segurando celulares riem de outra. A mensagem da imagem traz o texto: “Bebeu demais e esqueceu o que fez? Seus amigos vão te lembrar por muito tempo”.
Além de apagar a foto, o Ministério da Justiça publicou uma retratação no Facebook em que pede desculpas pelo "equívoco".
"A campanha ‪#‎BebeuPerdeu‬ é muito mais do que isso. Nós nos equivocamos com a peça. Ela tem o objetivo de conscientizar jovens até 24 anos sobre os malefícios do álcool. Atuamos em políticas públicas em conjunto com a Secretaria de Políticas para a Mulher (SPM) contra a violência doméstica, o feminicídio e outras formas de violência contra a mulher. Pedimos desculpas pelo mal entendido e ao mesmo tempo contamos com a colaboração de todos na campanha".
Para os usuários das redes sociais, a campanha culpabiliza vítimas de assédio e abuso sexual e estimula o bullying. No perfil do Facebook do Ministério, em apenas três horas a imagem recebeu mais de 400 comentários, a grande maioria criticando e questionando o posicionamento do órgão federal
Foto: Reprodução/Facebook
“Por que o alvo da campanha é uma mulher? Vocês querem dar a entender que se a mulher beber demais e for humilhada e violentada de alguma forma, a culpa é dela, e não de quem violentou e de quem expôs? Com que direito vocês naturalizam a violência contra a mulher? PERDEU o quê? Que tipo de conselho é esse? Mulher que bebe perde a dignidade, o direito ao respeito, ao próprio corpo, à privacidade, à intimidade, à vida?”, questiona uma seguidora.
Outra mulher declarou: “Vergonha! Não se pode naturalizar os danos morais, onde fica a privacidade da pessoa? Aonde fica a integridade dessa pessoa? Não esperava esse tipo de campanha irresponsável vinda do Ministério da Justiça. Vergonha!”.
Foto: Reprodução/Facebook
Um homem afirma ainda que o Ministério erra em recriminar quem bebe e se torna vitima de alguma situação, em vez da pessoa responsável pelo possível crime. “Errar é humano. Beber é lícito. Quem erra é quem humilha e despreza quem bebeu e "pagou mico". Há uma confusão aqui entre vítima e agressor”.
Foto: Reprodução/Twitter
Uma outra peça da campanha, em que um jovem aparece sentado no chão, faz brincadeira com o hábito de enviar mensagens indevidas após o consumo de bebidas alcoólicas. A foto também foi criticada, mas com bem menos intensidade. Nesta imagem, o perfil do Ministério Público respondeu às críticas com uma nota, afirmando que o objetivo da campanha é conscientizar sobre os perigos do consumo excessivo de álcool, com “situações do cotidiano dos jovens”.
OUtra imagem, que cita envio de mensagens indevidas, recebeu menos comentários
OUtra imagem, que cita envio de mensagens indevidas, recebeu menos comentários Foto: Reprodução/Facebook
“O Ministério da Justiça lança no início de ano uma campanha de prevenção do abuso de álcool. Com o mote “Bebeu, perdeu”, a campanha procura desestimular o uso de álcool por adolescentes e alertar jovens acima de 18 anos para os riscos do seu abuso. Trazendo situações do cotidiano dos jovens, a campanha mostra como o abuso do álcool pode estragar momentos de diversão, atrapalhar relacionamentos e provocar situações de vergonha que trazem arrependimento mais tarde. Para a primeira etapa da campanha, durante o Carnaval, cinco vídeos publicitários serão exibidos em salas de cinema de cinco cidades com forte tradição de carnaval de rua - Ouro Preto (MG), Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo - onde também serão divulgados outdoors e painéis alusivos à campanha em aeroportos, rodoviárias, hotéis e transporte urbano. A iniciativa também vai se estender a grandes shows, feriados e festas populares tradicionais. Vale lembrar que venda de bebidas a menores de idade é prática criminosa de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, diz a nota.
Segundo a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça, a campanha foi criada especialmente para o Carnaval e já foi divulgada no ano passado. O órgão retirou a peça do ar, mas explicou que não teve a intenção de fazer nenhuma menção a crimes cometidos contra mulheres.
Ainda de acordo com a pasta, todos os dias, até o Carnaval, serão compartilhadas imagens relacinadas à campanha. A escolha das fotos é feita por uma equipe de Comunicação e os personagens se alteram nas imagens, entre homens e mulheres, aleatoriamente.


Bandidos que arrombavam casas no Pinheirinho são presos em perseguição policial


Por Denise Mello e Antonio Nascimento

Dois rapazes de 22 e 23 anos, com diversas passagens pela polícia, foram presos em flagrante na tarde desta quarta-feira (4), minutos depois de arrombarem várias casas no bairro Pinheirinho, em Curitiba. A prisão aconteceu logo depois que os dois tinham acabado de furtar a casa de um policial militar, que estava trabalhando na área.
O assalto aconteceu na casa do policial do 13º Batalhão da PM, que trabalhava nas imediações e foi alertado por vizinhos. Assim que recebeu a informação, o policial e a equipe começaram a circular pela região e encontraram o veículo Gol, branco, utilizado pelos bandidos.
Houve perseguição e o carro acabou batendo. Os dois ladrões foram presos e no porta-malas foram encontrados vários pertences de casas arrombadas pela dupla.
O material apreendido foi encaminhado para o Ciac-Sul e os dois acusados foram presos em flagrante.
.

Ex-marido que espancou ex-mulher até deixá-la em coma é preso em Curitiba


Da Redação com Polícia Civil


A Polícia Civil prendeu, na manhã da última quarta-feira (4), Alamir Fernandes, de 26 anos, que possuía  mandado de prisão por ser foragido do sistema prisional. A ficha criminal é bem extensa, mas desta vez o suspeito foi preso principalmente pela violência praticada contra sua ex-mulher.
No último dia 25 de janeiro, Fernandes espancou a companheira, que teve que passar por cirurgias na cabeça e no pulmão e desde então está hospitalizada em  coma. O caso foi acompanhada pela Banda B e pode ser conferido na notícia relacionada abaixo.
Notícia Relacionada:
Segundo a delegada-titular do 12.º Distrito Policial, Daniela Corrêa Antunes Andrade, os policiais receberam informações de que o homem que teria agredido brutalmente a esposa em Santa Felicidade estava escondido em outro bairro da capital. A vítima da agressão, como está em coma, não chegou a registrar Boletim de Ocorrência na delegacia, mas os policiais sabiam da história e conseguiram identificá-lo como sendo autor de vários crimes e com mandados de prisão em aberto.
“Ele espancou a mulher em casa, na Rua Padre José Martin, em Santa Felicidade, área de ação do DP, mas acabou sendo preso hoje no Tatuquara”, contou a delegada.
Além do mandado de prisão por estar foragido do sistema, Fernandes já tem condenação por tráfico de drogas, roubo agravado e também uma passagem pela polícia por furto qualificado.

Bandidos que arrombavam casas no Pinheirinho são presos em perseguição policial


Por Denise Mello e Antonio Nascimento

Dois rapazes de 22 e 23 anos, com diversas passagens pela polícia, foram presos em flagrante na tarde desta quarta-feira (4), minutos depois de arrombarem várias casas no bairro Pinheirinho, em Curitiba. A prisão aconteceu logo depois que os dois tinham acabado de furtar a casa de um policial militar, que estava trabalhando na área.
O assalto aconteceu na casa do policial do 13º Batalhão da PM, que trabalhava nas imediações e foi alertado por vizinhos. Assim que recebeu a informação, o policial e a equipe começaram a circular pela região e encontraram o veículo Gol, branco, utilizado pelos bandidos.
Houve perseguição e o carro acabou batendo. Os dois ladrões foram presos e no porta-malas foram encontrados vários pertences de casas arrombadas pela dupla.
O material apreendido foi encaminhado para o Ciac-Sul e os dois acusados foram presos em flagrante.